4

“DEM é 100% impeachment”, diz Juscelino Filho…

Presidente regional da legenda, deputado maranhense segue posicionamento da bancada na Câmara, fechada pelo afastamento da presidente Dilma Rousseff

Juscelino com os líderes do DEM: 100% fechado pelo impeachment

Juscelino com os líderes do DEM: 100% fechado pelo impeachment

A bancada do Partido Democratas se posicionou ontem sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Com o slogan “DEM: 100% impeachment”, a bancada no Congresso garantiu sua adesão total ao impedimento da presidente da República.

“Sou favorável à admissibilidade do impedimento da presidente Dilma. Estamos em sintonia com o pensamento da maioria que foi às ruas e dos 68% dos favoráveis, de acordo com a Pesquisa Datafolha, de 19/03/2016, que atestam o desejo de superar a delicada situação política do país. Os 28 deputados federais e os 4 senadores do DEM apoiam e estão engajados nesta causa”, afirmou o deputado maranhense Juscelino Filho.

Juscelino Filho é presidente do partido no Maranhão…

10

Já está na hora de prender Lula, seu Moro…

O raciocínio é simples: se o juiz da Lava Jato diz que o ex-presidente deveria ser preso se tentasse obstruir as investigações, e o ministro Gilmar Mendes deixou claro em sua decisão que a posse dada pela presidente Dilma teria este propósito, não faz mais sentido que ele permaneça solto; a menos que a jogada jurídica tenha apenas o objetivo de desmoralizar o petista midiaticamente

 

Agora é hora de tomar a decisão, juiz Moro: contra Lula e contra Dilma...

Agora é hora de tomar a decisão, juiz Moro: contra Lula e contra Dilma…

Se o juiz Sérgio Moro tem tanta convicção de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem envolvimento nos crimes da Lava Jato – e o ministro do STF, Gilmar Mendes, deixa claro que ele tentou atrapalhar as investigações – já não há saída para o petista.

Prenda Lula agora, juiz Moro.

Não há outra decisão a ser tomada pelo juiz da lava Jato, que ficou famoso por ações contra o PT – contra o PT.

Se a nomeação de Lula para a Casa Civil tinha o objetivo de obstruir a Justiça – como afirmou um ministro do STF, seja ele quem for – então Lula tem que ser preso.

E até a presidente Dilma tem que ser responsabilizada pelo ato, um crime de responsabilidade.

Então, o que espera o juiz?!?

3

Nove maranhenses vão atuar no impeachment…

Três representantes da bancada serão titulares da comissão instalada na Câmara Federal; outros seis parlamentares serão suplentes

 

João Marcelo, Junior Marreca e Weverton Rocha atuarão no impeachment

João Marcelo, Junior Marreca e Weverton Rocha atuarão no impeachment

O deputados maranhenses Weverton Rocha (PDT), João Marcelo Sousa (PMDB0 e Júnior Marreca (PEN) vão atuar diretamente na comissão processante que vai analisar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Eles foram indicados pelas lideranças dos seus partidos.

Outros cinco parlamentares – Hildo Rocha (PMDB), Pedro Fernandes (PTB), Cléber Verde (PRB), André Fufuca (PP), Aluisio Mendes (PTN) e Alberto Filho (PMDB) serão suplentes na comissão.

Ao todo, 65 deputados atuarão na análise do pedido de impeachment.

6

Flávio Dino reúne-se com Lula e Dilma contra “risco de ruptura da democracia”…

Governador do Maranhão viaja a Brasília para conversar com os dois petistas e  discutir soluções para o que chama de “grave crise institucional”

 

Dino é o contraponto ás decisões judiciais contra Dilma

Dino é o contraponto ás decisões judiciais contra Dilma

exclusivoO governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) estará ainda hoje em Brasília, onde deve se reunir com a presidente Dilma Rousseff e com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (ambos do PT).

O governador vai discutir saídas para o que chama de “crise institucional” pela qual o Brasil passa.

– O país vive uma crise institucional, pela qual corremos o risco de uma ruptura da democracia. Por conta disso estou indo a Brasília para uma reunião – disse Flávio Dino, agora há pouco, ao deixar o Palácio dos Leões.

Ex-juiz federal, o comunista tem sido o principal contraponto ao posicionamento das instâncias judiciais durante a crise política que aumentou nos últimos dias.

Dino deve chegar á noite em Brasília…

1

Para Sarney, governo Dilma já acabou…

Ex-presidente comparou a situação à mesma que viveram Café Filho, Getúlio Vargas e Fernando Collor, nos três momentos históricos de profunda crise pela perda de legitimidade de governos no Brasil

 

Sarney discursa em reunião com líderes do PMDB: partido com voz forte...

Sarney discursa em reunião com líderes do PMDB: partido com voz forte…

O ex-presidente José Sarney foi direto e objetivo em encontro com senadores do PMDB, na última quarta-feira, 9, e sentenciou o governo Dilma Rousseff (PT), segundo Jornal do Brasil.

– Acabou (o governo). É como Café Filho, Getúlio e Collor” – disse Sarney, numa breve frase, sinalizando para os próximos movimentos que o maior partido da base aliada poderá fazer em relação ao Palácio do Planalto.

Leia mais:

O período Café Filho na presidência…

A era Vargas…

O impeachment de Collor…

O ex-presidente não foi o único a decretar o fim do governo do PT.

Para o senador Romero Jucá, a destituição de Dilma é questão de tempo.

– Já caiu. É esperar apenas mais quatro meses até o impeachment – declarou Jucá.

Líderes do PMDB já conversam abertamente com as lideranças do PSDB para o que chamam de momento pós-impeachment.

Mas esta é uma outra história…

3

Deputado Weverton participa de reunião de líderes da base governista na Câmara…

Parlamentar maranhense esteve também na sessão solene do Congresso Nacional, que contou com a presença da presidente Dilma Rousseff

 

Weverton na reunião do colégio de líderes

Weverton na reunião do colégio de líderes

O Congresso Nacional retomou as atividades nesta terça-feira, 2. Antes da sessão solene que marcou, oficialmente, o início do ano legislativo, líderes da base governista se reuniram, no Planalto, para tratar da pauta.

No encontro, que contou com a participação dos ministros Nelson Barbosa (Fazenda), Jaques Wagner (Casa Civil) e Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo), foram discutidas a aprovação das matérias do ajuste fiscal, como a recriação da CPMF e, ainda, a chamada DRU (Desvinculação de Receitas da União), mecanismo que permite à União mexer livremente em percentual das receitas que são vinculadas.

...Com as autoridades, aguardando a presidente Dilma...

…Com as autoridades, aguardando a presidente Dilma…

Na ocasião, o deputado Weverton defendeu a importância de esgotar a pauta de 2015, para então seguir com temas importantes para o desenvolvimento do país.

“Temos que nos concentrar na pauta remanescente de 2015, enfrentar a questão do impeachment, da saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e das medidas já anunciadas pelo governo no ano anterior, para, a partir daí, tratarmos de questões, como reforma previdenciária ou reforma fiscal. Precisamos esgotar as questões antes de enfrentar temas complicados como estes”, disse  o líder pedetista.

Sessão solene de abertura do ano legislativo

Durante à tarde, o deputado Weverton Rocha participou da sessão solene de abertura do ano legislativo, que contou com a presença da presidente Dilma Rousseff.

Em seu discurso, a presidente Dilma destacou a necessidade de uma reforma tributária, como o retorno temporário da CPMF, para o financiamento da previdência e da saúde, o combate ao mosquito Aedes aegypti, além das Olimpíadas 2016 e de programas sociais, como a terceira fase do “Minha Casa, Minha Vida”.

...E na fila de cumprimentos

…E na fila de cumprimentos

A petista pediu o apoio da sociedade e do Congresso para construir consenso em torno das propostas tributárias.

“Conto com o Congresso Nacional para podermos, em parceria, estabelecer novas bases para o desenvolvimento do país, sem retroceder nas conquistas”, disse a presidente.

O deputado Weverton reforçou a necessidade da aprovação de medidas para o reerguimento do Brasil.

“A expectativa, é que neste ano haja esforços redobrados para recuperar a economia do país”, disse.

4

Deputado do PT rechaça proposta de Dino sobre aproximação com PSDB…

“É politicamente impossível uma aproximação entre os dois partidos nos próximos 1o anos”, afirma Zé Inácio

 

Zé Inácio com Flávio Dino e Edivaldo; mas PSDB não dá pra ele...

Zé Inácio com Flávio Dino e Edivaldo; mas PSDB não dá pra ele…

Se depender do PT do Maranhão, o governador Flávio Dino (PCdoB) vai ficar falando sozinho em sua cruzada para unir petistas e tucanos no mesmo projeto. (Entenda aqui)

– Flávio Dino está com a síndrome de Zé Reinaldo. Ou os dois estão certos ou um está mais equivocado que o outro – afirmou o deputado estadual Zé Inácio (PT), lembrando a proposta do ex-governador para um “pacto pelo Maranhão”, ignorada pelo mesmo Dino que agora defende pacto entre PT e PSDB pelo Brasil. (Relembre aqui)

Para Zé Inácio, a política em 2018 e 2022 continuará a ser polarizada por PT e PSDB.

– Os dois partidos representam ideais e projetos de nação antagônicos. É politicamente impossível uma aproximação entre PT e PSDB nos próximos 10 anos – ponderou o parlamentar.

Com a palavra, os líderes do PSDB maranhense…

1

Dilma fecha 2015 fortalecida contra o impeachment, diz BBC…

Reportagem da emissora britânica, baseada na opinião de analistas aponta que vitória no STF, enfraquecimento de Eduardo Cunha e isolamento de Michel Temer foram pontos favoráveis à presidente; mas diz que economia pode manter governo fraco em 2016

 

Biquinho do amor: com a ajuda de aliados, Dilma conseguiu isolar Temer no PMDB

Biquinho do amor: com a ajuda de aliados, Dilma conseguiu isolar Temer no PMDB

Reportagem da emissora britânica BBC avaliou neste feriadão que a presidente Dilma Rousseff (PT) vai fechar 2015 vitoriosa em sua batalha contra o impeachment.

Na avaliação da reportagem, que ouviu analsitas políticos de Brasília, a vitória do STF foi fundamental para o fortalecimento da petista.

A BBC aponta três fatores principais para o fortalecimento de Dila:

1 – as regras para o impeachment estabelecidas pelo STF, que acabou por fortalecer o Senado, mas próximo da presidente do que a Câmara;

2 – o enfraquecimento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que pode vir a ser cassado antes mesmo do impeachment começar a tramitar, e;

3 – a falta de consenso em torno do vice-presidente Michel Temer, que está cada vez mais isolado no PMDB e hoje é visto como conspirador contra o mandato de Dilma

A matéria da BBC aponta, no entanto, que Dilma ainda poderá ter dores de cabeça em 2016, sobretudo por causa da crise  econômica e da operação Lava Jato, o que pode manter o governo enfraquecido.

Leia a íntegra da reportagem da BBC…

5

Com novas regras, STF sepultou impeachment contra Dilma…

Presidente praticamente assegurou vitória no processo ao garantir que o Senado tenha poderes para barrar a investigação iniciada na Câmara

 

Além de garantir apoio de Renan, Dilma conseguiu isolar Michel Temer no PMDB

Além de garantir apoio de Renan, Dilma conseguiu isolar Michel Temer no PMDB

O processo de impeachment da presidente Dilma Roussef (PT) morreu no nascedouro com a votação do Supremo Tribunal Federal, nesta quinta-feira, 17.

Coma s regras estabelecidas pelos ministros, ainda que a Câmara retome o processo, refazendo todo o rito iniciado em 8 de dezembro, Dilma ganhou um trunfo a mais do STF: a garantia de o Senado barrar a investigação aberta na Câmara.

A petista tem hoje no presidente do Senado, Renan Calheiros, seu principal aliado no PMDB.

E Calheiros assumiu publicamente a guerra contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e contra o vice-presidente Michel Temer.

Resta saber que preço Dilma pagará por este apoio…