2

A difícil equação de Carlos Brandão com PSDB e PT

Vice-governador tucano mostra-se desconfortável no ambiente petista com o ex-presidente Lula, no mesmo dia em que o principal nome do seu partido, Fernando Henrique Cardoso, declara apoio a João Dória, que deu aval à sua ficha de filiação ao ninho

 

Brandão com Dória e Brandão com Lula: falta de afinidade do tucano com o petista fica evidente em imagens colhidas ao longo da visita do ex-presidente

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) conseguiu estar na agenda do ex-presidente Lula (PT) com o governador Flávio Dino (PSB), em um ambiente absolutamente de esquerda e no qual se mostrou totalmente desambientado.

E para piorar a situação do tucano maranhense, o também ex-presidente Fernando Henrique Cardoso declarou apoio ao governador João Dória (SP) para presidente, no mesmo dia em que Brandão tirava foto com Lula.

Dória foi o responsável por avalizar a volta de Brandão ao PSDB, no mês de março, como garantia de um palanque no estado à sua candidatura presidencial.

Para completar, o próprio Lula deu uma alfinetada no PSDB na manhã desta quinta-feira, 19, na visita ao Hospital São Luís, acusando os tucanos de prejudicar o SUS em seu governo, segundo revelou o blog do jornalista Martin Varão.

Vídeo em que Weverton e Lula, bem à vontade, cumprimentam o público, diante de um constrangido Brandão

No mesmo evento, era possível perceber claramente a intimidade do ex-presidente com o senador  Weverton Rocha (PDT), diante de um Brandão pouco à vontade, como mostra o vídeo acima.

A aliança com que sonha o tucano maranhense – e até mesmo alguns petistas empregados no Palácio dos Leões – é, portanto, uma equação de difícil solução.

O que fica evidente pelas próprias imagens deste post….

2

Aliados forçam a barra para incluir Brandão em agenda de Lula

Ex-presidente chega ao Maranhão nesta quarta-feira e tem encontro pessoal já confirmado apenas com o ex-presidente José Sarney e com o senador Weverton Rocha, mas os aliados do vice-governador tucano tentam convencer Flávio Dino a gerar pautas que incluam o tucano

 

Lula chega ao maranhão para conversar sobre 2022, mas evita agenda própria com o tucano Carlos Brandão

Os aliados do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) tentam, desde a última segunda-feira, 16, agendar um encontro pessoal do tucano com o ex-presidente Lula (PT), que desembarca em São Luís nesta quarta-feira, 18.

Além da agenda pública, Lula tem encontros pessoais já confirmados apenas com o ex-presidente José Sarney (MDB) e com o senador Weverton Rocha (PDT), candidato a governador preferido pela cúpula nacional do PT.

Os apoiadores de Carlos Brandão no Palácio dos Leões – curiosamente, a maioria anti-Lula e ligada ao PSDB – usam a articulação do governador Flávio Dino (PSB) para criar uma agenda própria entre o petista e o vice.

Dino receberá Lula em um jantar na noite desta quarta-feira, 18.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, pressionado pelos brandonistas, o governador ainda tentou incluir apenas Brandão nesta agenda, mas foi orientado pelo próprio Lula a chamar também auxiliares, deputados federais, estaduais, e os dois outros pré-candidatos da base: o próprio Weverton e o secretário Simplício Araújo (Solidariedade).

A Brandão, mesmo filiado ao PSDB, foi franqueada a presença nos eventos públicos de Lula, ao lado de Flávio Dino, como a visita a uma creche de tempo integral, nesta quinta-feira, 19.

A reunião com Sarney  ocorre nesta quinta-feira, 19, mas  ainda não está definida se pela manhã, à tarde ou à noite.

Já o encontro pessoal com Weverton Rocha se dará na sexta-feira, 20, e tratará do processo eleitoral de 2022, no Brasil e no Maranhão.

Lula deixa São Luís logo após este encontro…

3

Felipe Camarão confirma papel de coringa do governo Flávio Dino

Ao declarar-se disposto a disputar qualquer mandato que o PT e o governador  Flávio Dino julguem importante, secretário de Educação consolida-se como opção para o Governo do Estado dentro do Palácio dos Leões

 

Felipe Camarão em ação ao lado do Flávio Dino na semana passada: opção ao fraco desempenho de Carlos Brandão

Apontado como opção do governador Flávio Dino (PSB) – diante do fraco desempenho político-eleitoral do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) – o secretário de Educação Felipe Camarão confirma disposição para entrar no jogo da sucessão de 2022.

– Estou disposto a me candidatar a deputado federal ou a qualquer outro mandato que o partido julgue importante e que o nosso time liderado pelo governador Flávio Dino também julgue importante – disse Camarão, em entrevista ao jornal O Imparcial.

O nome do secretário passou a ganhar força nos bastidores do Palácio dos Leões diante da dificuldade do vice-governador  Carlos Brandão em formar alianças partidárias e crescer nas pesquisas.

Na semana passada, por exemplo, Camarão divulgou um vídeo em que fala com postura de pré-candidato a governador; e foi acompanhado pelo próprio Flávio Dino em uma de suas visitas ao interior.

Flávio Dino tenta convencer a cúpula nacional do PT a apoiar a candidatura do tucano Brandão, mas encontra resistência, tanto da direção partidária quanto do ex-presidente Lula, que prefere o palanque do senador  Weverton Rocha (PDT).

Diante dessa resistência petista, Dino quer transformar Felipe Camarão, em espécie de coringa, como candidato alternativo.

O problema é convencer Brandão a abrir mão da candidatura, mesmo assumindo mandato em abril de 2022.

A menos, claro, que Flávio Dino permaneça no cargo, abrindo mão da candidatura ao Senado, como sugeriu o próprio Lula.

Mas esta é uma outra história…

4

“Foi só saudar o Dutra mesmo”, diz Camarão sobre imagem com Brandão

Presença do secretário de Educação em uma imagem ao lado de petistas levou setores da blogosfera e da imprensa a forçar, mais uma vez, a narrativa de que o PT estaria no palanque do PSDB no Maranhão

 

A imagem usada por setores da blogosfera: apenas uma saudação ao histórico petista Domingos Dutra

Alçado à condição de pré-candidato a governador pelo próprio Palácio dos Leões, o secretário de  Educação Felipe Camarão (PT) voltou a ser alvo de especulações de setores da blogosfera alinhados ao projeto do vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

Felipe aparece em uma imagem, divulgada por assessores de Brandão, em que posa ao lado do próprio vice, do presidente do PT, Augusto Lobato e do ex-prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra, além do ex-deputado Rubens Pereira.

Ao blog Marco Aurélio D’Eça o próprio secretário esclareceu a imagem.

– Foi só saudar o Dutra mesmo – disse, encerrando a festa brandonista na blogosfera.

Mesmo filiado ao PSDB, legenda que sempre foi a principal adversária petista – e com críticas pessoais ao próprio Lula registrada ao longo da história – Carlos Brandão tenta atrair apoio do PT ao seu palanque.

Post do falecido jornalista Décio Sá já mostrava a antipatia de Carlos Brandão por Lula, diante do silêncio de petistas maranhenses

Para justificar a suposta aliança, aliados do vice-governador usam argumentos do presidente estadual Augusto Lobato – que é empregado do Palácio dos Leões desde o primeiro mandato de Flávio Dino.

O próprio Lula, no entanto, já comunicou ao governador Flávio Dino que não há hipótese de aliança com o PSDB; e o mesmo Lula já assumiu para si a decisão sobre aliança nos estados, incluindo o Maranhão.

Augusto Lobato, portanto, tem pouca importância no processo de decisão eleitoral petista para 2022.

Felipe Camarão tem ganhado cada vez mais espaço na agenda do governo, inclusive ao lado do governador Flávio Dino

O nome de Felipe Camarão ganhou força no Palácio dos Leões exatamente por estar no PT e pela dificuldade de aproximação entre o PT e o PSDB. (Entenda aqui, aqui e aqui)

Ele seria a opção de Flávio Dino para evitar o apoio do PT ao senador Weverton Rocha (PDT)_, historicamente alinhado ao ex-presidente Lula.

Tanto que seu nome já será incluído nas próximas pesquisas de intenção de votos sobre a preferência do eleitor para as eleições de 2022.

Mas esta é uma outra história…

0

No PSDB, Brandão enfrenta dificuldades de aliança…

Vice-governador tem pouca margem de negociação com partidos de esquerda e de centro – e não tem como se alinhar à direita bolsonarista – o que o torna dependente absoluto da articulação de Flávio Dino nas legendas já mais alinhada ao projeto pedetista de Weverton Rocha

 

Carlos Brandão depende sua articulação política a Luiz Fernando Silva, que, por sua vez, depende do próprio governador Flávio Dino…

Ensaio

Pré-candidato a governador com um dos principais trunfos na eleição de 2022 – pelo fato de assumir o governo em abril – o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) enfrenta, ao mesmo tempo, uma grande fragilidade quanto a composição partidária.

Ele tem quase nenhuma margem de negociação com partidos tanto da direita quanto da esquerda, o que o torna absolutamente dependente da articulação do próprio governador Flávio Dino (PSB) para compor sua coligação.

Mas a margem de Dino também é restrita.

Brandão não pode abrir negociação com nenhum partido da direita – PSC, PL, Avante, Patriota e PTB, por exemplo – por que todos estão na base do governo Jair Bolsonaro e tendem a seguir com uma candidatura mais alinhada ao presidente.

Os partidos de esquerda – PCdoB, PT, PDT, PSOL e o PSB do próprio Flávio Dino – tendem a seguir com candidaturas mais alinhadas ao presidente Lula (PT), como a do senador  Weverton Rocha, já que o PSDB deve ter como candidato o governador de São Paulo, João Dória Jr., principal adversário do PT.

Já os partidos de centro, como DEM, PP, PSL, Cidadania e Republicanos já estão fechados com a candidatura de Weverton.

Sobrariam a Brandão – se sua articulação política funcionasse para além da dependência de Flávio Dino – o MDB e o PV, mas estes partidos parecem mais inclinados a conversas com Weverton Rocha e com o ex-prefeito Edivaldo Júnior, que será candidato do PSD.

Carlos Brandão, portanto, terá trunfo significativo ao assumir o mandato em abril de 2022.

Mas o tempo para reverter esta realidade de agora será exíguo entre a posse e as convenções, ainda que gaste muito dinheiro na obtenção de partidos.

E o Maranhão não suportará mais este tipo de “articulação”…

1

Aliados voltam a pressionar por decisão imediata em favor de Brandão

Auxiliares do próprio governo, como Luis Fernando Silva e José Reinaldo Tavares – além de deputados estaduais e secretários alinhados ao projeto do tucano – reagiram ao estímulo do governador Flávio Dino a outras candidaturas, como as de Edivaldo Júnior, Felipe Camarão e Simplício Araújo

 

Junto com Zé Reinaldo, Luiz Fernando é um dos principais operadores da campanha de Brandão; e quer decisão imediata em favor do vice

Os principais operadores da candidatura do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) ao Governo do Estado são o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) e o ex-prefeito de Ribamar, Luiz Fernando Silva.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, os dois estão fortemente incomodados com os recentes estímulos do governador Flávio Dino (PSB) a outros candidatos.

E voltaram a forçar a barra pela decisão imediata de Dino em favor de Brandão.

No início do ano, este blog repercutiu declaração de José Reinaldo à TV Mirante, pregando a indicação de Brandão “na marra”, fato que repercutiu como ameaça à base aliada, queimando o tucano e levando Tavares a recuar. (Relembre aqui)

Mas agora, tanto Luiz Fernando quanto José Reinaldo reclamam abertamente a aliados da forma como Flávio Dino trata outros candidatos, a exemplo da reunião fechada com o ex-prefeito Edivaldo Júnior (PSD), o estímulo declarado à candidatura de Simplício Araújo (Solidariedade) e a preferência pública pelo secretário Felipe Camarão (PT).

A opção de Dino por outros nomes foi tratada no blog Marco Aurélio D’Eça, no post “Flávio Dino repensa estratégia e pode liberar vários candidatos da base…”

O raciocínio dos brandonistas têm sua lógica: não faz sentido que Flávio Dino obrigue o vice-governador a seguir um protocolo documentado em sua pré-campanha enquanto outros nomes da base têm liberdade para agir da forma que quiserem para viabilizar suas candidaturas.

O grande problema deste raciocínio é o fato de que não apenas Brandão, mas também o senador  Weverton Rocha (PDT) foi obrigado a assinar tal protocolo.

Levando em conta que Weverton tem hoje o maior número de partidos e lideranças em sua base de apoio – e lidera todas as pesquisas de intenção de votos entre os nomes da base – é correto afirmar que o estímulo de Dino a outros nomes tem como alvo o senador, e não Brandão.

Mas esta é uma outras história…

1

Brandão busca fortalecimento em São Luís em aliança com vereadores

Vice-governador tem recebido parlamentares de vários partidos para construir uma base na capital maranhense, onde não é conhecido e onde o ex-prefeito Edivaldo Júnior tem forte capilaridade

 

Brandão com Marquinhos e Paulo Victor em visita a um projeto e saúde na capital maranhense

O vice-governador Carlos Brandão, pré-candidato do PSDB a governador, vem abrindo sua agenda para uma série de encontros com vereadores de São Luís.

Nos últimos dias, ele recebeu Chico carvalho (PSL), Marquinhos (DEM), Paulo Victor (PCdoB), Daniel Oliveira (PL) e Thiago Freitas.

Brandão busca aliança com parlamentes na tentativa de fortalecer seu nome na capital maranhense, onde é pouco conhecido. o objetivo é, também polarizar com o ex-prefeito Edivaldo Júnior (PSD), que tem forte capilaridade na região metropolitana.

O vice-governador com o vereador Chico Carvalho e o deputado Edson Araújo, ambos do PSL

Para atrair vereadores, o vice-governador conta com a articulação do ex-prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva.

É também via Luis Fernando que Brandão pretende se reaproximar do prefeito Eduardo Braide (Podemos).

Mas esta é uma outra história…

2

Palácio dos Leões já admite parecer por cassação de Flávio e Brandão…

Aliados do governador esperam que, embora o Ministério Público Eleitoral encaminhe pela perda do mandato dele e do seu vice, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral não acatem esta orientação e arquive o processo, referente às eleições de 2018

 

Brandão e Flávio Dino tentam passar tranquilidade na expectativas de julgamento do processo de cassação no TSE

Os advogados de defesa do governador Flávio Dino – e do vice, Carlos Brandão – já têm uma estratégia de comunicação pronta para acalmar a base no processo de cassação que tramita no Tribunal Superior Eleitoral.

Embora admitam que o parecer do Ministério Público seja pelo afastamento da dupla Dino/Brandão, a orientação no Palácio dos Leões é divulgar que este parecer se dá pelo fato de o Ministério Público Eleitoral ser vinculado ao presidente Jair Bolsonaro.

Mas em palácio ninguém admite, sequer, que os ministros do TSE julguem este caso – referente às eleições de 2018 – antes do pleito de 2022. 

A estratégia é minimizar os efeitos desta agenda.

Até para evitar clima de derrota entre os aliados às vésperas das eleições.

1

Brandão pode trocar PSDB pelo PSB, admitem dinistas…

Após Flávio Dino ouvir do ex-presidente Lula e do ex-ministro José Dirceu que o PT não apoiaria o PSDB no Maranhão, vice-governador passou a cogitar abandonar o ninho tucano para tentar consolidar candidatura na esquerda, mesmo sem identificação ideológica

 

Menos de seis meses depois de voltar ao PSDB, Brandão já estaria cogitando deixar a legenda em nome das eleições de 2022

Na semana passada, o blog Marco Aurélio D’Eça publicou o post “‘PSDB não!’, diz Lula a Flávio Dino…”Tratava-se de uma apuração de bastidores da última conversa do ex-presidente com o governador maranhense sobre a sucessão de 2022, para qual o PT tem preferência em uma aliança com o PDT.

O Palácio dos Leões não desmentiu a declaração atribuída a Lula, mas a reação de bastidores começou a ser operada: segundo também apurou este blog, o vice-governador Carlos Brandão já cogita deixar novamente o PSDB para entrar no PSB, com a anuência do próprio Dino.

“Seria uma forma de convencer Lula a apoiá-lo”, justificaram lideranças do governo ouvidas nesta quinta-feira, 29.

A tese ganhou ainda mais força após conversa de Dino com o ex-ministro José Dirceu, que reafirmou as palavras de Lula e deixou claro a preferência pelo senador  Weverton Rocha (PDT), “mais identificado com as lutas do PT”.

De fato, o blog Marco Aurélio D’Eça já mostrou em diversos posts a relação histórica na esquerda entre Weverton, Lula e o PT. (Relembre aqui, aqui e aqui)

Weverton Rocha entre esquerdistas de todo o país como primeiro maranhense a visitar Lula em Curitiba, em gesto reconhecido pelo próprio ex-presidente

Weverton Rocha foi, inclusive, o primeiro maranhense a visitar Lula em Curitiba.

Mesmo sem identidade política com o PT e com Lula, Brandão tenta ter o apoio do PT para convencer as lideranças nacionais de esquerda que Flávio Dino tem força política no estado.

E agora tenta um gesto considerado arriscado: devolver o PSDB menos de seis meses após entrar no partido…

0

Ivaldo Rodrigues participa do aniversário de Pindaré-Mirim

Completando 98 anos da emancipação, a população do município Pindaré-Mirim celebrou quarta-feira, 28, recebendo benefícios do Governo do Estado, por meio da SAF

 

O secretário Estadual Adjunto da Secretaria de Agricultura Familiar (Saf), Ivaldo Rodrigues, esteve presente na solenidade de celebração de aniversário de Pidnaré Mirim.,

Ele acompanhou o vice-governador Carlos Brandão, o prefeito Dr. Alexandre Colares e a sec. Municipal de Assistência Social, Sâmia Colares, que representou o titular da pasta, Rodrigo Lago.

Na solenidade foram realizadas ações por meio do Programa Comida na Mesa, via SAF, onde foram foram entregues 1256 cestas básicas e 40 Kits Pesca para a população, com motor de apoio a pesca artesanal, além do anúncio de convênio pela construção de 4 sistemas de abastecimento de água.