0

Justiça eleitoral confirma o blog: Flávio Dino mentiu sobre Iema e hospitais…

Ao determinar que comunista retire do ar propaganda em que se declara autor de obras que foram feitas, na verdade, por Roseana Sarney, TRE confirma as informações já divulgadas nesta página

 

OBRA DE ROSEANA. Imagem já publicada neste blog confirma obra do Iema por parte de Roseana

A Justiça Eleitoral determinou ao comunista Flávio Dino (PCdoB) que retire duas propagandas do seu horário eleitoral.

A primeira trata dos Institutos de Educação, os chamados Iemas, que o comunista diz ser obra sua, mas vinha sendo questionado, inclusive por este blog. (Relembre aqui)

O TRE-MA entendeu que a informação de Flávio Dino era uma fake news; e mandou retirá-la da propagada.

– Quando o representado [Flávio Dino] afirma que a candidata representante durante toda sua gestão não fez nenhum IEMA (Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão–IEMA), quer levar a crer que não foi construído por ela nenhum centro estadual de capacitação tecnológica. O que se constata que é uma inverdade, uma vez que funcionavam 13 (treze) Centros de Capacitação Tecnológica do Maranhão (CETECMAs) e 6 estavam prestes a funcionar – disse o juiz Alexandre Lopes de Abreu, em seu despacho.

A Justiça Eleitoral entendeu também ser uma notícia falsa de Flávio Dino a informação de sua propaganda, que diz que ele construiu oito hospitais macrorregionais.

Esta fake news também já havia sido desmascarada por este blog. (Releia aqui)

OBRA DE ROSEANA. O Hospital de Imperatriz também oi construído por Roseana; Flávio pintou e entregou, apenas

Em sua decisão, o juiz Alexandre Lopes de Abreu confirmou o que disse o blog e cancelou também esta propaganda comunista.

– É de conhecimento geral que os hospitais mencionados na propaganda contestada tiveram sua edificação iniciada ainda no governo anterior[por Roseana Sarney], alguns dos quais foram entregues à nova gestão em fase avançada de construção e próximos à conclusão, sendo despicienda a análise de quaisquer documentos para se alcançar esse entendimento – afirmou Alexandre Abreu.

Na propaganda de ontem, Flávio Dino continuou a usar as duas informações em sua propaganda eleitoral, descumprindo decisão judicial.

Mas deverá ser punido também por esta subversão…

1

Comunistas partem pra cima de Maura tentando impedir o segundo turno…

Candidata ligada ao presidenciável Jair Bolsonaro começa a experimentar crescimento nas pesquisas e desperta a ira dos aliados de Flávio Dino na imprensa; os ataques, assim como toda a dinâmica da política do Palácio dos Leões, é forçar a vitória em primeiro turno

 

Fortalecida com a aliança bolsonarista, Maura Jorge incomoda Flávio Dino e passa a ser alvo de ataques comunistas

De uma hora para outra, a turba midiática que serve ao Palácio dos Leões passou a ter como alvo a candidata do PSL, Maura Jorge.

Os comunistas já vinham usando a tática dos ataques sistemáticos a Roseana Sarney – como se fossem eles a oposição – mas agora atacam em duas frentes.

Motivo: Maura Jorge apresenta tendência de crescimento, surfando na onda pró-Bolsonaro, que chegou também ao Maranhão.

A candidata tem bom desempenho em entrevistas, é corajosa, parte pra cima e denuncia tanto os governos sarneysistas quanto o próprio Flávio Dino, o que a faz crescer.

Com Roseana e Maura em níveis de intenção de votos consistentes, o comunista vê escapar pelas mãos o sonho de vencer em primeiro turno.

Por isso a ordem é atacar a ex-prefeita de qualquer jeito…

0

Flávio Dino: Uma denúncia atrás da outra…

À acusação de abuso de poder na Secretaria de Saúde seguem-se outras, tão graves quanto, mostrando que a mudança pregada pelo comunista maranhense era só de nome; as práticas nocivas ao Maranhão só pioraram

 

A corrupção fez parte do DNA do governo Flávio Dino desde o seu início, como prova Rosângela Curado; e se entranhou também na própria campanha comunista

A acusação de abuso de poder de Carlos Lula, feita pela Coligação da candidata e ex governadora Roseana, pode se juntar à acusação contra o vereador de Imperatriz, Rildo Amaral, mas também pode ter vida própria na Justiça Eleitoral.

É preciso deixar claro que a condenação de Flávio Dino, resultante de abuso de poder cometido nas eleições de 2016, é apenas mais um dos numerosos casos que tramitam na Justiça Eleitoral.

Este caso, confirmado no TRE ou TSE, tornará inelegível o governador comunista até 2024 – e poderá resultar, fatalmente, na perda do seu mandato, caso se reeleja.

As demais, caso sigam a mesma sorte da de Coroatá, podem tirar o comunista das eleições de 2026, 2028, 2030 e por aí em diante.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

2

Governo é “o jogador a mais” de Flávio Dino na campanha eleitoral…

Ao fazer alusão ao futebol na convocação de servidores da Saúde – com vizinhos, namorados, cachorros e papagaio – para evento de campanha, secretário do comunista acaba revelando que a máquina do estado está operando “para vencer de goleada”

 

COM GOLEIRO AMARRADO. Flávio Dino e Carlos Lula defendem “o jogador a mais” na campanha; uso da máquina crimes eleitorais continuados

É uma bomba o áudio do secretário de Saúde, Carlos Lula, fazendo pressão sobre os servidores de sua pasta para que compareçam a atos de campanha do governador Flávio Dino (PCdoB).

A convocação pura e simples já aponta para um forte desequilíbrio na campanha, caracterizando o abuso de poder que já gerou a inelegibilidade do governador e pode levar à cassação do seu eventual segundo mandato.

Mas Lula amplia a munição da oposição ao confessar, ele próprio, a existência de “um jogador a mais” no time comunista, para forçar a vitória “de goleada”.

– A gente tá ganhando de 2 X 0, com um jogador a mais, e já está no segundo tempo. Mas a gente precisa terminar esta partida para vencer de goleada – disse Lula, ao chamar servidores, namorados, noivos, tios, tias, cachorros e papagaios para a Praça da Reffsa em ato para Dino.

E qual é este jogador a mais no time do governador?!?

É o mesmo usado nas eleições de 2016, em Coroatá e Mirinzal, para virar o jogo no dia do pleito: a máquina pública, o uso do dinheiro público; em suma, o abuso de poder.

Ou seja, Flávio Dino quer jogar um jogo no qual tenha o apoio do juiz, com o dobro de jogadores dos adversários e usando a própria torcida para impor sua goleada.

E é contra este abuso que a coligação “Maranhão Quer Mais” encaminhará “Notícia de Fato” à Procuradoria Regional Eleitoral, que precisará dar uma resposta imediata. 

E o resultado mais natural desta análise é a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije).

Que resultará, fatalmente, na cassação de Flávio Dino.

É simples assim…

2

Os crimes eleitorais de Flávio Dino…

Já declarado inelegível, concorrendo sub judice ao governo e denunciado novamente pelas mesmas práticas criminosas, comunista deve ser alvo do maior número de ações por abuso de poder na história recente do estado, o que deve levar as eleições para além do dia 7 de outubro

 

Declarado inelegível em 1ª instância, Flávio Dino concorre sub judice; e continua a praticar os mesmos crimes que o levaram à primeira condenação

Declarado inelegível e concorrendo nestas eleições sob efeito suspensivo de um recurso ao TRE, o governador Flávio Dino (PCdoB) deve ser denunciado novamente pelas mesmas práticas que o levaram à condenação em primeira instância.

A coligação “Maranhão Quer mais” já tem catalogado vídeos, áudios e fotos que comprovam compra de votos, aliciamento de eleitores e abuso de poder em diversos municípios maranhenses nestas eleições.

Mas os crimes eleitorais praticados por Flávio Dino se avolumam em várias frentes.

Ele já foi denunciado também por uso eleitoreiro do cargo de capelão da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e do Sistema Penitenciário.

A Representação contra esta prática comunista de aparelhar o estado em proveito eleitoral já foi apresentada tanto ao Ministério Público quanto à Justiça Eleitoral.

Provas do crime eleitoral de 2016, que levou à decretação da inelegibilidade do comunista; mesmas práticas em 2018

Dino e seus aliados respondem também pelo uso da Polícia Militar como aparelho de espionagem de adversários.

Além de uma ação que deve chegar ao TSE – após o TRE julgar favorável ao comunista – relativa à inelegibilidade do vice-governador Carlos Brandão (PRB).

Diante de todos esses fatos já comprovados – e a catalogação de vários outros ao longo da campanha – é possível afirmar que a eleição no Maranhão não terminará em 7 de outubro.

Seja qual for o resultado do primeiro turno…

2

Coligação de Roseana repudia compra de votos de Flávio Dino…

Já condenado por abuso de poder e declarado inelegível em primeira instância, governador comunista volta a cometer crime eleitoral nestas eleições, numa ação despudorada na cara da Justiça Eleitoral e do Ministério Público

 

Prova do crime eleitoral de Rildo em Imperatriz; tudo se repetindo no interior

A coligação “Maranhão Quer Mais”, que tem a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) como candidata, emitiu Nota de Repúdio, neste domingo, 23, para denunciar mais um crime eleitoral do governador Flávio Dino (PCdoB).

Além do flagrante uso da máquina do governo em Imperatriz, já documentada e juntada para ação judicial, a coligação conseguiu captar, agora, áudios de secretários intimando servidores do estado a participar de atos de campanha.

– O próprio chefe do governo, que é um ex-juiz de direito, encorajou seus comandados a essas práticas, quando tentou desmoralizar a magistrada que o condenou por chantagem explícita ao eleitor de Coroatá por ocasião das eleições de 2016 – diz a nota.

Crime eleitoral de 2016, em Coroatá, que levou à inelegibilidade de Flávio Dino

No início de agosto, Flávio Dino foi condenado por abuso de poder nas eleições de 2016 e foi declarado inelegível até 2024. Só concorre neste pleito por causa do efeito suspensivo de um recurso.

É um candidato sub judice, portanto.

A coligação de Roseana já prepara nova ação judicial e exige também do Ministério Público um posicionamento sobre o crime cometido pela coligação comunista.

Veja abaixo a nota da “Maranhão Quer Mais”:

NOTA DE REPÚDIO

A Coligação “Maranhão Quer Mais” vem a público repudiar o uso da máquina do Estado para deformar o resultado do pleito eleitoral que se avizinha.
 
Se não bastasse o flagrante documentado em Imperatriz, entre domingo (18) e quarta-feira (21),protagonizado pelo candidato a deputado estadual Rildo Amaral, do Solidariedade, aliado do candidato à reeleição para o governo, Flávio Dino, que fez palanque sobre obra eleitoreira em execução (asfalto em três ruas do bairro Vila Redenção), surgem, agora, mensagens em áudio distribuídas via equipamentos e linhas telefônicas públicas, por integrantes do primeiro escalão governamental, da Saúde e da Cultura, intimando servidores a comparecerem a atos de campanha, levando familiares, em final de semana.
 
O próprio chefe do governo, que é um ex-juiz de direito, encorajou seus comandados a essas práticas, quando tentou desmoralizar a magistrada que o condenou por chantagem explícita ao eleitor de Coroatá por ocasião das eleições de 2016.
 
Agora, vê-se a banalização de práticas diversas de captação ilícita de votos, demonstrando que o ex-juiz e seus asseclas apostam na impunidade, topam humilhar a lei e desafiam a capacidade de percepção do ministério público eleitoral.
 
A assessoria jurídica da nossa campanha está ingressando com todos os pedidos de apuração que se fazem necessários, crendo piamente que o mesmo será feito pela Procuradoria Eleitoral, até porque os criminosos a serviço da desmoralização do presente processo eleitoral agem às claras, sem subterfúgios, tão confiantes que estão de que a lei não foi feita para eles.
 
São Luís, 23 de setembro de 2018
 
Coligação “MARANHÃO QUER MAIS”

1

Ação contra espionagem…

Presença de generais do Exército no Maranhão para garantir a segurança do processo de votação e apuração das eleições de outubro coloca sob suspeita a cúpula “comunista” da Polícia Militar do Maranhão

 

Homens do Exército serão deslocados para centro de operações nas eleições

A divulgação do comando do Exército, de implantar no Maranhão um centro de operações para monitorar as eleições estaduais e garantir a tranquilidade do processo de votação e apuração é uma espécie de ação de contra espionagem.

A decisão do EB se dá pouco tempo depois de vir à tona um Memorando da Polícia Militar do Maranhão exigindo de comandantes de companhias do interior “o monitoramento de adversários do governador Flávio Dino (PCdoB)” que pudessem causar para ele “embaraços eleitorais no pleito de outubro”. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

Apenas por esse documento, a cúpula da PM maranhense já estaria sob suspeita para conduzir o setor de segurança das eleições maranhenses.

Os coronéis comunista de Flávio Dino: espionagem, perseguição sob os olhares do Exército

Mas Flávio Dino foi além, e decidiu posar, ele próprio, ao lado dos principais oficiais da PMMA, todos com adesivos comunistas, deixando claro o posicionamento no processo eleitoral.

O caso é tão grave que o Exército decidiu enviar ao Maranhão nada menos que dois generais.

Ao lado do comando do 24º Batalhão de Infantaria de Selva, esses generais farão o monitoramento de todas as ações, antes, durante e depois do dia da votação e apuração.

É a garantia de que os adversários de Flávio Dino não correrão riscos a partir da sua “polícia política”.

Até porque, em 2016, ela agiu duramente no interior…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

1

Flávio Dino pede acesso à pesquisa Escutec, mas não aparece para receber relatórios..

Numa clara tentativa de intimidação ao instituto que deve divulgar nova pesquisa neste primeiro turno, comunista entra na Justiça Eleitoral em busca de artifícios que pudessem levantar suspeitas sobre os resultados; como não conseguiu, também não foi à sede da empresa no dia e horários combinados

 

NADA A ESCONDER. Fernando Júnior com seu corpo técnico e toda a documentação da pesquisa, esperando, em vão, o pessoal de Flávio Dino

 

O governador Flávio Dino (PCdoB) age em duas frentes nesta reta final de campanha, na tentativa de evitar um arriscado segundo turno.

Na primeira, divulga pesquisas a toque de caixa, sempre com índices estratosféricos, algumas delas assinadas até por gente que já morreu.

Em outra frente, tenta usar a Justiça Eleitoral para impedir a divulgação de levantamentos sem ligação com o Palácio dos Leões, a exemplo do que tentou com o Instituto Escutec, como mostram os documentos que ilustram este post.

TUDO A JATO. Petição, publicação e decisão judicial sobre a pesquisa Escutec, tudo no mesmo dia

No dia 6 de setembro, a coligação de Flávio Dino (PCdoB) protocolou petição em que pedia “acesso ao sistema interno de controle, verificação e fiscalização da coleta de dados” da pesquisa Escutec registrada sob o número 07603/2018, divulgada no jornal O EstadoMaranhão no dia 6.

A fiscalização foi autorizada pelo juiz eleitoral Alexandre Lopes de Abreu.

Detalhe: a pesquisa foi publicada dia 6, a petição foi protocolada no dia 6 e o juiz determinou a vistoria no mesmo dia 6; tudo a jato.

COMBINADO NÃO É CARO. E-mail encaminhado pela Escutec à coligação comunista, que confirmou o recebimento

Em 12 de setembro, a Escutec encaminhou ao escritório Carlos Lula Advogados, que representa o comunista, e-mail em que disponibilizava todas as informações requeridas e definia data e horário para que a coligação fizesse, in loco, o exame aleatório das planilhas.

– Outrossim, informamos aos advogados que nossa empresa estará disponibilizando o exame aleatório de planilha, mapas ou equivalentes (…) no horário comercial de 14h às 17hs, do dia 14/09 em nossa sede própria (…) – disse o documento, cujo recebimento foi confirmado oficialmente em email do próprio Carlos Lula, como mostra print abaixo.

A imagem que abre este post registra o diretor-presidente do Instituto Escutec, Fernando Júnior, seu coordenador técnico,  Jetro Nunes, e o advogado Eduardo Oliveira.

Eles permaneceram na sede da empresa, exatamente como definido oficialmente, entre as 14h e as 17h da sexta-feira, 14.

Nenhum representante de Flávio Dino apareceu.

TUDO CONFIRMADO. Email do escritório que representa Flávio Dino. Ninguém apareceu para a vistoria

Mas na verdade, o que queria Flávio Dino era impedir, por via judicial, que a Escutec publicasse nova pesquisa, desmentindo os institutos comunistas, que dançam e debocham da justiça Eleitoral.

Como não conseguiram, deixaram tudo por isso mesmo.

Mas fica uma pergunta à oposição: porque não fazer o mesmo com a Exata, a Econométrica, o DataIlha e essa tal Interpreta?!?

0

Major preso por Flávio Dino critica “coronéis comunistas” da PM…

Janilson Lindoso foi preso e humilhado em Imperatriz, em 2016, por se recusar a fazer campanha para a candidata do governador, que agora usa os principais oficiais da Polícia Militar em seu próprio benefício eleitoral

 

Em um vídeo publicado desde o fim de semana nas redes sociais e aplicativos de troca de mensagens, o major PM Janilson Lindoso, critica fortemente o uso de oficiais da PMMA na campanha política do governador Flávio Dino (PCdoB).

Em 2016, o major Janilson chegou a ser preso, por ordem de Flávio Dino, por se recusar a fazer campanha para a então candidata comunista à Prefeitura de Imperatriz, Rosângela Curado (PDT). (Relembre aqui e aqui)

– E agora, governador?!? O que vai ser feito com esses oficiais? Quem vai transferir esses coronéis? É o presidente? o STF? É estranho de mais o senhor chamar agora esses coronéis para fazer acordo, falar de salário e outras demandas; fica o alerta aí – questiona Janilson, em um vídeo gravado em frente ao Batalhão de Imperatriz.

Os oficiais da PM 65 de Flávio Dino; dois pesos e duas medidas, segundo major perseguido em Imperatriz

A imagem em que um grupo de coronéis dos mais altos postos da polícia posam com adesivos do “65” vazou no final de semana, e foi divulgada neste blog – e somente por este blog – como alerta para os que se posicionam contra o governador. (Releia aqui)

Os oficiais que fazem campanha para Dino têm todos posições de comando em batalhões e companhia da Polícia Militar.

E o major Janilson sabe do que o comunista é capaz…

Leia também:

PM mandou espionar até juízes e promotores…

De como Flávio Dino já usou a polícia em seus interesses políticos…

A “Milícia 36” e os atos criminosos de 2014…

5

Denunciados por corrupção, alugueis camaradas de Flávio Dino podem ser anulado…

Já tramita na Justiça Representação do advogado Thalles de Andrade contra o contratos, que já são vistos pelo Ministério Público de Contas como esquemas de organização criminosa e desvio de dinheiro público

 

Dois dos imóveis alugados por Flávio Dino: alugueis camaradas por todo o estado

Tramita na Justiça maranhense uma ação assinada pelo advogado Thalles de Andrade pedindo a anulação de todos os contratos apelidados de “alugueis camaradas” assinados pelo governo Flávio Dino (PCdoB).

Os alugueis já foram denunciados até em âmbito nacional por suspeitas de beneficiar aliados políticos e correligionários de Flávio Dino.

Um desses contratos, foi denunciado também pelo Ministério Público de Contas, por suspeita de servir a uma organização criminosa para desviar dinheiro público. (Releia aqui)

Os alugueis camaradas de Flávio Dino foram descobertos em 2016, quando veio à tona o escândalo envolvendo um imóvel na Aurora, pelo qual o governo pagou 17 meses sem que o tenha utilizado para qualquer coisa.

O imóvel em questão pertencia a um membro do PCdoB, que o cedeu para a campanha do próprio PCdoB, em 2014. (Relembre aqui)

O aluguel da Clínica Eldorado funcionou nos mesmos moldes: o imóvel, que pertence à família da própria assessora jurídica da Secretaria de Saúde, foi pago durante meses sem que nada funcionasse no local.

A ação do advogado Thales de Andrade não tem prazo para ser julgado…