2

Edilázio Júnior repudia manobra e falta de transparência do Governo…

O deputado estadual Edilázio Júnior (PV) repudiou, na manhã de hoje, manobra do Governo na Assembleia Legislativa para evitar que informações sobre a construção de uma praça pública na Lagoa da Jansen fossem repassadas ao Parlamento.

O parlamentar havia solicitado informações a respeito do processo de licitação da obra ao secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto (PCdoB), na ocasião da sabatina a que o comunista foi submetido.

Os dados, contudo, jamais foram repassados ao Poder Legislativo. Edilázio protocolou então requerimento junto à Mesa Diretora da Casa pedindo encaminhamento de expediente ao secretário com a solicitação das informações. O pleito foi negado na semana passada. Ontem, na votação de um recurso interposto por Wellington do Curso (PP), a base governista voltou a barrar as informações, após manobra do Palácio dos Leões.

“Venho aqui neste momento falar da minha decepção que não é nenhuma surpresa, com relação ao Governo e com relação à bancada governista. Primeiramente, o que nós estamos vendo aqui é um Governo que fala uma coisa e que na prática é totalmente diferente […] se o Governador criou uma Secretaria de Transparência, nós aprovamos a Lei de Transparência aqui nesta Casa, qualquer cidadão, independentemente da Lei, pode ter acesso a qualquer licitação do Estado”, disse.

Ele lamentou a postura do Governo Flávio Dino (PCdoB) e cobrou seriedade do Palácio dos Leões no trato da coisa pública. Ele criticou a falta de informações a respeito da licitação de uma obra pública.

“O governador Flávio Dino, quando veio ler sua mensagem aqui nesta Casa, colocou os secretários à disposição, e é nosso dever fiscalizar. Mas além de fiscalizar, estou apenas fazendo um pedido de informação a respeito de uma licitação que o secretário se propôs a ser solícito a esta Casa e de me encaminhar, só que nunca encaminhou. Já está fazendo quase 30 dias e nunca encaminhou a licitação da Praça da Lagoa”, completou.

O parlamentar assegurou que amanhã vai protocolizar, pessoalmente, pedido de informações sobre a licitação, na sede da Sinfra, com base na Lei de Acesso à Informação.

4

Roberto Rocha chuta a ferida…

Senador usa imagem forte no Facebook para provocar o governador Flávio Dino, protagonista de uma das  mais negativas repercussões de uma ação de governo já registrada na história do Maranhão.

Para Rocha, o comunista está sem rumo, e parece se preocupar apenas financiar o comunismo latino-americano.

Flávio Dino e seu lugar-tenente, Márcio Jerry, ainda não responderam à provocação do “proto-aliado”

 

 

9

Juiz fecha gabinete para comemorar fim de ano e irrita advogados e jurisdicionais…

Titular da 10ª Vara Cível de São Luís, Ernesto Guimarães Alves baixou Portaria para suspender atendimento, “tendo em vista a confraternização de fim de ano dos servidores”

 

Juiz Ernesto assina termo de posse como auxiliar em São Luís, em 2013, observado pelo então corregedor Cleones Cunha

Quem chegou à 10ª Vara Cível de São Luís, nesta quinta-feira, 15, deparou-se com um documento inusitado.

A Portaria nº 24, assinada pelo juiz auxiliar Ernesto Guimarães Alves, estabeleceu a suspensão do expediente na Vara para que o servidores pudessem comemorar a uma confraternização de fim de ano.

– O juiz de Direito, Dr. Ernesto Guimarães Alves, Auxiliar, respondendo pela 10ª Vara Cível da Capital, no suo de suas atribuições legais, resolve: (artigo 1º) Suspender o atendimento às partes e advogados no dia 15 de dezembro de 2016, tendo em vista a confraternização de fim de ano dos servidores desta Vara – diz o documento assinado por Ernesto Guimarães.

A decisão do juiz revoltou advogados e jurisdicionais que foram ao fórum na manhã de hoje, sobretudo pelo fato de que a decisão foi baixada no mesmo dia de sua entrada em vigor, sem aviso prévio para suspensão de audiências ou atendimentos.

Detalhe: o recesso de fim de ano do Judiciário começa daqui a cinco dias, no próximo dia 20.

O artigo 2º da Portaria estabelece que os prazos legais que, porventura, se encerrariam hoje, estão transferidos para o dia 16 de dezembro.

Não há no documento nenhuma informação sobre o artigos que o juiz Ernesto Guimarães se baseou para tomar tal decisão…

Veja abaixo a Portaria:

 

4

Promotor critica força-tarefa da Lava Jato e denuncia que projeto anticorrupção serviria a ela própria…

Membro do Ministério Público do Paraná, Fuad Furaj defende a emenda aprovada na Câmara e diz que a população foi induzida a erro por promotores e procuradores que queriam apenas garantir mais autoridade e privilégios a eles próprios

 

justiceiros

Os justiceiros seletivos do MPF capitaneados por Deltan Dalagnol: como artistas de cinema

O promotor de Justiça do Paraná, Fuad Furaj, apresentou artigo que desmonta a tese do Ministério Público, de que as 10 Medidas contra a Corrupção formam um projeto de iniciativa popular, agora desfigurado pela emenda que impõe punições mais rigorosas a crimes cometidos pela categoria.

– A iniciativa do projeto de lei é de um ente estatal chamado Ministério Público, o qual usou toda a sua estrutura e poder de fogo para buscar assinaturas de cidadãos induzidos a erro pelo título do projeto. O título do projeto de lei vendia combate à corrupção, mas o conteúdo dava ao cidadão também opressão e violação de direitos fundamentais – afirmou Fuad.

Para o promotor, o objetivo do projeto era castrar direitos para construir um estado policialesco “gerido por um Ministério Público cada vez menos público e cada vez mais corporativo”.

–  Projeto aprovado [com a emenda da Câmara Federal ] – e talvez deva ser essa a razão do ódio profundo que suas Excelências devotam ao parlamento integrado por deputados eleitos pelo voto popular – inclui responsabilização criminal para promotores e juízes, entre outros atos, por atos ilícitos por eles praticados, antes “punidos” apenas na seara disciplinar – lembra o promotor, para afirmar:

– Com arroubos próprios de primas-donas descompensadas, sem qualquer razoabilidade, “ameaçaram” renunciar caso o projeto legislativo seja sancionado pelo Presidente. Um motim praticado por altos servidores públicos, integrantes de uma Carreira de Estado, que estão no topo da pirâmide da remuneração estatal. Este disparate dos Procuradores da República, junto com todo conjunto da obra, é algo inominável.

Fuad Furaj: uma voz de lucidez em emio á arrogância e onipotência do Ministério Público

Fuad Furaj: uma voz de lucidez em emio á arrogância e onipotência do Ministério Público

Para Fuad Furaj, a reação dos procuradores da Lava Jato revela a própria visão que têm de si, de seres acima do bem e do mal.

– Queriam acaso poder violar, sem punição alguma, a Constituição e todas as leis do país? Acaso fazem parte de uma classe de superdotados infalíveis que deve ser colocada acima de todos os demais cidadãos para poder prejudicar com seus atos, impunemente, o cidadão, a nação e o país? A bem pouco tempo, a lembrança me é vaga, os ilustrados integrantes da Car Wash diziam que a lei deve valer pra todos. Para todos, menos para eles – afirmou o promotor paranaense.

Leia aqui a íntegra do artigo…

7

Juízes não são semideuses…

Reação estridente de magistrados e membros do Ministério Público à tentativa de barrar o autoritarismo na categoria só mostra exatamente o autoritarismo com que essa classe de pessoas se vê em relação aos demais cidadãos

 

golpesJuízes e promotores são iguais a todo mundo.

Juízes e promotores também são cidadãos.

 Eles também bebem, também fumam; comem demais, vão ao banheiro, se irritam, sentem ódio e cometem erros, como qualquer outro cidadão.

Juízes e promotores também erram, portanto.

E erram muito.

Às vezes erram porque bebem.

Em outros casos, erram porque oram; erram também  porque cobiçam.

E erram porque erram, simplesmente. 

Porque juízes e promotores não podem ser punidos quando erram, como qualquer cidadão?!?

4

Pegou mal…

As cadeiras vazias de Bira do Pindaré e Edivaldo Jr.

As cadeiras vazias de Bira do Pindaré e Edivaldo Jr.

Pegou muito mal para o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), e para o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) – ambos pré-candidatos dos seus respectivos partidos na corrida eleitoral da capital – a ausência de ambos à sabatina organizada pelo Partido Verde com todos os pré-candidatos a prefeito da cidade.

O evento ocorreu ontem, no auditório Neiva Moreira, do Complexo de Comunicação da Assembleia Legislativa do Maranhão.

Participaram os pré-candidatos Fábio Câmara (PMDB), Wellington do Curso (PP), Rose Sales (PMB), Eliziane Gama (PPS), Eduardo Braide (PMN) e João Bentivi (PHS). Zeluís Lago (PPL) não compareceu, mas justificou. Quem simplesmente decidiu não aparecer foram os dois mais ligados ao Palácio dos Leões.

Pior para eles, que, além de perder a oportunidade de participar do mais amplo debate pré-eleitoral da capital neste ano, ainda ficaram com a imagem arranhada perante a opinião pública.

Principalmente nas redes sociais, Edivaldo e Bira foram alvo de um saraivada de críticas pela postura considerada covarde, embora aliados tenham tentado minimizar a questão, citando suposta “arapuca” armada para os aliados do governador Flávio Dino (PCdoB).

Não colou.

As perguntas da sabatina foram todas encaminhadas aos convidados dois dias antes. E o mediador foi o presidente municipal do PV em São Luís, deputado Adriano Sarney, que não será candidato a nada e que ainda não definiu, junto com o partido, que rumo tomará nestas eleições.

Mas já pode ter definido qual não tomar…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, com ilustração do blog
6

Injusta desqualificação de Thaynara OG…

Ao se transformar em fenômeno da Internet – missão sonhada por 10 entre 10 profissionais de todas as áreas – advogada maranhense desperta antipatia de vários segmentos, sobretudo pela participação em eventos de toda espécie

 

Taynara acendendo a pira olímpica: cena incomodou atletas, jornalistas e ressentidos de toda sorte...

Thaynara com a tocha olímpica, em ato que incomodou atletas, jornalistas e ressentidos de toda sorte…

 

Bastou que ela aparecesse nos eventos relacionados à passagem da tocha olímpica por São Luís  para que a advogada maranhense Thaynara Gomes, ou Taynara OG – fenômeno da internet brasileira – passasse a ser criticada duramente por atletas, jornalistas e ressentidos de toda sorte.

Mas as críticas são injustas quando tentam desqualificar a atividade da snaper.

Ao contrário do que se leu e ouviu nos últimos dias, não é para qualquer pessoa alcançar 3 milhões de seguidores em redes sociais, como Thaynara consegue.

E isso é o sonho de dez entre dez frequentadores de internet – inclusive atletas, jornalistas e ressentidos de toda sorte.

E ainda ganhar dinheiro com isso não é mesmo para qualquer um.

A maranhense conseguiu um feito que poucos conseguem: levar o nome, a cultura, os trejeitos e o linguajar maranhenses, de forma espontânea aos quatro continentes.

No mundo da pop-art potencializado pela internet é assim que funciona.

E foi essa força popular que fez Thaynara OG entrar no seleto grupo de pessoas responsáveis por carregar a tocha olímpica – que não teve só ela, mas outras 139 pessoas, entre atletas, muitos atletas, jornalistas e até ressentidos de toda sorte.

Lamentar por não ter essa oportunidade, como fez o intelectual Joaquim Haickel em artigo em seu blog, é digno e honrado.

Desqualificar alguém por ter conseguido o que muitos querem é de uma mesquinharia sem tamanho.

Simples assim…

0

Portela reage à crítica de Ricardo Murad: “é um chefe de quadrilha”, acusa…

Secretário de Segurança mostrou-se indignado com a qualificação de “incompetente” feita pelo ex-deputado e reagiu com a acusação de “bandido investigado pela Polícia Federal”

 

Portela entre agentes das forças de Segurança: "operacional de carreira", declara-se

Portela entre agentes das forças de Segurança: “operacional de carreira”, declara-se

 

O secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, acusou o golpe das declarações do ex-deputado Ricardo Murad (PMDB); e reagiu com dureza.

– Ricardo Murad é um bandido, chefe de quadrilha, já investigado pela Política Federal – acusou o secretário, chamado de incompetente pelo peemedebista.

– Ele me desqualifica de incompetente e ainda tem espaço na mídia? Sou um profissional de carreira, preparado para a ação – declarou o delegado

Em seu perfil no Facebook, Ricardo Murad declarou que Portela só foi nomeado para a SSP por ter estudado com o governador Flávio Dino e ser filiado ao PCdoB, partido chefiado pelo secretário Márcio Jerry. (Releia aqui)

A desqualificação incomodou o secretário, que reagiu com dureza.

Murilo Andrade, titular da Sejap: estranhas ações por onde passou

Murilo Andrade, titular da Sejap: estranhas ações por onde passou

Acordo com bandido

Em conversa telefônica com o titular do blog, Jefferson Portela negou que tenha feito acordo com o criminosos chamado Sadrak.

– Algum canalha disse isso a você. E quem disse é um canalha – atacou.

Ao ser informado de que o diálogo com os líderes do Bonde dos 40 pode estar sendo aberto pela Secretaria de Justiça, chefiada por Murilo Andrade – que responde a denúncias de relação com criminosos, em sua passagem por Minas Gerais e outros estados (Saiba mais aqui e também aqui) – Portela foi claro:

– Ele que responda por isso. Na minha pasta garanto: não há acordo com bandidos.

O secretário de Segurança revelou ainda que a Justiça já concedeu prisão preventiva de Sadrak, por causa das ações contra os ônibus.

Mas esta é uma outra história…

1

“Fiz o alerta há um ano”, afirma Fábio Câmara sobre risco de caos na saúde…

Fábio Câmara tem alertado há um ano sobre o caos na Saúde visto agora

Fábio Câmara tem alertado há um ano sobre o caos na Saúde visto agora

O líder do PMDB na Câmara Municipal de São Luís, vereador Fábio Câmara, lembrou em comentário nas redes sociais na manhã desta quinta-feira, 28, que ainda em 2015, já alertava sobre o risco de caos no setor de Saúde no Maranhão e em São Luís.

O parlamentar lembrou que a prova do alerta foi feita ontem pelo próprio Facebook, que relembrou em perfis de alguns seguidores que compartilharam a sua publicação, a postagem antiga publicada em sua FanPage na mesma data, só que no ano anterior.

– Dessa forma, os usuários tiveram como constatar que apesar do alerta, nada foi feito para evitar o caos no setor – declarou Câmara em mensagem nas redes sociais.

Veja abaixo a lembrança o que Câmara escreveu há um ano:

saude