1

Matador de agentes da Cemar agiu premeditado, apontam indícios…

Morador de Paço do Lumiar, Pablo Martins Silva, conhecido por “De Menor”, seguiu a equipe após corte de energia em uma residência e os executou com tiros na cabeça

 

Já está preso o indivíduo Pablo Martins Silva, conhecido por “De Menor”, 18 anos.

Ele é acusado da execução dos agentes da Cemar João Victor Melo e Francivaldo Carvalho da Silva, que estavam de serviço na manhã desta terça-feira, 15, na região de Paço do Lumiar.

Segundo as primeiras informações da polícia, a equipe efetuou corte de energia elétrica em uma residência na região e foi seguida por “De Menor”, que os executou com tiros na cabeça.

Segundo testemunhas, não houve qualquer reação das vítimas, que trabalham no Consórcio Norte, prestador de serviços à Cemar.

Abaixo, nota da empresa, divulgada logo após o crime:

Nota de Esclarecimento

A Cemar e o Consórcio Norte, empresa prestadora de serviços, informam que irão acompanhar os trabalhos de investigação pelas autoridades policiais do homicídio ocorrido na manhã desta terça-feira (15), no Sítio Natureza, em Paço do Lumiar, vitimando os colaboradores João Victor Melo e Francivaldo Carvalho da Silva.

Cabe esclarecer que a Companhia e o Consórcio Norte irão acompanhar e colaborar com o trabalho de investigação da polícia, que deverá identificar as causas que levaram ao homicídio.

Neste momento as empresas lamentam e se solidarizam com os familiares e estão empenhadas em prestar toda assistência necessária.

Assessoria de Imprensa da Cemar

0

Apreensão de veículo com IPVA atrasado é ilegal, diz juiz…

Titular da 2ª Vara da Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Sérgio Roberto Emílio Louzada concedeu liminar em que multa o governo em R$ 500,00 diários, para cada carro que for recolhido

 

Em São Luís, as blitzen da CPRV, mesmo ilegais, têm sido marcadas pela truculência e autoritarismo policial

O juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública do Rio de Janeiro proibiu o Governo do Estado e o Detran de apreenderem carros que estiveram com o IPVA atrasado.

“Se o legislador previu que o Detran-RJ não poderá exigir o pagamento do IPVA para licenciamento anual do veículo e que este não pode ser apreendido em razão do não pagamento deste tributo, não há que se falar em prévia quitação do imposto para retirada do automóvel eventualmente apreendido”, explicou o magistrado.

Ainda segundo o juiz, o Detran não poderá impor restrições ou limitações ao direito de propriedade sobre veículos para a cobrança do IPVA, devendo buscar no Judiciário a tutela específica, por meio de execução fiscal, observando o contraditório e ampla defesa.

No Maranhão, mesmo com as decisões judiciais, o governo Flávio Dino montou uma verdadeira indústria de multas, com apreensão de carros em débitos e ameaça de leilão.

O Ministério Público e o Judiciário, apesar dos vários questionamentos legais, fazem vista grossa à operação criminosa do governo comunista…

2

Vídeo do dia: coronel Aloprado…

O tenente-coronel PM Miguel Neto, comandante do 15º Batalhão da Polícia Militar, em Bacabal, irritou-se nesta sexta-feira com um subordinado e acabou dando um exemplo de despreparo. O comandante irritou-se por que, chamado à sua presença, o cabo identificado por Bandeira chegou acompanhado de um advogado. Transtornado, o oficial apontou até uma arma aos dois para impedir que fosse filmado na conversa com o praça. Após o epísódio, o coronel chegou ser preso pela própria corporação

0

Pedreiras: a vítima declarou não se sentir ameaçada por assassino…

Presidente da Associação de magistrados diz que Antonio Carlos atendia aos requisitos legais para ser posto em liberdade, após ter praticado o primeiro sequestro

 

Gervásio explica questões envolvendo processos legais

Gervásio explica questões envolvendo processos legais

Um dos fatores levados em conta pela juíza Larissa Tupinambá, para liberar Antonio Carlos de Sousa, na primeira vez em que ele sequestrou Maria Nilde Silva Sousa, em Pedreira, foi um depoimento da própria Nilde, declarando nãos e sentir ameaçada pelo ex-namorado.

A revelação foi feita pelo presidente da Associação dos magistrados do Maranhão, juiz Gervásio Santos, ao comentar a repercussão do fato, hoje.

Antonio Carlos matou a namorada e se matou, na madrugada de quinta-feira, após sequestrá-la pela segunda vez. Durante o crime, matou também um motoqueiro e feriu outro, que tentaram impedir o crime.

No primeiro sequestro, o assassino passou 30 dias preso, quando ingressou com pedido de liberdade provisória.

– No pedido foi anexado o comprovante de endereço em Coroatá (casa do irmão), local onde se submeteria a acompanhamento médico e certidão de antecedentes imaculados – explicou Gervásio.

Gervásio explica que a prisão não poderia se mantida levando em conta apenas a gravidade do crime. E diante da declaração da vítima, o homem foi solto.

– A instrução também não sofria perigo, na proporção em que a própria ofendida relatou não se sentir intimidada e, nos delitos cometidos no âmbito de violência doméstica, a palavra da mulher assume especial relevância, pelo que se esta atesta estar tranqüila e pugna pela liberdade, a busca da verdade real não resta comprometida – disse o presidente da AMMA.

O caso teve repercussão nacional…

2

Imagem do dia: execução em praça pública…

aaaaaaO homem deitado em plena via pública, em Vitória do Mearim, é o mecânico Irinaldo Batalha. Ele está ferido e indefeso. O braço que aparece é o do vigilante Luiz Carlos, da Prefeitura Municipal. Luiz Carlos executou Irinaldo em via pública, na frente de dezenas de testemunhas. O governo Flávio Dino, tentando minimizar o fato, chegou a classificar Irinaldo de assaltante, em nota distribuída à imprensa, uma irresponsabilidade.

vitoriaA imagem acima é ainda mais grave: mesmo após executar o crime, o vigilante Luiz Carlos é auxiliado normalmente pelos policiais militares que chegaram para atender a ocorrência. E ainda ajuda a colocar na viatura o corpo da vítima que próprio matou. Há vídeos da execução e da pós-execução, mas o blog se reserva o direito de não publicar. O crime chocou Vitória do Mearim.

As duas imagens são do blog de Domingos Costa
8

Revelações de pistoleiro sugerem monitoramento de Décio Sá…

O detalhamento do assassinato do jornalista Décio Sá, feito pelo próprio executor, sugere que a vítima pode ter sido monitorada por uma terceira pessoa na noite do crime.

Versão do pistoleiro para localizar Décio: pouco crível

Segundo trechos do depoimento usados pela polícia no pedido de prisão dos envolvidos, o matador Jhonatan de Souza chegou a perder contato visual com o carro de Décio. Ele revela, no entanto, que decidiu seguir para a praia, até encontrá-lo novamente, ocasião em que efetivou o crime.

Versão pouco crível, que gera questionamentos.

Por que o bandido, ao perder o carro de Décio de vista, escolheu seguir exatamente para a Litorânea? Porque não foi até sua casa? Quanto tempo perdeu procurando de bar em bar na Litorânea?

É um tanto surreal que uma pessoa possa imaginar por si só, de cara, que outra tenha seguido para uma avenida como a Litorânea em plena segunda-feira.

Detalhe: o Estrela do Mar fica na parte São Marcos da Litorânea. O bandido já estava no Shopping do Automóvel, na altura do Quintas do Calhau, a uma distância considerável do local do crime.

Sair de bar em bar a procurar é de um amadorismo que não condiz com a montagem do crime.

O local do crime: só o matador o encontrou tão facilmente

O mais provável, segundo analistas da própria polícia, é que o bandido, após perceber que se perdera de Décio, tenha ligado para uma terceira pessoa, que decidiu monitorar para saber onde Décio estava.

É muito provável que, só a partir da informação desta terceira pessoa é que o bandido possa ter ido ao local do crime. Tanto que planejou deixar a moto do outro lado da avenida, no ponto exato para uma rota de fuga.

Este blog sempre levantou a hipótese de uma tocaia para Décio Sá, como prova o post “Perseguição ou Tocaia?”, publicado em 27 de abril.

A polícia só precisa saber agora se Jhonatan está escondendo alguém.

E quem é este eventual protegido…

47

Caso Décio: limitações da acusação ao capitão…

Fábio Aurélio: é preciso esclarecer tudo...

Este blog ainda mantém certa cautela em relação ao envolvimento do capitão PM Fábio Aurélio Saraiva no crime que executou o jornalista Décio Sá.

De concreto, sabe-se apenas que “Fábio Capita” é amigo de infância de Júnior Bolinha, o responsável pela contratação do assassino Jonatahn Souza. O resto são “indícios”, como deixou claro o próprio secretário de Segurança, Aluísio Mendes.

A menos que a polícia tenha muito mais provas além das que foram divulgadas, as acusações contra o ex-comandante do Batalhão de Choque ficam frágeis baseadas apenas nos detalhes revelados.

Segundo a polícia, foi o próprio Jonathan quem revelou pertencer a Fábio Capita a arma com a qual ele executou Décio Sá.

Primeiras perguntas: Mas como o assassino soube de quem era a arma? Foi Júnior Bolinha quem lhe disse? Por que Bolinha faria questão de revelar este detalhe?  Por que o contratante de um crime se expõe a este ponto ao contratar um assassino?

Ainda segundo a polícia, a arma usada no crime foi jogada na baía pelo assassino, que fugiu usando o serviço de ferry boat.

Outras perguntas: se a arma foi jogada ao mar, como saber se era a arma do capitão? Como comprovar, por exame de balística, que as balas saíram de tal arma? Quantas armas tem o capitão sob sua custódia?

A relação de Fábio Capita com Júnior Bolinha por si só já era desaconselhável. Não só a dele, como a de delegados da Polícia Federal, advogados e deputados.

Mas a polícia precisa esgotar todas as possibilidades sobre a participação do oficial no assassinato do jornalista.

Caso contrário, como disse o jornalista Roberto Kenard, poderá punir um inocente. (Leia aqui)

Ou – o que é pior – pode devolver um criminoso às ruas…

11

Matador de Décio Sá está preso há cinco dias…

Décio: assassinato elucidado...

Foi graças à prisão do assassino do jornalista Décio Sá, em Belém, na quinta-feira passada, que a polícia maranhense elucidou o crime, ocorrido em 23 de abril.

O bandido aceitou a oferta da delação premiada – que garante a ele benefícios legais no julgamento do caso – e contou quem o contratou, valor e motivos que levaram à morte do jornalista.

A linha de investigação adotada pela polícia é exatamente aquela já anunciada em vários posts deste blog.

Um destes posts foi publicado em 25 de maio, sob o título “O afunilamento da linha de investigação do caso Décio”. (Releia aqui)

O próprio Valdêmio José da Silva, assassinado ontem, tem a ver com a execução do jornalista, que também passa pela morte do agiota Fábio Brasil, em Teresina, no mês de março.

Como o crime envolve gente poderosa, este blog tem convicção de que a pressão incansável que exerceu pela elucidação do caso – muitas vezes com duras críticas à linha de ação da polícia – também evitou o caminho do esquecimento.

Neste momento, equipes da Secretaria de Segurança cumprem mandados de prisão dos mandantes – são vários, reunidos em um consórcio.

Entre os procurados há empresários e políticos…

7

Polícia decidirá amanhã se liberta um dos suspeitos do caso Décio…

Décio Sá foi morto neste bar, na Litorânea, em 23 de abril

A cúpula da Polícia Civil deve decidir nesta quarta-feira se mantém preso ou liberta um dos suspeitos de envolvimento na morte do jornalista Décio Sá.

Logo após o crime, em 23 de abril, a polícia prendeu dois homens, baseada em informações do Disque-Denúncia. 

Um deles é Fábio Roberto Cavalcante Lima; o outro é Valdêmio José da Silva.

O blog apurou que a polícia já conseguiu a prorrogação da prisão de um deles, mas não conseguiu identificar qual.

Os delegados que comandam o  inquérito da morte de Décio se reunirão amanhã com o secretário Aluísio Mendes para decidir se põem ou não o outro suspeito em Liberdade.

O assassinato de Décio Sá completa 30 dias nesta quarta-feira…

4

Roberto Freire diz que responsabilidade do caso Décio é do Governo Federal…

Roberto Freire com Eliziane Gama

O deputado federal Roberto Freire (PPS-SP) disse hoje pela manhã, em São Luís, que a responsabilidade pelo fim dos atentados contra jornalistas no país é do Governo Federal.

Ao comentar o assassinato do jornalista Décio Sá, Freire afirmou que os órgãos de investigação federal deveriam estar atuando na represssão a este tipo de crime.

Este não foi o único crime este ano. Vários jornalistas já morreram e isso é um absurdo. A responsabilidade é do Governo Federal. Tanto na prevenção quanto na repressão a este tipo de crime que atenta contra o estado democrático – afirmou Freire, em entrevista ao jornalista Carlos Roger, da rádio Capital AM.

Roberto Freire está em São Luís para participar do lançamento da candidatura da deputada estadual Eliziane Gama (PPS) a prefeita de São Luís.

O evento, que reuniu todos o candidatos da chama “frente de oposição” ao prefeito João Castelo (PSDB), foi realizado na Assembleia Legislativa.