2

Coligação de Roseana repudia compra de votos de Flávio Dino…

Já condenado por abuso de poder e declarado inelegível em primeira instância, governador comunista volta a cometer crime eleitoral nestas eleições, numa ação despudorada na cara da Justiça Eleitoral e do Ministério Público

 

Prova do crime eleitoral de Rildo em Imperatriz; tudo se repetindo no interior

A coligação “Maranhão Quer Mais”, que tem a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) como candidata, emitiu Nota de Repúdio, neste domingo, 23, para denunciar mais um crime eleitoral do governador Flávio Dino (PCdoB).

Além do flagrante uso da máquina do governo em Imperatriz, já documentada e juntada para ação judicial, a coligação conseguiu captar, agora, áudios de secretários intimando servidores do estado a participar de atos de campanha.

– O próprio chefe do governo, que é um ex-juiz de direito, encorajou seus comandados a essas práticas, quando tentou desmoralizar a magistrada que o condenou por chantagem explícita ao eleitor de Coroatá por ocasião das eleições de 2016 – diz a nota.

Crime eleitoral de 2016, em Coroatá, que levou à inelegibilidade de Flávio Dino

No início de agosto, Flávio Dino foi condenado por abuso de poder nas eleições de 2016 e foi declarado inelegível até 2024. Só concorre neste pleito por causa do efeito suspensivo de um recurso.

É um candidato sub judice, portanto.

A coligação de Roseana já prepara nova ação judicial e exige também do Ministério Público um posicionamento sobre o crime cometido pela coligação comunista.

Veja abaixo a nota da “Maranhão Quer Mais”:

NOTA DE REPÚDIO

A Coligação “Maranhão Quer Mais” vem a público repudiar o uso da máquina do Estado para deformar o resultado do pleito eleitoral que se avizinha.
 
Se não bastasse o flagrante documentado em Imperatriz, entre domingo (18) e quarta-feira (21),protagonizado pelo candidato a deputado estadual Rildo Amaral, do Solidariedade, aliado do candidato à reeleição para o governo, Flávio Dino, que fez palanque sobre obra eleitoreira em execução (asfalto em três ruas do bairro Vila Redenção), surgem, agora, mensagens em áudio distribuídas via equipamentos e linhas telefônicas públicas, por integrantes do primeiro escalão governamental, da Saúde e da Cultura, intimando servidores a comparecerem a atos de campanha, levando familiares, em final de semana.
 
O próprio chefe do governo, que é um ex-juiz de direito, encorajou seus comandados a essas práticas, quando tentou desmoralizar a magistrada que o condenou por chantagem explícita ao eleitor de Coroatá por ocasião das eleições de 2016.
 
Agora, vê-se a banalização de práticas diversas de captação ilícita de votos, demonstrando que o ex-juiz e seus asseclas apostam na impunidade, topam humilhar a lei e desafiam a capacidade de percepção do ministério público eleitoral.
 
A assessoria jurídica da nossa campanha está ingressando com todos os pedidos de apuração que se fazem necessários, crendo piamente que o mesmo será feito pela Procuradoria Eleitoral, até porque os criminosos a serviço da desmoralização do presente processo eleitoral agem às claras, sem subterfúgios, tão confiantes que estão de que a lei não foi feita para eles.
 
São Luís, 23 de setembro de 2018
 
Coligação “MARANHÃO QUER MAIS”

22

Flávio Dino comprou público de convenção com quentinha e coca cola…

Comunista lotou o Multicenter Sebrae com militantes pagos para fazer parecer que realizou o maior evento do tipo na história do Maranhão; e será denunciado à Justiça por mais este crime eleitoral

 

FLÁVIO DINO NA CONVENÇÃO. Platéia às custas de quentinha e coca cola

Os aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) têm feito festa para dizer que realizaram “a maior convenção da história do Maranhão”.

Mas a militância presente no evento tinha, ao menos, um estímulo a mais para estar ali.

De acordo com reportagem do jornal o Globo, o comunista distribuiu “quentinhas” e coca cola para os presentes.

Ou seja, até na definição de sua candidatura o comunista comete crime eleitoral.

a revelação de O Globo, também já denunciada por outros veículos de comunicação maranhenses, também será denunciada à Justiça Eleitoral.

Em mais nuyma ação contra o governador comunista que jurou mudar o Maranhão…

 

 

1

Flávio Dino usa helicóptero do GTA em evento político, denuncia Andrea Murad…

Segundo a deputada, governador usou a aeronave paga com dinheiro público para participar, como pré-candidato, de culto da Assembleia de Deus em Lago da Pedra, cometendo mais um crime eleitoral sob as barbas da justiça e do Ministério Público

 

Flávio Dino chega a Lago da Pedra em clima de campanha; e no helicóptero pago com dinheiro público

Nesta sexta-feira (20), Flávio Dino esteve em Lago da Pedra para participar do 36º Congresso Estadual de Missionárias e Dirigentes de Círculo de Oração, da Igreja Assembleia de Deus, que contou também com a presença da sua candidata ao senado, Eliziane Gama.

“Sem agenda oficial, Flávio Dino usa helicóptero da Segurança Pública para participar, em Lago da Pedra, do Círculo de Orações da Assembleia de Deus, acompanhado da sua candidata ao Senado, deputada Eliziane Gama”, denunciou a parlamentar.

O governador ao lado de Eliziane no evento da Assembleia de Deus, que tem forte foco político

Para Andrea Murada as fotos de Flávio Dino divulgadas por seus próprios aliados, comprovam o abuso do poder político e econômico na campanha.

Estou publicando as fotos que comprovam o abuso, ao mesmo tempo em que me dirijo ao procurador Eleitoral, Dr. Pedro Henrique Castelo Branco, para punir mais esse crime do governador usando recursos e equipamentos públicos, em dia de expediente e horário de trabalho, para fazer campanha política no interior do Estado”, escreveu Andrea Murad nas redes sociais.

No local, o governador também fez discurso, falando de nomeação de novos policiais e da inauguração de maternidade em Lago da Pedra.

10

Flávio Dino com os dias contados no poder…

Governador comunista vai enfrentar forte desgaste com os sucessivos pedidos de impeachment e denúncias de corrupção eleitoral e administrativa; e mesmo sendo reeleito, fatalmente será apeado do cargo pela Justiça

 

O governador Flávio Dino (PCdoB) é um político cuja carreira tem os dias contados.

Após se eleger em 2014 sob o signo da esperança e da mudança, o comunista transformou o governo em um antro de corrupção e o Maranhão em um estado policialesco e perseguidor.

O resultado são os sucessivos pedido de impeachment que deverá enfrentar sob acusações de crimes administrativos, o que será desgastante durante a campanha.

E os sucessivos crimes eleitorais continuados resultarão em sucessivas ações na Justiça Eleitoral.

Mesmo eleito, portanto, Flávio Dino será, fatalmente, apeado do poder, mais cedo ou mais tarde, diante de provas tão robustas de corrupção administrativa, política e eleitoral ocorridas em seu mandato.

Flávio Dino está com os dias contados no poder.

E terá que se encontrar com esta realidade a qualquer momento…

0

Exoneração de capelães não livra Flávio Dino de crime eleitoral e do risco de cassação…

Após escândalo da farra de nomeações de padres e pastores em troca de apoio eleitoral, líderes religiosos começam a deixar os cargos, pressionados por suas igrejas, numa espécie de confissão e culpa da troca de favores que passou a reinar no segmento evangélico

 

FARRA DE CAPELÃES. Flávio Dino ao lado dos pastores fardados que exercem cargos de oficiais militares sem terem prestado concurso público

Trata-se de uma confissão de culpa a exoneração dos capelães nomeados sem concurso pelo governador Flávio Dino (PCdoB) na estrutura da Segurança Pública.

Após o escândalo dessas nomeações – em troca de apoio político nas igrejas – pastores e padres que haviam negociado a ocupação de postos na Polícia Militar, no Corpo de Bombeiros e na Secretaria Penitenciária resolveram entregar os cargos.

Foram exonerados nos últimos dias os capelães Venino Aragão de Sousa, que past0or evangélico e estava nomeado na Secretaria de Administração Penitenciária, e o padre Moises Pereira Dias.

OCULTAÇÃO DE CRIME. Diário traz a exoneração do pastor Venino, importante líder evangélico

Mas a exoneração não livra Flávio Dino de responder por crime eleitoral e improbidade administrativa, o que pode levá-lo à perda do mandato.

Mesmo porque, as exonerações estão sendo substituídas por outras nomeações, tão criminosas quanto as primeiras.

A farra dos capelães foi denunciada por este blog ainda em 2017, e ganhou corpo na imprensa nos últimos meses, com a nomeação de inúmeros pastores evangélicos em troca de apoio a Dino nas igrejas. (Relembre aqui)

O escândalo manchou a reputação, sobretudo dos líderes da Assembleia de Deus, e foi denunciado à Justiça e ao Ministério Público Eleitoral. (Entenda aqui, aqui e aqui)

E pode levar à cassação do governador…

2

Flávio Dino é condenado novamente no TRE…

Juiz eleitoral Gustavo Vilas Boas determinou que o comunista retire do ar propaganda que remete à sua campanha de 2014, sob pena de multa diária de R$ 5 mil

 

A campanha de 2014 e a propaganda do governo: abuso de crimes eleitorais do comunista

O juiz eleitoral Gustavo Vilas Boas determinou na noite de ontem que o governador Flávio Dino (PCdoB) exclua da propaganda institucional do governo, das redes sociais e do Youtube trecho que faz referência à sua campanha de 2014.

Julgando representação do PRP, assinada pelo advogado Marcos Lobo, o juiz entendeu que o trecho reclamado faz, de fato, propaganda eleitoral antecipada, ao lembrar a campanha do próprio Dino, em 2014.

– Depreende-se dos autos a utilização, ao menos subliminarmente, de elementos coincidentes na propaganda institucional e na propaganda eleitoral, indicando prática de conduta abusiva – despachou Vilas Boas.

O comunista tem até ás 20 horas desta sexta-feira, 8 para retirar a propaganda do ar, sob pena de multa diária de R$ 5 mil.

A menos que ele queria fazer o povo maranhense pagar mais esta conta do seu mandato…

1

Flávio Dino dissemina mentiras com recursos públicos, diz Andrea

Ao comentar sobre a ação do PRP na Justiça Eleitoral contra a propaganda oficial do governo, em que trata sobre os números do programa Escola Digna nos formatos de campanha eleitoral, a deputada Andrea Murad (PRP) alerta para a publicidade na gestão de Flávio Dino, com verbas crescentes e que formam a maior máquina de propaganda partidária visando as eleições este ano.

“Pura propaganda eleitoral antecipada. É o que vem fazendo o governador Flávio Dino, usando recursos públicos para impulsionar sua futura candidatura a reeleição, utilizando a mesma estratégia dos filmes de sua campanha eleitoral de 2014 nos filmes institucionais do governo. Em alguns, podem verificar até a mesma imagem usada nas eleições passadas. Não bastasse o abuso contra as leis eleitorais, ainda mente quanto aos dados divulgados do Programa Escola Digna. Para Flávio Dino e sua propaganda mentirosa, são 750 escolas reformadas ou construídas. Mas de acordo com o relatório que recebi do próprio secretário de educação, Felipe Camarão, neste governo de Flávio Dino foram de fato apenas 227 escolas reformadas ou construídas, o restante não passa de simples manutenção predial. São dados oficiais da própria SEDUC”, escreveu a deputada nas redes sociais.

Na Ação, o PRP pede a retirada de uma propaganda do governo de todos os meios, principalmente, TV (https://www.youtube.com/ watch?v=H2zVsTNmKII). Como comentado pela parlamentar, a mídia traz os números do programa Escola Digna e também o mesmo molde dos programas eleitorais de Flávio Dino em 2014, inclusive a mesma cena do último programa eleitoral três anos atrás.

“Programa este que os publicitários engenhosos chamam de DIAMANTE da campanha de tão carregado de preciosidades dramáticas para capturar o sentido do eleitor na reta final de campanha. Este vídeo pode ser apreciado no canal oficial do Flávio Dino, intitulado de “Carta dos Maranhenses” (https://www.youtube.com/ watch?v=FOiwpAMgNRg)”, diz trecho da Ação.

Para Andrea, Flávio Dino mente e usa toda a estrutura do governo, com recursos públicos, para fazer promoção pessoal, já que é pré-candidato a reeleição ao governo do Maranhão.

“Então, a mentira abusiva veiculada em propaganda paga do governo, em horário nobre da TV brasileira, em valores altíssimos, são um crime eleitoral grave, aos moldes do mesmo formato de Programa Eleitoral Gratuito. Primeiro Flávio Dino mente sobre as informações prestadas e segundo aplica tais informações ao conceito totalmente equivocado de comunicação pública, aplicando recursos públicos para disseminar mentiras que em nada informa ao público em geral, nada orienta, nada agrega valores ou conhecimento, a não para promoção pessoal. Na verdade é apenas um palanque armado para turbinar a pretensão eleitoral do governador. Por isso será responsabilizado, responderá pelo crime de improbidade e devolver pessoalmente os recursos públicos gastos para produzir e veicular a propaganda eleitoral enganosa”, disse Andrea Murad.

1

Mais uma prova do uso político dos capelães evangélicos…

Pastor nomeado há seis meses por Flávio Dino faz campanha aberta para o comunista em seu templo religioso, inclusive com a presença de políticos aliados do governo

 

O pastor José de Jesus e os aliados de Flávio Dino: votos em troca de cargos n estrutura das forças policiais

O vídeo exibido nesta quarta-feira, 30, pelo jornalista Gilberto Léda, em seu blog, é o que se pode chamar de “batom na cueca” da distribuição de cargos públicos em troca de apoio eleitoral ao governador Flávio Dino (PCdoB).

Nomeado capelão do Corpo de Bombeiros há pouco mais de seis meses, o pastor José de Jesus Leitão Marreiros levou quatro aliados de Flávio Dino em um culto no templo do Ministério Apostólico Ágape para as Nações, uma dessas igrejas neo-pentecostais onde os fieis são tratados como rebanhos.

Um crime eleitoral flagrante, portanto.

O vídeo deve engrossar o calhamaço de denúncias sobre o uso eleitoral de capelães por Flávio Dino – que já está assentado no Ministério Público Eleitoral e no próprio Tribunal Regional Eleitoral.

Resta saber se estes órgãos de Justiça vão, de fato, fazer o processo andar contra Flávio Dino.

Ou se os braços da Justiça Eleitoral só alcançam os adversários do comunista…

3

Cerco se fechando contra Flávio Dino…

Compêndio de denúncias de infrações eleitorais cometidas pelo governador comunista o levará, fatalmente, às barras do Tribunal Superior Eleitoral, correndo o risco até de perder os direitos políticos

 

O que saiu das ações e representações de partidos políticos, lideranças e cidadãos maranhenses contra o governador Flávio Dino (PCdoB) e seus aliados políticos pode ser classificado como um compêndio.

Trata-se de um compêndio de tudo o que não se deve fazer em uma campanha eleitoral, para o bem da democracia e da liberdade.

As 14 denúncias feitas contra o comunista e seu grupo – ações, representações e pedidos de investigações – formam um arcabouço digno de estudo jurídico, porque levará, fatalmente, a um posicionamento claro da Justiça Eleitoral, se não agora, pelo menos nos próximos anos.

As ações de investigação judicial eleitoral que começarão a surgir a partir das primeiras semanas da campanha propriamente ditas, chegarão mais cedo ou mais tarde ao Tribunal Superior Eleitoral.

A princípio, o que se lê nesses documentos, deve ser chamado de “suspeitas”, mas já documentados, registrados e comprovados por fotos, declarações, vídeos, e até confissões abertas de culpa.

E é por isso que se pode afirmar que o cerco está se fechando contra o governo comunista e sua turma.

Eles terão, brevemente, de explicar aos tribunais superiores.

Se é que ainda têm o que explicar…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

9

Por menos caiu Jackson…

Enxurrada de ações contra o excesso de supostos crimes eleitorais cometidos por Flávio Dino – apenas nesta fase de pré-campanha – mostra que o comunista pode ter um fim de carreira político melancólico na Justiça Eleitoral

 

RECORRENTE. Ações de crimes eleitorais de Flávio Dino vão se avolumando na justiça, o que pode inviabilizar seu futuro político

O ex-governador Jackson Lago (PDT) foi cassado por uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral que resultou na declaração da nulidade de sua eleição pelo Tribunal Superior Eleitoral.

A AIJE que levou à cassação do pedetista se baseou em dois fatos únicos: pedidos de votos explícitos em Codó e em São José de Ribamar, fora do período permitido.

A julgar pela ação contra Jackson, iniciada em 2007 e julgada em 2009, o governador Flávio Dino (PCdoB) e seus aliados têm muito o que se preocupar com suas condutas nas eleições de 2018.

Afinal, já são tantos as suspeitas de crimes catalogados apenas na pré-campanha que deixam as ações contra o pedetista no chinelo.

Se houver um julgamento justo, sério e com base única nos fatos, Flávio Dino não tem como escapar de uma condenação eleitoral – seja antes do pleito, contra o registro de sua candidatura, seja depois, caso ele venha a se eleger com base nas práticas ilegais já documentadas.

Flávio Dino pediu votos explicitamente em evento proibido – assim como Jackson – fez campanha aberta no pátio do Palácio dos Leões, como Jackson não fez, e usou a estrutura do governo para se promover e prejudicar adversários, como Jackson também não fez.

Não há dúvida de que o pleito eleitoral de 2018 já está contaminado por ações criminosas, condutas vedadas e infrações ao código eleitoral, qualquer que seja o seu resultado.

E todas essas ações criminosas serão analisadas em ações de investigações, impugnações e recursos contra a eleição.

E foi por menos disto que Jackson Lago caiu…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão