0

Luciano Genésio adquire moveis para escolas de Pinheiro…

Operários descarregam caminhões de m´veis escolares em Pinheiro

Educação para todos, é assim que o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, vem transformando a educação municipal.São inúmeros investimento que o gestor já fez, e está fazendo, para melhorar a educação dos alunos da rede pública municipal.

Escola reformadas e equipadas, ônibus novos e merenda de qualidade, esses são alguns investimentos que o prefeito vem fazendo na cidade. Agora a prefeitura adquiriu mais de 650 mobiliários que serão implantados nas escolas municipais. São cadeiras e mesas, tanto para alunos, quanto para professores.

– São 656 mobiliário para aluno (mesa e cadeira) de tamanho 5

– 26 mobiliário para professor (mesa e cadeira)

“Investir em educação é investir no futuro das nossas crianças, vou melhorar e fazer com que Pinheiro tenha a melhor educação da Baixada Maranhense”, afirmou o prefeito Luciano.

0

Ampliação de idade para educação gratuita obrigatória é aprovada com parecer de Juscelino Filho

A Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) da Câmara dos Deputados aprovou o parecer do deputado Juscelino Filho (DEM-MA) que obriga o Estado a oferecer educação obrigatória e gratuita dos 4 aos 17 anos de idade.

O Projeto de Lei 8291/2014, altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90) em consonância com a Emenda Constitucional 59/09, que ampliou a faixa etária da educação básica gratuita e obrigatória e aumentou os programas suplementares de material didático-escolar, transporte, alimentação e assistência à saúde, que passaram a cobrir todas as etapas da educação básica.

A redação atual do ECA diz que é dever do Estado assegurar à criança e ao adolescente: ensino fundamental (6 a 14 anos), obrigatório e gratuito; progressiva extensão da obrigatoriedade e gratuidade ao ensino médio; e atendimento em creche e pré-escola às crianças de zero a 6 anos de idade, sem deixar claro que esse atendimento será gratuito.

A proposta aprovada também determina que a educação infantil será gratuita às crianças de até 5 anos de idade; e prevê o atendimento ao educando, em todas as etapas da educação básica, por meio de programas suplementares de material didático-escolar, transporte, alimentação e assistência à saúde. As autoras são a ex-deputada Iara Bernardi e a deputada Margarida Salomão (PT-MG).

O relator, deputado Juscelino, defendeu a aprovação da proposta com a alteração aprovada na Comissão de Educação, que repete norma já prevista na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) sobre o recenseamento dos dados sobre crianças e adolescentes em idade escolar. A emenda diz que competirá ao poder público recensear anualmente as crianças e adolescentes em idade escolar, chamar esse público e zelar, junto aos pais ou responsáveis, pela frequência à escola.

O projeto original determina que caiba, ao poder público, recensear os educandos da educação básica. Juscelino Filho avalia que é necessária a atualização do ECA de acordo com a redação da emenda constitucional 59, para que não reste dúvida sobre os direitos.

“Todas as formas de se garantir melhores meios de educação aos integrantes da família, especialmente aos menores de 17 anos, devem ser garantidas”, afirmou.

A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC). A deliberação foi na reunião de quarta-feira (28).

0

Luciano Genésio entrega mais um ônibus escolar em Pinheiro…

O prefeito Luciano Genésio realizou a entrega de mais um ônibus para compor a frota escolar.

O novo transporte é maior do que o comum, próprio para zona rural e assim como o restante da frota possui acessibilidade para pessoas com deficiência.

“O nosso compromisso é com a população, estamos trabalhando para fazer de Pinheiro uma cidade desenvolvia, isso é apenas o começo, ainda iremos fazer muito mais, a minha proposta é até o final do meu mandato entregar no mínimo 40 ônibus escolar. Fiquei feliz ao ouvir de um pai, relatando que no passado seu filho precisava empurrar o carro que levava os estudantes para à escola e hoje o seu filho tem um transporte climatizado para ir estudar”.disse Prefeito Luciano Genésio

No total já foram 9 novos ônibus entregues pelo prefeito neste ano.

Hoje os estudantes podem usufruir de um transporte escolar de qualidade, com conforto e segurança.

5

Ao perseguir a esquerda, Bolsonaro acena com pensamento único no Brasil…

Presidente eleito diz que quer um Brasil sem ideologias, mas tenta impor os ideais da extrema direita como pensamento único, transformando o país em uma espécie de “ditadura branca”, onde só se poderá pensar de uma forma

 

MORDAÇA IDEOLÓGICA. Impedir alguém de expressar seui pensamento político é como carregá-lo num pau de arara em praça pública

Editorial

O discurso do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), e dos seus auxiliares, é o da transformação do Brasil em um país sem ideologias. Mas seus gestos, suas ações e seus discursos apontam apenas para a mudança de perfil ideológico e não para o fim das ideologias.

Bolsonaro quer um país com ideologia de Direita e não sem ideologia – até porque impossível é viver sem ideologia.

Ao perseguir petistas, comunistas e esquerdistas no Ministério Público, na Polícia Federal, no Ministério da Saúde, no Meio Ambiente e Agricultura, e na Educação, o presidente aponta para uma espécie de ditadura, em que só se pode pensar de um jeito.

O futuro ministro da Educação declarou que pretende “varrer o marxismo das escolas públicas”. E deixa claro qual o seu ideal de ensino: o militar, com a consequente ordem unida cívica que marca este tipo de educação, focada na “hierarquia e disciplina” dos quartéis.

Bolsonaro já disse que não quer na diplomacia brasileira embaixadores identificados com o pensamento de esquerda; exige o denuncismo contra professores de esquerda nas escolas e faculdades, e  forçou o abandono dos médicos cubanos no programa “Mais Médicos”.

HOMENS E ARMAS. Com suas declarações pós-eleição, Bolsonaro deixa claro o caminho da perseguição ideológica

Uma sociedade é mais desenvolvida quanto mais ela for plural.

E o pluralismo de uma sociedade se funda na liberdade de expressão, de pensamento e de credo; na igualdade das raças e na equidade de gênero.

Exigir de uma sociedade pensamento único no que diz respeito à sua história, suas raças e seus credos é castrar as liberdades individuais e transformar os cidadãos em espécies de robôs, fadados a seguir o rebanho.

Para muitos grupos – evangélicos e religiosos de um modo geral; militares e conservadores – esta sociedade é a ideal porque força o Estado a fazer por eles o que suas pregações já não têm mais forças para fazer.

Cada um pode conviver com seus ideais de vida, suas crenças e suas ideologias da maneira como bem lhe convir; e pode até cobrar fidelidade canina dos que aceitam seguir suas doutrinas.

Mas fazer do estado instrumento de opressão a quem pensa diferente, só pode ser classificado de uma única forma: ditadura, seja ela assassina ou não.

É simples assim…

7

Agora todo mundo virou “liberal”…

Políticos, lideranças, jornalistas e intelectuais de todas as matizes ideológicas no Maranhão, de uma hora para outra, passaram a defender as políticas de Jair Bolsonaro, que prega desde a patrulha nas universidades até o fim, pura e simples, das ações de meio ambiente

Paulo Guedes é o controlador do presidente Bolsonaro: economia liberal e costumes militares

Editorial

Está todo mundo convertido.

Em qualquer roda de conversas – na imprensa, entre políticos, nos grupos de WhatsApp – o que mais se vê no país, e no Maranhão não é diferente, são defensores de políticas liberais, muitos dos quais sequer sabem o que isso signifique.

Tudo para justificar as políticas claramente orientadas do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que pregam desde o controle ideológico das reitorias universitárias até o fim do Ministério do meio Ambiente e da Lei Rouanet.

Os primeiros movimentos de Bolsonaro mostram um presidente nitidamente tutelado pelo mercado, pelo segmento evangélico e pelo agronegócio, que têm pautado suas decisões em setores cruciais da vida brasileira.

Mas no Maranhão, para justificar as medidas esdrúxulas, como o fim do MMA, já há quem diga que as políticas de Meio Ambiente sempre serviram para atravancar o setor agrícola.

O que dizer da preservação das florestas, da manutenção das reservas indígenas e da proteção aos animais?

Quem cuidará destes setores em uma subsecretaria qualquer de um ministério voltado para agradar a bancada ruralista?

Crianças enfileiradas para saudação à bandeira: símbolo do autoritarismo militar de volta na democracia

A proposta de ensino à distância para crianças de 6 anos – pregada pelo seu guru econômico, Paulo Guedes, ele próprio empresário do setor de EAD – só se equipara em absurdo à tentativa de patrulhamento das reitorias de universidades, para evitar a ideologização do ensino superior.

Ora, se Bolsonaro quer controlar o setor educacional, de cima a baixo, para impedir doutrinação de esquerda, ele está, obviamente, fomentando a doutrinação de direita, o que acaba ideologizando o ensino, de uma forma ou de outra.

Mas há quem defenda a ordem unida nas escolas, com a volta da Educação Moral Cívica e a famigerada OSPB dos governos militares.

O Brasil elegeu Jair Bolsonaro presidente no último domingo; e já nos primeiros dias se deu conta do seu despreparo para o cargo.

A justificativa agora é a sentença: “não é o ideal, mas era necessário mudar”.

E, assim, o Brasil caminha para o inferno…

1

Professores de Paço do Lumiar participam de curso de educação ambiental…

A Prefeitura de Paço do Lumiar, por meio da secretaria Municipal de Educação, e com o auxílio das secretarias de Agricultura e Meio Ambiente, realizou na última quinta-feira (20), um curso de educação ambiental para professores da rede pública de ensino.

Cerca de 185 professores participaram da capacitação que funcionou em dois turnos, as aulas aconteceram no Instituto de Ensino Superior Franciscano (IESF).

Nesta sexta-feira (21), um ato simbólico marcou o encerramento do curso e também o dia da árvore. Alunos, gestores, secretários municipais e o prefeito Domingos Dutra (PCdoB) realizaram o plantio de árvores frutíferas na UEB Bandeira Tribuzzi, no Maiobão.

O curso foi dividido em módulos, com palestras, nos quais foram abordados assuntos como bases conceituais da Educação ambiental, Educação ambiental no Brasil, política nacional de Educação ambiental, Educação ambiental na escola e práticas metodológicas (projeto e planejamento), elaboração de projetos, educação para sustentabilidade, biodiversidade, recursos hídricos e suas potencialidades e resíduos sólidos.

Segundo o prefeito Dutra, o objetivo foi discutir os princípios norteadores da Educação Ambiental e fomentar a reflexão no educador e na comunidade escolar, além de promover um espaço de diálogo sobre as problemáticas ambientais locais.

“Um dos desempenhos mais respeitáveis da escola é sua força de influência e transformação em relação a conceitos da comunidade em que está inserida. Nesse contexto e, na temática ambiental, a escola oferece um impacto expressivo na sociedade”, destacou o prefeito Dutra.

Para o secretário municipal de Educação, Paulo Roberto Soares, com o curso, o professor pode contribuir para a melhoria da qualidade de vida de todos.

“O curso dá a base teórica para que o educador desenvolver projetos que vão contribuir para melhorar a realidade, tanto da escola, como na comunidade, gerando também novas posturas nos estudantes e demais pessoas”, afirmou o titular da pasta.

0

Flávio Dino tenta culpar prefeitos pelo fracasso do Maranhão no Ideb…

Em resposta ao jornal O Estado de S. Paulo, que publicou estudo apontando a piora na educação sob seu comando, comunista diz que o grosso dos estudantes do ensino básico estão nos municípios; mas foi o Ideb da rede estadual, no entanto, que diminuiu entre 2015 e 2017

 

A gestão comunista de Flávio Dino levou à piora dos índices do ensino básico no Maranhão

Fracasso também no setor de Educação, como mostrou estudo do jornal O Estado de S. Paulo, com base nos números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado semana passada, o governador Flávio Dino (PCdoB) já escolheu seus bodes expiatórios.

Em resposta ao jornal, Dino culpou os prefeitos pela piora no Ideb.

Segundo o governador, a responsabilidade pelos alunos do 1º ao 5º ano é dos municípios, onde está o grosso desta etapa do ensino.

Flávio Dino jogou com as palavras para esconder o próprio fracasso.

O estudo do Estadão analisa a rede estadual de ensino e não a municipal.

E neste quesito, além de não avançar no Ideb, o governo comunista ainda piorou os índices nesta fase do ensino.

De acordo com o Ideb, a rede estadual – e só a rede estadual – tinha índice 4.3 no Ideb medido em 2015. Esse índice caiu para 4.1 no Ideb de 2017, divulgado semana passada.

E foi exatamente este ponto que o jornal O Estado de S. Paulo usou para apontar que Flávio Dino fracassou no ensino desde que assumiu o comando do estado.

E para alguns especialistas ouvidos pelo Estadão,  governadores que fracassam na Educação não deveriam ser reeleitos.

É simples assim…

2

Discurso de Flávio Dino no chão…

Jornal Estado de S. Paulo desmonta mais uma farsa comunista no setor da Educação, mostrando que o seu governo piorou os índices do Ideb

 

Flávio Dino usa o Ideb para fazer propaganda eleitoral, mas apresenta fracassos na Educação

O estudo divulgado neste domingo pelo jornal O Estado de S. Paulo é o desmonte de mais uma propaganda do governo Flávio Dino (PCdoB) no setor da Educação.

O comunista já foi desmascarado no quesito “Escola Digna”, classificada como farsa por adversários durante a Sabatina O Estado, em agosto.

Também teve de engolir sem resposta a revelação de que apenas 20% dos professores da rede estadual recebem salário de R$ 5,7 mil. Mas precisam cumprir uma carga horária de 40 horas semanais.

No setor educacional, Dino já foi desmascarado também quanto ao tratamento aos professores da rede estadual. Segundo revelaram seus adversários, o comunista mantém 40% dos profissionais da área com contratos precários, recebendo bem menos que o piso nacional da categoria.

O estudo do Estadão desmonta mais um discurso do governo Flávio Dino: o de que ele melhorou o ensino.

Pelo contrário, segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), a educação fez foi piorar, sobretudo nas séries iniciais do ensino básico, de 1º ao 5º ano.

Em 2015, tinha índice 4.3; agora, aparece com 4.1.

E assim, as farsas do governo Flávio Dino vão sendo desmontadas.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

0

Hildo Rocha comprova fracasso de Flávio Dino também na educação

O deputado Hildo Rocha usou a tribuna da Câmara Federal, nesta terça-feira (4), para provar que a administração do governador Flávio Dino fracassou também na educação. O parlamentar citou resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), do ano de 2017, que foi divulgado nesta semana pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

“A verdade desmascarou o Fake do programa eleitoral de Flávio Dino que diz que a educação do estado melhorou. Como melhorou se o resultado do Ideb, das séries iniciais pioraram no atual governo? O Ideb de 2017 mostra que a educação da rede estadual piorou, pois saiu de 4.3 no último ano do governo da Roseana e caiu para 4.1 no governo Dino. Essas são justamente as séries do ensino que retratam o governo Flávio Dino porque os estudantes das outras séries mais adiantadas, que obtiveram notas melhores, foram também alunos durante os governos da Roseana e do Jackson Lago”, pontuou Hildo Rocha.

Os municípios fizeram bonito

O deputado parabenizou os prefeitos, secretários municipais, os professores, estudantes, pais e responsáveis dos alunos que conseguiram melhorar os índices das escolas da rede municipal.

“Enquanto o Governo do Estado regrediu, vários municípios maranhenses conseguiram resultados animadores. Qual é a causa dessa disparidade? É que, apesar das dificuldades, alguns gestores municipais estão se esforçando para melhorar a qualidade do ensino, mas o governador Flávio Dino fez exatamente o contrário, perseguiu  os professores, deixando de pagar os reajustes determinados por lei. A rede estadual de ensino do Maranhão tem excelentes professores, entretanto eles não recebem o devido apoio para exercerem  as suas atividades com a necessária eficiência porque Dino não valoriza a categoria”, declarou o parlamentar.

Governador dos impostos

Hildo Rocha disse que além de não valorizar os profissionais da educação, o governador Flávio Dino não respeita os servidores públicos de modo geral.

“O Maranhão tem hoje a maior carga tributária do país. Dino aumentou o ICMS da energia elevando o custo das contas. A cada dia fica mais difícil para as famílias maranhenses pagarem as suas contas de luz”, assegurou Hildo Rocha.

1

Pedro Fernandes visita obra do Ifma de Colinas…

Instituto está sendo construído com recursos encaminhados por emenda parlamentar do deputado, que já tem outras ações na Comissão de Educação da Câmara Federal

 

Fernandes vistoriou o estágio das obras em Colinas

 

O deputado federal Pedro Fernandes (PTB) visitou na semana passada as obras de construção do Instituto Federal Tecnológico do Maranhão (Ifma) no município de Colinas.

A obra, realizada com recursos de emenda parlamentar do deputado está em estágio adiantado.

Ifma de Colinas via revolucionar o ensino na região

– Estive no último sábado, 21, em visita à obra. Emendas nossas foram disponibilizadas para realizar este sonho de salto de qualidade na educação da região – afirmou Fernandes.

Fernandes já articvula também outras ações na Comissão de Educação da Câmara Federal para viabilizar outras obras no Maranhão.