6

Flávio Dino manda recado a Edivaldo Jr: “não apoiaremos bolsonaristas”

Em entrevistas ao “Forum Onze e Meia”, da revista Forum, governador estabeleceu novos critérios para escolha do seu candidato ao governo e adiou para novembro a decisão, exatamente como o blog Marco Aurélio D’Eça já havia adiantado

 

Após oito anos juntos, Flávio Dino e Edivaldo começam a se afastar; Dino não apoia bolsonaristas, segmento com o qual Edivaldo vem flertando

O governador Flávio Dino (PCdoB) praticamente descartou o ex-prefeito Edivaldo Júnior (sem partido) como candidato da sua base em 2022, caso ele mantenha diálogo com grupos bolsonaristas no estado.

– Não apoiaremos bolsonaristas – descartou Dino, ao falar dos critérios para escolha do candidato de suia base.

Após passar quase oito anos flertando com o comunismo e se posicionando com as pautas da esquerda, Edivaldo Júnior deixou o PDT no início do ano e passou a se aproximar de grupos mais próximos ao presidente Jair Bolsonaro.

Evangélico, passou a dialogar com líderes deste segmento; e recebeu o convite público da deputada Mical Damasceno, que hoje controla o PTB maranhense e é abertamente bolsonarista. 

Critérios

Na entrevista, Dino mudou novamente os critérios de escolha do candidato – ele já havia descartado as pesquisas de intenção de votos – e agora mostra pouca importância também aos partidos políticos.

– Respeito os partidos, obviamente a vontade soberana do povo, mas no primeiro momento a pergunta é: qual o candidato que eu vou apoiar? Aí os critérios são esses, mas a gente vai caminhar para decidir isso – ressaltou Dino. (Ouça aqui a entrevista)

Assim como já havia adiantado o blog Marco Aurélio D’Eça, Flávio Dino prorrogou para dezembro a escolha do candidato que terá os eu apoio, diante da dificuldade de unificar a base.

Decisão esta que pode ser adiada para abril do ano que vem, segundo o próprio governador deixou a entender ao 

– Tem vários nome se colocando, o prazo de filiação vai até abril. A princípio, acho que o ideal mesmo é até o fim do ano para poder chegar ao nome, a partir desses critérios – disse o governador.

2

Parlamentares divergem sobre filiação de Felipe Camarão ao PT…

Enquanto o deputado federal Zé Carlos critica a entrada do secretário de Educação – por absoluta falta de afinidade ideológica com a legenda – o deputado estadual Zé Inácio diz que ele soma, na tentativa de ampliar a bancada na Câmara Federal

 

Zé Carlos critica filiação de Camarão, como mostrou vídeo do blog de Gilberto Léda

O anúncio da entrada do secretário de Educação Felipe Camarão ao PT – anunciada semana passada pelo blog Marco Aurélio D’Eça e confirmada por ele próprio nesta segunda-feria, 7 – gerou forte debate no partido.

Únicos representantes do PT no parlamento, os deputados Zé Carlos (federal) e Zé Inácio (estadual) divergiram sobre a entrada do secretário.

Para Zé Carlos, Felipe Camarão não tem qualquer afinidade ideológica com o PT, o que transforma o partido em uma mera legenda de aluguel.

– Desorganiza um projeto de vários anos – afirmou o parlamentar, em vídeo encaminhado aos seus aliados petistas.

Zé Inácio divergiu de Zé Carlos e elogiou entrada do secretário no PT

Já o deputado estadual Zé Inácio, recentemente alçado à condição de vice-líder do governo Flávio Dino (PCdoB) na Assembleia, elogiou a entrada de Camarão.

– Felipe Camarão é mais um quadro que vem se somar ao PT, na expectativa de ampliar a bancada de deputados federais do PT/MA – afirmou Inácio.

Camarão deve protocolar na tarde de hoje seu pedido de filiação ao partido.

Se depender de Zé Carlos, no entanto, sua filiação será contestada oficialmente; o deputado pretende recorrer às instâncias partidárias contra a entrada do ex-democrata.

Mas uma guerra interna no PT m,aranhense que se aproxima…

4

Flavio Dino monta arraial da vacinação no Pátio Norte

Governador quer vacinar pessoas a partir dos 38 anos, em campanha ininterrupta entre sábado e domingo; objetivo é imunizar toda a população adulta da Grande São Luís

 

O governador Flávio Dino anunciou nesta sexta-feira, 4, uma campanha intensiva de vacinação contra a CoVID-19 na região metropolitana de São Luís.

O Arraial da Vacinação, nome dado pelo próprio Dino, é uma espécie de virada Cultural contra a CoViD-19.

Serão vacinadas todas as pessoas com idade a partir dos 38 anos, numa campanha entre a manhã de sábado e a manhã de domingo.

O mutirão visa tornar a Grande São Luís na primeira região a vacinar toda a população adulta no país.

O Arraial da Vacinação funcionará no Shopping Pátio Norte, e atenderá pessoas de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.

2

Simplício destaca ações de Flávio Dino nos dois mandatos

Secretário de Indústria e Comércio destaca que o ciclo dinista buscou entender os problemas educacionais e trabalhar para resolvê-los, dando estrutura e condições a professores e alunos

O presidente do Solidariedade e secretário de Estado de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Araújo, elogiou as políticas criadas pelo governador Flávio Dino ao longo dos seus dois mandatos.

Para o secretário, a conduta adotada por Dino foi de entender e analisar os principais problemas educacionais presentes no Estado e criar programas, ações e metodologias que pudessem incentivar o ensino e o aprendizado.

“É preciso continuar a revolução na educação que Flávio Dino começou, com ainda mais melhorias em estruturas, capacitação e salários”, afirma o presidente.

Segundo Simplício Araújo, no Maranhão pós-pandêmico, será ainda mais importante se pensar em como implantar a educação híbrida para milhares de maranhenses e como garantir que este conhecimento chegue em todos os lares.

“Seguir no caminho que Flávio [Dino] começou é continuar a buscar investimentos para municiar alunos, professores, escolas e municípios, com equipamentos e ferramentas tecnológicas para que eles sejam assistidos a todo momento”, finalizou.

1

Maranhão pode vacinar 200 mil em uma semana…

Com o reforço na aplicação, metas do Governo do Estado e da Prefeitura de São Luís é garantir, respectivamente, a imunização de cerca de 100 mil no interior e outros 100 mil na capital

 

A Prefeitura de São Luís e o Governo do Maranhão devem garantir a vacinação de pelos menos 200 mil pessoas com uma dose de imunizante nos próximos sete dias.

O cálculo leva em conta números informados pelas duas gestões.

O governo Flávio Dino (PCdoB) anunciou um esforço de apoio a 11 municípios para vacinar 100 mil pessoas até o próximo sábado, 5.

Na lista para o recebimento do auxílio estão São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Bacabal, Santa Inês, Caxias, Codó, Timon, Açailândia, Coroatá e Imperatriz.

Já a prefeitura da capital, que vacinou 11,2 mil só na segunda-feira, 31, pode ampliar a sua capacidade de imunização nos próximos dias, garantindo 15 mil doses diárias – ou 105 mil em sete dias.

3

Palácio dos Leões quer Felipe Camarão no PT…

Secretário de Educação é um dos nomes mais fortes do governo Flávio Dino, com força para emplacar chapas majoritárias; mas pode enfrentar resistências da alas mais radicais do petismo

 

Felipe Camarão é um dos mais promissores auxiliares de Flávio Dino, e pode desembarcar no PT

Nome incluído em todas as listas de sucessor doa grado do governador  Flávio Dino (PCdoB), o secretário de Educação, Felipe Camarão (atualmente no DEM), pode chegar ao PT até o fim do ano.

A articulação, que agrada ao Palácio dos Leões, transformaria Camarão em uma espécie de coringa de Flávio Dino pára as eleições de 2022.

Ele comporia uma chapa majoritária, provavelmente a do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) – embora seja mais popular que o próprio tucano.

– Por ora, só conversas – admitiu Camarão, semana passada, ao blog Marco Aurélio D’Eça.

O blog apurou também que a entrada do secretário de Educação no PT tem o apoio da direção estadual, mais alinhada ao governo Flávio Dino – e mais submissa às orientações do Palácio dos Leões.

Mas a chapa Brandão/Felipe enfrenta resistência de petistas mais puristas, por dois motivos principais:

1 – consideram uma humilhação ao PT que se filiem pessoas não-orgânicas apenas para apontá-los como representantes do partido no governo;

2 – a aliança com o PSDB de Brandão é vista de forma negativa, por causa dos ataques proferidos a Lula pelo governador  de São Paulo, João Dória – embora outros tucanos já admitam aproximação com os petistas.

De qualquer forma, a movimentação em torno de Felipe Camarão ressaltam sua condição de principal auxiliar político do governador.

Com força para ser o que muitos outros auxiliares sonham ser…

1

Com cinco pré-candidatos, Dino tem dificuldade de unir a base

Governador aproveitou o momento da pandemia para justificar o adiamento da reunião marcada para esta segunda-feira, 31, mas já sabe que apenas três dos 16 partidos da base seguem com possibilidade de alinhamento ao projeto do seu vice-governador na disputa de 2022

 

Dino tentou ter um indicativo de unificação da base já agora, mas, faltando 1 ano e quatro meses para as eleições, ninguém segue com Brandão

Assim como o blog Marco Aurélio D’Eça vinha indicando desde o início de maio, o governador Flávio Dino (PCdoB) ainda não conseguiu condições para unificar a base em torno de um candidato único ao governo em 2022. (Relembre aqui, aqui, aqui, aqui e também aqui)

E sem consenso, teve que adiar a reunião marcada para esta segunda-feira, 31.

De acordo com o que se diz nos bastidores, Dino tenta convencer os partidos a apoiar a candidatura do vice-governador Carlos Brandão (PSDB); mas, faltando 1 ano e quatro meses para as eleições, apenas três das 16 legendas tendem a seguir com o tucano: o PCdoB, o PT e o próprio PSDB.

Todos os demais já estão com projetos definidos, como se pode ver abaixo:

1 – PDT, DEM, PSB, PSL, Cidadania e PRB tendem a seguir com o senador Weverton Rocha.

Apoiado também pelos presidentes da Assembleia, da Famem e da Câmara Municipal, o senador pedetista tem alinhamento com prefeitos de São Luís, Imperatriz, Timon, Balsas, Pinheiro e Bacabal, alguns dos maores colégios eleitorais do estado.

Mas ainda depende de espaços de poder no próprio governo Dino, o que pode levar a perdas de apoio diante de um eventual atropelo da máquina, como pregam os aliados de Brandão;

2 – PL, Avante e Patriotas pertencem ao deputado federal Josimar de Maranhãozinho.

O parlamentar controla com mão de ferro 40 prefeituras maranhenses e o mandato de quatro deputados federais: Júnior Marreca (Patriotas), Júnior Lourenço (Avante), Pastor Gil (PL) e Paulo Marinho Jr. (PL); além disso, controla deputados estaduais e vereadores em diversos municípios.

Contra Josimar pesam as ações da Polícia Federal contra ele e contra o seu grupo, além das especulações de que ele negocia apenas garantias para fechar com Brandão em melhores condições.

3 – PP e PROS ainda não fecharam nenhum apoio.

Os partidos comandados no Maranhão pelos deputados federais André Fufuca e Gastão Vieira, respectivamente, seguem ainda sem definição; mas articulam fortemente com o senador  Weverton, que já tem, inclusive,m garantia dos comandos nacionais para a aliança.

Embora se reúna sistematicamente com Weverton, Fufuca insiste em dizer que ainda segue ouvindo as bases do PP; Gastão Vieira, por sua vez, tem proposta de seguir para o PSL.

4 – PTB deve seguir com Bolsonaro e se oferece a Edivaldo Jr.

O partido hoje comandado pela deputada estadual Mical Damasceno já ofereceu legenda ao ex-prefeito de São Luís, desde que ele aceite ser candidato alinhado ao bolsonarismo, o que. em última análise nem seria problema para um político sem nenhuma consistência ideológica.

Contra Edivaldo pesam mesmo o fato de ele não construir um grupo consistente, ter abandonado seus aliados nas eleições de 2020, ter um legado de obras e serviços frágeis e, agora, as ameaças nacionais a suspeitas de corrupção em sua gestão.

5 – O Solidariedade já lançou a candidatura de seu presidente, Simplício Araújo.

O secretário de Indústria e Comércio é o maior símbolo da fragilidade da candidatura de Brandão dentro do governo Dino. Simplício questiona a força do Palácio dos Leões, os apoios políticos e a força do dinheiro nas eleições. E diz que é preciso “Vossa excelência,. o povo”,s e manifestar.

Contra estes argumentos pensam o fato de que os mais próximos de Dino pregam exatamente que ele imponha o nome do vice-governador, sem levar em consideração a base política e muito menos a manifestação do povo, medida por meio das pesquisas.

Flávio Dino segue com Brandão pressionando por sua definição como candidato já agora e Weverton, reunindo cada vez mais partidos e prefeitos

E é assim que se encontra neste momento da pré-campanha a base político eleitoral do governador Flávio Dino.

Razão pela qual ele decidiu cancelar a reunião que teria com os partidos nesta segunda-feira…

1

Maranhão descarta transmissão local da cepa indiana

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou nesta quinta-feira (27), que os testes realizados na equipe do hospital privado que atende o paciente indiano de 54 anos, internado na UTI com a variante indiana (B.1.617) em São Luís e, no grupo de 36 indianos hospedados em um hotel da capital, deram negativo para a variante.

A informação foi divulgada em uma rede social. O governador afirmou que com o resultado dos testes, o estado descarta a transmissão local pela variante indiana no Maranhão.

“Exames realizados na equipe do hospital privado que atende o paciente indiano não detectaram qualquer pessoa com a cepa indiana. Assim também no hotel com outros indianos. Assim, reiteramos que NÃO HÁ cepa indiana em transmissão local no Maranhão, no momento”, disse o governador, por meio de uma rede social.
Ao todo, foram rastreadas 147 pessoas para identificar uma possível transmissão local da variante no Maranhão. Das amostras recolhidas, seis testaram positivo para a Covid-19 e em seguida, foram encaminhadas para o Instituto Evandro Chagas, no Pará, onde foi realizado o sequenciamento genético.

De acordo com Carlos Lula, as amostras deram negativo para a variante indiana, entretanto, foram positivas para a variante P.1, originada em Manaus. Os pacientes são funcionários do hospital privado que atende o paciente indiano e mesmo antes da confirmação, foram colocados em quarentena e seguem em acompanhamento.

G1 Maranhão

0

“PSB vai defender uma aliança à esquerda para o governo”, diz Bira

Deputado federal maranhenses fala ao jornal O Globo que a eventual entrada do governador Flávio Dino (PCdoB) não mudará o projeto de alinhamento com os partidos do campo mais alinhado às pautas progressistas

 

O deputado federal Bira do Pindaré deu nesta quinta-feira, 27, mais um encaminhamento da posição do PSB nas eleições estaduais de 2022.

Eme entrevista ao jornal O Globo, ele ressalta o convite ao governador Flávio Dino (PCdoB) para entrada no partido, mas ressalta que a legenda tende a se alinhar à esquerda.

– O convite ao governador está feito, creio que ele está discutindo a transição. O PSB vai defender uma aliança na esquerda – afirmou Bira do Pindaré.

Atual presidente regional do partido, o ex-prefeito Luciano Leitoa já declarou apoio da legenda ao senador  Weverton Rocha (PDT).

O próprio Rocha entende que a eventual entrada de Dino não mudaria o encaminhamento partidário, uma vez que o PDT também está no campo mais à esquerda no espectro político.

E a posição de Bira do Pindaré, único parlamentar da legenda, reforça ainda mais esta possibilidade…

5

Às vésperas da reunião com Flávio Dino, 7 partidos fecham com Weverton

Líderes nacionais e estaduais de PDT, DEM, PSB, PSL, PRB, Cidadania e PP reúnem-se com o chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, e confirmam que apoiam a pré-candidatura do senador pedetista ao Governo do Estado

 

Gil Cutrim, Cléber Verde e o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, com o senador Weverton no jantar de homenagem a Marcelo Tavares

Embora não tenham sido pauta do jantar de apoio à indicação do deputado Marcelo Tavares ao Tribunal de Contas do Estado, sete representantes partidários reafirmaram como posição política, na última terça-feira, 25, em Brasília, o apoio à candidatura do senador Weverton Rocha (PDT) a governador, em 2022.

Os  presidentes do DEM, Juscelino Filho; do PRB, Cléber Verde; do PSL, Pedro Lucas Fernandes e do Cidadania, Eliziane Gama, disseram a Tavares – atual chefe da Casa Civil do governo Flávio Dino (PCdoB) – que estão fechados com Weverton e vão defender a unidade em torno do nome do pedetista dentro da base governista.

Além deles, apoia Weverton Rocha o presidente do PSB, Luciano Leitoa, que não esteve no encontro de Brasília.

Todos eles estarão na próxima segunda-feira, 31, na reunião convocada por Flávio Dino para discutir as eleições de 2022; Dino também quer a unidade da base.

A novidade no encontro com Marcelo Tavares foi a presença do deputado federal André Fufuca (PP), acompanhado do presidente nacional da legenda, senador Ciro Nogueira (PI), outro a hipotecar apoio a Weverton Rocha.

Osmar Filho teve importante papel na articulação do apoio a Marcelo Tavares, que resultou no jantar de terça-feria, em Brasília

Além dos sete partidos que estão com Weverton, outras cinco legendas já têm definição eleitoral no grupo de 16 agremiações que compõem a base de Flávio Dino.

Três dessas legendas – o PL, o Patriotas e o Avante – fecham com a candidatura do deputado federal Josimar de Maranhãozinho. O Solidariedade tem a candidatura de simplício Araújo; e o PSDB vai com o vice-governador Carlos Brandão.

Apenas PCdoB, PT, PTB e PROS ainda não tomaram posição; e nem devem definir até segunda-feira, dia do encontro com Flávio Dino.

Mas esta é uma outra história…