0

Exército vai atuar na duplicação da BR-135, revela Pedro Lucas…

Deputado federal maranhense pediu informações ao DNIT, que confirmou a participação dos militares nas obras da rodovia, após rompimento de contrato com construtora

 

O deputado federal Pedro Lucas (PTB) revelou  em suas redes sociais a participação do Exército Brasileiro na obra de duplicação da BR-135, no Maranhão.

A obra vinha sendo feita pelo consórcio Serveng/Aterpa, que não atendeu as exigências e teve o contrato rompido unilateralmente.

– O Exército já está fazendo o plano de trabalho – destacou o parlamentar.

A informação a Pedro Lucas foi dada pela própria superintendência do DNIT no Maranhão. (Veja print)

O trecho Miranda-Caxuxa será iniciado pela empresa Souza Reis…

7

O Brasil já está sob tutela militar…

Chefes do poder Judiciário demonstram insegurança ao se cercar de oficiais do Exército até para dar entrevistas; mas a sociedade civil é responsável por este estado de coisas, ao dar de ombros quando os sinais do autoritarismo começaram a aparecer

 

ELES NÃO SABEM O QUE DIZEM. Primeiros sinais da catarse coletiva começaram a surgir ainda em 2013; sociedade deu de ombros para a ameaça que começava a ganhar corpo

Quando o juiz Sérgio Moro, ainda lá atrás, começou a expor seu autoritarismo – com conduções coercitivas ilegais, escutas clandestinas em escritórios de advogados e grampos até no gabinete da presidência – muita gente boa achou normal.

Quando o capitão Jair Bolsonaro (PSL), ainda lá atrás, começou a pregar o fechamento do Supremo Tribunal Federal e a prisão de ministros, muita gente boa dizia ser “apenas bravata” e afirmava que “ele não terá coragem de fazer”.

O tempo avançou na história até chegar a 2018.

E o que se vê nesta reta final de eleições são instituições acuadas, constrangidas e enquadradas por aqueles que podem vir a ser os comandantes do país a partir de 2019.

Quando o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) se cerca de um oficial do Exército como assessor  – numa espécie de resposta aos que o criticam  por ter sido advogado do PT – ele demonstra fragilidade. (Entenda aqui)

Quando a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) se cerca de um oficial do Exército para dar entrevista e rebater falas militares de ameaça à sua própria autoridade, ela demonstra fragilidade.

PROTEÇÃO A QUÊ?!? ninguém entendeu quando o presidente do STF apareceu na posse com um general do Exército como auxiliar

Os ministros do Supremo, todos eles, demonstram medo das ameaças de Bolsonaros e companhia. A resposta aos ataques refletem a insegurança com os riscos – é como se dissessem o tempo inteiro: “calma, senhores! Muita calma nesta hora!”.

Mas a sociedade brasileira está à beira de uma Ditadura que será implantada no Brasil com Bolsonaro, isso não há dúvida.

Essa dita pode ser mais ou menos dura a depender da reação das instituições.

E ao que parece, o STF e seus ministros estão mais preocupados em proteger-se a si próprios, ainda que precisem, para isso, chancelar – mais uma vez, como ocorreu em 1964 – o regime autoritário no país.

Restaria à sociedade e à imprensa a luta pela liberdade, mas estes dois segmentos também viveram entorpecidos nos últimos anos, pelo sentimento anti-petista manipulado pelos mesmos que o encaminham agora aos calabouços.

Resta ao Brasil apenas uma remota, mas única saída: a eleição de domingo, 28.

É votar pela liberdade ou se preparar para o inferno.

Simples assim…

1

Ação contra espionagem…

Presença de generais do Exército no Maranhão para garantir a segurança do processo de votação e apuração das eleições de outubro coloca sob suspeita a cúpula “comunista” da Polícia Militar do Maranhão

 

Homens do Exército serão deslocados para centro de operações nas eleições

A divulgação do comando do Exército, de implantar no Maranhão um centro de operações para monitorar as eleições estaduais e garantir a tranquilidade do processo de votação e apuração é uma espécie de ação de contra espionagem.

A decisão do EB se dá pouco tempo depois de vir à tona um Memorando da Polícia Militar do Maranhão exigindo de comandantes de companhias do interior “o monitoramento de adversários do governador Flávio Dino (PCdoB)” que pudessem causar para ele “embaraços eleitorais no pleito de outubro”. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

Apenas por esse documento, a cúpula da PM maranhense já estaria sob suspeita para conduzir o setor de segurança das eleições maranhenses.

Os coronéis comunista de Flávio Dino: espionagem, perseguição sob os olhares do Exército

Mas Flávio Dino foi além, e decidiu posar, ele próprio, ao lado dos principais oficiais da PMMA, todos com adesivos comunistas, deixando claro o posicionamento no processo eleitoral.

O caso é tão grave que o Exército decidiu enviar ao Maranhão nada menos que dois generais.

Ao lado do comando do 24º Batalhão de Infantaria de Selva, esses generais farão o monitoramento de todas as ações, antes, durante e depois do dia da votação e apuração.

É a garantia de que os adversários de Flávio Dino não correrão riscos a partir da sua “polícia política”.

Até porque, em 2016, ela agiu duramente no interior…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

2

A construção de um golpe de estado…

História do Brasil mostra que o enfraquecimento da classe política, a desmoralização do Judiciário e a aparente convulsão social são construções midiáticas preparatórias para intervenções militares que sempre acabaram em ditadura e perseguições

 

Tanques de guerra nas ruas com apoio popular; o povo foi levado a acreditar que seria bom

As duas declarações de generais do Exército – praticamente uma atrás da outra – sobre o momento político do Brasil, acenderam no fim de semana o sinal de alerta em todos os que lutaram para construir e ainda lutam pela consolidação da democracia no país.

O comandante do Exército, general Villas Boas, afirmou ao jornal Folha de S. Paulo que, diante da crise política instalada no país, é possível que o próximo presidente não tenha a legitimidade necessária para governar. (Leia aqui)

Antes dele, o vice de Jair Bolsonaro (PSL), general Hamilton Mourão, admitiu que um eventual governo pode dar um autogolpe se considerar momento de anarquia no país. (Relembre aqui)

Os que viveram a época pré-ditadura militar no país, no início dos anos 60, testemunham que viveram clima parecido com o que atualmente existe no Brasil.

Os golpes de estado e as ditaduras são sempre antecedidas por três fatos correlacionados, todos construídos midiaticamente:

1 – A manipulação das massas com notícias de caos social e econômico, exatamente como ocorreu a partir de 2013, ainda no governo Dilma;

2 – O enfraquecimento da classe política, que se deu com o advento da Lava Jato e a sequência de líderes presos, denunciados ou processados na Justiça

2 – A desmoralização do Judiciário, com revelações na mídia de posições supostamente imorais ou análise crítica de votos ou do perfil de seus membros.

Lula sendo levado preso para Curitiba; líder popular impedido de disputar a presidência

Todos estes três pontos já ocorreram no Brasil pós-Lula, mas precisa outros fatores fundamentais: a envolvimento da mídia, o apoio do mercado e, sobretudo, do império americano.

É com a garantia destes três entes que o golpista se sente a vontade para dissolver o Congresso, destituir o Judiciário e assumir o comando supremo de um país.

E estes já se fizeram presentes no Brasil atual.

Está claro que a mídia quatrocentona, o mercado e o império, unidos, já se mobilizam para impedir a vitória da esquerda nas eleições de outubro.

Mas se não conseguirem, o golpe já está preparado…

Leia também:

As três fases do golpe no Brasil…

A mãe de todos os golpes…

Golpe contra Lula caminha para o STF…

0

Ivaldo assina ordem de compra e e venda entre cooperativas e 24º BIS…

Por articulação do secretário de Abastecimento, unidade do Exército dobrou quantidade de produtos agrícolas de São Luís adquiridos

 

O secretário municipal de Abastecimento, Ivaldo Rodrigues (PDT) participou na terça-feira, 12, da assinatura da Ordem de Compra e Venda de produtos agrícolas produzidos na região de São Luís.

Assinaram o documento cooperativas de produtores rurais da capital maranhense e o 24º Batalhão de Infantaria de Selva (24º BIS).

O convênio, que vai garantir a duplicação da quantidade de produtos adquiridos na unidade do Exército foi articulada por Ivaldo, que intermediou a negociação.

O convênio vai incentivar a produção e o escoamento dos produtos agrícolas produzidos na zona rural de São Luís…

2

Fantasmas da Ditadura Militar já rondam o país…

A ameaça aberta do general Villas Boas é apenas uma das várias movimentações do Exército para trazer de volta o anos sombrios ao Brasil – agora com estímulo aberto de setores empresariais e políticos da elite brasileira

 

DE PRONTIDÃO. General Villas Boas e sua tropa de oficiais-generais; uma ameaça militar sobre a nação

A mensagem do comandante do Exército, general Villas Boas, divulgada nesta terça-feira, 3, é uma ameaça aberta – e não mais velada – de que os militares estão na espreita pelo poder no país.

E isso é gravíssimo.

A ditadura militar, os anos de chumbo – ou a revolução, como alguns queiram chamar – foi o que de pior ocorreu na história do país. E só ocorreu porque a elite brasileira não aceitou ser governada por alguém de esquerda.

A fala tresloucada do general se deu exatamente no momento em que o Supremo Tribunal Federal decide o destino de outro home de esquerda, que as elites também não querem mais ver no comando do país.

– Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?  – disse o general.

TROGLODITA REACIONÁRIO. Jair Bolsonaro e seus gestos, sempre ameaçadores, sempre truculentos

Não cabe a qualquer militar – e muito menos ao general Villas Boas – fazer um questionamento desses como cidadão comum. Sua voz ecoará como sendo a de um agente de guerra; de alguém que sonda o terreno para atacar, princípio básico do Exército.

Pior: uma loucura militar dessas ainda encontra eco no seio da sociedade.

E encontra por que se trata da mesma sociedade que hoje põe nas cabeças das pesquisas um brutamontes ignorante, arcaico e descontrolado como o deputado federal Jair Bolsonaro.

Fantasmas da ditadura militar já rondam o país de norte a sul.

E as ameaças deles são cada vez mais claras…

3

Exército vai garantir escoamento agrícola da Zona Rural de São Luís…

Parceria da Secretaria Municipal de Abastecimento prevê o aproveitamento da produção pelo 24º Batalhão de Infantaria Leve

 

Ivaldo com agricultores e membros do EB: produtos para o rancho dos militares terá procedência de São Luís

 

Uma importante parceria firmada pelo secretário de Abastecimento de São Luís, Ivaldo Rodrigues, vai garantir o escoamento da produção agrícola da zona rural da capital maranhense.

O Exército Brasileiro vai receber produtos de várias espécies para o quartel do 24º Batalhão de Infantaria Leve.

– Essa parceria é mais uma que garante o escoamento da produção rural de São Luís. O Exército receberá hortifrutigranjeiros para consumo dos homens do 24º BIL, o que estimulará a produção – destacou Rodrigues.

A assinatura do convênio entre o Exército, a prefeitura e associações de produtores rurais

Coordenador da Feirinha São Luís, um dos principais pontos de destaque da produção rural, cultural e artística da capital, Rodrigues diz que o fomento à produção pode transformar a zona rural.

O convênio com o Exército foi assinado na manhã da última segunda-feira, 23…

10

Novo comandante da PM pode sofrer boicote por ser um “não-combatente”…

Não oriundo da Academia de Polícia, coronel José Frederico Gomes Pereira chegou à PM como R2 do Exército, o que é mal visto pela tropa

 

Coronel Pereira: R2 no comando da PMMA

Coronel Pereira: R2 no comando da PMMA

Se acertou em exonerar o coronel  Alves do comando da PMMA, o governo Flávio Dino (PCdoB) pode dar um tiro no pé com a nomeação de seu substituto.

Alçado ao posto maior da polícia, o coronel José Frederico Gomes Pereira é visto na tropa como um não-combatente, nomenclatura que os PMs usam para designar os chamados R2, oficiais que entraram na corporação sem fazer concurso e sem passar pela Academia de Polícia.

Os R2 são o chamados oficiais temporários do Exército: jovens que, ao prestar serviço militar, entram não como recruta, mas no Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva.

A partir daí, eles ganham patente de oficial, mas com prazo de validade de quatro anos e meio.

Até o início da década de 90, esses oficiais temporários do Exército tinham uma espécie de janela para entrar na Polícia Militar. Muitos aproveitaram esta janela e se tornaram oficiais PM sem prestar concurso e sem passar pela Academia.

Coronel Pereira é um desses. 

Mas os R2 não são bem vistos na própria tropa, que os classifica de não-combatentes por que não fizeram o treinamento específico da PM.

Tanto que há até ações judiciais para tentar afastá-los da corporação…

2

André Campos vai a campo contra Aedys Aegypti…

André Campos, com Edivaldo e o representante do Exército

André Campos, com Edivaldo e o representante do Exército

O superintendente da Funasa no Maranhão, André Campos, decidiu envolver a autarquia no projeto “Todos na Guerra contra o Mosquito”. Segundo ele, é fundamental que todos se unam na luta contra o Aedes Aegypti, que  transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya.

André Campos debateu com o prefeito Edivaldo Júnior a importância da atuação conjunta dos dois órgãos e dos demais parceiros, enfatizando a importância da participação de toda a população no controle deste agravo de forma sustentável.

– Também vamos estar difundido entre parentes e amigos a importância de entrar nessa luta. Essa é uma guerra que tem que ser vencida porque esse mosquito traz tristeza para muitas famílias e juntos temos certeza que vamos conseguir combatê-lo. Com um trabalho educativo que vai ser intensificado a partir dessa campanha com certeza a população receberá melhor os agentes que tanto contribuem nesse trabalho – disse AndréCampos.

0

Roseana recebe Ordem do Mérito Militar…

Condecoração foi entregue nesta quarta-feira, 9, no 24º Batalhão de Infantaria Leve

 

Roseana exibe a medalha

Roseana exibe a medalha

A ex-governadora Roseana Sarney recebeu nesta quarta-feira, 9, a Ordem do Mérito Militar,  a mais elevada distinção honorífica do Exército Brasileiro.

A ex-governadora durante a solenidade de entrega da comenda

A ex-governadora durante a solenidade de entrega da comenda

Entregue pelo Comandante do 24º BIL (Batalhão de Infantaria Leve), Coronel Azevedo, a condecoração é um reconhecimento por serviços relevantes prestados ao Exército  Brasileiro.

Durante a homenagem, Roseana fez questão de agradecer pelos serviços que o Batalhão de Infantaria prestou ao Maranhão durante os anos em que ela foi Governadora do Estado, e lembrou da importância do trabalho da corporação quando o Maranhão enfrentou um dos períodos de chuvas mais severos da história, com enchente na Região do Mearim, onde dezenas de famílias ficaram desabrigadas.

A comenda recebida pela ex-governadora

A comenda recebida pela ex-governadora

Acompanhada por amigos, Roseana recebeu o Grau de Grande Oficial no Corpo de Graduados Especiais da Ordem do Mérito Militar.

– Hoje, venho primeiramente agradecer.  A medalha que carregarei comigo simboliza o reconhecimento  por  algo que sempre fiz com muita honra: prestar serviços ao Exército Brasileiro mas, acima de tudo, prestar serviços ao nosso Maranhão, e ao nosso país – disse Roseana.