0

Contraponto de Flávio Dino a Braide é recado também para Brandão…

Movimentos do vice-governador eram visto por parcela significativa de lideranças políticas maranhenses, desde 2019, como gestos de aproximação do candidato do Podemos, o que não cessou nem mesmo com a candidatura de Duarte Júnior pelo Republicanos

 

Aliados de Carlos Brandão dizem que ele pode se beneficiar com vitória de Eduardo Braide em São Luís, apesar do candidato do Republicanos…

Análise de conjuntura

O contraponto público do governador Flávio Dino em relação ao deputado federal Eduardo Braide enquadrou uma série de aliados do Palácio dos Leões que já vinham fazendo gestos de aproximação com o candidato do Podemos a prefeito de São Luís.

Mas o recado direto foi para o vice-governador Carlos Brandão (Republicanos).

Dez entre dez aliados de Brandão apontam a vitória de Eduardo Braide em São Luís como favorável ao projeto de poder do vice-governador em 2022.

E essa opinião não havia cessado nem mesmo com a candidatura do deputados estadual Duarte Júnior pelo Republicanos, partido do próprio Brandão.

O blog Marco Aurélio D’Eça traçou, desde 2019, vários cenários em que mostrava a perspectiva de poder envolvendo Carlos Brandão e Eduardo Braide. (Relembre aqui e aqui)

Um destes posts mais sugestivos está às vésperas de completar um ano; foi publicado em 29 de outubro do ano passado, sob o título “A Perspectiva Carlos Brandão/Eduardo Braide…”.

Apesar do apoio do PRB à candidatura de Duarte Júnior, o vice-governador ainda não entrou de cabeça na campanha; pelo menos não se vê publicamente este movimento.

Ao contrapor Braide, Flávio Dino disse a Brandão e outros aliados que são Neto, Duarte e Rubens os candidatos do seu grupo político

Flávio Dino decidiu fazer o contraponto a Braide como uma força de mostrar para Brandão quem é o adversário do Palácio dos Leões.

E se a disputa for para o segundo turno, vai cobrar de todos a participação efetiva de quem estiver contra o deputado do Podemos.

Isso inclui, obviamente, o próprio Carlos Brandão.

Seja quem for o candidato do Palácio…

1

Postura de Dino contra Braide esvazia torcida no governo pelo deputado

Auxiliares do governador já demonstravam nos bastidores resiliência em relação a uma possível vitória do candidato do Podemos em primeiro turno, mas os ataques do governador dão outra dinâmica à disputa em São Luís

 

Flávio Dino com os três principais candidatos de sua base – Neto, Rubens e Duarte, pela ordem; ataque a Braide é recado aos auxiliares resilientes

A postura de confronto adotada pelo governador Flávio Dino (PCdoB) em relação ao deputado federal Eduardo Braide (Podemos) foi vista no Palácio dos Leões como uma espécie de recado aos auxiliares do governo.

Dino irritou-se com a republicação de um post antigo de Braide, criticando a falta de parceria entre governo e prefeitura, e acabou partindo para o ataque contra o candidato do Podemos, líder nas pesquisas de intenção de votos em São Luís.

Com chances de vencer em primeiro turno, Braide vinha recebendo torcida discreta e resiliente de vários setores do governo comunista, que receberam a publicação de Flávio Dino como uma espécie de recado.

O candidato do Podemos tem também simpatia de setores da prefeitura, como revelou este blog no post publicado em 5 de outubro, intitulado “Núcleo de Edivaldo vai de neutralidade à leve torcida por Braide…”  

Mas fake news confrontada por Flávio Dino acabou por revelar sua postura nas eleições de São Luís.

O governador ainda espera um segundo turno e deve se posicionar, caso isto ocorra, de forma mais assertiva em favor de um eventual adversário do deputado do Podemos – seja qual for o escolhido.

O problema para o comunista é que são cada vez maiores as chances de uma vitória de Braide em primeiro turno…

0

Disputa em Paço do Lumiar racha Republicanos no Maranhão…

Embora filiado ao partido de Cléber Verde, que apoia Fred Campos, vice-governador Carlos Brandão atua em favor de Paula da Pindoba, candidata do PCdoB, a pedido do governador Flávio Dino

 

Carlos Brandão tem atuado em favor de Paula da Pindoba em Paço do Lumiar, mesmo com o republicanos apoiando Fred Campos

A disputa em Paço do Lumiar gerou uma espécie de racha no Republicanos, partido comandado no Maranhão pelo deputado federal Cléber Verde e que tem no vice-governador Carlos Brandão sua principal estrela.

Verde apoia o candidato Fred Campos (PL), principal nome da oposição no município.

Mas, a pedido do governador Flávio Dino (PCdoB), Carlos Brandão está atuando em favor da prefeita Paula da Pindoba (Solidariedade), que tenta à reeleição.

Fred Campos tem como um dos principais aliados o presidente do Republicanos, Cléber Verde

O apoio de Brandão a Paula é uma espécie de teste á fidelidade do vice-governador a Dino.

O governador comunista, aliás, tem dado cada vez mais missões políticas ao seu vice; e já comunicou aos mais próximo que é ele o seu candidato a governador em 2022.

Mas esta é uma outra história…

2

A estranha queda de Lawrence Mello da MOB…

Delegado nomeado para Agência de Mobilidade Urbana em uma articulação que envolveu setores do PT foi fritado no posto de forma silenciosa e sem nenhum tipo de manifestação do próprio PT

 

Aproveitando passagem de Lula por São Luís, Lawrence Mello (entre Honorato e Lula) foi filiado ao P; um dia depois chegou ao governo,. de onde agora é exonerado

O delegado Lawrence Mello está deixando a presidência da Agência de Mobilidade Urbana (MOB) do Maranhão, espécie de Secretaria de Transportes do governo estadual.

Sua exoneração está pronta desde a tarde desta terçã-feria, 13, aguardando apenas assinatura do governador Flávio Dino (PCdoB). 

Melo havia sido nomeado para o posto por indicação do PT, apenas um dia depois de ele se filiar à legenda; chegou, inclusive, a ser cotado como opção petista para a Prefeitura de São Luís.

Na MOB, ele estava subordinado ao Secretário d e Governo Diego Galdino, hoje um dos homens mais fortes do governador Flávio Dino, ao lado do secretário de Educação Felipe Camarão.

Ambos, Galdino e Camarão, estariam, insatisfeitos com o desempenho do delegado à frente da agência.

Ainda não há informações sobre substituto do petista…

6

Com Lula pedindo votos, Rubens impacta primeiro programa na TV…

Candidato do PCdoB apostou em um nicho eleitoral no qual navega sozinho, envolvendo diretamente o ex-presidente petista e o governador Flávio Dino, também “usado” na campanha de Duarte Júnior

 

Rubens Júnior assumiu o risco de demarcar terreno com Flávio Dino e, sobretudo, com Lula, e impactou o primeiro programa eleitoral

O primeiro programa eleitoral desta campanha de 2020 teve o candidato do PCdoB, Rubens Pereira Júnior, como destaque.

O comunista apostou na presença do ex-presidente Lula – que pediu votos diretamente a ele – e no governador Flávio Dino (PCdoB), figura onipresente no programa.

Para o bem ou para o mal, Rubens impactou o horário eleitoral por que arriscou e demarcou um terreno próprio, no campo da esquerda.

A julgar pela reação dos eleitores com os quais o titular do blog Marco Aurélio D’Eça assistiu ao programa, o impacto foi positivo.

Goste ou não o eleitor, a presença de Lula na campanha é um forte diferencial.

Neto humanizou programa

A aposta de Neto também foi acertada, ao humanizar o programa, mostrando povo, bairros e comunidades, sua realidade histórica

Outro destaque do primeiro dia de propaganda foi o candidato do DEM, Neto Evangelista.

O democrata humanizou seu programa ao se mostrar em meio ao povo, como oriundo do povo e de origem nas regiões mais populares, mesclando informações de projetos, com música e presença de populares.

Duarte Júnior seguiu o mesmo modelo, ressaltando ter origem humilde; ele também vinculou sua campanha a Flávio Dino, ainda que indiretamente. 

Numa espécie de mero cumprimento de tabela, o programa de Eduardo Braide (Podemos) apresentou apenas uma música, com imagens da campanha de 2016, mescladas com outras, de agora, sem maiores impactos.

Perfeitamente técnico, mas sem emoção.

Candidatos fora do ar

Dois candidatos não apareceram neste primeiro programa: Jeisael Marx e Sílvio Antonio, que devem ficar de fora de quase toda a propaganda.

Já o programa do Solidariedade ficou com tela paralisada por causa da desistência do seu candidato, Carlos Madeira. 

E assim foi o primeiro dia de horário eleitoral gratuito na TV…

2

Carlos Brandão inicia agenda pré-2022…

Depois de ver o senador Weverton Rocha ocupar os espaços políticos no interior e ganhar terreno em relação à disputa pelo governo, vice-governador decide fazer propaganda de suas ações e visitas pelos municípios

 

Carlos Brandão e sua clara agenda de pré-campanha: aceno para 2022 em busca de retomada de tempo perdido

O vice-governador Carlos Brandão (PRB) decidiu sair da dependência em relação ao governador Flávio Dino (PCdoB) e iniciou uma agenda própria com vistas à viabilização de seu nome para 2022.

Até agora, Brandão apenas acompanhou a movimentação de seu principal adversário interno, o senador Weverton Rocha (PDT), que vem ocupando espaços nos municípios e já desponta melhor colocado nas pesquisas de intenção de votos em várias regiões.

Para divulgar suas incursões pelo interior, foi crida até um slogan, chamado “Brandão Pelo Maranhão”.

Além de mobilizar-se midiaticamente em suas ações pelo interior, o vice-governador decidiu abandonar a dependência política que mostrava em relação ao próprio Dino, a quem atribuía as decisões sobre seu próprio futuro político.

O novo Carlos Brandão tenta vender a imagem de que terá nas mãos as próprias decisões, o que pode atrair a classe política, ressabiada pela falta de decisões em relação ´[as eleições de daqui dois anos.

Ele tem um trunfo significativo: o fato de que assumirá, fatalmente, o governo em 2022 e concorrerá ao cargo.

Resta saber se será suficiente para torná-lo conhecido a tempo de concorrer à reeleição…

2

Desempenho de Rubens Júnior gera desânimo no Palácio dos Leões

Candidato comunista que usa a imagem de Flávio Dino em campanha não consegue deslanchar nas pesquisas mesmo com toda a estrutura de campanha em torno de si, o que faz aliados lamentarem o equívoco da escolha

 

Rubens Júnior não consegue deslanchar nas pequisas e gera desânimo entre aliados

A pesquisa do Instituto Prever divulgada no fim de semana gerou um clima de desânimo entre os aliados do candidato comunista Rubens Júnior.

Com a imagem vinculada diretamente ao governador Flávio Dino, Rubens não consegue deslanchar nas pesquisas de opinião, patinando com índices na casa de 1% a 2%.

E só varia para cima dentro da margem de erro.

Faltando exatos 40 dias para o primeiro turno, aliados do PCdoB começam a considerar equivocada a escolha pelo candidato do Palácio dos Leões.

Tecnicamente, Pereira Júnior tem pouco mais de um mês para conseguir a façanha de tirar votos de Duarte Júnior (PRB), Neto Evangelista (DEM) e Bira do Pindaré (PSB) – todos à sua frente – e ainda fazer Eduardo Braide parar de crescer.

Uma missão quase impossível diante da realidade mostrada pelas pesquisas, que apontam crescimento, tanto de Braide quanto de Duarte e de Neto.

O candidato de Flávio Dino a prefeito de São Luís mostra-se, portanto, uma causa morta para aliados.

E a tendência é de que muitos joguem a toalha antes mesmo do primeiro turno…

4

Núcleo de Edivaldo vai de neutralidade à “leve” torcida por Braide

Relação de animosidade com alguns candidatos da base do governo Flávio Dino e aproximação com o projeto de poder do vice-governador Carlos Brandão podem levar o prefeito de São Luís a uma postura vinculada entre 2020 e 2022

 

Edivaldo está cada vez mais alinhado ao vice-governador Carlos Brandão; e não apenas nas vestes parecidas

A movimentação de bastidores no círculo mais próximo do poder na Prefeitura de São Luís apontam um caminho diferente do esperado para o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) nas eleições da capital maranhense.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, Edivaldo resiste a apoiar os principais candidatos da base do governo Flávio Dino (PCdoB) com os quais tem algum tipo de animosidade pessoal – Duarte Júnior (Republicanos), Neto Evangelista (DEM) ou Rubens Júnior (PCdoB).

Nas conversas com os auxiliares mais próximos do prefeito, o titular do blog Marco Aurélio D’Eça percebe, inclusive, uma certa expressão de desejo pela vitória de Braide ainda no primeiro turno.

Na semana passada, blogs ligados ao Palácio dos Leões chegaram a noticiar que Edivaldo apoiaria Rubens Júnior já no primeiro turno, mais um tiro que saiu pela culatra na campanha comunista.

Pereira Júnior apoiou Braide contra Edivaldo no segundo turno de 2016 e se manteve crítico ao prefeito após exoneração de aliados na gestão municipal.

O apoio a Duarte Júnior seria natural pela aproximação do prefeito com o vice-governador Carlos Brandão – de olho nas eleições de 2022 – mas a relação com o deputado republicano também é ruim, diante das críticas à gestão na capital.

Além disso, o próprio Brandão tende a cruzar os braços se o seu afilhado político não figurar na disputa contra Eduardo Braide.

Para Edivaldo Júnior, hoje um dos principais cabos eleitorais de São Luís, portanto, uma vitória de Eduardo Braide – em primeiro ou segundo turno – seria natural, e até benéfica, em um processo casado com 2022.

Por isso a insistente neutralidade do prefeito…

1

César Pires afirma que desafetação de imóveis do FEPA prejudica servidores estaduais

O deputado César Pires criticou a aprovação, em regime de urgência, do projeto de Lei 321/2020, de iniciativa do Poder Executivo, que autoriza a desafetação de imóveis pertencentes ao Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria do Governo do Maranhão (Fepa).

Para o parlamentar, a medida trará mais prejuízos aos servidores estaduais, que no futuro poderão ficar sem benefícios previdenciários.

“O governo subtraiu mais de R$ 1 bilhão do FEPA e agora estão retirando o patrimônio do fundo para compensar sua má gestão. Quando não tiver mais nenhum recurso nem imóveis, de que o Estado vai se valer para pagar os aposentados e pensionistas”, questionou César Pires

De acordo com o projeto de lei, as áreas desafetadas são o Complexo Hospitalar composto pelo Hospital Carlos Macieira, terreno destinado ao novo Hospital do Servidor e terreno destinado ao respectivo estacionamento, na Avenida Jerônimo de Albuquerque; área destinada à ampliação da Avenida Jerônimo de Albuquerque, no bairro Angelim; e o Edifício Governador Archer, na Avenida Magalhães de Almeida, Centro.

Pelas áreas desafetadas, o Governo do Estado indenizará ao FEPA o valor de R$ 274.749.453, 91, descontando desse total os aportes já realizados pelo Tesouro Estadual para o pagamento de benefícios previdenciários. O saldo dessa compensação será pago em 12 parcelas mensais. Para o deputado, o governo deveria apresentar o valor do metro quadrado de cada um desses imóveis, para informar de forma transparente quanto estão pagando pelo patrimônio dos servidores.

“O governo quebrou o FEPA e agora estão desafetando os imóveis para compensar os recursos que o Estado, por obrigação legal, teve que utilizar para pagar os benefícios previdenciários a que os servidores têm direito. Apostam na leniência da Assembleia Legislativa, que aprova sem sequer discutir uma proposta tão séria para os servidores estaduais”, lamentou ele.

0

Fábio Macedo desmente rumores de ruptura com Flávio Dino

O deputado estadual Fábio Macedo, desmentiu os rumores de uma suposta ruptura com o Governador Flávio Dino, por conta das eleições em Dom Pedro, onde a sua família está apoiando um candidato de outro grupo político.

“Fiquei surpreso quando li algumas notícias sobre um rompimento com o governador. Nós sempre apoiamos e vamos continuar firmes na base governista. Em Dom Pedro, por conta de questões pessoais, meu irmão Hernando decidiu não concorrer as eleições na cidade, ele não é candidato e se fosse tenho certeza que teríamos todo grupo político do Flávio ao nosso lado, que inclusive é companheiro de partido do meu irmão”.

Macedo ainda explicou a situação política de Dom Pedro sobre a conjuntura das eleições municipais.

“Por não concorrermos as eleições é natural que façamos as escolhas que consideramos ser melhores para o nosso grupo político na cidade. O candidato que optamos foi o Leonardo Paz, porque é um projeto que nos identificamos, mas ele faz parte de um grupo político diferente do governador. Isso acontece em várias cidades, principalmente em eleições municipais e isso não significa um rompimento”, finalizou o parlamentar.