1

Grupos de Policiais Militares repudiaram as afirmações de Jefferson Portela

Do blog de Caio Hostílio

Os grupos enviaram ao blog o que se segue:

“O caos se instalou na segurança pública do MA.

E o incompetente do Jefferson ainda foi hoje ao programa do Roberto Fernandes pra falar mais asneiras ainda… perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado.

Mas sabemos que ele só tá servindo de marionete nas mãos de Marcio Jerry.

E pessoas inocentes estão pagando o preço dessa irresponsabilidade, muitas vezes com o sacrifício da própria vida.

A irresponsabilidade de Jefferson Portela chega ao ponto de ele falar que não está nem aí para os assaltos aos bancos.

Como pode um secretário afirmar uma asneira desse tamanho.”

4

Para Ricardo, educação é mais um fracasso do governo Dino…

Ex-secretário exibe em seu perfil no Facebook relatório das eleições para gestores escolares no município que demonstra a falta de cuidado do governador e dos seus auxiliares

Em publicação nas redes sociais, o ex-deputado Ricardo Murad criticou a eleição para gestores escolares e citou o exemplo do pleito em Coroatá.

Ele publicou um relatório das eleições no município que revela um verdadeiro fracasso. Para Ricardo, o processo, que não deve ter sido diferente em outras regiões do estado, não teve o cuidado devido.

muradContra fatos não há argumentos: percebe-se que não houve candidatos em grande número de escolas, nas que tiveram, apenas um candidato concorre, que na maioria os candidatos não obtiveram a nota mínima exigida, que em muitas escolas não houve quorum para a eleição, além da falta de interesse demonstrada pela categoria em participar por falta de estrutura nas escolas, pessoal, condições de trabalho e a impossibilidade de desenvolver um projeto pedagógico que tivesse resultados práticos”, escreveu em sua página.

Abaixo, o quadro com a eleição publicado por Murad:

quadro

3

Jornal do Brasil desmoraliza “The Economist”…

Publicação carioca revela, em editorial, que jornal inglês – especialista em negociar reportagens mundo a fora, inclusive no Maranhão – busca notícias em outro país porque não pode falar da própria Inglaterra, que, segundo o artigo, vende cidadania a qualquer marginal. Leia a íntegra abaixo:

 

“‘The Economist’ – o melhor título que um jornal copista poderia ter: O Economista.

Especialistas em copismo na imprensa analisaram a reportagem publicada por The Economist no dia 2 de janeiro, e destacaram que, ao colocar o Brasil em sua capa, vê-se claramente que esse jornal dá a importância que nós merecemos.

Afinal, é mais fácil falar do Brasil do que falar sobre quem matou Lady Di, ou falar por que o Palácio de Buckingham está com goteiras. É mais fácil falar do Brasil do que falar de um país que vende sua cidadania por 2 milhões de libras. País que vende sua cidadania é um país que deveria se envergonhar, não do mundo, mas dos seus cidadãos.

Um cidadão que nasce, trabalha, dá o seu suor, presta serviço militar, e tem gerações que sofreram com guerras possui, em sua pátria, o mesmo direito de estrangeiros que, com quantias miseráveis do butim de seus pais – muitas vezes ditadores assassinos ou empreiteiros que quebraram a nação – pagam pela cidadania. Aliás, pagam para ter a mesma cidadania do país que tem uma revista como esta, que se dá ao luxo de, sem olhar no espelho, agredir e fomentar a desestabilização social de países que não vendem cidadanias, nem permitem que marginais de outros países vivam aqui.

Quando um marginal estrangeiro viveu aqui, como foi o caso de Ronald Biggs, só não foi repatriado por falta de documentos internacionais. Vivia fiscalizado pela lei e pela polícia, mas não comprou a cidadania brasileira com o produto do roubo do trem pagador.”

8

Não adianta tentar se explicar…

Pedro Lucas Fernandes e Roberto Rocha Júnior tentam, sem sucesso, convencer a população de que agiram certo ao votar contra a obrigatoriedade de dotar 50% da frota de ônibus com ar-condicionado

 

Pedro Lucas foi o primeiro a usar o argumento do aumento de custos: sem fundamentação

Pedro Lucas foi o primeiro a usar o argumento do aumento de custos: sem fundamentação

Os vereadores Pedro Lucas Fernandes (PTB) e Roberto Rocha Júnior (PSB) parecem ter acusado o golpe da repercussão negativa de suas próprias ações.

Os dois votaram contra uma emenda do colega Honorato Fernandes (PT) ao projeto de Licitação do Transporte, que obrigada as empresa a dotar, pelo menos 50% da frota, com ar-condicionado.

Fernandes tem insistido na tecla de que votou contra por que teme que as empresas queiram aumentar passagem por causa do equipamento.

Não convenceu.

Rocha Júnior copiou a justificativa do colega sem pesquisar antes

Rocha Júnior copiou a justificativa do colega sem pesquisar antes

Uma semana depois do episódio, Rocha Júnior também usou o mesmo argumento da ameaça de aumento da passagem.

Nenhum dos dois vereadores apresentaram qualquer dado técnico que sustentasse suas justificativas.

Até por que, veículos dotados deste equipamento até recebem incentivos para a compra. E muitas fábricas já dispõem de modelos com este item de série.

Se o argumento fosse o do aumento no consumo de combustível, outra balela.

Estudos técnicos mostram que um veículo com as janelas abertas gasta mais combustível do que o mesmo veículo com o ar-condicionado ligado, já que a entrada de vento pelas janelas força o motor, por causa da resistência do ar. (Leia aqui)

As desculpas dos dois vereadores, portanto, não parecem lógicas.

E eles vão ter que se virar para convencer o eleitor…

4

Hildo Rocha classifica de “teatro” operação da PF contra Ricardo Murad…

Apesar de reconhecer o “brilhante trabalho” de setores da Polícia Federal, deputado maranhense criticou “espetacularização” das ações

 

O deputado federal Hildo Rocha subiu a tribuna da Câmara Federal, esta semana, para denunciar o que chamou de teatro de delegados da Polícia Federal.

– O que fizeram com o ex-secretário Ricardo Murad foi um absurdo. Apenas para aquele prestasse depoimento, foram colocados vários carros na porta de sua residência, como se ele tivesse sendo preso. E o juiz não autorizou prisão, nada disso – afirmou Hildo.

Hildo reconheceu o trabalho de Ricardo Murad à frente da SES e lembrou também que ele foi um “brilhante deputado federal”. Para o parlamentar maranhense, o que algum delegados da PF fazem é um verdadeiro teatro. Veja o vídeo com o discurso:

0

Aluisio Mendes critica deficiência da Segurança Pública no país…

Aluísio, na tribuna da Câmara Federal

Aluísio, na tribuna da Câmara Federal

A deficiência das ações do governo federal relativas à segurança pública no País foram criticadas pelo deputado federal Aluisio Mendes, durante audiência pública sobre a fiscalização nas fronteiras brasileiras, realizada nesta quarta-feira (4) pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

O parlamentar criticou a ausência do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, convidado a participar de várias audiências da Câmara para prestar esclarecimentos sobre o tema.

– É importante que o ministro da Justiça venha a esta Casa responder às questões sobre segurança pública, para que possamos discuti-la com mais profundidade – disse.

Na reunião, também destacou a deficiência dos efetivos da Polícia Federal nas regiões fronteiriças, apesar da quantidade de candidatos aprovados em concursos de cadastro reserva aguardando nomeação.

– Temos vários candidatos que já passaram por um processo seletivo, já estão prontos para nomeação e não foram chamados. No momento gravíssimo que o País passa com relação à segurança pública, precisamos cobrar do governo brasileiro uma resposta a isso – comentou.

0

Para advogado, aumentar imposto é a principal “mudança” de Flávio Dino…

Em irônico texto publicado em seu perfil no Facebook, o advogado Marcos Lobo diz serem injustas as críticas ao governador, pelo aumento do ICMs, uma vez que o seu próprio programa de governo é baseado na palavra “Mais”. Veja abaixo:

lobo

2

Lições de guerra…

O governador Flávio Dino tem sido alertado pelos seus aliados mais experientes – e que se sentem co-partícipes do seu poder – com o seguinte conselho: sua superexposição nas redes sociais e na internet tem ajudado a gerar o desgaste acentuado para um governo que mal iniciou sua gestão.

Ontem, em Imperatriz, por exemplo, ele, mais uma vez, foi alertado pelas lideranças do PSDB sobre esta superexposição.

“General não desce a trincheira”, é a expressão usada por gente como o deputado José Reinaldo Tavares e o senador Roberto Rocha (ambos do PSB), pelo vice-governador Carlos Brandão (PSDB), pelo presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho (PDT), e pelo prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), para citar apenas os aliados mais experientes do governador, ou o que seria seu “Estado Maior”, o conselho que reúne os generais em uma batalha.

dinoMas os conselhos dos líderes dinistas dificilmente serão absorvidos pelo governador. Primeiro, porque Dino é daqueles difíceis de ouvir conselhos. Ele entende que alguém deve apenas seguir o que ele pensa – ou assumir as consequências de pensar diferente. Segundo que, com seu espírito guerrilheiro de militante estudantil, ele não consegue deixar os campos de batalha, onde acha que precisa guerrear 24 horas por dia

A expressão, muito usada por estrategistas de guerra, quer dizer que um comandante, um general, um líder, não pode se desgastar em um front de batalha, porque, abatido ou ferido, praticamente decretará o caos na tropa, que se dispersará diante do inimigo.

Mas os conselhos dos líderes dinistas dificilmente serão absorvidos pelo governador. Primeiro, porque Dino é daqueles difíceis de ouvir conselhos. Ele entende que alguém deve apenas seguir o que ele pensa – ou assumir as consequências de pensar diferente. Segundo que, com seu espírito guerrilheiro de militante estudantil, ele não consegue deixar os campos de batalha, onde acha que precisa guerrear 24 horas por dia.

Mas o resultado é que, sem dar ouvidos ao seu “Estado Maior”, e com uma tropa de suboficiais inexperientes e soldados kamikazes dispostos a tudo, o governador vai se envolvendo cada vez mais na batalha, seguindo em ordem unida rumo às trincheiras adversárias, totalmente desguarnecido.

E o resultado desta indisciplina é, quase sempre, um general abatido, enfraquecido em seu intento de marchar rumo à vitória.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão – com ilustração do blog
1

“Flávio Dino é um carrasco”, diz Andrea Murad…

Deputada critica governador por cortar salários dos servidores enquanto gasta mais de R$ 50 milhões em publicidade

 

andreaO Governador corta o salário do servidor, corta repasse de R$ 100 mil para os hospitais, mas faz contratos milionários para o uso de aviões, que ele dizia tanto não fazer questão. Ele está torrando rios e rios de dinheiro para reeeleger um prefeito que São Luís está louca para expulsar. Nem piedade do povo ele tem. Também compara o Maranhão ao Rio Grande do Sul e parece desconhecer a história sobre quem causou a crise naquele estado. Ele alega que aqui não tem dinheiro, mas vai gastar R$ 56 milhões para divulgar o governo dele. E divulgar não sei o quê! Isso que ele está fazendo com os servidores do Judiciário não tem razão de ser. É um carrasco. Ele que economize na publicidade, no uso de aviões, nos cargos de confiança que ele passou a dar salários milionários,  mas não tire do bolso do trabalhador, não corte salários de pessoas honestas, trabalhadoras e íntegras como ele está fazendo”, disse Andrea Murad.

Veja vídeo:

3

Hildo Rocha critica omissão de Flávio Dino sobre refinaria….

Hildo: duras críticas à omissão de Dino sobre o Maranhão

Hildo: duras críticas à omissão de Dino sobre o Maranhão

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) criticou a omissão do governador Flávio Dino (PCdoB) em relação à refinaria Premium I, de Bacabeira, durante a passagem da presidente Dilma Rousseff (PT) por São Luís, na última segunda-feira.

– O governador Flávio Dino esqueceu de fazer uma cobrança à presidente Dilma, que é sobre a refinaria da Petrobras na cidade de Bacabeira – declarou Rocha, na tribuna da Câmara.

O deputado maranhense lembrou que a promessa de construção da refinaria foi feita pela própria Dilma, durante a campanha de 2010. Hoje, o projeto está abandonado, gerando prejuízos de R$ 2 bilhões à Petrobras, e prejuízos financeiros, ambientais e  sociais ao Maranhão e ao município de Bacabeira.

Mesmo assim, o governador preferiu agir apenas como militante comunista, criticando adversários de Dilma e conduzindo claques “anti-golpe”, com gestos de líder estudantil. (Releia aqui)

O Dino militante esqueceu o estado

Leia também:

Atitude estudantil de Flávio Dino repercute na Câmara Federal…

Discurso de Dino é reprovado nacionalmente…

 

A única cobrança a Dilma foi feita pelo também deputado federal Pedro Fernandes (PTB).

Ele aproveitou uma das solenidades meteóricas e entregou pessoalmente um Ofício à presidente, em que cobra a continuidade das obras de construção da BR-135. (Leia aqui)

Flávio Dino – embasbacado por tentar fazer agora o que não fez por Dilma em campanha – preferiu ser apenas militante, esquecendo de brigar pelos interesses do Maranhão.

Por isso a crítica generalizada à sua postura…