4

Os jornalistas esportivos e seus palpites furados…

A tabela mostra que os "especialistas" erraram tudo em 2011

Os comentaristas esportivos do país já começaram o seu exercício de futurologia em relação ao Campeonato Brasileiro, que começa neste domingo.

Como fazem todos os anos, este bando de “Maria-vai-com-as-outras” não sai do óbvio para apontar favoritos na conquista do título – e se repetem entre si, como se não quisessem se comprometer.

A análise dos que eles disseram, em 2011, é de morrer de rir.

Ano passado, gente como Juca Kfoury, da ESPN, e Renato Maurício Prado, do SporTV, apontaram Santos e Cruzeiro como os favoritos – muito por causa da obviedade que eram os dois times no início do ano. (Releia aqui)

Resultado: Santos abandonou o Brasileiro por causa da Libertadores e o Cruzeiro teve que brigar até a última rodada para não cair.

Outros, como os da Jovem-Pan, para os quais só existe futebol em São Paulo, o palpite furado nunca saiu do script: São Paulo, Santos, Corínthians, Internacional e Cruzeiro.

Um ou outro sempre aponta o Flamengo – muito por torcida mesmo – e alguns o Fluminense, “por causa do elenco“.

Ano passado, por exemplo, ninguém falou do Corínthians e do Vasco, que venceram os dois títulos nacionais (Brasileirão e Copa do Brasil).

Este ano, às vésperas do Brasileirão, estes mesmos “deuses do futebol” já começaram a cravar seus palpites.

E com as mesmas obviedades de sempre: Corínthians, Santos, São Paulo, Internacional e Fluminense.

Será maravilhoso poder ridicularizá-los novamente no final do ano…

Leia também: “Eles, os comentaristas…”

3

Brasileirão chega à 10ª edição no sistema de pontos corridos…

O Campenoato Brasileiro de 2012, que começa neste domingo, é o décimo disputado pelo sistema de pontos corridos.

O São Paulo Futebol Clube é o maior vencedor da era dos pontos corridos. Foram três títulos, mais três terceiros lugares.

É também o maior pontuador, com 627 pontos nas dez edições, cinquenta a mais que o Internacional (RS), o segundo colocado.

Campeão do ano passado, o Corínthians é só o oitavo em total de pontos, com 502 conquistad0s – o time paulista amargou uma Segundona em 2008.

O Brasileirão de 2012 acontece de hoje até o dia 2 de dezembro.

São 38 rodadas para se conhecer o campeão nacional, os representantes na Libertadores e na Copa Sulamericana e os quatro rebaixados para a Segunda Divisão.

Sete meses de pura emoção futebolística…

4

Pelé também na torcida pelo Vasco….

Pelé exibe camisa do Vasco estilizada com seu nome

Se depender da torcida do rei Pelé, o Vasco se sagrará campeão brasileiro daqui a pouco, no Rio de Janeiro. O atleta do século torce pelo Gigante da Colina no duelo contra o Flamengo e na disptua com o Corínthians.

 – Foi o clube que me abriu as portas no início da carreira, foi onde ganhei meu primeiro título jogando pelo ”combinado” Santos e Vasco. Pelo trabalho que foi feito o clube já merecia o campeonato, mas sabemos que o futebol não é assim – declarou Pelé, ao jornal Estado de S. Paulo.

Com a torcida extra do Rei, o Vasco precisa vencer o Flamengo neste domingo, às 17 horas, no Engenhão, e torcer por uma derrota do Corinthians diante do Palmeiras, no mesmo horário, em São Paulo, para ficar com o título.

E como tudo pode acontecer… 

 

8

Orgulho de ser vascaíno…

São amplas as chances de o Corínthians se sagrar campeão brasileiro logo mais à tarde, na última rodada do Brasileirão. Há chances muitos grandes também de que o Vasco vença o Flamengo no clássico carioca da rodada.

Mas isto, agora, é o que menos importa.

O Vasco da Gama já venceu o título que precisava no futebol brasileiro em 2011, e não é a Copa do Basil. O clube trouxe de volta o orgulho de ser vascaíno. E esta vitória ninguém pode tirar.

No papel, os “especialistas” jamais puseram o Vasco entre os favoritos do Brasileirão no início do campeonato.

No campo de jogo, no entanto, o clube carioca mostrou o melhor futebol dentre os 20 que disputavam o campeonato – incluindo o Santos, que priorizou a Libertadores.

O orgulho de ser vascaíno foi conquistado pela forma como os atletas encararam  o ano, subervetendo as tolices analíticas arraigadas no futebol brasileiro.

E quebrou paradigmas.

É senso comum entre os analistas de futebol que um time não pode disputar duas competições simultâneas, tendo que priorizar uma das duas.

O Vasco mostrou que isso é tolice e deu o sangue no Brasileirão e na Sulamericana – mesmo depois de já ter conquistado a Copa do Brasil.

Para os “analistas” de futebol, time que decide precisa ter estrelas, indepedente do caráter delas.

O Vasco também subverteu esta lógica, apostando no elenco sem privilégios e na união do grupo, com mais de 11 “titulares”.

Por isso é que o Vasco já chega campeão à rodada do Brasileirão de hoje à tarde.

Campeão da superação, da união, da convicção e da vontade de lutar, sempre, aconteça o que acontecer.

E que venha 2012…

12

O time do ano no futebol brasileiro…

Gomes abraça Dedé, após mais uma bilhante partida

Do blog Um Olhar Crônico Espotivo

É prematuro para publicar esse post, dirão muitos, mas eu não penso assim.

Vou além: ele já estava mais ou menos desenhado em minha cabeça há uns vinte dias, por aí. E o resultado do jogo de anteontem, em Santiago do Chile, somente consolidou minha certeza.

É provável que o Corinthians sagre-se Campeão Brasileiro de 2011 neste domingo, com todos os méritos. É possível, talvez não tão provável, que o Santos sagre-se Campeão Mundial em poucos dias, no Japão.

Serão grandes feitos e, talvez, ninguém mais que o atual Campeão da Copa Libertadores de América merecesse o título de Time Brasileiro do Ano de 2011, principalmente se conquistar o Mundial.

Penso de forma diferente, porém.

Para mim, para a visão que tenho do futebol brasileiro hoje e do futuro e, independentemente do resultado de seu jogo final no Brasileiro e de conquistar ou não o título de Campeão Brasileiro, o Time do Ano é o Vasco da Gama.

É o Vasco de Ricardo Gomes. Que também é o Vasco de Cristovão, Juninho, Felipe, Dedé, Diego & Cia. É, igualmente, e digo com satisfação (apesar de algumas ressalvas e frustrações), o Vasco de Roberto Dinamite.

Ora, mas por que Time do Ano, ainda por cima com maiúsculas? Só porque venceu a Copa do Brasil? A mesma que você diz ser uma competição secundária?

Não, irritado leitor não-vascaíno; é o Time do Ano porque honrou todas as suas disputas, enobreceu-as.

Porque não entrou em férias depois de uma conquista. Pelo contrário, foi à luta em duas frentes, diferentes e extenuantes por si só, e muito mais, muitíssimo mais quando somadas, quando simultâneas. Como fez o Cruzeiro de Vanderlei Luxemburgo, em 2003, numa outra época bem diferente da atual, mas de forma igualmente nobre.

É o Time do Ano porque deu um bom exemplo de como um clube pode, mesmo com dificuldades e orçamento apertado, montar um bom elenco, mesclando novos e veteranos e dar condições à sua comissão técnica para realizar um bom trabalho.

E, finalmente, por último, mas não menos importante, é o meu Time do Ano por ter jogado bonito, por ter jogado futebol com jogadores que pensam e sabem armar, por jogar com meias e não somente meia-dúzia de volantes – os tais “de contenção” – usando e abusando do triste e monótono “jogo aéreo” que domina o futebol brasileiro desse começo de século.

Para mim, portanto, não é relevante que o Vasco vença o Flamengo e conquiste o Brasileiro por conta de um tropeço corintiano.

Seria, ou será, somente a cereja extra do bolo que já é bom…

9

Eurico Miranda fala – do Vasco e do Brasileirão!!!

Eurico Miranda: O Vasco acima de tudo...

O ex-presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda – uma das figuras mais polêmicas e controvertidas do futebol brasileiro – concedeu entrevista, ontem, ao jornalista Jorge Kajuru, do Esporte Interativo. Como não poderia deixar de ser, em se tratando de Eurico, a entrevista já é um dos assuntos mais comentados das redes sociais nesta quarta-feira. Abaixo, os principais tópicos da entreista:

VASCO CAMPEÃO?
Eu acho que a única coisa que pode tirar o título do Vasco é a tabela. Só a tabela pode tirar. [A tabela favorece] Corínthians. Não duvido [que, por causa da ligação de Ricardo Teiexeira e Andrés Sanches]. Não justifica você fazer uma tabela em que você bota três clássicos… Está bem, aquele argumento de botar o clássico para a última rodada. Mas se isso não foi feito para os outros… Eu não sei se foi feito para beneficar, mas que prejudicou o Vasco e beneficiou os outros… Mas que eu acho que o Vasco, que o time do Vasco – aí merece uma consideração – teve algumas coisas que aconteceram a favor dele… Uma delas foi motivacional, que foi esse acidente com o Ricardo Gomes. Mas teve outras coisas que o prejudicaram, que foi ainda a incompetência, a negligência dos dirigentes, que não esperavam e não se insurgiram contra uma tabela, da maneira como foi feita.

QUEDA PARA SEGUNDONA EM 2008
Se estivesse, o Vasco não cairia. Você (Jorge Kajuru) vai morrer com essa curiosidade do que eu faria para ele não cair. É só saber como funciona o futebol, tomar as medidas para que isso não ocorra. Tem que ser diligente, não negligente. Eu sabia como funcionava e as medidas que você precisava tomar para que aquilo não acontecesse. Você tem que ser dirigente e não meio dirigente. Eu nunca deixei passar uma atitude do árbitro que fosse prejudicial, nunca deixei de comentá-la, de assumir posição em relação a isso, mas eles entendiam que isso era uma coisa adversa.

A entrevista a Kajuru

LULA VASCAÍNO
O Roberto [Dinamite] era torccedor do Botafogo. Cara que muda de clube, você já pensa duas vezes. É como o presindete Lula, que sempre foi vascaíno e virou corintiano por interesse político.

GESTÃO DE ROBERTO DINAMITE
O Dinamite hoje está começando a pegar as coisas, o jeito de administrar o clube. O primeiro mandato não era ele quem mandava, ele não tinha conhecimento para administrar. Agora ele está conhecendo, está mais direto. Mas tem este problema da base. Se tem uma coisa que tem que arrumar no Vasco é a divisão de base. Tenho denúncias de que alguns jogadores são de empresários, praticamente acabou a divisão de base, tudo na mão de empresários.

VOLTA AO COMANDO DO VASCO
Não volto ao Vasco. Na direção eu não volto. Isso porque no episódio da queda para a 2ª divisão, que foi a pior coisa para mim, colocaram uma faixa com os dizeres ‘a culpa foi do Eurico’. Na época eu tinha certeza absoluta que se eu lá estivesse o Vasco não cairia. Tenho 40 anos de futebol e conheço alguma coisa.

Veja aqui a íntegra da entrevista

12

Só pra fazer pensar…

Site anuncia proposta do Corínthias por craque do Cruzeiro

14 de outubro de 2011, sexta-feira. Portal Gazeta Esportiva anuncia em destaque: “Por Montillo, Corínthians podeia pagar R$ 14,5 milhões mais Jorge Henrique“. (Leia aqui)

A notícia teve repercussão imediata por ter sido divulgada na semana em que o time paulista jogaria com o Cruzeiro, em Minas Gerais.

Oficialmente, o Cruzeiro desmentiu a possibilidade de negociação.

17 de outubro de 2011, domingo. Como a maioria dos portais esportivos brasileiros, o site Terra divulgou, no início da noite: “Montillo perde penalty e Corínthians vence Cruzeiro fora“.

Coincidência? Há outras.

Perda de penalty por Montillo é destaque pós-jogo

O Atlético de Goiânia é o time mais regular deste Brasileirão. Ganhou todas antes de jogar com o Corínthians; e continua a ganhar todas depois deste jogo.

Mas contra o Corínthians teve um inexplicável apagão. Foram três gols à jato, apenas no primeiro tempo, suficientes para garantir a liderança ao time paulista.

É histórica a relação dos times de Goiás com o clube paulista. Em outra ocasião, o Goiás pediu de volta um jogado do Sport que lhe pertencia ás vésperas da decisão da Copa do Brasil, contra o mesmo Corínthians.

Coincidência?

Há uma expressão chamada “efeito colateral”, usada nos meios militares para designar aquilo que, mesmo sem aparentar, tem relação, ou consequência – com outro fato.

Este blog sempre usa um pensamento do poeta carioca Fausto Fawcett quando trata de questões enigmáticas: “O mais vagabundo ferro de passar tem a ver com uma pesquisa militar”.

Simples assim…

13

São dez decisões; hoje, é apenas uma delas…

O jogo de hoje, em Curitiba, contra o Atlético-PR, é só uma das dez decisões que o Vasco da Gama deve disputar até o final do Campeonato Brasileiro.

Cada jogo é uma final antecipada e garantir a regularidade, como já foi dito aqui, é fundamental para chegar ao título.

Esta regularidade vem sendo mantida durante todo o campeonato.

O Vasco perde uma partida a cada cinco ou seis rodadas. Significa dizer que, a cada 15 pontos disputados, o Gigante da Colina garante, pelo menos, nove.

É uma média importante, até por que as outras equipes mostram muita irregularidade, com derrotas e vitórias alternadas.

A maior série sem vitórias registrada pelo Vasco neste Brasileirão é extamente a atual: há dois jogos não vence – empatou com o Corínthians e perdeu para o Inter.

E é com esta regularidade que o time carioca poderá chegar ao título…