4

Para jornalista, Flávio Dino tem a cabeça na metade do século passado…

Em comentário político na rádio Jovem Pan, Augusto Nunes ironiza a suposta ideologia do governador maranhense e diz que o Maranhão mudou de lado, mas não melhorou

 

O jornalista Augusto Nunes ironizou a condição de pseudocomunista apresentada pelo governador do Maranhão, Flávio Dino.

Para Nunes, ao defender valores do comunismo, Dino está atrasado ideologicamente.

– Quem é comunista a esta altura do campeonato continua coma  cabeça estacionada na metade do século passado – provocou Nunes, ao comentar a entrevista do governador ao jornal Folha de S. Paulo.

Na entrevista, publicada nesta terça-feira, 26, dentre outras aberrações ideológicas, Flávio Dino defendeu que, no Maranhão, o estado continue a atuar em todas as frentes, como única forma de desenvolver.

Na sua concepção comunista, “ou o estado faz, ou ninguém faz”.

Os conceitos do maranhense vão na contramão do que se prega hoje em termos de desenvolvimento e riqueza dos povos, com a participação mínima do estado e com o mercado regulando as relações de consumo.

A visão atrasada de Dino mereceu uma lamentação de Augusto Nunes:

– O Maranhão muda de lado e não melhora…

1

“Ainda sofremos com problemas primitivos”, diz Maura Jorge…

Pré-candidata a governadora, ex-prefeita diz, em inserção do Podemos, que o Maranhão sofre não por falta de recursos, mas de gestão

 

A ex-prefeita e ex-deputada Maura Jorge (PODE) exibe no rádio e na TV programa partidário em que desqualifica a gestão do governador Flávio Dino (PCdoB) e aponta as causas da pobreza do Maranhão.

– A política rigorosa e cheia de rancor está deixando a vida do maranhense mais difícil. O problema do Maranhão não é a falta de recursos; é gestão – afirmou a pré-candidata a governadora.

Em inserção que mostra varias ilustrações com manchetes de jornal, Maura Jorge destaca que o maranhense ainda sofre com problemas primitivos, como a falta d’água, e ainda paga uma das energias mais caras do país.

A propaganda do Podemos começou na última segunda-feira, 20, e se estende por toda essa semana.

Veja o vídeo acima…

0

A (in)segurança comunista…

Governo comunista – já protagonista de vários escândalos no setor – não consegue controlar a ação violenta de bandidos de facções, gerando terror na população

 

Execução de Chacal e seu padastro policial pode ter desencadeado a onda de violência

O governo Flávio Dino (PCdoB) provocou um desmonte nas instituições públicas e nos setores governamentais em todos os níveis.

Mas nenhum outro setor vive mais problemas que a Segurança Pública, desde que o aparelhamento comunista se instalou no sistema.

Prefeitos revelam que são eles os responsáveis pela manutenção de todos os aspectos policiais no interior – desde alimentação até combustível para viaturas. O resultado é uma distorção que resultou em casos escabrosos, como a do mecânico Irialdo Batalha, em Arari, ou a do empresário morto após ter sido enjaulado, em Barra do Corda.  

Mas para criar uma sensação artificial de segurança, o governo – dizia-se em todas as rodas – teria mantido um pacto de não agressão com facções criminosas: deu a ela o controle absoluto do sistema penitenciário em troca do fim das ações nas ruas das grandes cidades.

Ao que tudo indica, este pacto acabou ou foi precipitado pelas ações recentes de lado a lado.

Desde a morte do criminoso conhecido por Chacal, no fim de semana – executado na Maioba ao lado do padrasto, que era policial militar – uma onda de ações criminosas se espalhou por comunidades da periferia de São Luís, deixando um clima de terror na população assustada com a falta de segurança.

Em alguns bairros – como Bairro de Fátima, Vinhais Velho, Barreto e Liberdade já há até toque de recolher, gerando um clima de favela carioca nas comunidades de São Luís.

E o chefe da Segurança comunista Jefferson Portela, parece preferir perseguir delegados que denunciam a falta de estrutura.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

4

Enciumado, Flávio Dino bota feirinha pra concorrer com Edivaldo Jr…

Governo comunista vai usar a praça embaixo da Ponte Bandeira Tribuzzi para fazer, um dia antes, o que a prefeitura já consolidou na Praça Benedito Leite, aos domingos, em mais um sinal de que não parece gostar do crescimento de Edivaldo Júnior

 

CÓPIA. A feirinha do governo: mesma programação, mesmos produtos

A Feirinha São Luís, coordenada pelo secretário de Abastecimento Ivaldo Rodrigues, e concebida pelo prefeito Edivaldo Júnior (ambos do PDT) virou um dos maiores sucessos de público e crítica, sempre aos domingos, na Praça Benedito Leite.

O evento deu tanto certo que virou modelo reconhecido pela Unesco e ajudou a melhorar a imagem do prefeito. Mas parece que a ascensão política de Holandinha incomoda o seu aliado Flávio Dino (PDT).

Não é que o governador resolveu lançar uma feirinha própria, sempre aos sábados, embaixo da ponte Bandeira Tribuzzi?!?

É claro que uma feira pode esvaziar a outra, já que vão abordar os mesmos aspectos culturais, gastronômicos e artísticos da capital maranhense.

Mas a cópia da Feirinha São Luís não é o único gesto de ciúmes demonstrado por Flávio Dino em relação a Edivaldo Júnior.

EU, NÃO! Dino faz questão de se isentar de problemas de Edivaldo

“A culpa é dele!”

O comunista tenta reduzir a importância do aliado pedetista mesmo nos assuntos mais tolos.

Foi o que ocorreu no feriado de quinta-feira, 12, nas redes sociais.

Ao vender ações de seu governo o perfil de Flávio Dino nas redes sociais foi questionado por eleitor sobre a Maternidade da Cidade Operária. Poderia ignorar a pergunta, mas fez questão de responder na lata:

– A responsabilidade é da Prefeitura de São Luís. (Veja o print)

E quem acompanha os dois políticos garante que postura como essa é comum nos comentários do comunista em relação ao prefeito.

E essa nova feirinha disputando com a a antiga é só mais uma dessas estocadas…

4

Flávio Dino desdenha de Michel Temer: “governo Frágil”…

Demonstrando pouca preocupação na relação com o Governo Federal, governador maranhense mantém postura desafiadora e, cheio de si, mostra pouca preocupação com eventual isolamento do estado

 

Dino acha que tem cacife para peitar Temer

Dino acha que tem cacife para peitar Temer

O governador Flávio Dino (PCdoB) deu, quinta-feira, 12, uma entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, em que manteve o tom desafiador em relação a Brasília, contrariando orientação dos próprios aliados.

– Não imagino que um governo interino e frágil vá se dedicar a fazer perseguições. Seria estapafúrdio. Não é muito da feição, inclusive, do próprio Michel Temer – desdenha Dino, para completar:

– Nosso governo é legítimo, tem apoio popular, cumpre a lei e suas obrigações. Nem que quisessem, não teriam como atrapalhar.

O tom desafiador do comunista foi republicado em blogs alinhados ao seu governo, numa prova de que  o Palácio dos Leões vai manter a linha de beligerância em relação ao novo círculo de poder de Brasília.

Para muitos, a postura de Flávio Dino tende a isolar o Maranhão.

Mas ele não parece preocupado…

5

Fernando Furtado vai ter que se explicar ao TJ…

Deputado disse ter presenciado o pagamento de propina por um colega parlamentar ao genro de um desembargador; Órgão Especial do tribunal decidiu interpelá-lo judicialmente para que decline os nomes

 

Furtado vai ter que revelar nomes de corruptos - passivos e ativos

Furtado vai ter que revelar nomes de corruptos – passivos e ativos

A verborragia do deputado Fernando Furtado (PCdoB) provocou hoje a primeira reação de uma instituição maranhense.

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), com base no artigo 144 do Código Penal, decidiu, por unanimidade, que o suplente de deputado estadual Fernando Furtado seja interpelado judicialmente pela Procuradoria Geral de Justiça e pela Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA).

O órgão do TJ atendeu proposição do desembargador Joaquim Figueiredo, para quem Futrtado precisa esclarecer a  acusação que diz ter presenciado, em um posto de combustível de São Luís.

O parlamentar será interpelado pela Procuradoria de Justiça e pela Associação dos Magistrados…

20

De como, em nove meses, Flávio Dino destruiu a farsa criada em torno de si por 20 anos…

Com bravatas retóricas, gestos teatrais e discursos histriônicos para esconder a incapacidade gerencial, governador vai mostrando que não passa de mais uma “inteligência fabricada” por armas de marketing de guerrilha

 

Flávio Dino: gestos ensaiados à exaustão e frases de efeito pré-concebisas

Flávio Dino: gestos ensaiados à exaustão e frases de efeito pré-concebidas

A prepotência estampada em um dos posts do governador Flávio Dino (PCdoB) no fim de semana – em que tentou se comparar ao ex-presidente Juscelino Kubistcheck – foi mais um capítulo da auto-desmontagem que o comunista promove de si mesmo ao longo destes nove meses de mandato.

Este blog sempre apontou Flávio Dino como uma farsa.

Uma espécie de personagem construída pela propaganda esquerdista-sindical que se consolidou no Maranhão a partir do início dos anos 90.

Para o blog, ele nunca foi nem inteligente, nem preparado, sendo apenas um produto de massiva campanha midiática ao longo de sua história como estudante, advogado, juiz e político.

Mas este blog remava contra a maré do lugar-comum.

Felizmente, Dino fez-se governador. E a cada gesto, a cada frase, a cada decisão ele vai desmontando a própria farsa que criou em torno de si, de ser um cara pensante, inteligente.

É uma fraude.

Postagens como esta da referência a Kubistcheck ele faz quase que diariamente em seu perfil na rede social Twitter. E, com  elas, há nove meses vem desmontando essa fraude de inteligência rara.

FLAVIOFACE3

A prepotência de Flávio Dino no Twitter: frases feitas, ensaiadas e ditas em atos teatrais

O governador do Maranhão treinou à exaustão para passar em concursos, decorando fórmulas e macetes de questões vestibulares. E só.

Mas uma coisa é adquirir “conhecimentos técnicos” em uma área específica da vida; outra, é entender todos os polos que formam a complexidade social.

Falta ao governador do Maranhão a necessária visão de mundo, a formação cultural e intelectual sólida e, sobretudo, as marcas de um ser cosmopolita.

Flávio Dino, o homem que governa o Maranhão há nove meses, é um mero compêndio de frases de efeito e gestos ensaiados.

E a cada dia que o Maranhão permanece sob seu signo, esta farsa vai ficando mais evidente, vai mostrando que o estado é comandado por um ser de laboratório, uma criatura construída para executar funções específicas.

Mas toda construção artificial, ao se deparar com a realidade, sem códigos pré-programados, começa a meter os pés pelas mãos.

E é isso o que acontece com Flávio Dino.

Há noves meses…

2

Atitude estudantil de Flávio Dino repercute na Câmara Federal…

O deputado Vitor Valim (PSDB-CE) criticou ontem, em discurso na Câmara Federal, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), usando praticamente os mesmos argumentos deste blog, ao chamar o comunista de “militante político”. “Esse governador deveria usar a voz para não admitir golpe na Petrobras, nos Fundos de Pensão, contra as viúvas, contra o Seguro Defeso”, disse o parlamentar, que reafirmou: “não vou admitir governador militante”. Veja o vídeo:

7

A insensibilidade de Flávio Dino…

Qualquer outro gestor ou governante maranhense poderia se recusar a dar atendimento necessário a uma criança na rede estadual de Saúde, menos Flávio Dino (PCdoB).

Só Flávio Dino sabe – ou deveria saber – o que representa o drama da família do recém-nascido que aguarda cirurgia no Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo, por que o governo maranhense se recusa a pagar pelo tratamento.

Mais do que qualquer outro gestor, Flávio Dino nem deveria questionar diante de uma situação como esta.

O governo Flávio Dino, porém,  age da forma mais vil possível no caso.

Ao mesmo tempo em que paga milhões por uma propaganda em que diz estar dando toda a assistência à família e ao recém-nascido, como mostra o vídeo acima – e sem dizer que faz por ser obrigado pela Justiça – o governo maranhense ainda recorre da decisão judicial.

A insensibilidade do governador chega a chocar o mais frio dos críticos.

E causa repulsa em quem sabe o que representa um filho…

Abaixo, a matéria do Bom Dia Brasil sobre o caso: