1

Flávio Dino segue enfraquecendo Marcelo Tavares…

Governador remanejou mais 15 cargos da Casa Civil, chefiada pelo sobrinho de José Reinaldo Tavares, e os redistribuiu entre outras pastas, incluindo a secretaria comandada pelo lugar-tenente Márcio Jerry

 

Dino e Marcelo: até a campanha, tudo eram flores entre os Tavares

Dino e Marcelo: até a campanha, tudo eram flores entre os Tavares

Do blog de Daniel Matos

O governador Flávio Dino (PCdoB) continua promovendo o desmonte da Casa Civil e enfraquecendo o titular da pasta, Marcelo Tavares, que, em tese, deveria ser o responsável pela articulação entre o Palácio dos Leões e as demais secretarias de Estado.

Por meio de um decreto publicado no Diário Oficial no último dia 21, Dino remanejou nada menos que 15 cargos da Casa Civil para diferentes órgãos da administração estadual, inclusive para a pasta comandada por seu fiel escudeiro, Márcio Jerry.

A maior parte dos cargos foi remanejada para a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), chefiada por Áurea Prazeres.

As nomenclaturas foram alteradas para se adequar à estrutura da nova pasta. Continue lendo aqui…

7

Roseana desmente saída de Luis Fernando do governo…

A governadora Roseana Sarney (PMDB) desmentiu, no último sábado, durante a festa de revèillon do Hotel Pestana, qualquer crise envolvendo o chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva.

– Isso não existe nem nunca existiu – disse a govenadora, ao ser questionada sobre o assunto por uma equipe do jornal O Estado do Maranhão.

Roseana e Luís Fernando: confiança mútua

De acordo com a governadora, as notícias sobre saída do ex-prefeito de São José de Ribamar atenderia “algum tipo de interesse”. Ela reforçou a confiança que tem no auxiliar.

O titular deste blog conversou com o próprio Luís Fernando Silva ainda na manhã de sábado. Ele também foi categórico ao desmentiur a notícia de sua saída.

– A saída é um gesto unilateral. Ninguém precisa pedir para sair; simplesmente sai. A governadora também não precisa pedir para eu sair, basta que ela demita. E isso nem se cogita – afirmou o secretário, que estava em, viagem durante o período de revèillon.

Luís Fernando é um dos principais auxiliares da governadora Roseana Sarney e seu homem de confiança na gestão da máquina do governo.

Sua postura, obviamente, contraria vários interesses, o que gera, aqui e ali, informações distorcidas sobre o projeto do governo.

Simplesmente para atender a estes interesses…

26

Antonio Muniz reforça time da Casa Civil

Antonio Muniz: de volta à Casa Civil

O advogado Antonio Muniz vai estrear segunda-feira na secretaria-adjunta de Relações Institucionais da Casa Civil.

Ele próprio já chefiou a pasta, hoje comandada por Luís Fernando Silva, e sabe como funciona o principal gabinete do secretariado de Roseana Sarney (PMDB).

Antonio Muniz tem uma extensa lista de serviços prestados ao setor público, onde atua há mais de 30 anos.

Foi chefe da Casa Civil em dois governos e sub-chefe em outros três. Também atuou como assessor em outros poderes, além de assessorar secretarias de vários setores dos poderes Exercutivo estadual, municipal e federal.

Experiente no trato político, ele vai auxiliar Luís Fernando nas relações com os demais poderes.

E terá atuação importante entre deputados e prefeitos…

7

O ódio que move a relação de Aderson Lago e Cândido Lima

Aderson alijou Cândido Lima...

O tucano Aderson Lago e o pedetista Cândido Lima foram colegas na Casa Civil do governo Jackson Lago (PDT), entre 2007 e 2009. Lago era o titular da pasta e Lima seu adjunto imediato.

Hoje, os dois se odeiam, como mostra a reação do pedetista para a hipótese de filiação do tucano no PDT.  (Releia aqui)

Mas há motivos para o ódio.

Aderson e Cândido nunca se deram bem na Casa Civil. Contam interlocutores que vivenciaram o período: “Lima fez de tudo para convencer Jackson a afastar Aderson do cargo. Até abaixo-assinado rolou”.

...que agora quer dar o troco

O troco de Aderson veio a cavalo.

Quando deixou o cargo para se submeter a cirurgia de redução do estômago, em 2008,  o tucano tomou providência para impedir o desafeto de assumir o posto e mexer no que não devia: convenceu Jackson Lago a nomear como interino, não Lima, mas o próprio sobrinho, Augusto Lago, então sub-chefe para assuntos institucionais. 

Assim foi a convivência entre Aderson Lago e Cândido Lima nas entrahas do poder na era Jackson.

Relação que pode se repetir, agora no PDT…