12

Decreto do IPVA é outra farsa comunista…

Documento assinado pelo governador Flávio Dino apenas repete o que o Código de Trânsito Brasileiro já diz desde 2015, prova de que ele confiscou ilegalmente mais de 12 mil veículos do povo maranhense

 

AS FAMIGERADAS Blitzen do BPRV levaram, ilegalmente, milhares de carros de maranhenses

Clara tentativa de amenizar o desgaste causado pelas famigeradas blitzen do Batalhão de Polícia Rodoviária institucionalizadas por ele mesmo, o Decreto do governador Flávio Dino (PCdoB) proibindo a apreensão de veículos com débitos de IPVA é mais uma farsa.

Dino passou três anos apreendendo carros e motos com impostos atrasados – atropelando artigo do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) – e leiloou mais de 12 mil destes veículos por meio de contrato com a Vip Leilões.

O Código de Trânsito Brasileiro já prevê, em seu artigo 270, que as autoridades de trânsito devem notificar e dar prazo para que o condutor pague o imposto devido, sem apreensão do veículo. Diz textualmente o parágrafo 1º:

“Quando a irregularidade puder ser sanada no local da infração, o veículo será liberado tão logo seja regularizada a situação”.

E no parágrafo 2º, ressalta: “Não sendo possível sanar a falha no local da infração, o veículo poderá ser retirado por condutor regularmente habilitado, mediante recolhimento do Certificado de Licenciamento Anual, contra recibo, assinalando-se ao condutor prazo para sua regularização, para o que se considerará, desde logo, notificado”.

E o que fez Flávio Dino?

Simplesmente decidiu cumprir, só agora, três anos depois de assumir o governo, o que prevê o CTB.

Tanto que o arcabouço do seu Decreto é exatamente o mesmo texto do artigo 270.

Neste caso, o governador poderia ser acionado em duas frentes:

na primeira, mais uma vez na Justiça Eleitoral, por abuso do poder político, ao oferecer facilidades em troca de melhoria na imagem;

na segunda, na própria Justiça comum, por apropriação indébita, já que leiloou veículos apreendidos irregularmente.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

2

Frase do dia: a confissão de culpa de Flávio Dino…

Governador Flávio Dino confessa em vídeo divulgado pela TV Mirante que aumentou o número de capelães, de 14 para 50, e disse que iria aumentar mais, citando o pastor Porto como articulador das indicações, o que caracteriza o crime eleitoral do comunista

 

Quando eu cheguei ao governo, os capelães eram apenas 14; hoje são 50. E nós vamos criar, anuncio aqui em primeira mão, mais 10 vagas. O pastor Porto está cuidando disso. Porque eu criei as vagas dos Bombeiros, criamos da penitenciária, mas faltou o da Polícia Civil”

Flávio Dino, em vídeo divulgado pela TV Mirante, com repercussão nacional

2

Eduardo Braide no calcanhar de Flávio Dino…

Pré-candidato ao governo, deputado age tanto na frente parlamentar, com ações diárias na Assembleia Legislativa, quanto nos bastidores, ocupando espaços do comunista

 

Na tribuna da Assembleia Legislativa, Braide tem sido efetivo contra o governo Flávio Dino

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) intensificou suas ações políticas desde o fim da janela partidária, com atuação intensa na oposição ao governo Flávio Dino (PCdoB) na Assembleia Legislativa.

E com ações políticas fora do parlamento.

A vitória da aliada Luana Costa (PSC) para a coordenação da bancada federal maranhense, por exemplo, também é um desses atos que fortalecem a posição de Braide.

A vitória da aliada Luana Costa na bancada em Brasília foi simbólico para Eduardo Braide

O deputado tem sido o mais efetivo membro da oposição na Assembleia, com atuação técnica contra Flávio Dino – sempre exibindo documentos para provar o que diz sobre o governo comunista.

E se fortalece com alianças pontuais em grandes colégios eleitorais, sobretudo com participação efetiva de aliados como o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSDB).

No interior, o deputado tem conseguido alianças importantes, como a de Celsinho, ex-prefeito de São João dos Patos

Braide quer chegar às convenções com a base da candidatura consolidada nas principais regiões do interior.

E com o discurso afiado para desconstruir o comunista na propaganda eleitoral.

E tudo com base documental…

0

Fraudes e sinais de fraudes no concurso da PMMA…

Sob o olhar complacente do Ministério Público e da Justiça, governo comunista de Flávio Dino faz vista grossa às denúncias apresentadas pelo deputado Wellington do Curso desde a época da divulgação do edital

 

Wellington tem apontado as irregularidades do concurso da PMMA

Editorial

Há uma cada vez mais acentuada suspeita pairando sobre o concurso da Polícia Militar do Maranhão no governo Flávio Dino (PCdoB).

Desde o início do certamente, ainda com a divulgação do Edital, o deputado Wellington do Curso (PP) vem apresentando documentos que apontam para a possibilidade de manipulação, favorecimento e fraude na realização das provas.

Os comunistas dão de ombros e empurram o concurso à frente, diante do silêncio leniente do Ministério Público, dos órgão de controle e da Justiça.

No concurso de Dino já houve inclusão de local de prova sem previsão no Edital, suspeita de divulgação antecipada de gabaritos e a aprovação de um candidato já preso por fraude em concursos no Piauí.

Candidatos podem ter sido enganados pelo governo comunista

Wellington mostra, agora, outra grave irregularidade: o governo Flávio Dino divulgou o resultado do concurso sem sequer divulgar o gabarito das provas, garantia de que os candidatos alcançaram a nota.

As irregularidades caminham para fazer de mais esta promessa de Dino uma patacoada igual às outras várias de sua campanha em 2014.

Os sinais de fraude neste que é o primeiro concurso do governo comunista se avolumam.

Diante do silêncio de quem deveria tomar providências…

0

Os “pitis” de Flávio Dino em plena BR-135…

Autoritário e arrogante, comunista chegou a ameaçar prender a cerimonialista do Ministério dos Transportes e influenciou até a primeira-dama a tentar se dar bem como o famoso “sabe com quem está falando?”

 

DINODORICO. Como o personagem do Bem Amado, Dino também adora um dedo em riste

Foi uma patacoada digna das festas políticas do sertão brasileiro da década de 50 a participação do governador Flávio Dino (PCdoB0 et caterva na entrega da duplicação da BR-135, nesta quinta-feira, 11.

O comunista parecia descontrolado com a impossibilidade de faturar com a obra, do Governo Federal, e fez de tudo para protagonizar o evento.

Sabe-se lá com que argumento, Flávio Dino queria ser o último orador – mesmo não tendo nada a ver com a obra – e forçou a chefe do cerimonial a mudar o script da cerimônia.

Como não conseguiu ameaçou chamar a polícia para prender a moça.

VEXAME. Comunista passou vexame ao ser chamado de “mentiroso” por João Alberto

O autoritarismo comunista – típico do caricato personagem Odorico Paraguaçu, do Bem Amado – constrangeu até seu próprio cerimonial, que entende as regras do setor.

A atitude de Flávio Dino parece ter influenciado a primeira-dama Daniele Lima,.

Enquanto o marido governador forçava a barra para ser o último a discursar, Daniele pressionava a chefe do cerimonial do Governo Federal para permanecer em área restrita a autoridades.

– Você sabe com quem está falando? – chegou a esbravejar em dado momento.

A responsável pela organização do evento apenas deu de ombros para a arrogância da mulher do governador…

7

A cretinice sem limites dos comunistas maranhenses…

Ao tentar se aproveitar de uma obra federal da qual ele próprio tentou tirar recursos, Flávio Dino e seus asseclas só merecem o adjetivo dado a ele pelo senador João Alberto: “vagabundo mentiroso”

 

“MENTIROSO, VAGABUNDO!”. Flávio Dino é desmentido de corpo presente pelo senador João Alberto, durante entrega da BR-135

A cretinice dos comunistas maranhenses parecem não encontrar limites no Maranhão.

O governador Flávio Dino e seus auxiliares mais diretos deram mostras na manhã desta quinta-feira, 11 – ao tentar se aproveitar da inauguração da duplicação da BR-135 –, que são capazes de qualquer coisa para se manter no poder.

O diretor do Procon-MA, Duarte Júnior, por exemplo, chegou ao ponto de afirmar nas redes sociais, que o “governo do Maranhão inaugurou a duplicação da BR”.

Pura cretinice.

CRETINICE. Duarte foi às redes para vender como do seu governo obra da qual o próprio Flávio Dino tentou tirar dinheiro

A duplicação da BR-135 é um projeto da bancada maranhense, que luta, desde a década passada; e que só chegou a esta etapa por causa da luta de alguns deputados federais, como Hildo Rocha (PMDB), Pedro Fernandes (PTB) e Chiquinho Escórcio (PMDB).

Flávio Dino, que agora usurpa a obra para apresentar como sua – já que nada tem de estruturante a mostrar em seu governo – chegou a tentar desviar para projetos de seu interesse pessoal recursos encaminhados à obra por emendas da bancada.

A cretinice comunista que assola o Maranhão mostra-se cada vez mais perniciosa.

E só merece o adjetivo de “vagabundo mentiroso”, gritado pelo senador João Alberto durante a inauguração.

É simples assim…

1

Promessa é dívida…

Cínico, Dino agora quer enganar que só fez 37 promessas

Editorial de O EstadoMaranhão

Quando em 2014 Flávio Dino foi eleito governador do estado do Maranhão, já havia à época a obrigação legal imposta a todos os candidatos a chefe do executivo de registrar o seu plano de governo (promessas de campanha) perante a Justiça Eleitoral.

Com efeito, desde o ano de 2009 foi introduzido na Lei 9.504/97 (Lei das Eleições) o inciso IX ao art. 11, §1°, que tem o seguinte teor: o pedido de registro de candidatura deve ser instruído com as propostas defendidas pelo candidato a prefeito, governador de estado e a Presidente da República.

Logo, ao registrar as suas promessas de campanha na Justiça Eleitoral, Dino assim fazia não por mera liberalidade, não apenas por capricho ou vontade própria, mas, sim, para atender a um requisito para o deferimento do registro de sua candidatura.

É dizer: se as suas promessas não fossem encaminhadas para a Justiça Eleitoral o comunista não teria o registro da sua candidatura deferido.

E quantas promessas de campanha ele fez em 2014?

Não se pode ter a menor dúvida de que foram 65, número este, inclusive, que tinha apelo simbólico, já que 65 também era o seu número na urna eletrônica.

Ou seja, Dino resolveu fazer 65 promessas não de forma à toa, mas tão somente para confundir o eleitor, o que significa dizer que esse número é fantasioso desde a sua origem.

Quem ainda tiver dúvida quanto ao número de promessas feitas pelo governador – se 65 ou 37, como acabou sendo de forma imoral por ele mesmo afirmado em suas redes sociais -, basta ir ao sítio eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral e acessar o link “DivulgaCand”.

Pronto! Mentira comprovada, pois lá estarão divididas e caracterizadas as 65 (sessenta e cinco) promessas feitas por Flávio Dino à Justiça Eleitoral.

Isso significa dizer que Flávio Dino não é o governador que mais cumpriu promessas de campanha como falsamente foi alardeado por ele e seus asseclas no mundo virtual. Em realidade, se as 65 promessas tivessem sido levadas em consideração, o comunista seria um dos governadores que menos cumpriu o que prometeu.

Mas, não é só a busca da realidade por meio dos números que estão à disposição na Justiça Eleitoral que atestam a mentira governamental.

É, igualmente, a própria realidade dos maranhenses quem indica isso.

Em três anos de governo comunista houve aumento considerável do número de pessoas que passaram a viver na linha da miséria – 312 mil indivíduos, segundo o IBGE. Somam-se a esse cenário os numerosos escândalos, inclusive de corrupção, que marcam o governo até aqui.

Chegou-se ao último ano do governo que até hoje não mostrou a que veio.

O povo, esperançoso, ainda tem alguma expectativa das promessas de mudança elaboradas por Dino serem efetivadas, até porque, promessa é dívida.

Por enquanto, no mundo real, o que se vê são apenas notícias mentirosas (fake news) espalhadas com facilidade pela internet para fundamentar as mudanças prometidas, mas não percebidas.

Publicado em 05/01/2018

2

Flávio Dino é definido como “malandro de 5ª categoria”…

Em comentário destruidor, jornalistas da rádio Jovem Pan desqualificam os conceitos ideológicos do comunista que assola o Maranhão e o chamam de “sem vergonha”, “mentiroso” e “perigo público”

 

Foi destruidor o comentário do programa “Pingo nos Is”, da rádio Jovem Pan, de São Paulo, sobre o governador comunista do Maranhão, Flávio Dino.

– Malandro de 5ª categoria. Sem vergonha, mentiroso; um perigo público – definiu o jornalista Augusto Nunes, corroborado pelos colegas Joice Hasselmann e Felipe Moura Brasil.

O próprio Augusto Nunes já tinha desqualificado o pensamento político e a ideologia do comunista que assola o Maranhão. (Relembre aqui)

Cínico, porém, o bi-secretário Márcio Jerry, lugar-tenente de Flávio Dino, vê “Flávio Dino cada vez mai sendo reconhecido na cena nacional”.

Deve ser porque, pelos critérios de Jerry, os adjetivos da Jovem Pan soam como música.

Há gente pra tudo…

0

Delírio e verdade…

Falas ideológicas e conceitos arcaicos exibidos por Flávio Dino na entrevista à Folha de S. Paulo foram destruídos pela verdade dos fatos mostrada nos números da realidade maranhense durante o seu governo comunista

 

FRACASSO VERMELHO. Números do IBGE desmontam a farsa das informações vendidas por Dino à Folha de S. Paulo

Nenhuma entrevista de auto-referenciação do governador Flávio Dino (PCdoB) teve lugar tão adequado na história – diante dos fatos quase instantâneos que a contrapuseram – quanto a que foi dada pelo comunista ao jornal Folha de S. Paulo, publicada esta semana.

No mesmo dia em que Dino desfilava seu rosário de conceitos arcaicos do comunismo para falar sobre o desenvolvimento e a economia dos estados – institutos de referência internacional, como o IBGE divulgavam números que mostravam a realidade do que tem representado o seu governo para o Maranhão.

De acordo com pesquisa do instituto, o Maranhão aumentou em 2% o seu índice de pobreza extrema exatamente no período em que Flávio Dino governou o Maranhão, entre 2015 e 2017. O fracasso de suas ações no combate à miséria talvez tenha a ver com a declaração que ele deu à Folha, a de que, no estado, é o governo quem deve fazer pelos cidadãos.

“E se o governo não faz, ninguém faz,”, disse Dino.

E como Dino não fez…

Outro resultado da pesquisa IBGE mostra que o PIB do Maranhão – que cresceu extraordinariamente entre 2009 e 2014 – teve uma queda de 8% no período de governo comunista.

Também pode ter a ver com a idéia paquidérmica de estado defendida por Flávio Dino à Folha de S. Paulo, segundo a qual, o estado tem que ser gigante, presente em tudo, quase que sufocando empresas, investimentos e o empreendedorismo.

Assim foi marcado o fim de ano do comunista, com delírios ideológicos exibidos na imprensa e a realidade fazendo o seu contraponto.

3

Monstrengo ultrapassado…

Ao se expor na entrevista montada para ser seu balanço de fim de ano, Flávio Dino se revela um dinossauro comunista, com ideias medievais sobre economia e mercado e pouco conhecimento do próprio estado que governa

 

Flávio Dino: um paquiderme ideológico sem noções básicas de economia e desenvolvimento

Montada a dedo para ser uma espécie de fechamento de ano do comunista Flávio Dino, que ora ocupa o Palácio dos Leões, a entrevista publicada pela Folha de S. Paulo foi uma espécie de tiro no pé do próprio governador.

O que saiu da boca de Dino foi quase um libelo arcaico, com pensamentos tão ultrapassados quanto nocivos, desde a sua concepção de estado, passando pela idéia que tem de economia e desenvolvimento.

Dino chega mesmo a defender um Maranhão miserável, ao afirmar que só o estado pode fazer pelo cidadão.

“Ou o estado faz, ou ninguém faz”, declarou.

O pensamento político de Flávio Dino brotado da Folha de S. Paulo é algo medieval, feudal em todos os seus aspectos. Tanto que não demorou para que observadores e analistas políticos interpretassem o que pensa das coisas o comunista maranhense.

Para Augusto Nunes, da rádio Jovem Pan, ao defender seus ideais comunistas, Flávio Dino mostra-se “com a cabeça estacionada na metade do século passado”.

O site “O Antagonista”, um dos mais influentes de Brasília, foi mais longe e intitulou de “Parque dos Dinossauros”  trecho da entrevista em que Dino defende a candidatura de Lula como única saída democrática das eleições em 2018.

Preso a vida toda em estudos e conceitos do juridiquês, que utilizou para passar em concursos de juiz, Dino está há pouco mais de 10 anos na vida política.

Mas mostra que seus anos de estudo se revelam agora uma fraude; e suas expressões, as mais singelas, se revelam arcaicas e patriarcais, totalmente distantes do mundo real e moderno.

Da coluna Estado Maior de O EstadoMaranhão