0

Falta de recursos paralisa obras na Uema, afirma César Pires

A falta de recursos para a Universidade Estadual do Maranhão (Uema) foi duramente criticada pelo deputado César Pires, em discurso da tribuna da Assembleia Legislativa. Ele afirmou que, enquanto aliados do governo noticiam investimentos na UemaSul, várias obras da Uema estão paralisadas e serviços estão prejudicados pelo descaso do atual governo do Maranhão com a universidade estadual.

César Pires ressaltou que, embora seja favorável à abertura de novos cursos da UemaSul em Estreito, com a criação de nova estrutura física e administrativa, não pode aceitar que os alunos da Uema em São Luís voltem às aulas com o restaurante universitário fechado.

“Anunciaram que o RU ficaria fechado por tempo indeterminado por falta de pagamento dos fornecedores, e só abriram depois que os estudantes denunciaram e a imprensa noticiou”, acrescentou.

Como ex-reitor da Uema, César Pires criticou o governador por virar as costas para a universidade estadual, que em São Luís e em diversos campi no interior do estado tem obras paralisadas por falta de recursos.

“No campus de Balsas, houve licitação e dada ordem de serviço para obra até hoje não iniciada. Em São Luís, no campus Paulo VI, estão parados os serviços de construção do prédio do curso de Engenharia da Computação, do anexo do Centro de Ciências Sociais Aplicadas, e dos prédios dos cursos de Administração, Matemática e Física. Tudo por falta de recursos”, listou.

Para o parlamentar, o atual governo é uma enganação técnica e política, e tem sido uma negação para a Universidade Estadual do Maranhão.

“Saio em defesa da nossa Uema, que precisa ser tratada com mais respeito e prioridade pelo governador Flávio Dino. O governo precisa assegurar prioridade à educação, tão alardeada nos discursos e longe da prática”, finalizou.

3

Grupo de Flávio Dino despreza líderes nas pesquisas em São Luís…

Apesar da boa posição nos levantamentos já realizados na capital maranhense, o deputados Duarte Júnior e Neto Evangelista não conseguem garantir apoio do governador e dos seus aliados

 

FLÁVIO DINO QUER RUBENS JÚNIOR; WEVERTON APOSTA EM OSMAR FILHO. E ambos descartam candidatos mais bem posicionados

As duas principais lideranças do grupo Flávio Dino (PCdoB) – o próprio governador e o senador Weverton Rocha (PDT) já decidiram seus candidatos a prefeito de São Luís, faltando ainda um ano e meio para o pleito.

Dino quer o secretário de Cidades, Rubens Pereira Júnior (PCdoB); Weverton aposta suas fichas no presidente da Câmara Municipal, Osmar Filho (PDT).

Curiosamente, tanto Rubens quanto Osmar ainda patinam nas pesquisas, ao contrário de outros dois governistas, os deputados estaduais Duarte Júnior (PCdoB) e Neto Evangelista (DEM).

Os dois deputados aparecem sempre entre os primeiros colocados nas pesquisas, polarizando com os oposicionistas Eduardo Braide (PMN) e Wellington do Curso (PSDB). Mas ambos têm dificuldade para atrair apoio dos líderes do grupo dinista.

Duarte Júnior, por exemplo, apesar de apresentar até 12 pontos percentuais de diferença para seu companheiro de partido, Rubens Júnior, é rejeitado pela cú8pula comunista.

E deverá ter que trocar de partido se quiser ser candidato.

Neto Evangelista chegou a engatar um “namoro” com o PDT, mas agora enfrenta resistência do partido de Weverton Rocha.

Mas tem a garantia de Juscelino Filho para concorrer pelo DEM.

Resta saber qual a lógica do grupo dinista em abrir mão de dois candidatos com potencial para chegar ao segundo turno, investindo energia e ações em outros que ainda precisam descolar das últimas posições.

Quem observa tudo de camarote é o próprio Eduardo Braide.

Que pode até vencer em primeiro turno…

1

Flávio Dino: muito mais candidato, muito menos governador…

Comunista decidiu mesmo se dedicar integralmente à viabilização do seu nome para a disputa presidencial de 2022, esquecendo que há um Maranhão inteiro necessitando de serviços e ações do seu governo

 

FLÁVIO DINO EM EVENTO NACIONAL COM RODRIGO MAIA E OUTRAS LIDERANÇAS POLÍTICAS, em plena pré-campanha presidencial…

Nos últimos dias, alguns dos principais blogs especializados em política no Maranhão criticaram uma postura recente do governador Flávio Dino (PCdoB): ele está cada vez mais agindo apenas como candidato a presidente, deixando ao largo o governo do Maranhão.

Questionando se Dino “ainda é, de fato, governador do Maranhão?”, o jornalista Jorge Aragão lembra que o comunista está apenas no oitavo mês do seu segundo mandato, e ressalta:

– Ele foi reeleito, ainda no 1º Turno das eleições de 2018, para ser governador do Maranhão por mais quatro anos e não para tentar, desde 2019, viabilizar uma candidatura nacional em 2022. (Veja a íntegra aqui)

Antes mesmo desta semana – em que Dino viajou mais do que esteve no estado – o jornalista Gilberto Léda, ainda em maio, já havia avaliado que o “ofício de governador passou a ser um estorvo para Flávio Dino”.  (Leia aqui)

…ENQUANTO ISSO É BRANDÃO QUEM FAZ AS VEZES DE GOVERNADOR, em contato constante com lideranças e populares no interior maranhense

Nessa ausência cada vez mais constante do comunista, o governo maranhense tem sido administrado pelo vice-governador Carlos Brandão (PRB), que ganha cada vez mais importância no cenário de 2022.

Melhor, então, que Dino decida-se mesmo a licenciar-se do mandato – ou até mesmo renunciá-lo – entregando a Brandão o comando do estado, e passe a dedicar-se de vez ao embate nacional com Jair Bolsonaro (PSL).

É simples assim…

2

Flávio Dino não é Bolsonaro…

Em artigo sobre a situação da Caema, sindicalista critica duramente diretores indicados pelo governador Flávio Dino e cobra deste ações de respeito aos trabalhadores

 

Por Marcos Silva

Hoje completou dois anos que o governo de Flávio Dino colocou na Diretoria de Operação e Relacionamento com os clientes da CAEMA uma pessoa de sua mais alta confiança, e a partir de janeiro de 2019 essa pessoa se tornou Diretor Gestão Administrativo-financeiro e de Pessoal.

André de Paula tinha tudo para usar a sua capacidade técnica para ajudar a empresa ser eficiente, reduzindo as Perdas Reais e as Perdas Aparentes, além de fazer avançar na atualização e expansão do cadastro de usuários ampliando o Faturamento e diminuindo a inadimplência e sugerido alternativas de garantir os serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário para os que se encontram na linha da pobreza com o governo instituído programas que assegure de forma assistencial os serviços sem prejuízo para as finanças da CAEMA.

Porém, André de Paula fez uma opção pelo lado mais fácil que é justamente atacar aos Direitos dos trabalhadores desmontando o Acordo Coletivo de Trabalho- ACT e se recusando a conceder o reajuste salarial com base na inflação acumulada de maio de 2018 a abril de 2019.

Vale lembrar mais uma vez que toda essa estrutura de conquistas trabalhistas dos empregados da CAEMA resulta de décadas de luta dos trabalhadores organizados no Sindicato dos Trabalhadores Urbanitários- STIU-MA.

Confesso que é difícil acreditar que tais ataques acontecem em um governo que se diz oposição ao governo de Bolsonaro, e que tem tido uma postura no cenário nacional que fortalece as esquerdas contra o governo do Bolsonaro e sua milícia familiar. Do qual tenho simpatia e respeito a essa atitude do Flávio Dino em liderar uma resistência ao governo miliciano do Bolsonaro que nos coloca nas trevas.

Entretanto, não podemos aceitar calado e sem resistência a essa humilhação que André de Paula faz aos trabalhadores da CAEMA em nome do governador Flávio Dino.

Se Flávio Dino é o mentor dessa infame ideia de lascar com os empregados da CAEMA onde a maioria recebem baixos salários e enfrentam péssimas condições de trabalho. Pois certamente não estar honrando sua própria história.

Trabalho há quase 13 anos na CAEMA e nunca assistir tamanha desgraça proposta aos empregados dessa empresa.

Também digo que mesmo o governo Flávio Dino destroçando os direitos dos trabalhadores e piorando as condições de trabalho, pois a CAEMA não sairá da crise e o governo será condenado a realmente iniciar uma fase de fracasso.

Portanto deixo o ultimo apelo público para que Flávio Dino reveja essa postura que não combina com quem quer enfrentar o governo de Bolsonaro e as reformas neoliberais.

Nenhum direito a menos! A Caema é viável e pode ter eficiência financeira.

7

Bolsonaro perde na guerra contra Flávio Dino…

Despreparado, grosseiro e autoritário presidente mostra-se menor a cada tentativa de se impor contra o governador maranhense que, pelo menos nesta comparação, tem apenas o autoritarismo no perfil

 

FLÁVIO DINO E BOLSONARO: AMBOS SÃO AUTORITÁRIOS, porém, o presidente se perde também na boçalidade e na grosseria

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem diminuído o seu perfil político a cada tentativa de se impor ao governador maranhense Flávio Dino (PCdoB).

Na ânsia de contrapor ao comunista – sabe-se lá porque ele resolveu partir para cima – Bolsonaro apenas expõe seu despreparo, o destrato com as palavras e a incapacidade de dialogar em nível acima da grosseria.

E fica evidente em seu discurso o desrespeito, o deboche e a ironia contra nordestinos e contra o Nordeste.

O presidente que ora comanda a República é incapaz de formular um pensamento; e exacerba o autoritarismo a cada movimento como chefe da nação.

Em todos esses aspectos, pelo menos, acaba perdendo para Flávio Dino.

O comunista maranhense, pelo menos é culto e mostra-se inteligente no trato do debate político.

Apenas o autoritarismo compõe o seu perfil. (Não entendeu? Entenda aqui, aqui e aqui)

Mas diante da boçalidade de Bolsonaro…

0

Edilázio lamenta encerramento de especialidades em hospitais do MA

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD), lamentou hoje na Câmara Federal, a situação da saúde pública do estado do Maranhão.

Em apenas um mês mais de sete especialidades foram encerradas pelo Governo do Estado em hospitais de referência na capital e nos municípios do interior.

Ele citou como exemplo a suspensão de neurologia para atendimento de crianças com microcefalia no Hospita Juvêncio Matos, em São Luís; o encerramento de Ortopedia, Urologia e Tomografia em Pinheiro; o encerramento de neurocirurgia em Coroatá e o encerramento de atendimentos em Pediatria em Santa Inês.

“É com muita tristeza que venho externar o que está ocorrendo com a Saúde pública do estado do Maranhão que tem como governador, o senhor Flávio Dino. Só no mês de julho encerrou-se o atendimento e especialidade em todos esses hospitais. É lamentável”, disse, ao fazer referência às unidades dos municípios citados acima.

Ele cobrou a retomada dos atendimentos e disse que vai fiscalizar a Saúde Pública no estado.

15

Leitora do blog faz curioso prognóstico sobre 2022 no MA…

Comentarista aponta cenários que incluem aliança entre Roseana Sarney, Flávio Dino e Weverton Rocha, põem Roberto Rocha e Maura Jorge na oposição e levam Carlos Brandão ao TCE

 

FLÁVIO DINO E ROSEANA NUMA MESMA CHAPA EM 2022 PASSOU A SER VISTO COM MAIOR NATURALIDADE após encontro do comunista com José Sarney

Um curioso comentário, assinado pela leitora Mariana Frota, publicado no post “Sérgio Moro e Jair Bolsonaro a caminho do cadafalso…” levou o blog Marco Aurélio D’Eça a publicá-lo, em forma de prognóstico para 2022.

Na avaliação de Frota, o pleito geral de daqui a três anos pode ter o governador Flávio Dino (PCdoB) e a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) na mesma chapa, incluindo ainda o senador Weverton Rocha (PDT)

– Articulação das eleições 2022 já se antecipando no Maranhão. Os cenários previstos são: Chapa 1 Weverton Rocha candidato ao Governo, Roseana Sarney candidata ao Senado, Flávio Dino candidato a Presidente – afirmou.

O comentário de Mariana se deu em resposta a outro comentário, do leitor Carlos Dantas, que analisou o mesmo post.

Muito provavelmente, ao formar chapa com Roseana e Flávio Dino ela se baseou na revelação de encontro entre o comunista e o ex-presidente José Sarney (MDB), divulgado em primeira mão neste blog. (Relembre aqui, aqui, aqui e aqui)

A REUNIÃO DE FLÁVIO DINO COM JOSÉ SARNEY GERA ESPECULAÇÕES sobre o futuro político do Maranhão a partir de 2022

Para a leitora, a chapa de oposição em 2022 terá o senador Roberto Rocha (PSDB) e a ex-prefeita Maura Jorge (PSL), com qualquer um dos dois como candidato a governador.

Ela dá ainda uma terceira opção de candidatura, tendo Josimar de Maranhãozinho (PL) na disputa pelo governo e Dino candidato a presidente.

Neste cenário específico, ela aponta Carlos Brandão (PRB) como indicação para o Tribunal de Contas do Estado.

De uma forma ou de outra, a análise de Mariana aponta para uma mudança geral de conjuntura política no Maranhão.

É aguardar e conferir…

0

Com Roseana, César Pires lembra os 40% que rejeitaram Flávio Dino

Deputado reuniu-se com a ex-governadora para avaliar no cenário político-econômico e social do Maranhão e reforçou a unidade dos oposicionistas do estado

 

CÉSAR PIRES E ROSEANA: UNIDADE DA OPOSIÇÃO MARANHENSE para representar os 40 da população que rejeitam Flávio Dino

O cenário político, social e econômico do Maranhão e do Brasil foi o assunto central do encontro que o deputado César Pires (PV) teve no final da semana com a ex-governadora Roseana Sarney. Eles também conversaram sobre a organização da oposição no Maranhão.

“Roseana ainda é a maior liderança de oposição ao atual governo, e também por toda a sua vivência política e administrativa, como parlamentar e gestora, é sempre importante trocar ideias com ela e saber suas impressões do atual contexto político e socioeconômico do Maranhão e do país”, declarou César Pires.

Segundo o parlamentar, a intenção é alinhar cada vez mais a atuação dos políticos de oposição, visando representar, com qualidade e da melhor forma possível, os cerca de 40% da população maranhense que rejeitaram nas urnas o atual governo do Maranhão.

“Cumprimos com muito empenho e seriedade a nossa obrigação de fiscalizar os atos do Executivo e de cobrar ações e investimentos demandados pela população”, finalizou ele.

5

Valor Econômico destaca poder de articulação de Flávio Dino…

Jornal carioca ressalta reunião do governador maranhense com três ex-presidentes – Fernando Henrique Cardoso, Lula e José Sarney – no intervalo de apenas um mês; e destaca que o próprio Bolsonaro tratou de incluir o comunista para o debate presidencial de 2022

 

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO FOI UM DOS TRÊS EX-PRESIDENTES VISITADOS POR FLÁVIO DINO; mas coube ao próprio Bolsonaro chamá-lo para o debate

O jornal Valor Econômico destacou em ampla reportagem a entrada oficial do governador maranhense Flávio Dino na corrida presidencial – alçado que foi à condição de adversário pelo próprio presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Aliás, essa acusação de golpe de Bolsonaro, com a antecipação do debate com Dino, já havia sido abordada no blog Marco Aurélio D’Eça, no post “Flávio Dino antecipa campanha presidencial…”.

A reportagem do valor Econômico, escrita pela jornalista Malu Delgado, ressalta, sobretudo, o poder de articulação mostrado por Dino, que conseguiu reunir-se em um intervalo de um mês com três ex-presidentes; Lula (PT), Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e José Sarney (MDB).

– Mas coube ao atual, Jair Bolsonaro, fazer o marketing do que o maranhense costura há meses nos bastidores: a formulação de uma alternativa de poder ao centro em 2022 – destaca o Valor, em matéria reproduzida na íntegra pelo blog de Clodoaldo Corrêa. (Leia aqui)

FLÁVIO DINO COM REPRESENTANTES DO PSB EM BRASÍLIA; debate presidencial antecipado pela acusação de golpe de Bolsonaro

A entrada do comunista maranhense na corrida presidencial foi destaque também na revista Veja, que já está nas bancas.

À revista, Dino volta a admitir desejo de ser candidato a presidente, depois de admitir, “desadmitir” e admitir novamente.

Além da inserção midiática, Flávio Dino já articula também mobilização partidária; para isso, já esteve reunido com lideranças do PSB e do PCdoB; e mira também o PDT, que ainda tem Ciro Gomes como opção para 2022.

Mas esta é uma outra história…

3

Flávio Dino antecipa campanha presidencial…

Governador tira licença do mandato e sai em articulações com lideranças políticas e partidos de esquerda – e já alcançou o objetivo inicial do seu projeto: a polarização com o presidente Jair Bolsonaro

 

FLÁVIO DINO COM REPRESENTANTES DO PSB EM BRASÍLIA; debate presidencial antecipado pela acusação de golpe de Bolsonaro

O governador Flávio Dino (PCdoB) está em franca campanha pela presidência do Brasil.

O encontro desta quarta-feira, 24, com lideranças do PSB, é mais um ponto da estratégia iniciada semana passada, com declarações de membros do PCdoB em defesa de sua candidatura. (Relembre aqui)

O que Flávio Dino não esperava era que o próprio Bolsonaro antecipasse em mais de três anos o processo eleitoral e mostrasse ao público seu incômodo com o comunista maranhense, exibido na conversa vazada entre ele o ministro da Casa Civil, Onix Lorenzoni sobre o “Paraíba governador do Maranhão”.

O governo federal se voltou contra Dino; seus agentes, ministros e aliados têm se manifestado cada vez mais sobre o comunista, o que só faz crescer a onda em torno do governador.

O efeito colateral desta exposição antecipada é o resultado prático que o comunista tem a apresentar de seu governo, cada vez mais vidraça aos olhos da mídia nacional.

Mas esta é uma outra história…