0

Silêncio do governo sobre falta d’água é desrespeito à população…

Informações tímidas da Caema nada dizem sobre o problema, não apontam solução a vista e deixam população à mercê de carros-pipa e comerciantes de água, sobretudo na periferia de São Luís

 

OPERÁRIOS TRABALHAM NA TENTATIVA DE RECUPERAÇÃO DA ADUTORA ROMPIDA, mas Caema sonega informações mais precisas sobre o problema…

O governo Flávio Dino tem cometido um violento desrespeito à população maranhense desde a última quinta-feira, 13, quando começou a falta d’água em São Luís.

As notas da Caema sobre o caos que se abateu desde o início de sexta-feira nada explica; a companhia mentiu à população ao afirmar que a água já havia retornado desde a manhã de domingo, 16.

Não voltou.

…SEM RESPOSTA DA CAEMA, FAMÍLIAS SÃO OBRIGADAS A CARREGAR ÁGUA EM BALDES durante todo o dia

E até agora, a maioria dos bairros de São Luís carece de água; e a demanda diminuiu a oferta de carros pipa, além  de encarecer o produto.

Muitas famílias estão usando galões de água mineral não apenas para beber, mas para usar nas atividades domésticas.

O silêncio das autoridades humilha e agride o cidadão…

1

Os imprestáveis serviços da Caema e da Cemar…

Companhia de água desabastece São Luís e sequer explica os motivos; central energética prejudica população com constantes oscilações e falta de luz

 

É imprestável o serviço oferecido em São Luís pela Cemar e pela Caema.

Nem os milionários investimentoss do governo anterior no sistema Italuis fizeram com que a companhia melhorasse seu serviço.

E agora, nem satisfação a empresa dá pela sua incompetência.

Desde quinta-feira, 13, São Luís está sem água, sem que a empresa ou seus controladores dessem qualquer justificativa à população.

Vom a Cemar, a coisa já nâo é mais tão diferente.

Constantes oscilações de energia em áreas de São Luis tem prejudicado moradores, atrapalhado a prestação de serviço e tornado a cidade num caos.

Pior, nem o governo, nem as cpmpanhias demonstram qualquer interesse em resolver a situação.

Procon e Ministério Publico fazem de conta que não veem…

1

Era só ligar um cano a outro, Flávio Dino…

Comunista não consegue fazer o básico de um sistema que recebeu praticamente pronto, tenta culpar os outros – como sempre faz – e deixa São Luís sem água por quase uma semana

 

Moradores se prepararam com caixas d’água, mas continuam sem abastecimento após quase uma semana

 

O governador Flávio Dino (PCdoB) convocou para as 11 horas desta segunda-feira, 11, uma coletiva de imprensa em que tentará explicar a lambança que foi a operação do seu governo para instalar o novo sistema de abastecimento d’água em São Luís.

O comunista recebeu o sistema praticamente pronto da gestão de Roseana Sarney (PMDB). Bastava ligar um cano no outro para que São Luís tivesse água do novo sistema em São Luís.

E para ligar os canos, ele precisou cortar a água de cerca de 160 bairros por 72 horas. E não conseguiu fazer o básico, resultando em mais três dias sem água na capital maranhense.

Técnicos da caema ainda ontem faziam serviços de alvenaria para sustentar os novos canos de aço inox

Diante do fracasso, Dino tentou responsabilizar os adversários – como sempre faz – e chegou mesmo a levantar suspeitas de boicote, mobilizando até polícia para investigar algo que foi fruto de sua própria incompetência.

A promessa é que, apenas a partir desta segunda-feira o abastecimento comece a ser restabelecido em São Luís.

E bastava apenas ligar um cano no outro.

Simples assim…

3

Governo Flávio Dino erra e deixa São Luís sem água…

Todo o novo sistema Italuís foi construído no governo Roseana Sarney; a Flávio Dino cabia apenas fazer a interligação final entre o novo e o antigo sistema. mas seu governo não conseguiu fazer o básico e a capital maranhense sofre com a falta d’água

 

Moradores do Anjo da Guarda fazem fila em busc ade água; problema se repete em praticamente toda São Luís

O governo Flávio Dino mandou fechar as torneiras de quase 160 bairros de São Luís desde a quarta-feira, 6, para fazer uma coisa básica: interligar o sistema antigo ao novo sistema Italuis.

O Italuis novo foi todo construído no governo Roseana Sarney.

A Flávio Dino cabia – apenas e tão somente – fazer a interligação final, além de umas poucas obras complementares.

Mas a incompetência da Caema, marca do governo comunista, gerou o caos em São Luís.

O sistema, que deveria voltar a funcionar desde o sábado, 9, acabou rompendo e piorando a situação de vários bairros.

O resultado são as imagens acima, que mostram o caos da falta d’água em pleno século XXI.

Esta é a mudança provocada pelo governo comunista que assola o Maranhão…

0

Turismo capenga!!! bares da Litorânea agora têm rodízio de água…

Caema decidiu abastecer bares, hotéis e restaurantes apenas dia sim, dia não, interrompendo o fornecimento em pleno horário de atendimento, em uma área que funciona – ou deveria funcionar – 24 horas, todo dia da semana

 

DESESTÍMULO. Já perseguidos por Ministério público, DPU e Iphan, bares agora terão água dia sim, dia não…

Numa cidade em que as estruturas turísticas são cada vez mais jogadas de lado, a Caema decidiu tornar ainda mais difícil a realidade de que frequenta ou trabalha na orla.

Na avenida Litorânea – que abrange as praias do Olho d’água, Calhau e São Marcos – só terá água, agora, a  cada dois dias.

O rodízio de água começou na semana que passou, prejudicando restaurantes, bares, hotéis e pousadas, que precisam do líquido para garantir o atendimento e a higiene do que servem.

Leia também:

Proibição de reveillon na Litorânea: mais uma tolice do MP…

Pela regularização de bares da Litorânea…

Posto de salva-vidas é demolido na Litorânea…

 

ABANDONO…enquanto isso, esgotos como este continuam a escorrer pelas praias de São Luís

Numa área que já sofre com o despejo in natura de esgotos, a escassez de água é a decretação do fim do turismo em São Luís.

Um belo olhar para o desenvolvimento…

1

Imagem do dia: a incompetente Caema e o descaso em Imperatriz…

A imagem acima mostra o caos em Imperatriz causado pela incompetência da Companhia de Águas e Esgotos do Maranhão, que não consegue consertar uma simples bomba de abastecimento. Ou seria má-fé? o fato é que, sem água há quatro dias, a população de Imperatriz volta a viver como no século passado, com altas d’água na cabeça. A situação só confirma que este blog tem razão em pregar a privatização da Caemama

1

No governo Flávio Dino, nem os corpos podem ser retirados dignamente do IML…

Famílias que estão sofrendo pela perda de entes queridos ainda são obrigadas à humilhação de dar plantão no instituto, que não consegue liberar os corpos por uma simples questão  de falta d’água

 

Famílias são obirgadas a passar até 24 horas à espera dos corpos de entes queridos; falta d'água é o motivo

Famílias são obirgadas a passar até 24 horas à espera dos corpos de entes queridos; falta d’água é o motivo

Em 2014m para se eleger governador, o comunista Flávio Dino prometeu o céu por herança aos maranhenses.

Hoje, sob o comando do ex-juiz federal, nem a hora d amorte as pessoas podem descansar em paz.

Famílias que estão sofrendo pela perda de entes queridos são obrigadas, desde o finald e semana pasado, a aguardar indefinidamente por que o Instituto Médico Legal não consegue liberar os corpos.

Motivo: uma simples falta d’água no IML.

Há pessoas que foram para a se de do instituto na terça-feira, 23, pela manhã e, ainda hoje, mais de 24 horas depois, esperava a liberação do corpo do parente.

A Secretaria de Segurança diz apenas que houve um problema de falta d’água que, segundo a pasta já foi resolvido.

E a agonia das famílias se arrasta..

10

Batista Matos: “população espera o fim do racionamento d’água”…

Autor de uma representação na promotoria do Consumidor contra a proposta de aumento da tarifa da Caema em 86,9%, o vereador Batista Matos (PPS) conseguiu, até aqui, o adiamento e o parcelamento da proposta, fruto da representação no MP.

Com base na representação do vereador, a promotora do consumidor Lítia Cavalcanti disse que entraria com uma ação civil pública contra a companhia. O anuncio levou o diretor da Caema, João Morteira a procurar o MP, para explicar a necessidade do aumento em razão da situação de caos financeiro da empresa e de que sem o aumento os serviços ficariam ainda piores.

Batista debate problemas de abastecimento d'água com colegas na Câmara...

A promotora compreendeu, mas seguiu com o entendimento de que o aumento seria abusivo para população, diante da deficiência no abastecimento de água. Lítia propôs que aumento fosse parcelado em duas ou três partes, sendo a primeira no início do ano e as demais somente após constatação de melhora dos serviços.

Ocorre que o início do ano não foi nada bom para a Caema, que começou com dois rompimentos na adutora (foram cinco em 2011), prejudicando milhares de ludovicenses que viraram o ano sem água em casa.

– Chega de remendos e improvisos. Em 2011 foram cinco rompimentos da adutora e este ano, só em janeiro já foram dois, prejudicando milhares de ludovicenses – disse Batista Matos, que segue buscando que o MP intervenha contra qualquer possibilidade de aumento.

Esta semana, a Caema anunciou investimentos superiores a R$ 100 milhões na estrutura da adutora na região de Perizes.

– Não faço a política do quanto pior melhor. Acredito na seriedade dos diretores e na boa vontade dos funcionários da Caema e também torço para que os investimentos anunciados melhorem os serviços, mas a própria direção já admitiu que não será suficiente para acabar com o racionamento de água, o que é lamentável, pois é isso que a população espera – disse.