0

Sprint final definirá adversário de Braide no segundo turno…

Pesquisa divulgada nesta quinta-feira pelo jornal O EstadoMaranhão mostra que a disputa entre Duarte Júnior e  Neto Evangelista segue acirrada; e a decisão se dará pelo volume de campanha e estrutura de cada candidato

 

A briga entre Duarte Júnior e Neto Evangelista está cada vez mais acirrada; e cada um depende de uma arrancada final para se consolidar em segundo turno

O Instituto Escutec praticamente selou nesta quinta-feira, 29, a certeza de que haver´pa segundo turno em São Luís, entre o favorito Eduardo Braide (Podemos) e um dos adversários da base do governo Flávio Dino (PCdoB).

Só não há como ter certeza de quem será esse adversa´rio de Braide.

De acordo com a pesquisa, o candidato do Podemos tem 40% das intenções de voto; Duarte Júnior aparece com 19% e Neto Evangelista com 15%. Com a margem de erro de três pontos, afirma-se que Duarte e Neto estão tecnicamente empatados.

O que definirá o adversário de Braide é o poder que cada candidato tem para o sprint final – aquela arrancada que o atleta dá no fim das corridas.

Embora ainda distante do pelotão da frente, o candidato comunista Rubens Pereira Júnior (pCdoB) demonstra fôlego para esta arrancada.

Pesquisa confirma blog Marco Aurélio D’Eça

Quem lê este blog sabe que, ainda em setembro, foi estabelecido aqui que Duarte e Neto polarizariam a disputa em São Luís, com poder de achatar os índices, tanto de Braide quanto o dos adversários de baixo.

O blog Marco Aurélio D’Eça disse, inclusive, que os dois iriam brigar cabeça-a-cabeça no patamar entre 15% e 20%, o que consolidaria o segundo turno.

Todas as pesquisas confirmam exatamente este prognóstico do blog.

O candidato que for para o segundo turno em segundo lugar ficará na casa dos 20% de votos, mas o terceiro brigará até o último voto.

E será essa a disputa principal do primeiro turno, que poderá influenciar diretamente no segundo turno.

É aguardar e conferir…

1

Candidatos mostram desconhecimento de soluções para o transporte…

Principal problema do eleitor em São Luís, a mobilidade urbana tem sido tratada de forma genérica e padronizada pelos principais postulantes à Prefeitura de São Luís, que demonstram pouco conhecimento do assunto

 

Duarte quer transformar os terminais de integração – estruturas caras e ultrapassadas – em espécies de shoppings de serviços, o que pode encarecer ainda mais o sistema, que carece de agilidade

Um dos problemas crônicos de São Luís, a mobilidade urbana, tem sido ignorada pelos principais candidatos a prefeito da capital maranhense.

E os que arriscam a falar do tema o fazem de forma genérica, demonstrando falta de conhecimento sobre o assunto.

O que dizer da proposta de Duarte Júnior (Republicanos), de transformar os terminais de integração em espécie de shoppings de serviços?

Os terminais são estruturas ultrapassadas, já desmobilizadas nas principais capitais do muindo, que apostam agora em serviços que garantam maior agilidade, como o Bilhete Único e novas plataformas de transporte.

Transformá-los em shoppings é encarecer ainda mais o setor.

Usado como exemplo por Eduardo Braide, o transporte em Teresina é um dos pontos críticos da gestão do prefeito Firmino Filho

Eduardo Braide (Podemos), por sua vez, apresentou a gestão da cidade de Teresina (PI) como exemplo do que pretende fazer no setor de transporte na capital maranhense.

O deputado certamente não tem a informação de que a principal crítica da população da capital piauiense à gestão do prefeito se dá no setor de transporte urbano, considerado ruim.

Estrangulada há décadas, a mobilidade urbana na capital vem recebendo medidas paliativas ao longo do tempo.

A maior “inovação” em 25 anos – desde a instalação do primeiro terminal, em 1995 – foi a licitação na gestão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Mas nem isso resolveu os principais problemas de mobilidade, que requer novos corredores de transportes, novas modalidades e maiores investimentos em infraestrutura.

Mas esse debate os candidatos preferem fazer de conta que não existe…