1

Com Lula, Dino abre novo momento na corrida presidencial…

Independentemente do que será discutido entre o ex-presidente e o governador, nesta quinta-feira, 6, o comunista sai na frente como projeto da esquerda brasileira sob a orientação de Lula

 

A ARTICULAÇÃO DE FLÁVIO DINO ENVOLVENDO LULA deixou irritado o pedetista Ciro Gomes

Confirmada para esta quinta-feira, 6, em Curitiba, o encontro entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o governador Flávio Dino (PCdoB) marcará uma espécie de largada na corrida presidencial entre as esquerdas.

Embora não se tenha divulgado nada sobre o teor do encontro, a simples divulgação gerou crise entre Dino e Ciro Gomes (PDT), que também pretende o controle do espólio de esquerdista.

O governador maranhense tenta se viabilizar como líder de esquerda e da oposição ao governo Bolsonaro (PSL); mas o quer sob as bênçãos de Lula e com o apoio do PT.

Ciro Gomes, por sua vez, entende que o PT já passou, que Lula não tem mais influência política no país, que vai continuar preso e condenado.

E quer suplantar o PT como eixo catalisador da esquerda.

Só o tempo e a aproximação da eleição presidencial vai dizer qual dos dois está certo.

Só lembrando que, com o parecer favorável do Ministério Público, Lula poderá ser solto ainda este ano.

E será preciso medir seu grau de influência em liberdade…

0

PDT pode acirrar animosidade entre Ciro Gomes e Flávio Dino…

Legenda do ex-candidato a presidente tem uma espécie de “paquera” com o governador maranhense, o que eleva o grau de relacionamento entre os dois ao clima de guerra pelo espólio esquerdista

 

CIRO GOMES ENTRE OS PEDETISTAS LUPI E WEVERTON E O COMUNISTA FLÁVIO DINO; clima tende a azedar com a aproximação das eleições

A recente animosidade do ex-candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) em relação ao governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) perpassa o convite do ex-presidente Lula para uma visita do comunista a Curitiba.

Apesar de Ciro ter passado a alfinetar Dino logo após o convite de Lula ao maranhense, a questão entre os dois envolve muito mais o PDT do que o PT.

Ciro disputou a presidência pelo PDT, mas demonstra uma dificuldade de relacionamento com outras forças políticas, o que deixou a legenda isolada em 2018.

E desde que encerrada a última eleição, os pedetistas iniciaram uma espécie de “namoro” com Flávio Dino, o que pode levar a uma aliança em 2022.

Mesmo porque, o hoje líder da legenda no Congresso Nacional, senador Weverton Rocha – atualmente uma das principais vozes pedetistas no Brasil – tem interesse na candidatura ao governo maranhense.

E tem no PDT um trunfo na busca pelo apoio de Flávio Dino.

Explosivo, temperamental, agressivo, Ciro Gomes já brigou com o PT, com o PSB e com o PCdoB de Flávio Dino; seu último passo pode ser brigar com o próprio PDT

E não há dúvidas de que os pedetistas esperam por isso.

No Brasil e no Maranhão…

0

Weverton reafirma apoio a Ciro e diz que nunca recebeu dinheiro em avião…

Candidato a senador classificou de “farsa” a reportagem da revista IstoÉ, que afirmou ter ele recebido R$ 6 milhões da campanha de Haddad para abandonar a candidatura de Ciro Gomes

 

Weverton Rocha ao lado de Ciro de Gomes, candidato do PDT a presidente

O deputado federal Weverton Rocha reagiu com veemência, na tarde desta sexta-feira, 28, à reportagem da revista IstoÉ, que atribui a ele o recebimento de R$ 6 milhões, encaminhados pela campanha do presidenciável Fernando Haddad (PT), em troca do abandono da candidatura de Ciro Gomes (PDT).

– O meu candidato a presidente é o Ciro Gomes, do PDT, para quem voto e peço voto. E não poderia ser diferente. Sou filiado ao PDT desde os 16 anos. Sou presidente do PDT do Maranhão, membro da Executiva Nacional e, por dois anos (2016 e 2017), fui líder da Bancada do PDT na Câmara dos Deputados, funções a que cheguei pela história de lealdade e comprometimento com o partido – afirmou Rocha.

O deputado disse que defende a união das esquerdas, mas só no segundo turno, para “evitar o retrocesso no Brasil”.

De acordo com a IstoÉ, os R$ 6 milhões enviados ao pedetista foram trazidos ao Maranhão em um avião de uma construtora, que chegou a cair durante a viagem, no dia 14 de setembro.

– A reportagem da revista IstoÉ é uma farsa, que desrespeita os princípios básicos do jornalismo e não se dá nem mesmo ao trabalho de checar os fatos. Se o fizesse, não teria publicado o absurdo de que um suposto avião com dinheiro para minha campanha caiu a caminho do Maranhão. Como consta em relatório da Aeronáutica, o avião mencionado na matéria viajava de Mossoró (RN) para Crateús (CE), bem longe do Maranhão.  E nunca recebi esse dinheiro – afirmou.

A nota de Weverton Rocha ressalta ainda que ele é grato ao apoio do PT maranhense.

Leia a íntegra da nota abaixo:

NOTA

Repudio com veemência a falsa notícia publicada na edição desta semana da revista IstoÉ. O meu candidato a presidente é o Ciro Gomes, do PDT, para quem voto e peço voto. E não poderia ser diferente. Sou filiado ao PDT desde os 16 anos. Sou presidente do PDT do Maranhão, membro da Executiva Nacional e, por dois anos (2016 e 2017), fui líder da Bancada do PDT na Câmara dos Deputados, funções a que cheguei pela história de lealdade e comprometimento com o partido.

A reportagem da revista IstoÉ é uma farsa, que desrespeita os princípios básicos do jornalismo e não se dá nem mesmo ao trabalho de checar os fatos. Se o fizesse, não teria publicado o absurdo de que um suposto avião com dinheiro para minha campanha caiu a caminho do Maranhão. Como consta em relatório da Aeronáutica, o avião mencionado na matéria viajava de Mossoró (RN) para Crateús (CE), bem longe do Maranhão.  E nunca recebi esse dinheiro.

Recebi com gratidão o apoio do PT do Maranhão, do ex-presidente Lula e do candidato Fernando Haddad como resposta aos meus posicionamentos como parlamentar, em todos os principais momentos da história recente do País. Não faço campanha para Haddad e ele sabe disso. Defendo que em um segundo turno todas as forças de centro-esquerda se unam para impedir o retrocesso no Brasil.

Como as pesquisas mostram que tenho chances reais de me eleger, estou sofrendo as conseqüências de ousar ameaçar a hegemonia da família que nunca esteve fora do Congresso Nacional desde a redemocratização do Brasil. Mas os tempos estão mudando e as tramas de sempre não prevalecerão.

Weverton Rocha

deputado federal e candidato ao Senado pelo Maranhão

0

Campanha de Jonas Magno cresce a cada dia…

Vereador e candidato a deputado estadual intensifica ações na região do Munin, participa de atos de aliados em São Luís e se reúne com lideranças do porte de Ciro Gomes, candidato a presidente pelo seu partido, o PDT

 

Jonas Magno em passeatas pelas suas bases eleitorais no interior

Realizando carreata pelas ruas do Centro e Zona Rural de Icatu, Jonas Magno (PDT), candidato a deputado estadual, recebeu o carinho e apoio de moradores da região.

Em grande caminhada no Anjo da Guarda, Jonas reuniu-se com presenças ilustres como o governador Flávio Dino, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, o prefeito de São Luís Edivaldo Holanda, e os candidatos ao Senado  Eliziane Gama (PPS) e Weverton Rocha (PDT).

Em São Luís, o candidato a deputado estadual encontrou-se com o presidenciável Ciro Gomes

Cumprindo agenda em Itapecuru na casa da professora Elizângela Marinho, encontrou-se com lideranças e a população em geral para falarem de problemas pontuais como saúde e educação.

No interior, o candidato também conversa com lideranças e apoiadores

Jonas e demais vereadores partiram em caminhada pelas ruas do bairro Cidade Nova, Rosário, onde foi recebido pela população que manifestou forte apoio à sua candidatura.

Jonas Magno esteve na capital com Flávio Dino, Weverton, Edivaldo e Eliziane

E finalmente, ainda em Rosário, esteve em Culto Evangélico da Assembléia de Deus Missão, como parte das comemorações de aniversário da Rua Ivar Saldanha.

Muito trabalho e fé são necessários quando se aceita o desafio de se tornar um dos mais jovens Deputados Estaduais do Maranhão.

Da assessoria

0

Ciro Gomes com Weverton no feriado em São Luís…

Candidato do PDT a presidente fará caminhada ao lado do candidato a senador do partido no Maranhão, mobilizando a militância na festa do 7 de setembro

 

Weverton e Ciro farão campanha em São Luís

O candidato à Presidência da República pelo PDT, o ex-governador cearense Ciro Gomes, vem a São Luís na próxima sexta-feira (7), para cumprir agenda de campanha.

O pedetista será recepcionado pelo companheiro de legenda e candidato ao Senado, Weverton Rocha, para uma caminhada pelas principais ruas do Anjo da Guarda, a partir das 8h30.

O governador Flávio Dino também participará do evento.

Antes da caminhada, Ciro Gomes recebe a imprensa para entrevistas no local da concentração.

1

Após ser recebido por Flávio Dino, Ciro Gomes busca cúpula do PCdoB…

Movimento sincronizado do pedetista indica que ele recebeu orientação do governador para consolidar aliança presidencial com os comunistas

 

Ciro Gomes em dois movimentos sincronizados: primeiro com Dino, em São Luís; um dia depois, com a cúpula do PCdoB, em Recife

Apenas um dia depois de ser recebido no Palácio dos Leões pelo governador Flávio Dino, o candidato do PDT a presidente, Ciro Gomes, reuniu-se com a cúpula nacional do PCdoB para discutir as eleições de outubro.

O movimento do pedetista indica orientação do próprio Dino sobre os caminhos para ele ter o apoio comunista.

Flávio Dino já defendeu publicamente o abandono da candidatura do ex-presidente Lula (PT) e o apoio de todos os partidos de esquerda à candidatura de Ciro Gomes. (Relembre aqui)

Mesmo assim, o governador insiste em manter o PT atrelado ao seu governo, contando para isso, com o auxílio conivente de petistas como Augusto Lobato e Chico Gonçalves, empregados em sua gestão.

Ocorre que, nesta terça-feira, 17, o senador Edison Lobão (MDB) esteve reunido com Lula, em Curitiba, onde o ex-presidente cumpre pena; e saiu de lá convicto de que o PT no Maranhão seguirá outro caminho. (Entenda aqui)

É aguardar e conferir…

3

Flávio Dino e Ciro Gomes juntos…

Pela primeira vez desde que defendeu o apoio das esquerdas ao pedetista, em substituição à candidatura de Lula, comunista participará, com o presidenciável, de evento de campanha de Weverton Rocha

 

Flávio Dino e Ciro Gomes estarão juntos novamente nesta segunda-feira

O governador Flávio Dino (PCdoB) e o ex-ministro Ciro Gomes estarão juntos, na tarde desta segunda-feira, 16, de um evento político em São Luís, o pré-lançamento da candidatura de Weverton Rocha (PDT) ao Senado.

É a primeira vez que Dino se reúne com Ciro desde que defendeu o abandono da candidatura de Lula (PT) e o apoio das esquerdas ao pedetista. (Relembre aqui)

O pré-lançamento da candidatura senatorial de Weverton Rocha terá a presença de prefeitos, deputados federais e estaduais, vereadores e lideranças políticas de vários partidos, do governo e da oposição.

E será uma ótima oportunidade para Flávio Dino reafirmar se vai com Lula e o PT ou se defende mesmo a candidatura de Ciro Gomes…

1

Weverton Rocha vai lançar candidatura com a presença de Ciro Gomes…

Deputado federal fará ato político na próxima segunda-feira, 16, no centro de Convenções, com a presença do candidato a presidente e de Flávio Dino, que já defendeu apoio da esquerda ao presidenciável pedetista

 

Weverton Rocha entre Flávio Dino e Ciro Gomes: força política e partidária

O deputado federal Weverton Rocha (PDT) pretende dar uma demonstração de força política na próxima segunda-feira, 16, no pré-lançamento de sua candidatura ao Senado.

Além do governador Flávio Dino e dos demais candidatos da coligação comunista, prefeitos, vereadores e lideranças política, Weverton vai ser recepcionado pelo candidato do PDT a presidente, Ciro Gomes.

Será a primeira vez que Ciro Gomes e Flávio Dino se reúnem no mesmo local desde que o governador comunista defendeu o abandono da candidatura de Lula e o apoio de todos os partidos de esquerda ao nome do pedetista. (Relembre aqui)

A presença de Ciro Gomes reforça ainda mais a campanha de Weverton Rocha, que reúne em sua pré-campanha deputados federais, estaduais, prefeitos, vereadores e lideranças políticas de todos os partidos, do governo e da oposição.

O evento será no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, a partir das 17 horas…

1

“Sei quem não me quer candidato, inclusive as razões políticas”, diz Lula

Em carta encaminhada à presidente do PT, Gleisi Hoffmann, ex-presidente desabafa em relação ao debate sobre sua candidatura a presidente, numa espécie de resposta ao governador Flávio Dino, que pregou a inviabilidade da presença do petista na disputa

 

FOGO AMIGO. Lula desabafou com a companheira Gleisi contra os ataques dos próprios aliados da esquerda

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encaminhou ontem à presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, uma carta-desabafo contra os que tentam tirá-lo precocemente da disputa presidencial.

– Quem quer que eu não seja candidato eu sei, inclusive, as razões políticas, pois são concorrentes. Outros acham que fui condenado em 2a. instância, então sou culpado e estou no limbo da Lei da Ficha Suja – desabafou Lula.

A carta a Gleisi Hoffmann – a qual este blog teve acesso com exclusividade no Maranhão – seria uma espécie de resposta de Lula ao governador Flávio Dino (PCdoB), que pregou o abandono de sua candidatura pelo PCdoB, PT e PDT, por suposta inviabilidade legal.

Este blog apontou ontem, em Editorial, as razões de Dino para tirar Lula da disputa. (Releia aqui)

Na carta a Gleisi, a quem o ex-presidente chama de “querida” e diz saber o quanto ela “está sendo atacada”, Lula não cita nomes, mas indica de quem ele fala – muito provavelmente, além de Dino, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que teve o nome defendido pelo comunista maranhense.

Na verdade, Lula já havia dado a resposta ao PCdoB, a Dino e a Ciro Gomes já na segunda-feira, ao bispo Leonardo Boff, que o visitou com a proposta de um nome para sucedê-lo.

– Os meus acusadores sabem que sou inocente. Procuradores, juiz,TRF-4, sabem que eu sou inocente. Os meus advogados sabem que eu sou inocente. A maioria do povo sabe que eu sou inocente. Se eu aceitar a ideia de não ser candidato, estarei assumindo que cometi um crime. Não cometi nenhum crime – afirmou.

Ao fim do escrito, o ex-presidente diz ainda que sua candidatura é em respeito ao povo, que merece o direito de escolha.

– Por isso sou candidato – disse.

Abaixo, a íntegra da carta de Lula:

Querida Gleisi,

Estou acompanhando na imprensa o debate da minha candidatura, ou Plano B ou apoiar outro candidato.
Sei quanto você está sendo atacada. Por isso resolvi dar uma declaração sobre o assunto.

Quem quer que eu não seja candidato eu sei, inclusive, as razões políticas, pois são concorrentes. Outros acham que fui condenado em 2a. instância, então sou culpado e estou no limbo da Lei da Ficha Suja.

Os meus acusadores sabem que sou inocente. Procuradores, juiz,TRF-4, eu sou inocente. Os meus advogados sabem que eu sou inocente. A maioria do povo sabe que eu sou inocente.

Se eu aceitar a ideia de não ser candidato, estarei assumindo que cometi um crime.

Não cometi nenhum crime.

Por isso sou candidato até que a verdade apareça e que a mídia, juízes e procuradores mostrem o crime que cometi ou parem de mentir.

O povo merece respeito. O povo tem que ter seus direitos e uma vida digna.

Por isso queremos uma sociedade sem privilégios para ninguém, mas com direitos para todos.

Lula

2

Golpe de Flávio Dino em Lula é fruto do rancor comunista…

Rancoroso e ingrato nas relações políticas, governador maranhense nunca engoliu o fato de o PT ter optado pela aliança com o PMDB nas eleições de 2006, 2010 e 2014; e agora usa o momento de fragilidade do líder petista na tentativa de ocupar espaços nas esquerdas

TRAIÇÃO. Ao dar tal declaração, Lula jamais imaginou que fosse apunhalado

Editorial

Um dos traços de personalidade mais latentes no perfil do governador Flávio Dino (PCdoB) é a sua absoluta incapacidade de resignação.

Rancoroso ao extremo, Dino alimenta por anos o ódio daqueles que, de uma forma ou de outra, contrariam seus pensamentos e suas opiniões.

E o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é mais uma vítima do rancor desmedido do comunista maranhense.

Rancor que já fez outras vítimas em sua curta escalada política: Jackson Lago (PDT), José Reinaldo Tavares (PSDB), Roberto Rocha e Sebastião Madeira (ambos do PSDB), Edison Vidigal, e Waldir Maranhão, para citar apenas alguns.

Flávio Dino nunca perdoou a opção de Lula pela candidatura de Roseana Sarney (MDB) em 2006 e em 2010, e pela de Edinho Lobão (MDB) em 2014.

Mal entende o comunista que essa opção do petista foi também fruto de sua gratidão a gestos de José Sarney e Roseana ainda em 1998 e 2002, quando, se a conjuntura permitisse, o ex-presidente já estaria com a ex-governadora.

Incompreensível e egoísta, o comunista se aproveita do momento mais frágil do ex-presidente para aplicar-lhe um golpe duríssimo: o descarte prematuro de sua candidatura presidencial.

Dino nunca quis a candidatura de Lula.

Sempre atuou em favor de Ciro Gomes; não por que admira o tresloucado ex-governador, mas por achar que, esvaziando os dois – o primeiro pela inviabilidade legal e  outro pela inviabilidade eleitoral – herdará naturalmente o bastão das esquerdas.

O golpe do comunista no principal líder de esquerda da América Latina – apesar do recuo patético, diante da repercussão negativa do fato – tem um simbolismo ainda maior por causa da covardia de Dino, que esperou exatamente o trigésimo dia da prisão do petista.

Enquanto outras lideranças se manifestavam em cartas e artigos em homenagem a Lula, Dino desfere o golpe de traição descartando o ex-presidente em âmbito nacional.

E o fez por que sabe da fragilidade do PT maranhense, da incapacidade de reação dos petistas e da força dos opositores de Lula no centro e na direita.

As pessoas que alimentam o rancor como opção de vida são também covardes.

E a covardia de Flávio Dino contra Lula só ampliou o tamanho do seu rancor.

Simples assim…