11

Hacker confirma que diálogos entre Deltan e Moro são autênticos…

Em depoimento à Polícia Federal, Walter Delgatti Neto contou como acessou as contas do Telegram do ex-juiz e do procurador, garantiu que não editou nenhuma conversa entre os dois e confirmou que não conhece o jornalista Gleen Grennwald, responsável pela divulgação dos áudios

 

O HACKER WALTER DELGATTI; ACESSO POR ACASO À CONTA DE DELTAN DALLAGNOL e confirmação de diálogos não-republicanos com Sérgio Moro

O depoimento do hacker Walter Delgatti Neto – acusado de ser o responsável pelo grampo nas conversas entre o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol – é uma espécie de pá-de-cal nas pretensões de Moro de negar a manipulação do julgamento de Lula.

O hacker não apenas confirmou a autenticidades das conversas entre o ex-juiz e o procurador como também revelou não conhecer o jornalista Gleen Grennwald; e muito menos a ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB).

No depoimento à Polícia Federal, Delgatti explicou como chegou à conta de Dallagnol e disse que, só após ver o conteúdo das conversas dele com procuradores e com Moro, achou que tinha coisa errada nisso.

Foi então que procurou, via mensagem, a deputada Manuela D’Ávila – que a principio desconfiou, mas se convenceu após ouvir um dos áudios.  Manuela repassou o número a Grennwald, que também falou com Delgatti apenas por telefone.

E entendeu que as conversas eram de interesse público.

Como de fato são.

Se Moro queria – com a prisão do hacker – tentar destruir provas da autenticidade das conversas, ele apenas contribuiu para que elas fossem autenticadas.

Em outras palavras: está provado que ele manipulou a operação Lava Jato para levar à condenação de Lula.

A palavra, agora, está com o Supremo Tribunal Federal.

E não há outra saída, a não ser a anulação do julgamento.

Simples assim…

4

Moro alarma autoridades sobre grampos e avisa: vai destruir provas

Foi o próprio ministro da Justiça quem ligou para figurões da República afirmando haver conversas deles no material dos supostos hacker’s de Araraquara; mas, ao invés de manter o conteúdo, ele informou que dará fim neles, em mais um crime contra o Estado de Direito

DEPOIS DE MANIPULAR O JULGAMENTO DE LULA, SÉRGIO MORO AGORA TENTA DESTRUIR PROVAS contra si e contra aliados

O ex-juiz Sérgio Moro, agora ministro da Justiça, segue sua missão de Justiceiro, agindo contra o próprio estado de Direito no Brasil.

Foi Moro quem deu o alarme nesta quinta-feira, 25, ligando para deus-e-o-mundo na República alegando ter conversas de autoridades capturadas no material dos supostos hacker’s presos em Araraquara

Desde o presidente Jair Bolsonaro até a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, passando por deputados, senadores e membros do Supremo Tribunal Federal, todos teriam sido grampeados pelos araraquaroviscks.

Mas o que fez o paladino da Justiça?!? ao invés de guardar as provas, ele já avisou a essas alarmadas autoridades que iria destruir tudo.

Está mais do que claro que Moro tenta livrar a própria pele.

Ao envolver autoridades da República nos grampos de Araraquara, o ex-juiz cria uma comoção nacional, escandaliza na imprensa e desqualifica quem publicar conversas desses grampos.

Pior: em sua fala às autoridades, subordina os chefes da operação da Polícia Federal como seus meros contínuos, dos quais ele toma qualquer coisa, a hora que quiser, para destruir, ao seu bel prazer.

Como Justiceiro – agora do Palácio do Planalto – Sérgio Moro pode até destruir as evidências contra ele e contra seus aliados.

Mas essas mesmas evidências já estão em poder da imprensa livre.

E elas também virão à tona…

2

Farsa?!? Prisão de hackers nada tem a ver com o caso The Intercept…

Presos pela Polícia Federal são investigados por denúncia do ministro Sérgio Moro feita no dia 4 de junho enquanto que as conversas reveladas pelo site remetem ao ano de 2015

 

DOIS DOS SUPOSTOS HACKERS PRESOS: VÍNCULOS FORJADOS E DIFICULDADE À DEFESA, num roteiro que exigiu a licença do próprio Moro

É uma farsa – aparentemente montada para tentar livrar a cara do ministro Sérgio Moro e a Lava Jato – a ligação dos supostos hackers presos nesta terça-feira, 23, com a divulgação de conversas do ex-juiz e de membros da Lava Jato.

Esta operação da Polícia Federal é fruto de uma reclamação formal de Moro, feita no dia 4 de junho, quando o ex-juiz afirmou que seu telefone havia sido hackeado. O próprio ministro afirmou, no entanto, que nada havia sido capturado do aparelho.

Após a acusação de Moro, a Polícia Federal montou a operação Spoofing. E após a prisão dos supostos envolvidos, outros membros do governo, como o ministro Paulo Guedes e a deputada federal Joyce Hasselman, resolveram dizer-se também hackeados.

Tudo dentro de um roteiro pré-estabelecido, que conta, inclusive, com providencial licença de Moro do posto de ministro da Justiça e comandante da Polícia Federal.

Ocorre que as conversas entre Moro e Deltan Dallagnol; e entre este e outros membros da Lava Jato – que alguns dos próprios envolvidos já confirmaram a autenticidade – se deu bem antes disso, e remonta ao ano de 2015, quando Moro ainda era juiz da Lava Jato.

São Centenas, talvez milhares, de conversas, documentos, planilhas e outras provas de que Moro e Deltan – julgador e acusador – armaram para montar a condenação do ex-presidente Lula.

Setores da imprensa vinculados ao governo Bolsonaro apressaram-se, ontem, a vincular as prisões da Spoofing ao caso The Intercept.

Outros setores, mais independentes, preferiram aguardar novos desdobramentos.

Até porque sentiram cheiro de uma farsa sendo montada…

4

Ataque criminoso tira blog do ar…

hackerEm meio ao debate sobre as eleições, às vésperas do pleito de domingo, 2,  hackers derrubaram a página marcoaurelidoeca.com.br, deixando quase 24 horas fora do ar

Este blog foi atacado por hackers em plena discussão sobre o cancelamento do debate da TV Difusora, nesta terça-feira, 27.

O titular, jornalista Marco Aurélio D’Eça, lamenta a agressão antidemocrática, agradece a compreensão dos leitores e anuncia o retorno do site.

O blog vai continuar sua missão de analisar, independentemente de paixões ou posições ideológicas, todos os fatos políticos do Maranhão, exatamente como faz há 10 anos, completados na última segunda-feira, 26.

A equipe agradece ás inúmeras manifestações de solidariedade, nas redes sociais e nos grupos de WhatsApp.

Bola pra frente…

3

Site de campanha de Holandinha é hackeado…

O site de Holandinha hackeado; sem informações de campanha

O site de Holandinha hackeado; sem informações de campanha

O site Edivaldo36, usado pelo prefeito Edvaldo Holanda Júnior (PTC), durante a campanha eleitoral de 2012, para apresentar suas propostas, está inacessível.

O portal servia para que a população comparasse o que o prefeito prometeu em campanha e o que foi executado.
Mas o site foi hackeado. O que aparece é a inscrição H4CK3D.

O que chama atenção é a inscrição logo abaixo do símbolo do hacker responsável pela alteração:

– Prefeito, vamos trabalhar! – diz a provocação…