0

Fábio Macedo visita áreas de alagamento em Pedreiras e Trizidela do Vale…

Deputado é a primeira liderança política a ir efetivamente aos locais de risco no interior do estado, e descreve a situação como “um cenário triste e devastador”

 

Fábio Macedo navegou nas áreas de inundações, ao lado da imprensa…

O vice-presidente da Assembleia Legislativa, Fabio Macedo, esteve nesta quarta-feira(11), nos municípios de Pedreiras e Trizidela do Vale, vistoriando as áreas de alagamento que afetam as cidades devido ao período intenso de chuvas e cheia do rio Mearim.

“Um cenário triste e devastador. É consternador ver os danos que as últimas chuvas causaram aos municípios e Pedreiras e Trizidela do Vale, várias famílias desabrigadas, que perderam praticamente tudo que conquistaram com tanto trabalho e sacrifício. Hoje o meu dia ficou com toda certeza mais triste mas eu vim aqui dizer a população que podem contar comigo não só como parlamentar mas como homem e ser humano. Vamos lutar para trazer condições mais dignas para essas pessoas e quem sabe amenizar um pouco do sofrimento”, disse.

Os riscos são maiores nas áreas de alagamento por causa da grande quantidade de sujeira na água, o que pode gerar doenças graves

Além da visita nas áreas, o parlamentar pedetista anunciou  a liberação do fornecimento de alimentação para as familias afetadas pelos alagamentos através do Restaurante Popular de Pedreiras, fruto de uma indicação sua, enviada ontem  ao Governo do Estado.

“Hoje cedo, recebi a ligação do secretário da Casa Civil, Rodrigo Lago, informando que o Governador Flávio Dino, atendeu imediatamente a nossa solicitação para liberar o fornecimento da alimentação para todos as pessoas atingidas pelos alagamentos. O Restaurante Popular vai ofertar refeições de qualidade para serem distribuídas nos abrigos pelas prefeituras das cidades. É uma medida importante é agradeço ao governador por estar atento a está situação, com ações imediatas para benefício dos cidadãos”, finalizou Fábio.

Da assessoria

0

Roberto Costa propõe Frente para prestar assistência nas áreas de enchentes…

Roberto Costa apresentou propostas efetivas para acompanhamento das áreas de enchentes

O deputado estadual Roberto Costa (MBD) preocupado com a situação de milhares de famílias que foram desabrigadas devido às enchentes nos municípios, por causa das fortes chuvas no estado, propôs a criação de uma Frente Parlamentar, nesta quarta-feira (11), para acompanhar e prestar assistência às cidades maranhenses atingidas. 

Roberto Costa ressaltou a importância da Frente Parlamentar para acompanhar a população que foi afetada por esta situação de calamidade.
 
“Temos vários municípios maranhenses que estão passando por esta situação como Bacabal, Trizidela do Vale, Pedreiras, Imperatriz, Marajá do Sena, Tuntum e outros. Precisamos dar esse apoio urgente para as famílias, não somente levá-las para quadras ou ginásios esportivos, temos que acompanhar, oferecer uma estrutura, levar assistência com alimentos, medicamentos, atender suas necessidades. Por isso, proponho essa Frente Parlamentar para que junto com o Governo do Estado e Governo Federal possamos fazer essa articulação e prestar toda assistência a essas famílias”.

Segundo Roberto Costa os municípios não podem ficar como Bacabal, sem um Plano Emergencial para garantir condições necessárias as famílias desabrigadas.

 “Minha preocupação com a cidade de Bacabal que tem famílias e crianças sendo deslocadas para quadras esportivas, mas que no local, não há estrutura e assistência de boa qualidade a elas. Temos que dar alimentos, condições de higiene, assistência social. Mas isso, não está ocorrendo no município de Bacabal. Desse modo, devemos articular com as autoridades competentes para que todos os municípios possam ser acompanhados e assistidos, inclusive Bacabal”.

A Frente Parlamentar tem como finalidade prestar assistência humanitária à população atingida, fazer o reestabelecimento dos serviços essenciais e a recuperação de áreas atingidas, mapear áreas atingidas e efetuar ações preventivas. Será constituída por representantes de todas as correntes de opinião política da Assembleia Legislativa do Maranhão.

Da assessoria

2

Deputados federais também se manifestam sobre enchentes…

José Reinaldo Tavares, Aluisio Mendes, Juscelino Filho, Eliziane Gama e Weverton Rocha defenderam ações urgentes nas áreas alagadas em todo o interior maranhense; nos discursos, sobraram críticas à ausência do governador das áreas de risco

 

Tavares disse que a presença do governador é fundamental nas áreas de risco; e lamentou a ausência de Dino

Repercutiu também na Câmara Federal, nesta quarta-feira, 11, o desprezo demonstrado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) pelas áreas inundadas no Maranhão.

Em pronunciamento na Câmara, o deputado José Reinaldo Tavares (PSDB) defendeu ações urgentes nas áreas atingidas. E, indiretamente, alfinetou Flávio Dino, ausente do estado no momento de maior risco.

– Nesse momento é muito importante a presença do Governo do Estado, é preciso que o Governo chegue com máquinas, alimentos para a população, colchões, transferência – defendeu o deputado, sem citar a ausência do governador do Maranhão, Flávio Dino, que ontem estava em Curitiba para prestar solidariedade ao ex-presidente Lula, enquanto os municípios sofriam o alagamento.

Aluisio Mendes (PODE) participou da reunião da bancada o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Newton Ramlow, para solicitar providências do órgão em apoio às famílias desabrigadas pelas enchentes no Maranhão.

– Fomos prontamente recebidos pelos dirigentes da Defesa Civil e obtivemos a garantia de que, assim que os municípios tomarem as medidas administrativas e legais cabíveis, o Ministério da Defesa Nacional colocará toda a sua estrutura para atender a essas famílias, que estão sofrendo graves problemas causados pelas chuvas – declarou Aluisio Mendes.

Juscelino Filho, Weverton Rocha e Eliziane Gama também participaram da reunião da bancada com a Defesa Civil

Outro que se manifestou a respeito das enchentes foi Juscelino Filho (DEM), também participante da reunião com a Defesa Civil.

– Cobramos ação para atender as famílias que estão passando fome, sem água potável e com doenças se proliferando, pois precisamos atendê-los com urgência. Sabemos da parte burocrática e estamos auxiliando os municípios – destacou o parlamentar.

A deputada federal Eliziane Gama também foi à tribuna para comentar o problema enfrentado pelos municípios maranhenses.

A expectativa é que as chuvas aumentem nos próximos dias, piorando o problema.

Flávio Dino diz apenas que seus auxiliares estão acompanhando o caso…

6

Ministério desmonta factoide de Flávio Dino contra Roseana…

Para desgastar a imagem da ex-governadora, comunista tenta ligá-la a fatos negativos para aumentar sua rejeição, única forma de reverter a vantagem que ela impõe nas pesquisas; mas a realidade desmonta as armações do Palácio

 

FACTOIDE DESFEITO. Recortes do documento enviado a Roseana: nenhuma acusação contra ela

O Ministério da Integração Nacional encaminhou na última segunda-feira, 18, o Ofício nº 441/2017-MI, que deixa claro não haver nenhuma investigação em curso contra a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), muito menos com relação às enchentes que assolaram o Maranhão em 2009.

– Adicionalmente, esclareço não ter sido o referido processo objeto de auditoria, nem constatar qualquer irregularidade a pessoa de vossa senhoria quando no exercício do cargo de governadora do estado do Maranhão – afirma o item 2 do Ofício, assinado pelo ministro Helder Barbalho.

O documento desfaz um factoide inventado pela mídia palaciana contra Roseana Sarney, mentira esta que teve a participação do próprio governador Flávio Dino (PCdoB). (Veja print abaixo)

COVARDIA. Fla´vio Dino tenta sensibilizar população com mentiras sobre caso de apelo social

COVARDIA. Flávio Dino tenta sensibilizar população com mentiras sobre caso de apelo social

Preocupados com o avanço de Roseana Sarney nas pesquisas – como constatou o Instituto Escutec no último domingo – a mídia alinhada ao Palácio dos Leões criou a história do processo contra ela por desvio de verbas das enchentes que assolaram 68 municípios maranhenses, em 2009.

Alguns blogs patrocinados pelo Palácio dos Leões chegaram a tentar vincular à Roseana, covardemente, a imagem do ex-ministro Gedel Vieira Lima, preso após descoberta de malas de dinheiro em seu apartamento.

Covarde também foi a declaração do próprio Flávio Dino, tentando sensibilizar a população com uma acusação que ele próprio já sabia mentirosa.

Mas a explicação para os ataques a Roseana está nas pesquisas.

Flávio Dino sabe que só conseguirá derrotar Roseana Sarney se conseguir elevar sua rejeição para os mesmos patamares de 2014, quando ele ainda era a novidade da mudança no Maranhão.

Como os números mostram que é exatamente a “mudança” que começa a ser rejeitada, o comunista não vê saída a não ser inventar mentiras contra a ex-governadora, usando sua mídia amestrada.

Mas Flávio Dino também sabe que mentiras têm pernas curtas.

E a prova é o documento do Ministério da Integração…

7

Edivaldo culpa a população pela má drenagem em São Luís…

Prefeito vai às redes sociais para dizer que o volume de lixo encontrado nas galerias é muito alto, o que impede a vazão das águas nas chuvas. Mas cabe à prefeitura, no entanto, a limpeza regular das galerias, a coleta regular do lixo e, sobretudo, a punição a quem descarta lixo de forma errada

 

O print acima é uma espécie de exortação à população.

Nele, o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) culpa o cidadão pelas enchentes no período de chuvas. Ele sugere que o volume de lixo nas galerias – e não a falta de drenagem adequada – é o responsável pelas inundações.

O prefeito pode até querer eximir-se das responsabilidades, mas há três ponderações a fazer em relação ao seu apelo:

1 – Se o volume de lixo é tanto, a falha está no serviço de coleta de lixo e de limpeza urbana mantido pela própria prefeitura.

2 – Se o cidadão descarta lixo mesmo tendo a coleta regular em seu bairro, a responsabilidade também é da prefeitura, a quem cabe as campanhas de conscientização e, sobretudo, fiscalização, advertência e sanção a quem comete tais irregularidades.

3 – Se as galerias acumulam tanto lixo – mesmo com a má educação da população – significa que elas passam praticamente o ano inteiro sem limpeza.

E se a prefeitura não cumpre nenhuma dessas obrigações – como não cumpriu em 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017 – não adianta culpar o cidadão pela própria desgraça.

De uma forma ou de outra, portanto, a prefeitura tem responsabilidade no caos causado pelas chuvas.

Como teve em  2013, 2014, 2015, 2016 e 2017…

9

Os mesmos problemas…

Entra ano e sai ano e as mesmas áreas de São Luís são castigadas pelas enchentes causadas pelas chuvas em São Luís; áreas que – entra ano e sai ano – recebem supostos serviços da prefeitura para os mesmos problemas, sem que tome uma ação definitiva

 

Carro boiando em lago no Renascença…

Parecia até remake de cobertura eleitoral.

As emissoras de TV, blogs, rádios e jornais apresentavam, ontem, um lista de áreas de São Luís inundadas pelas chuvas da última quarta-feira, 1º. E são os mesmos onde ocorrem os problemas de sempre a cada período chuvoso.

Renascença II, em frente a um shopping;  Curva do Noventa, à altura de um posto no Cohafuma; Túnel da Cohama, áreas inteiras do Barramar e da Vila Conceição, no Calhau, bairros como Coroado, Coroadinho, Bairro de Fátima, Forquilha, Cohatrac…

Enfim, locais onde situações caóticas se repetem há anos sem que o poder público consiga resolvê-las.

No Renascença, por exemplo, até dezembro de 2016 máquinas faziam uma espécie de dragagem de um canal que corta parte do bairro e que, para os engenheiros da prefeitura, seria a origem dos alagamentos.

As chuvas de quarta mostraram que não é. A menos que o trabalho tenha sido mal executado. (Veja aqui)

No Coroado, entre as gestões do tucano João Castelo e do atual prefeito Edivaldo Júnior (PDT) foram gastos mais de R$ 50 milhões para resolver o problema, mas a origem do problema sequer foi mencionada: uma casa, próxima à avenida dos Africanos, construída em cima do bueiro que deveria escoar a água que desce de todo o bairro. (Saiba mais aqui)

Coroado vive assim a cada inverno, sem que nada seja feito para resolver sua situação

A prefeitura sabe disso, mas se recusa a tomar providência e resolver a vida das mais de 2 mil famílias que ali moram.

Há dois finais de semana, quando as “chuvicas” começavam a dar mostras de que um problema sério estava posto na região da Curva do Noventa, máquinas da prefeitura passaram dias em mexe-mexe no local.

E não resolveram absolutamente nada.

E assim a população de São Luís segue, ano após ano, convivendo diretamente com as mesmas enchentes.

Sempre nos mesmos locais…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

2

“Falta prefeito e sobram problemas”, dispara Wellington, após alagamento

Funcionário limpam o Curso Wellington após enchente; foi em 2016, mas poderia ter sido em 2017, 2015, 2014, 2013…

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão, na manhã desta quinta-feira, para fazer referência aos transtornos em São Luís, após mais um alagamento causado pelas chuvas.

– Estamos alertando para que ações efetivas sejam adotadas. Em São Luís, infelizmente, falta prefeito e sobram problemas. Consequência disso é o povo padecendo. Com o grande volume de chuvas em nossa capital, vários bairros foram alagados, a exemplo de Ilhinha, Coroado, São Francisco dentre outros. Além dos alagamentos, ainda estamos diante de 60 áreas de risco de desabamento em São Luís. Por isso, cobramos aqui que a Prefeitura de São Luís efetive a Política Municipal de Saneamento Básico e, assim, adote providências no combate aos alagamentos e demais transtornos. Para tanto, colocamos a Assembleia Legislativa à disposição para atuar, no que for possível – disse Wellington.

Os alagamentos ocorreram nos mesmos locais de 2016, 2015, 20p14, 2013, 2012, 2011… (Veja o vídeo abaixo, gravado no Renascença)

O próprio Wellington foi obrigado a, literalmente, mergulhar no alagado do Renascença II, para ajudar no resgate de uma caminhonete que boiava em frente ao curso de sua propriedade, totalmente inundado pela falta de drenagem na área.

Além de citar os alagamentos nos bairros da Ilhinha, São Francisco, Coroado dentre outros, o deputado Wellington destacou ainda as 60 áreas de risco de desabamento na capital e cobrou ações efetivas da Prefeitura, antes que seja tarde.

5

Galeria inaugurada por Castelo não resolveu problema de enchente no Coroado…

O que era antes um rio de esgoto, transformou-se agora numa realidade totalmente diferente, numa área saneada, que vai dar mais dignidade a quem vivia na lama

Prefeito João Castelo (26/01/2012)

 

No início da chuva, moradores ainda tentavam vencer a enchente

Bastou a primeira chuva mais demorada, no final da tarde de sábado, para que os moradores do Coroado voltassem à triste realidade

Não adiantaram absolutamente nada os milhões investidos pelo prefeito João Castelo (PSDB) na recuperação do canal que corta o bairro.

As ruas ficaram cheias em minutos – e encheram ainda mais após o término das chuvas, devido à enxurrada que desceu do João Paulo e do Filipinho.

A fotos que ilustram este post foram tiradas pelos próprios moradores, indignados com o serviço mal feito.

A própria comunidade já havia avisado aos técnicos da prefeitura e engenheiros da obra que não adiantaria fechar a galeria se o principal problema não fosse resolvido: a remoção de uma casa construída na ponta da Rua do Chumbo (quadra 42) em cima do boeiro.

A prefeitura teve a oportunidade de indenizar o morador e resolver o problema, mas entregou a obra assim mesmo, e foi embora sem esperar o período de chuvas.

Quem se arriscou a passar na rua do Chumbo parou no meio da enxurrada

Dezenas de moradias foram indenizadas apenas pelo fato de que iriam perder parte do quintal.

Mas os agentes da preeitura deixaram pra lá a principal, gastando milhões em um serviço que não resolveu absolutamente nada.

Com a água represada nas ruas da Mandioca, da Minerva e do Chumbo, a Avenida dos Africanos também ficou alagada, dificultando a passagem dos veículos.

Os moradores agora ameaçam quebrar toda a galeria para ajudar no escoamento da água nos dias de chuva.

A menos que a prefeitura faça o básico e retire a casa que impede a passagem da água.

E faça valer, de fato, os milhões investidos na obra…

2

Governo faz radiografia das áreas de enchentes no MA…

Luís Fernando e técnicos embarcam no helicóptero do GTA

Os representantes do governo maranhense e da Defesa Civil Nacional puderam ter hoje uma radiografia completa das áreas alagadas pelas enchentes do rio Mearim no Maranhão.

Coordenados pelo chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva, os técnicos sobrevoaram e mantiveram contato com as vítimas nos municípios de trizidela do Vale e Bacabal, onde foir registrado aumento no nível do rio Mearim.

– Coma  exata ideia do volume do problema, poemos acelerar mais as providências a serem tomadas – explicou Luís Fernando Silva.

na busca das soluções, o governo maranhense via formar parceria com o Governo Federal, por meio da Defesa Civil Nacional, e também com os municípios.

Junto com a equipe de Luís Fernando viajou Amin Braun, representante da Defesa Civil. Ele adiantou as primeiras ações do órgão.

– Está sendo verificado nos municípios a necessidade de trazer barracas para dar uma resposta rápida em relação às questões de abrigo e alimentação emergencial. Já na área da saúde, estamos fazendo articulação com o Ministério da Saúde para trazer medicamentos ao estado – adiantou.

Também sobrevoaram as áreas de enchente os secretários de Segurança Pública, Aluísio Mendes, e de Planejamento, Orçamento e Gestão, Fábio Gondim, além do coronel Marcos Paiva, coordenador da Defesa Civil Estadual.

8

Luís Fernando comandará sobrevôo a áreas alagadas no Maranhão

Luís Fernando vai visitar áreas alagadas

O chefe da Casa Civil, Luís Fernando Silva, coordenará uma equipe do Governo do Estado que sobrevoará, nesta sexta-feira, as áreas atingidas pelas chuvas no Maranhão.

– Vamos sobrevoar cada região para definir as ações que evitarão maiores danos – disse ele.

Na equipe, que visitará as regiões banhadas pelos rios Mearim, Itapecuru e Corda, estarão também o secretário de Segurança, Aluísio Mendes, representantes da Defdesa Civil nacional e estadual e membros do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.

Entre as principais ações, estará a definição do melhor local onde será instalado um hospital de campanha.

Coordenador do governo fará o mesmo sobrevôo feito por Lula e Roseana em 2009

– Felizmente ainda não necessitamos deste hospital, mas como as ações do governo serão sempre preventivas, ele será instalado para eventual emergência – declarou o chefe da Casa Civil.

Luís Fernando é o idealizador e coordenador do grupo governamental anti-catástrofes. (Releia aqui)

Trata de um grupo de representantes do governo responsáveis por monitorar as ocorrências climáticas para definir ações que inibam seus efeitos.

Grupos como este foram criados na Austrália, o que evitou que a catástrofe do início do ano fosse maior naquele país.

– Infelizmente não podemos conter a força da natureza, mas podemos nos preparar para amenizar fortemente os seus efeitos – disse.

O sobrevôo vai durar todo o dia, e analisará a situação em todas as áreas atingidas no Maranhão.