1

Mirante renova cobertura eleitoral e fortalece jornalismo político

Antes restritas a coberturas meramente técnicas – de lacre de urnas a quantidade de eleitores por sessão – matérias, entrevistas e comentários da TV ganharam poder de análise ao envolver também jornalistas dos demais veículos do grupo, com experiência no dia dia da política

 

Clóvis Cabalau (de pé) é a alma por trás da nova cobertura da nova cobertura política do Grupo Mirante: mais analítico, mais comentado e, por isso, mais formador de opinião

Opinião

O jornalismo político do grupo Mirante cresceu substancialmente nas eleições municipais de 2020, num processo que já vinha se consolidando desde as eleições de 2016.

Antes restrito a coberturas técnicas – com matérias sobre lacre de urnas e quantidade de eleitores, usando repórteres com nenhuma vivência em cobertura política – o jornalismo da TV ganhou dinâmica ao envolver-se diretamente no dia-dia de candidatos, lideranças e partidos. 

Nesta campanha foi possível ver na TV Mirante, matéria bem produzida e isenta sobre formação de alianças, crises partidárias e até sobre contradições de candidatos, o que parecia impensável até anos atrás.

Por trás dessa mudança para melhor está o diretor de redação do jornal O EstadoMaranhão, Clóvis Cabalau, e as equipes do jornal, do imirante.com e da rádio Mirante AM, especialistas na cobertura política.

Além de dirigir o EMA, Cabalau apresenta o programa “Na Mira”, da Mirante FM; o quadro Bastidores, no Bom Dia Mirante – que acaba sendo um programa dentro do programa – e ainda coordena toda a cobertura das eleições nas rádios, no jornal, nos portais e na TV.

Nova cobertura política envolveu inclusive a Mirante FM, com programa campeão de audiência, por onde já passaram de Roseana a Flávio Dino

É um avanço substancial em uma emissora que precisa se reinventar dia após dia, sobretudo pelo crescimento dos sistemas digitais de TV e da cobertura nas redes sociais.

E quem ganha com isso é a população, que deixa de saber apenas sobre número de urnas a ser usado no processo eleitoral e ganha informação clara sobre as idiossincrasias dos que querem o poder no Maranhão.

Melhor para o jornalismo, inclusive…

0

Debate da Mirante mantém status de decisivo no processo eleitoral

Encontro com os candidatos, marcado para o dia 12 de novembro, três dias antes do primeiro turno, gera expectativa, sobretudo, pelo fato de alterar cenários em caso de indefinição ou acirramento da disputa

 

Jornalista Clóvis Cabalau, diretor do jornal O Estado, vai coordenar toda cobertura do processo eleitoral, nos veículos do Grupo Mirante

A data do debate da TV Mirante em São Luís – no dia 12 de novembro – manteve o status de decisivo do programa, por ser realizado apenas três dias antes do pleito.

A realização do debate foi confirmada nesta quinta-feira, 17, pela direção da emissora.

Em 2016, o debate da Mirante influenciou diretamente na definição do segundo turno e revelou ao Maranhão a liderança de Eduardo Braide (Podemos), hoje líder em todas as pesquisas de intenção de votos. (Entenda aqui, aqui e aqui)

E ao que tudo indica, este status de decisivo será mantido pelo programa da Mirante, haja vista a indefinição sobre a decisão da eleição – se em primeiro ou segundo turno – e sobre o próprio eventual adversário de Braide.

Estão assegurados no programa todos os candidatos de partidos com representação no Congresso Nacional, além dos que obtiverem ao menos 5% das intenções de voto na pesquisa Ibope que e deve ser divulgada disso antes.

Além do debate, o Grupo Mirante pretende realizar ampla cobertura das eleições, de forma integrada entre seus veículos, com entrevistas, programas, sabatinas e debates, nas rádios, portais e jornal O Estado.

A coordenação jornalística do processo eleitoral no Grupo Mirante é do jornalista Clóvis Cabalau…