0

Coronel Monteiro acusa Flávio Dino de truculência para impedir evento pró-Militares na AL…

Palestra seguida de debate sobre o Golpe Militar der 64 – que os organizadores chamam de “revolução” – foi transferido para a Ufma, atualmente sob o controle do governo Jair Bolsonaro

 

ALIADO DE BOLSONARO, CORONEL MONTEIRO CONSEGUIU NOVO ESPAÇO PARA DEBATE sobre o golpe militar de 64, que ele chama de Revolução

O coronel Monteiro Segundo, coordenador do movimento “Endireita Maranhão” acusou diretamente o governador Flávio Dino (PCdoB) pela não liberação da Assembleia Legislativa para um evento sobre o golpe militar de 1964.

– Infelizmente o evento não ocorreu pela truculência e ditatorial interferência do governador Flávio Dino, que determinou ao Othelino que não cedesse a “casa do Povo” para este debate democrático – afirmou Monteiro, ao blog Marco Aurélio D’Eça.

O evento organizado organizado pelo “Endireita Maranhão” teria o próprio Coronel Monteiro como palestrante. Foi anunciado na Assembleia Legislativa para a última quinta-feira, dia 4. (Relembre aqui)

No mesmo dia em que este blog publicou a informação, porém , o presidente Othelino Neto (PCdoB) descartou a cessão da Casa, e classificou de “aviltante eventos que celebrem a ditadura militar”.

Agora, o evento está marcado para a sexta-feira, 12, a partir das 15h30, no auditório do Centro de Ciências Humanas (CCH) da Universidade Federal do Maranhão (Ufma).

Além do debate, será apresentado o filme “1964-entre armas e livros”…

7

Ultradireita maranhense ainda tenta acesso a Bolsonaro…

Formado por militares das Forças Armadas e da PM – e por conservadores de todos os tipos no interior – movimento de ultradireita mostra rejeição a Maura Jorge e tenta fazer do coronel Monteiro o interlocutor do novo governo no Maranhão

 

EM BUSCA DE INTERLOCUÇÃO. Coronel Monteiro com Jair Bolsonaro ainda na pré-campanha; falta de acesso isola direita maranhense

Um grupo de ultradireita que gira em torno do coronel reformado do Exército José Ribamar Monteiro Segundo (PHS) resolveu reforçar suas posições na Internet para tentar forçar uma interlocução direta com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

Este grupo, que tem desde militares das Forças Armadas e da PM, conservadores católicos e evangélicos, políticos que agora se assumem de extrema direita – e até monarquistas – não reconhece a interlocução da  ex-candidata Maura Jorge (PSL) e tenta construir um projeto de poder em torno de Monteiro.

Mas, por enquanto, não tem tido sucesso na aproximação com Bolsonaro.

Entre os membros da União da Direita Maranhense (UDM), apenas o médico Allan Garcês conseguiu chegar até o núcleo central do novo governo; e isso por uma articulação política dele próprio, e não do grupo. (Entenda aqui)

O próprio Garcês enfrenta certa resistência no grupo monteirista.

Desde a campanha, a ultradireita em torno do coronel Monteiro se reunia em diversos grupos de WhatsApp – “QG Bolsonaro”, “Maranhão é Bolsonaro”, “Endireita Imperatriz” e “Viva a Direita”, dentre outros – que agora decidiram se unificar no “Endireita Maranhão”.

– Temos como referência o “Endireita Maranhão” o qual tem por finalidade introduzir na política maranhense pessoas novas, com ideologia de direita de modo a potencializar a evolução cultural, social e econômica do Maranhão – disse um dos comunicados, embora a cultura e o social sejam dois dos alvos do governo Bolsonaro.

VIVA O REI!!! Monarquistas também se alinham ao projeto da ultradireita maranhense em busca de interlocução com Bolsonaro

Nos grupos, é dura a crítica ao governo Flávio Dino (PCdoB) e ao grupo Sarney; e agressiva a reação a qualquer menção a Maura Jorge, que foi candidata a governadora pelo partido de Bolsonaro.

O coronel Monteiro chegou a ser pré-candidato a governador, mas teve a candidatura rechaçada pelo PHS, que optou por aliança com o senador Roberto Rocha (PSDB). (Relembre aqui)

O projeto do grupo é fazer de Monteiro o principal interlocutor do presidente eleito no Maranhão.

Por enquanto, no entanto, estão apenas nas adjacências do poder…

0

“Tivemos nossa candidatura podada de maneira infame”, afirma coronel Monteiro…

Pré-candidato a governador até esta quinta-feira, oficial do Exército mostra indignação com os últimos acontecimentos, acusa os dirigentes do PHS de negociarem sua saída da disputa, fala de negociatas e cita a série Mecanismo, da Netflix, para falar da corrupção na política

 

O coronel Monteiro, pré-candidato do PHS ao Governo do Estado, encaminhou a este blog, no fim da noite desta quinta-feira, 2, um vídeo em que confirma sua saída da disputa.

– Veja no meu Facebook porque Coronel Monteiro se retirou da campanha política. Lá estão as explicações claras, a minha revolta com o que aconteceu e as explicações para você saber por que o coronel Monteiro não é mais candidato ao Governo do Estado e a mais nada – afirmou, sem entrar em detalhes.

Na página “Canal do Coronel Monteiro”, no Facebook, há outro vídeo, em que o oficial revela os bastidores do que o levou à desistência.

Segundo ele, numa conversa com o presidente do PHS, Jorge Arturo, às 22h, foi decidido seu futuro.

– Nós tivemos nossa candidatura podada, de maneira infame. Nós tínhamos um compromisso, e eu cumpri a minha parte. O PHS não foi digno de ser um partido político. Eu não aceito qualquer outra posição. Me ofereçam o que oferecerem eu não aceito. Minha honra está acima de qualquer outro benefício – afirmou o coronel, fazendo referências ao termo “Mecanismo”, numa alusão à série da Netflix que trata da corrupção política.

Este blog publicou no início da noite desta terça-feira, que Roberto Rocha tinha articulado o apoio do deputado Eduardo Braide e Coronel Monteiro para sua candidatura. (Releia aqui)

Com a revelação do próprio coronel, vê-se que  a articulação não passou por ele.

– Não me considero caído. Me considero traído – concluiu o ex–pré-candidato…

1

Roberto Rocha fecha aliança com Eduardo Braide e Coronel Monteiro…

Senador do PSDB consegue a adesão dos dois pré-candidatos a governador e se fortalece como opção de terceira via na disputa pelo Governo do Estado

 

Roberto Rocha fortalece sua candidatura com adesão de Braide e de Monteiro

O senador Roberto Rocha (PSDB) conseguiu uma jogada política de alto impacto e conseguiu a adesão de dois pré-candidatos a governador – Eduardo Braide (PMN) e Coronel Monteiro (PHS).

A aliança foi confirmada ao titular do blog agora há pouco pelo secretário-geral do PSDB, Sebastião Madeira.

Braide e Monteiro abrirão mão da candidatura ao governo e coligarão com o PSDB na disputa majoritária, mas ficarão sozinhos na disputa pelas vagas de deputado federal e estadual.

De acordo com Madeira, os dois ex-pré-candidatos estão reunidos desde o início da noite para comunicar aos correligionários a decisão e oficializar a convenção dos dois partidos.

O PHS e o PMN fazem convenção nesta sexta-feira, 3; já o PSDB oficializa o nome de Roberto Rocha no sábado.

0

Maura Jorge e Coronel Monteiro vão disputar agenda de Bolsonaro no MA…

Ex-prefeita tem o trunfo de ser a candidata do próprio partido do presidenciável do PSL, mas o candidato do PHS tem a história no Exército vinculada ao ex-colega de farda

 

Maura Jorge está no mesmo partido de Bolsonaro, que veio ao Maranhão para agenda com ela

A ex-prefeita Maura Jorge alcançou um trunfo significativo na disputa pelo Governo do Estado ao filiar-se ao partido do deputado federal Jair Bolsonaro, candidato a presidente pelo PSL.

Desde então, a pré-candidata vincula sua imagem à do ex-capitão do Exército, que disputa a liderança das pesquisas de intenção de votos com o ex-presidente Lula (PT), preso em Curitiba desde abril.

Agora, no entanto, Maura Jorge vai ter que dividir as atenções bolsonaristas com o coronel José Ribamar Monteiro Segundo, que anunciou sua candidatura ao governo pelo PHS.

Coronel Monteiro é irmãod e farda do presidenciável pesselista e defende o seu projeto no Maranhãop

Maura tem o trunfo de ser do partido do próprio Bolsonaro, mas Monteiro carrega a chancela de ter sido colega de farda do presidenciável no Exército, além de reunir a União da Direita Maranhense na construção da agenda bolsonarista.

De qualquer forma, já há quem defenda a união das agendas de Maura e Monteiro; e até mesmo a união das chapas.

Mas esta é uma outra história…

4

Aliados de Bolsonaro no Maranhão se reúnem em Brasília…

Pré-candidato a governador Coronel Monteiro, representantes do Patriotas (PEN) e da União da Direita Maranhense articularam agenda política e eleitoral com o deputado federal, que é candidato a presidente; parlamentares da legenda, no entanto, parecem evitar relação com os bolsomínios

 

DIREITA EM AÇÃO. Coronel Monteiro com Jair Bolsonaro e militantes do Patriotas e da UDM

Representantes da União da Direita Maranhense (UDM) e do PEN, que deve se transformar em Patriotas, estiveram em Brasília esta semana em articulação com o deputado federal Jair Bolsonaro (RJ), pré-candidato da legenda a presidente.

O Patriotas tem como pré-candidato ao Governo do Estado o Coronel Monteiro, que também participou do encontro na capital federal.

– Haverá um aumento significativo de novos militantes ao partido, o que reforçará o trabalho da União da Direita Maranhense – disse o médico Alan Garcêz, um dos coordenadores da UDM no estado.

também estiveram na reunião com Bolsonaro Clêmisson Cesário.

Nenhum dos parlamentares do PEN no Maranhão – deputado federal Júnior Marreca, deputado estadual César Pires e vereadores Marcial Lima e Concita Pinto – participou do encontro.