4

“Nhozinho Santos é apenas um espaço abandonado”, lamenta Wellington…

Deputado voltou a cobrar a recuperação do estádio, interditado desde 2015, e lamentou que os campeonatos de futebol comecem sem uma praça esportiva alternativa ao Castelão

 

Abandonado, Nhozinho Santos tem servido de depósito de caminhões da Citeluz

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) visitou nesta segunda-feira, 23, o Estádio Nhozinho Santos; e constatou que nada foi feito, desde a sua primeira denúncia, ainda em abril de 2016.

O estádio foi interditado em 2015, por intermédio do Ministério Público. Desde então, está fechado.

Abandonado, o local serve apenas de depósito de caminhões de prestadoras de serviços à prefeitura.

– No dia 7 de abril de 2016, nós cobramos a retomada das obras, mas ao que parece, nada ou quase nada foi feito. Esse estádio foi interditado desde 2015 e fica o questionamento: quando reinaugurará? Quem passa em frente ao Nhozinho vê apenas um espaço abandonado. O que eu trago aqui não é uma constatação minha, mas sim denúncias e reclamações de torcedores, da população. Teremos várias competições e, lamentavelmente, apenas o Castelão receberá as partidas de futebol – disse Wellington.

Wellington denunciou o abandono do estádio em sucessivos discursos e em vários documentos à prefeitura

O parlamentar cobrou novas informações da prefeitura, mas pretende levar o caso à discussão também nas comissões de Desporto e de Obras da Assembleia Legislativa.

– Durante a propaganda eleitoral, o prefeito reeleito de São Luís garantiu que entregaria o estádio pronto. Então, 2017 já chegou e, com ele, as várias competições. Infelizmente, o que vemos é apenas o Castelão tendo que suportar sozinho toda a demanda de jogos. Se a Prefeitura não se posicionar, iremos cobrar a discussão por parte das Comissões de Desporto e, ainda, de Obras na Assembleia – afirmou.

As tentativas de manutenção têm sido precárias e rudimentares

Além das indicações à gestão de Edivaldo Júnior (PDT), Wellington encaminhou documentos também ao governo Flávio Dino (PCdoB) – tutor do prefeito – para que ajude na recuperação do estádio, por meio de parceria da Sedel.

Afinal, padrinho também é para essas coisas…

2

A refundação do Moto Club…

Time maranhense deixa o fundo do poço, se reorganiza e alcança a garantia de um calendário no futebol, fundamental para organizar sua rotina e atrair torcedores aos estádios

 

Sob o coamndod e Rodrigo Ramos, altetas motenses jogaram com sangue no olhos: e o resultado foi esta cena há muito não vista...

Sob o comando de Rodrigo Ramos, atletas motenses jogaram com sangue no olhos: e o resultado foi esta cena…

Há três anos, o Moto Club de São Luís era um time acabado.

Gigante do futebol maranhense, sucumbiu a diversas gestões incompetentes e mal intencionadas, até alcançar por duas vezes seguidas a “Segunda Divisão” do estado.

O Moto que saiu ontem do Castelão como campeão do 1º Turno do estadual não apenas conquistou as vagas nas copas do Nordeste e do Brasil – garantindo, com isso, um calendário definido em 2017 – mas também mostrou que sua torcida ainda faz a diferença no futebol do Maranhão.

E com uma torcida destas, o rubro negro não pode deixar de estar nas grandes competições.

E para completar a festa, a CBF garantiu hoje aumento no número de clubes da Série D, o que já garante ao clube maranhense uma vaga na competição em 2017. (Entenda aqui)

O Moto Clube é um time de futebol renascido, refundado; graças á coragem do seu presidente, Hans Nina, e de seus auxiliares.

Detalhe: muitos dos atletas responsáveis por esta ascensão motense são oriundos do seu maior rival, o Sampaio Corrêa, que, após alavancarem o tricolor das rabeiras à Série B, foram descartados nos projetos megalomaníacos dos últimos anos.

Mas estes jogadores também provaram seu valor.   

É bom para o Maranhão que Moto, Sampaio, Maranhão Atlético e todos o demais clubes possam ter uma rotina organizada e preparada para os grandes embates.

Estando assim, cada torcida saberá fazer a sua parte…

Imagem: blog do Zeca Soares