9

“Fizemos tudo dentro das normas”, diz Lula Fylho…

Secretário municipal de Saúde de São Luís nega que tenha feito compras com todas as empresas quer estão sendo acusadas de superfaturamento pela Polícia Federal e diz que vai pedir vistas do processo para entender que documentos pretende a PF e a Controladoria-Geral da União

 

Lula Fylho teve a sede da sua pasta ocupada nesta terça-feria pela Polícia Federal, por suspeita de superfaturamento de mais de R$ 2 milhões

O secretário municipal de Saúde de São Luís, Lula Fylho, declarou ao blog “O Informante”, na manhã desta terça-feira, que ainda não tem conhecimento do inteiro teor do processo que apura fraude e superfaturamento na compra de máscaras em São Luís.

– Fizemos tudo dentro das normas – disse Lula Fylho.

A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na sede da Semus na manhã desta terça-feira, por suspeita de superfaturamento de mais de R$ 2,3 milhões na compra de máscaras descart´[aveis para uso contra a coVID-19.

De acordo com relatório da Controladoria-Geral da União, as máscaras que deveriam custar cerca de R$ 3,00 foram compradas pela Secretaria Municipal de Saúde por quase R$ 10.

Lula Fylho confirma a compra, mas diz que fez as compras, “mas não todas que estão sendo reveladas”.

De acordo com “O Informante”, o secretário pretende convocar coletiva para tratar do assunto…

1

Taxa de ocupação de UTI para coVID-19 supera 90% em São Luís

Último boletim da Secretaria de Saúde informa que apenas 18 dos 240 leitos para tratamento intensivo estão disponíveis nos hospitais da região metropolitana; índice é arriscado por causa da baixíssima taxa de isolamento social, de apenas 42%

 

Os leitos de UTI na Grande São Luís continuam com alta taxa de ocupação o que gera risco por causa da baixíssima taxa de isolamento social,

A Grande São Luís atingiu nesta segunda-feira, 8, o índice de 92,50% dos leitos de UTI ocupados para tratamento de pacientes da coVID-19. 

No mesmo dia, a capital registrou a menor taxa de isolamento social desde o início da quarentena, de apenas 42%. 

Segundo levantamento do blog Marco Aurélio D’Eça, o índice atual de ocupação de UTI é mais de quatro pontos percentuais maior que o registrado em 18 de maio, um dia depois do encerramento do lockdown decretado pela Justiça. (Veja aqui os boletins da SES)

Para especialistas, a coVID-19 não está controlada na região metropolitana; e o alto índice de ocupação de UTI, combinada com a baixíssima taxa de isolamento, aponta para risco iminente de recrudescimento da doença. 

Desde o bloqueio geral, o índice de ocupação de leitos de UTI na região metropolitana vem apresentando crescimento.

No dia 31 de maio atingiu o pico, com 96,25% de ocupação; no mesmo dia, o interior – à exceção de Imperatriz, que tem contagem própria – registrava 78,72% de ocupação.

Na quinta-feira, 4, depois do afrouxamento das regras da quarentena, o índice de ocupação de leitos de UTI chegou a 93,33% na Grande São Luís; neste mesmo dia, o interior registrava 75,18% de ocupação.

Do total de 240 leitos de UTI disponíveis na capital maranhense e nos municípios do seu entorno, apenas 18 estavam disponíveis nesta segunda-feira.

0

Maranhão tem recorde de mortes por coVID-19 pela 4ª vez seguida

Número de óbitos registrados no estado vem crescendo desde sexta-feira, chegando a 39 nesta segunda-feira, mostrando que a doença ainda está acelerando em todos os municípios

 

O Maranhão registrou nesta segunda-feira, 8, o quarto recorde seguido no número de óbitos ocasionados pela coVID-19.

Foram 37 novos óbitos na sexta-feira, 5; outros 38 no sábado, 6;  mais 38 no domingo, 7 e 39 nesta segunda; são 152 vítimas da doença em apenas quatro dias.

Mesmo assim, o governador Flávio Dino (PCdoB) afirmou hoje que não pretende “militarizar” o estado para forçar a população a cumprir as regras de quarentena.

O clima na Grande São Luís hoje é de absoluta normalidade. 

Apenas bares, restaurantes e festas não podem funcionar, mas em alguns locais essas atividades funcionam mesmo assim.

No boletim da Secretaria de Saúde divulgado nesta segunda-feira, o total de vítimas da coVID-19 chegou a 49.371.

1

Assembleia já debate internamente retomada de trabalhos

Deputados discutem se é hora de voltar às sessões presenciais, levando em conta a maior parte de servidores em idade considerada do grupo de risco e a infecção de alguns dos próprios parlamentares

 

Os deputados já discutem volta das sessões presenciais na Assembleia, o que, por enquanto, não há previsão de retomada

Um debate ainda que de bastidores passou a tomar conta de conversas de deputados em grupos de whatsApp.  

O blog Marco Aurélio D’Eça apurou que muitos deputados já defendem a retomada das sessões presenciais.

O debate tem ganhado corpo nos grupos, mas enfrenta resistência da maioria por representar um risco à maioria de funcionários do grupo de risco para a coVID-19.

Além disso, vários parlamentares já testaram positivo para a doença.

Um deles, José Gentil, está internado em estado grave em Teresina.

Por enquanto, a determinação da presidência da Casa é a de fechamento das atividades e realização de sessões apenas de forma remota.

E não há previsão para modificação deste protocolo…

1

Em meio à normalização da rotina, Flávio Dino convoca coletiva

Comércio praticamente voltou a funcionar em todos os setores, população voltou às praias e às áreas de lazer e o números da coVID-19 voltaram a aumentar no Maranhão, mas há quem pressione por mais abertura

 

A vida praticamente voltou ao normal na avenida Litorânea, com pessoas fazendo cooper e passeando; apenas os bares não funcionam; só alguns, melhor dizendo

O governador Flávio Dino convocou para as 10 horas desta segunda-feira, 8, coletiva de imprensa para apresentar novas medidas relacionadas à pandemia de coronavírus.

Na semana passada, Dino afrouxou as regras de isolamento liberando diversos setores do comércio para funcionamento, o que gerou fortes aglomerações em São Luís – com forte aumento de casos e de de mortes no interior.

No final de semana, clubes de reggae, barzinhos e alguns restaurantes na periferia abriram normalmente as portas, alguns, inclusive, com festas de pagode.

Sem falar nos supermercados, cada vez mais relaxados quanto às regras de funcionamento. 

Mesmo assim, há quem espere do governador medidas ainda mais liberais em relação ao funcionamento do comércio, com abertura de novos setores.

Representantes do setor de bares e restaurantes, shoppings center’s, academias também forçam a barra para voltar a funcionar.

Neste domingo,7, o Maranhão teve novo recorde de mortes,  com 38 óbitos registrados em 24 horas.

E o Maranhão se aproxima dos 50 mil casos de coVID-19…

0

Grande São Luís terá mais ônibus circulando segunda-feira

Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB) publicou a Portaria nº 284/2020 determinando a circulação de 100% da frota do sistema de transporte coletivo semiurbano

 

Os ônibus do sistema metropolitano pretendem reduzir o número de aglomerações no transporte da Grande São Luís

Os municípios de  São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar, vão ter mais ônibus circulando entre suas regiões a partir da segunda-feira, 8,.

A Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB) publicou a Portaria nº 284/2020 determinando a circulação de 100% da frota.

A portaria estabelece ainda que os passageiros devem utilizar máscaras de proteção e que as viagens sigam somente com passageiros sentados.

Assim têm andado a maior parte dos ônibus do sistema urbano da capital desde a reabertura das atividades comerciais

Na manhã desta sexta-feira, 8, o blog Marco Aurélio D’Eça divulgou imagens de aglomerações nos pontos de ônibus, além de coletivos circulando lotados em São Luís, focos para transmissão de coVID-19. (Relembre aqui) 

A MOB entende que a circulação dos ônibus dos seu sistema vai diminuir as aglomerações…  

1

Pressão dos números da coVID-19 faz Dino desistir de volta às aulas

Governador anunciou em suas redes sociais que não mais autorizará a reabertura das escolas no próximo dia 15; ele fará nova previsão na semana que vem, quando deve ser analisado também o impacto do libera geral no comércio da Grande São Luís

 

Flávio Dino decidiu esperar um pouco mais para a reabertura das aulas, prevista e forma condicional para o dia 15

Os últimos números da coVID-19 e o avanço da doença no interior – combinado com o forte crescimento de aglomerações na Grande São Luís – levou o governador Flávio Dino (PCdoB) a recuar da reabertura das aulas.

Ele anunciou em suas redes sociais, na manhã desta sexta-feira, 5, que a data prevista, de 15 de junho, será revista e outra data será fruto de avaliação na semana que vem.

Na coletiva em que anunciou o “libera geral” do comércio, há uma semana, Dino havia estabelecido uma previsão para reabertura das aulas no dia 15, mas condicionou isso à situação vigente na época da decisão.

Como os números da coVID-19 só aumentam no interior – o que levou a Justiça a determinar fechamento geral em alguns municípios – ele decidiu recuar e rediscutir as datas.

A situação em São Luís é perigosa por conta de aglomerações em ônibus e em centros comerciais e de lazer da cidade

Na manhã de hoje, o secretário de Saúde Carlos Eduardo Lula admitiu também que a flexibilização do comércio pode ser revista, diante do aumento dos números.

A situação da pandemia de coronavírus parece estabilizada na Grande São Luís, mas o grande número de aglomerações na Rua Grande, na Avenida Litorânea, incluindo festas em bares – somado ao aumento do casos no interior – pode gerar uma segunda onda de contaminação.

A partir de segunda-feira, 8, o governo deve começar a analisar a situação em cada região…

5

“Se for preciso, volta-se atrás”, admite Carlos Lula, sobre flexibilização

Com mais de dois mil casos registrados no Maranhão em 24 horas – um recorde – secretário de Saúde revelou que pretende avaliar os dados pós-abertura das atividades para decidir se mantém ou não a flexibilidade do comércio

 

Carlos Lula vai avaliar semana que vem a situação avaliou a situação da coVID-19, mas mostra preocupação com aglomerações em São Luís, cuja pasta da Saúde é gerenciada por seu xará Lula Fylho

O secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Lula, informou ao blog Marco Aurélio D’Eça, nesta quinta-feira, 4, que vai aguardar até semana que vem – quando terá as primeiras análises da reabertura das atividades – para decidir que posição tomar em relação ao avanço da coVID-19 no Maranhão.

No interior, a Justiça está determinando a volta do fechamento total em vários municípios; em outros, o Ministério Público pede comprovação científicas às prefeituras que justifiquem a abertura de todo o comércio.

Por volta das 9h de ontem, Lula contestou informações sobre aumento de casos na capital, e disse ser preciso avaliar mais à frente.

– Vamos ver o que vai acontecer semana que vem, que deve ter um possível aumento. Se for preciso, volta-se atrás. Por hora, ainda não sentimos aumento – disse o secretário.

À noite, o boletim da Secretaria de Saúde revelou mais 2.684 casos de coVID-19, com 33 óbitos em apenas 24 horas.

Do total de casos, 33 foram na Região Metropolitana e os demais 2.651 no interior.

O boletim da Secretaria de Saúde mostrou ontem novo recorde da coVID-19 no interior e uma estabilidade nos números da Grande São Luís

Durante a conversa com o titular do blog, o secretário admitiu, porém, que há focos de aglomeração, que podem resultar em aumento da coVID-19 também na capital.

– Com a Rua Grande desse jeito [lotada] é improvável não ter aumento [no casos de coVID-19]. Temos de tatear dia a dia – analisou o secretário.

Desde segunda-feira, 1º, diversas atividades não-essenciais puderam reabrir as portas, o que causou forte movimentação popular nos centros comerciais e no transporte.

Além disso, outros setores econômicos também pressionam pela reabertura.

Mas o governo só deve decidir se fecha, se abre ou se mantém como está a partir da próxima segunda-feira, 8…

3

Justiça volta a fechar tudo no interior maranhense…

Alguns municípios, como Codó, tiveram forte aumento nos casos de coronavírus desde a abertura das atividades comerciais, o que levou a novo fechamento das atividades; em outras cidades, a Justiça e o Ministério Público estão cobrando explicações das prefeituras

 

Diante do número do aumento dos casos de coVID-19, as autoridades de Codó decidiram acordar pela volta do fechamento radical do comércio (imagem: blog o Acélio Trindade)

O Município de Codó determinou nesta quinta-feira, 4, pela terceira vez, o fechamento total das atividades na cidade por causa do aumento dos casos de coronavírus.

Um acordo do Ministério Público com a prefeitura foi homologado pelo juiz Marco André Teixeira Tavares, determinando a volta da validade do decreto anterior, mais radical, que fecha tudo, desta quarta até a terça-feira, 9.

Já a partir da quarta-feira, 10, ficarão proibidos os serviços não-essenciais e qualquer forma de comercialização de  bebidas. (Entenda aqui)

Codó tem hoje 1.254 casos confirmados de CoVID-19, com 38 mortes, registrando aumento significativo desde a reabertura do comércio.

Além de Codó, a Justiça de vários municípios está determinando o fechamento ou cobrando informações das prefeituras por causa do aumento de casos de coVID-19 após abertura geral das atividades.

Em São Luís, as autoridades vão aguardar as análises da semana que vem para decidir se mantém ou revogam a reabertura.

Mas esta é uma outra história…

1

Atendimento de ambulâncias do interior cresceu 60%, diz Lula Fylho

Secretário municipal de Saúde de São Luís conta que o alastramento da coVID-19 nos municípios – com hospitais destinados exclusivamente a estes pacientes – tem aumentado a demanda pelas unidades da capital maranhense, o que gera a “procissão de ambulâncias” nos Socorrões

 

A procissão de ambulâncias tem se repetido no Socorrão I, segundo revelou o próprio secretário municipal de Saúde de São Luís

O secretário municipal de Saúde de São Luís confirmou ao blog Marco Aurélio D’Eça o congestionamento de ambulâncias do interior nas unidades de saúde da capital maranhense, sobretudo no Socorrão I.

E revelou que não foi exclusividade desta terça-feira, 2, contada pelo blog no post “A procissão de ambulâncias, infelizmente, chegou…”.

– Tivemos um aumento de 60% no número de ambulâncias vindo para nossas unidades – revelou o secretário.

Segundo Lula Fylho, “com várias unidades destinadas a atendimento de pacientes coVID, que vem crescendo no interior, as demandas de vários municípios estão vindo diretamente para São Luís”.

“As Upas estão vazias”, diz Carlos Lula

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, por sua vez, diz que as Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs) estão vazias, preparadas para receber pacientes com sintomas de síndrome gripal.

– Desde o início, Covid só vai pras UPAs. Nós blindamos o Socorrão. Paciente com síndrome gripal não entra no Socorrão – explicou o secretario estadual.

Mas se não há atendimento de coVID-19 fora das unidades destinadas a isso – e os municípios também têm suas regulações – o que levou a “procissão de ambulâncias” ao Socorrão?

Este blog apurou que podem ser duas as causas:

1 – o Socorrão I está lotado de pacientes com traumas diversos e o tomógrafo parou de funcionar, gerando o congestionamento de ambulâncias nos últimos dias;

2 – o blog também apurou que o Socorrão II estava vazio no mesmo período em que o I recebia a procissão de ambulâncias, mas o SAMU não destinou pacientes para lá.

Imagens mostram Socorrão lotado

Com aumento de 60 no atendimento do interior, Socorrão I está lotado, com atendimento até no corredores do hospital

O próprio Lula Fylho, secretário de São Luís, confirmou a lotação do Socorrão I, encaminhando fotos ao blog.

Ele também confirmou a quebra do tomógrafo, dizendo que os técnicos chegarão nesta quarta-feira, 3; mas informou que menos de 10% dos pacientes precisam de tomografia.

– Quem precisou de tomografia foi realizada no Hospital Geral e na Santa Casa – garantiu.

Como se vê, há um empurra de responsabilidade pela desorientação no atendimento, mas o fato é que a procissão de ambulâncias chegou a São Luís.

Exatamente como o blog Marco Aurélio D’Eça alertou desde o início…