13

A pá de cal sobre Hondinha…

Senador Renan Calheiros quer que candidatos a caros majoritários sejam obrigados a deixar os cargos par se candidatar à reeleição; se isso ocorrer, as chances do já desgastadíssimo prefeito de São Luís vão a zero nas próximas eleições

 

Edivaldo: se no cargo já é difícil, imagine fora...

Edivaldo: se no cargo já é difícil, imagine fora…

O presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL) pretende por em votação, já nesta emana, uma Proposta de Emenda Constitucional que faz modificações na forma da reeleição de candidatos a caros majoritários no país.

Pela proposta, os candidatos a cargos no Executivo – presidente, governador e prefeito – terão que deixar seus cargos seis meses antes do pleito.

A proposta, de autoria da senadora Ana Amélia (PP-RS) foi aprovado na Comissão de Constituição de  Justiça do Senado desde fevereiro de 2014 e está pronta par ir à votação plenária. (Leia aqui)

A decisão de Renan é uma espécie de represália à presidente Dilma Rousseff e ao PT, que ele vê como responsáveis pela inclusão do seu nome na lista de investigados da Operação Lava Jato.

Represália ou não, terá desdobramentos nas eleições de 2016.

Em São Luís, por exemplo, será a pá de cal na candidatura do prefeito Edivaldo Júnior.

Holandinha enfrenta índices de rejeição tecos, sempre na casados 70%, e tenta de todas as formas sobreviver no cargo, para tentar uma já improvável reeleição em 2016.

Se tiver de deixar o cargo para concorrer de novo, suas chances de vencer a disputa vão a zero.

5

Eximindo-se…

Tem repercutido muito nos meios políticos a insistência com a qual o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior (PTC), deixa claro a expectativa que tem em relação à posse do futuro governador Flávio Dino (PCdoB).

https://marcoaureliodeca.com.br/wp-content/uploads/2012/06/boneco1.jpgO prefeito passa a ideia de que, partir de então, todos os seus problemas estarão resolvidos.

Mas a insistência do prefeito apenas reforça a sua imagem de dependência e de incapacidade na resolução dos próprios problemas.

Edivaldo foi eleito em 2012 sob a tutela de Flávio Dino, mas não conseguiu honrar os compromissos de campanha. Agora, que seu tutor assume o governo, parece um menino inseguro, na expectativa de que o padrinho resolva o problema em que se envolveu.

Flávio Dino já deu mostras de que, se puder, fará algo pelo prefeito da capital maranhense, mas tem consciência de que precisa fazer também pelos outros 216 municípios, até para honrar o seu discurso de mudança.

Tutelar Edivaldo Júnior depois de o próprio prefeito não dar as respostas necessárias durante toda a primeira metade de sua gestão, é também dizer à população que o prefeito não consegue andar com as próprias pernas.

Além do mais, o governo tem em sua base pelo menos três outros políticos de São Luís interessados no cargo ora ocupado pelo prefeito. E eles entenderão como uma espécie de traição a preferência do governador pelo afilhado.

O que Edivaldo Júnior precisa é arregaçar as mangas, ele próprio, e mudar a dinâmica de sua gestão na capital maranhense.

O auxílio do governador terá que ser apenas institucional, disponibilizando os instrumentos necessários a um trabalho eficaz.

A tutela excessiva transformará o prefeito em uma espécie de fantoche, o que será rejeitado pelos eleitores, já decepcionados com os primeiros dois anos de mandato.

A gestão de Edivaldo Júnior se arrasta há dois anos.

E repassá-la a terceiros será a assinatura de um atestado de incapacidade gerencial.

Que será vista desta forma pelo cidadão da capital maranhense.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, com ilustração do blog

0

As festas de fim de ano…

O Governo do Estado optou por não gastar; a Prefeitura contatou Zeca Baleiro, bandas gospel e pagodes, mas não disse quanto gastou. Assim será o fim de ano em São Luís

 

litoranea

Na Litorânea, uma das atrações é a queima de fogos

O governo Arnaldo Melo (PMDB) não contratou nenhum evento para o fim de ano em São Luís. Priorizou a entrega de obras e a manutenção de dinheiro em caixa para o próximo governador.

litoranea2A festa em São Luís será por conta da Prefeitura de São Luís.

O prefeito Edivaldo Júnior(PTC) contratou o cantor maranhense Zeca Baleiro, além de bandas de forró, pagodes e uma infiniedade de bandas gospel, que agitarão vários pontos, sobretudo na Avenida Litorânea, construída pelo governo.

Mas Holandinha, até agora, não disse quanto gastou na festa da virada.

De uma forma ou de outra, a população de São Luís e os turistas terão opções popualres para passar o reveillon na capital maranhense.

É só escolher o local…

11

Paralisia de Holandinha vira meme na internet…

Circula nas redes sociais um meme – espécie de assunto de grande repercussão – em que internautas comparam, em tom de ironia – a administração meteórica do governador Arnaldo Melo (PMDB) e a gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) em São Luís.

E a provocação é dura: “Arnaldo Melo fez muito mais em 15 dias de governo do que Edivaldo Júnior em dois anos”.

Exageros à parte, o tom de ironia é a forma que os internautas – que acabam repercutindo em programas de rádio, blogs e jornais – encontraram para analisar a gestão do prefeito em São Luís.

Afinal, Melo tem só 15 dias de governo, enquanto Edivaldo está com dois anos de mandato.
E à medida que se aproxima o fim do segundo ano de administração na capital, o tom de cobrança, ironia e irritação aumenta.

Em outra cobrança típica das redes sociais e dos aplicativos de troca de mensagens, virou febre também a lista de promessas de campanha feitas por Edivaldo Júnior na campanha de 2012.

Algumas das principais: GPS nos ônibus, Viaduto da Forquilha e Cohab, Ciclovias, Companhia de Engenharia de Tráfego, Bilhete Único, BRTs, Subprefeituras, Quatro CAPs, Maternidade Itaqui-Bacanga, Hospital Dr. Jackson Lago, Três Novas UPAS, Creche em Tempo Integral, Escolas em Tempo Integral, Novas Avenidas, Secretaria da Juventude.

São 15 promessas – e nem são a metade das que foram feitas – lembradas diariamente na Internet, para que o prefeito possa lê-las e compreender o porquê de sua rejeição estratosférica.

E são mostras de que as redes sociais não estão de todo erradas quando comparam os feitos de Arnaldo Melo – governador por apenas 15 dias – aos de Edivaldo Júnior, que está no poder há dois anos e prometeu mudar São Luís “já nos primeiros dias de gestão”.

Publicada na coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, com o título “Cobrança na Internet”
17

Holandinha apresenta ônibus velho como novo em SL…

Veículo articulado, apresentado com pompa e circunstância semana passada, já tem pelo menos quatro anos de uso em Belo Horizonte, sede da empresa que o trouxe a São Luís

 

O ônibus articulado que o prefeito de São Luís Edivaldo Holanda Júnior (PTC) apresentou semana passada como novidade na capital maranhense, é, na verdade, um modelo velho, já com anos de uso em Belo Horizonte (MG).

Holandinha

O usadão com o qual Holandinha tenta impressionar a população de São Luís…

O veículo foi registrado em 2010 pela empresa Rodopass, do mesmo grupo que controla em São Luís as empresas Primor e TCM. Para vir a São Luís, foi repintado e dado como novo pelo prefeito, uma espécie de engodo à população.

Holandinha

…E o mesmo usadão rodando com outra cor em Belo Horizonte, desde 2010

documento

Documento comprova placa e ano de fabricação do ônibus

O presidente da Comissão de Transportes da Câmara Municipal, vereador Fábio Câmara (PMDB), pretende usar a tribuna, hoje, para denunciar que não apenas o articulado, mas também outros ônibus apresentados como novos por Holandinha, já têm, pelo menos,  quatro anos de uso.

– Os veículos que não serviram mais para a capital mineira chegaram a São Luís com quatro anos de uso – revelou Câmara.

Segundo o vereador, o grupo Primor/TCM, trouxe os ônibus recauchutados para São Luís por que perdeu a concessão em Belo Horizonte.

A prática de usar ônibus velhos em São Luís não é nova. Mas, pela primeira vez, isso vem à tona com provas consubstanciadas.

Holandinha se comprometeu com o Ministério Público a renovar pelo menos metade da frota até janeiro de 2015.

Mas ônibus velhos não renovam frota alguma…