0

Flávio Dino estuda mesmo entregar parte dos hospitais às prefeituras…

Nota da Secretaria de Saúde para negar fechamento do Hospital de Peritoró acabou por revelar outra intenção do governo comunista: ficar só com a gestão da alta complexidade

 

Flávio Dino fa graça para profissionais da Saúde, mas quer mesmo é se livrar de parte dos hospitais

O governo Flávio Dino (PCdoB) estuda se livrar dos hospitais de média e baixa complexidade em todo o Maranhão.

Pelo menos é isso que se lê claramente no teor da Nota de Esclarecimento que a Secretaria de Saúde emitiu ontem para negar o fechamento do hospital de Peritoró.

Veja um dos trechos da Nota:

– A Ses informa que trabalha, em diálogo com os municípios e com o Ministério da Saúde, para a reestruturação da rede de serviços em todo o Maranhão, a fim de ampliar o acesso à saúde nas regiões e favorecer a adequada distribuição das competências de cada ente federativo no campo da saúde pública.

É preciso destacar a expressão “distribuição das competências de cada ente federativo no campo da saúde pública”.

Hospital de Peritoró, que atende a vários municípios, pode ficar restrito à prefeitura local

Mais à frente, no mesmo trecho, a nota deixa claro:

– O planejamento resgata os princípios de regionalização resolutiva e hierarquização assistencial, previstos na legislação do Sistema Único de Saúde (SUS), cabendo ao estado a alta complexidade e suporte nos demais serviços.

É exatamente este trecho – “cabendo ao estado a alta complexidade e suporte nos demais serviços” – que revela a intenção do governo Flávio Dino.

E a partir disto se pode afirmar que o Hospital de Peritoró, que atua na média complexidade, pode ser entregue à gestão da prefeitura, como vários outros no Maranhão.

O que resultará, fatalmente, no colapso do sistema que funcionou em excelência na gestão passada.

É simples assim…

0

Stênio Rezende anuncia comissão especial para lutar pelo aumento dos recursos da saúde do MA…

stenmio

Resende fala do projeto na tribuna da Assembleia Legislativa

O deputado Stênio Rezende (DEM) anunciou, na quinta-feira, 11, durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, que a Comissão de Saúde da Casa vai criar uma comissão especial e lutar pelo aumento dos recursos do Fundo Nacional de Média e Alta Complexidade (MAC) para o  Maranhão.

O anúncio foi feito depois que Stênio participou, em Brasília, no Ministério da Saúde, de reunião com ministro Ricardo Barros e com o secretário de Atenção à Saúde, Francisco Figueiredo, acompanhado do coordenador da Bancada Maranhense e intermediador do encontro, deputado federal Juscelino Filho (DEM).

Para Stênio, a união de forças políticas preocupadas com a saúde do Maranhão trará benefícios ao Estado. Ficou acertado com o ministro e com o Dr. Francisco Figueiredo, que a comissão será formada por representantes de todos os  segmentos. A meta é buscar solução para o caso específico do Maranhão.

Na reunião, Stênio mostrou a disparidade dos repasses da saúde para o Maranhão, que recebe a menor transferência per capita do Brasil, cerca de R$ 45 por pessoa, menos da média nacional.

“Tem estado que recebe R$70 a mais por pessoa do que a média nacional, ou seja, mais de R$100 de diferença”, disse.

...após reunir-se com membros da bancada federal e do Governo do Estado, em Brasília

…após reunir-se com membros da bancada federal e do Governo do Estado, em Brasília

Novos Hospitais

Na opinião de Stênio, a mobilização da Comissão de Saúde para aumentar o teto dos recursos do MAC é oportuna, porque o governador Flávio Dino irá inaugurar dentro de poucos dias mais três grandes hospitais em Imperatriz, Bacabal, e Santa Inês gerando, portanto, mais despesas para o sistema estadual de saúde.

O parlamentar deixou claro que o Maranhão faz sua parte, preparando as regionais e municípios para atender a população naquilo que precisa, mas o Governo Federal precisa fazer a contrapartida.

“A Comissão de Saúde deu um grande passo para buscarmos esses recursos e ajudar a nossa população”, concluiu.

Durante a reunião, a bancada federal maranhense também estava representada pelo vice-presidente da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP) e pelo deputado Weverton Rocha (PDT). Também estiveram presentes o secretário de Representação Institucional do Governo do Estado, Dr. Ricardo Capelli.

Também estavam presentes na reunião o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, os deputados estaduais Levi Pontes (PCdoB), Antônio Pereira (DEM) e as secretárias municipais de saúde Helena Duailibe (São Luís), Aíla Maria (Paço do Lumiar), Dr. Domingos (Caxias) e o presidente do COSEMS, Vinícius Santos.

4

Ribamar Alves vai à Justiça contra o governo Flávio Dino…

Prefeito de Santa Inês vai denunciar em São Luís abandono do hospital iniciado no governo Roseana Sarney e o desvio para outra cidade do projeto Mais Asfalto que estava previsto para o município

 

Para Ribamar Alves, parceria com Flávio Dino ficou só na campanha...

Para Ribamar Alves, parceria com Flávio Dino ficou só na campanha…

O prefeito de Santa Inês convocava para esta terça-feira, 7, em São Luís, entrevista coletiva em que pretende anunciar duas ações contra o governo Flávio Dino (PCdoB):

1 – Alves vai revelar a ação contra o abandono das obras do hospital de Santa Inês, que começou a ser construído no governo passado;

2 – o prefeito também denunciará que o projeto “mais Asfalto”, previsto para Santa Inês, foi reencaminhado por Dino para outro município.

Desde a semana passada, Ribamar Alves tem criticado a relação que o governador Flávio Dino mantém com os prefeitos, sobretudo os aliados.

– Fui abandonado no meio da caminho – declarou ele.

A relação é tão complicada que o prefeito acusa o governo até mesmo de forjar as acusações de estupro que o levaram à prisão, no início do ano.

A entrevista de Ribamar Alves está marcada para as 15h, no Hotel Abeville…

2

Desfeito factoide contra Ricardo Murad…

Tentativa da Polícia Federal de incriminar ex-secretário foi desfeita pelo Ministério Público Federal, que afirmou não ver elementos para incriminar o peemedebista

 

 

Ricardo Murad construiu o mais importante programa na área da Saúde que o Maranhão já viu

Ricardo Murad construiu o mais importante programa na área da Saúde que o Maranhão já viu

Entre o final do ano passado, início de 2016, a superintendência da  Polícia Federal no Maranhão armou um verdadeiro circo para tentar criar elementos que pudessem incriminar o ex-secretário de Saúde Ricardo Murad.

Murad, como se sabe, construiu no Maranhão o mais avançado e mais eficiente sistema de saúde pública da história do país, com unidades de atendimento de excelência e qualidade nos serviços prestados.

Quando assumiu, o governo Flávio Dino (PCdoB) – que desmontou o sistema criado por Murad – resolveu denunciá-lo à Polícia Federal.

E foi da denúncia – feita pelo secretário de Transparência Rodrigo Lago, filho do notório Aderson Lago – que resultou a operação “Sermão dos Peixes”.

Ocorre que, já na fase judicial, a PF no Maranhão não conseguiu apresentar sequer um único elemento que incriminasse o ex-secretário.

Na última sexta-feira, 3, o Ministério Público apresentou a denúncia da “Operação Sermão dos Montes”; e Ricardo Murad nem sequer foi relacionado entre os denunciados.

O ex-secretário é portanto, inocente.

Simples assim…

3

Bira é encurralado por Andrea ao defender Dino na Assembleia…

Andrea não deixou espaço para nehnhennhém de Bira

Andrea não deixou espaço para nehnhennhém de Bira

O deputado Bira do Pindaré tentou defender a saúde no governo Flávio Dino e recebeu uma avalanche de denúncias sobre os descaso no setor. A Líder da oposição, a deputada Andrea Murad relembrou várias denúncias e repercutiu a de funcionários e familiares de pacientes do Hospital Macrorregional de Coroatá.

“O refeitório do Hospital Macrorregional de portas fechadas sem café e sem almoço para os funcionários, UTI adulto tem apenas um enfermeira, equipe desfalcada, pacientes não tomam banho, não tem lençol, luvas, nem aventais, pacientes do Hospital Geral não têm medicamentos contra câncer, estão sem fazer cirurgia, o Carlos Macieira sem refrigeração, o Hemocentro sem reagentes para liberar bolsas de sangue para cirurgias”, denunciou a deputada.

Ela explicou ainda que os descasos no setor estão relacionados, principalmente, à redução dos investimentos na saúde pública e que somente com a baixa popularidade, Flávio Dino lembra de inaugurar hospitais.

“E hoje, deputado Bira, quando ele entra em desespero, ele vai inaugurar o quê? Os hospitais que o governo passado deixou semipronto. Ele acabou com a saúde do Estado, deputado Bira, ele liquidou. Ele diminui o investimento na Saúde, onde maior é a oferta, maior é a demanda. O que ele fez? Enxugou o dinheiro da Saúde. E o que aconteceu? Acabou com as UPAs, acabou com os hospitais, diminuiu o dinheiro, diminuiu os funcionários, acabou com todo um sistema que funcionava e o povo hoje está padecendo. V. Ex.ª falou que o governador prioriza os hospitais regionais, mas ele não mantém com qualidade os hospitais de Presidente Dutra, Barreirinhas, Santa Inês, pior ainda o macrorregional de Coroatá”, disse.

2

O fim dos hospitais de 20 leitos…

Governador Flávio Dino vai fazer o que sempre quis desde o início: fechar os hospitais construídos no governo Roseana Sarney, sob alegação de pouco produtivos; e a estruturas ficarão apodrecendo no interior

 

O hospitais iguais a este serão "descontinuados" pelo governo

O hospitais iguais a este serão “descontinuados” pelo governo Flávio Dino

O governo Flávio Dino (PCdoB) deverá fechar, nos próximos meses, todos os hospitais de 20 leitos construídos no governo Roseana Sarney (PMDB).

A informação é do blog de Gilberto Léda, que ouviu do próprio secretário de Saúde Marcos Pacheco, o desinteresse nestas unidades de Saúde.

– Quando a gente tem escassez de recursos e grandiosidade de problemas, a gente tem que trabalhar com planejamento de prioridade. Nesse sentido, aquilo que a gente está priorizando hoje é inauguração dos hospitais regionais, porque eles são resolutivos – revelou Pacheco. (Leia aqui)

Para Pacheco, investir nestes hospitais de 20 leitos é jogar dinheiro fora.

O governo repassa aos municípios os recursos necessários para o gerenciamento das unidades de saúde, mas os prefeitos reclamam de atraso nos repasses.

Para Pacheco, o melhor ´investir nos hospitais regionais, que, segundo ele, atendem melhor a população em várias áreas da saúde.

E os prefeitos que se virem…

1

Deputado Roberto Costa visita obras de reforma do Hospital Laura Vasconcelos…

roberto

O parlamentar conveesa com os responsáveis pela obra

Na última sexta-feira (04), o deputado estadual Roberto Costa (PMDB) visitou as obras de reforma do Hospital Regional Laura Vasconcelos, em Bacabal. Titular da Comissão de Obras e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa do Maranhão, Roberto Costa vistoriou a obra estadual, prevista para ser entregue em fevereiro de 2016.

Para o deputado, a reforma é de grande importância para Bacabal que, segundo ele, padece na falta de infraestrutura na saúde.

– O atendimento na cidade é muito precário – considera.

– Todas as pessoas que precisam de uma vaga de um leito passam por problemas, pois não há na cidade. 90% dos casos tem de ser transferidos para outros municípios como Alto Alegre, Peritoró, São Luís e Coroatá.

roberto2

Roberto Costa vistoria obra acompanhado do engenheiro Reinaldo de Lima e da vereadora Natália Duda e da liderança comunitária Dedê da Trizidela

Costa declarou ainda que, como “um dos maiores presentes que Bacabal irá receber”, irá cobrar urgência na entrega do Hospital, cuja obra estava prevista para dezembro deste ano, mas teve sua data de reinauguração remarcada para o próximo ano.

– Cobramos a urgência dessa entrega da obra ao Governo, pois o sofrimento e a tristeza está estampada de forma muito clara no rosto das pessoas que vem até a mim contar sua situação. O hospital municipal não tem medicação. Os profissionais tentam fazer o máximo, mas a infra estrutura não consegue atender às demandas – disse.

Considerada uma das obras mais importantes de Bacabal, no serviço de saúde, o Hospital atendia toda a região do Médio Mearim. Agora, o novo papel após a reforma do local preocupa o parlamentar.

– O papel que o novo hospital deve ser discutido entre a classe política, pois somente em Bacabal são mais de 100 mil habitantes que precisam do atendimento. Já a região do Médio Mearim são mais de 400 mil. É uma discussão que temos que fazer com a Secretaria Estadual de Saúde e o Ministério da Saúde para saber se o hospital Laura Vasconcelos vai atender a região ou apenas Bacabal – afirmou.

Estrutura

A nova estrutura física do Hospital Laura Vasconcelos terá entre outras áreas de imagem, como ultrassom, Raio X, tomografia, laboratório de exames, UTI, centro cirúrgico, além da administração, secretaria e área de atendimento. Serão ao todo 46 leitos, que podem aumentar para 50.

Mais de 75% da obra já está finalizada. De acordo com o engenheiro responsável, Reinaldo de Lima, a reforma será concluída no prazo.

– A equipe, com média de 60 funcionários, está toda mobilizada para que a obra seja entregue no novo prazo estipulado, em fevereiro de 2016 – afirmou.

5

Queda da excelência na Saúde…

Conhecedores dos bastidores da política estadual são contumazes em afirmar, em rodas de conversa, que o governo Flávio Dino (PCdoB) move uma cruzada em várias frentes para tentar desqualificar o projeto “Saúde é Vida”, iniciado na gestão passada e que trouxe qualidade de excelência para ao atendimento ambulatorial e hospitalar no Maranhão.

A cruzada contra o projeto atingiu o âmbito policial quando foi denunciado pelo próprio governo, na tentativa de atingir adversários políticos. Mas trouxe um problema para a própria gestão da saúde.

upa1Ninguém questiona no Maranhão que o atendimento hospitalar era de excelência até 2014. A própria oposição ao governo do Estado sempre tem ressaltado que as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), tinham serviço nos níveis de clínica particular e serviam de alternativa aos Planos de Saúde. Mas isso começou a mudar nos últimos meses. As UPAs estão abandonadas, quase sem médicos, com atendimento que deixa a desejar.

Mesmo assim, o governo manteve sua cruzada. E os episódios de segunda e terça-feiras, com policiais federais conduzindo ex-servidores públicos, prendendo empresários e criminalizando as ações de saúde, levou a mais um passo na caminhada de aproximação do caos na Saúde.

Pilhado pela PF, e com os donos presos, o Instituto Cidadania e Natureza – que prestava serviços ao Estado desde o governo José Reinaldo, e ampliou sua presença no atual governo – foi obrigado a encerrar suas atividades.

O problema agora – como alertam setores oposicionistas – é o governo absorver todo o corpo de funcionários do ICN, recontratar médicos, enfermeiros, farmacêuticos e todos o demais trabalhadores da saúde, para evitar solução de continuidade e, sobretudo, garantir os direitos trabalhistas dessas  milhares de pessoas.

A queda na excelência é iminente, e em algumas unidades de saúde já começou. E tudo por uma cruzada política sem precedentes.

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, com ilustração do blog
1

Desmonte da Saúde: Sousa Neto denuncia sequestro de tomógrafo em Stª Inês…

Deputado diz que desde o início do ano já vinha denunciando o fato de que o governo Flávio Dino tentava retirar o equipamento do hospital macrorregional, segundo ele, como mais uma forma de perseguição

 

Sousa Neto no local do tomogrfafo, meses atrás

Sousa Neto no local do tomógrafo, meses atrás

O deputado estadual Sousa Neto (PTN) denunciou hoje (28) que o tomógrafo do Hospital Macrorregional de Santa Inês foi levado do local.

Ele postou fotos de uma sala vazia onde antes estava o aparelho.

O local, já sem o aparelho...

O local, já sem o aparelho…

O parlamentar lembrou que desde abril já denunciava a intenção do Governo do Estado de retirar o tomógrafo da unidade em Santa Inês para levar para Caxias.

Sousa Neto critica a medida porque, segundo ele, o hospital de Santa Inês está mais adiantado e deve ser inaugurado antes.

...E os caminhões que carregaram o equipamento de Santa Inês

…E os caminhões que carregaram o equipamento de Santa Inês

– Denunciei em abril que iria ser retirado antes da sua inauguração. E de nada adiantou. A perseguição do Governador comigo chegou ao limite. Santa Inês de nada vale para este Governador. E atinge pessoas inocentes e que precisam de uma saúde digna. O tomógrafo já está dentro de um container para ser levado pelo caminhão. Um absurdo. Hospital Macro de Caxias não está preparado para funcionar. Está mais atrasado que o de Santa Inês. Com certeza deve querer entregar para o município, o que inclusive não é permitido – escreveu em sua página no Facebook.

3

Edilázio diz que hospital de Pinheiro foi todo concluído por Roseana…

Parlamentar ressalta que governador Flávio Dino construiu apenas a cozinha da unidade da saúde,e cobra também construção de hospital em São Luís, promessa do prefeito Edivaldo Júnior

 

edilazioSe ele é tão competente assim, porque é que não faz o Hospital Jackson Lago em parceria com o seu pupilo [Edivaldo Holanda Júnior] aqui na nossa capital? Essa foi uma promessa da campanha do prefeito Edivaldo Holanda Júnior. Porque ele não pega o pupilo e faz em nove meses, assim como em Pinheiro? Porque ele não constrói viadutos como o pupilo também prometeu? Se ele fez o hospital de Pinheiro em nove meses que faça em nove meses o hospital da nossa capital”

Edilázio Júnior, deputado estadual

O deputado Edilázio Júnior (PV) criticou a postura do governador Flávio Dino (PCdoB), de reconhecer publicamente a obra da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) no Hospital Macrorregional de Pinheiro.

– O que me estranha é que em nove meses de mandato Flávio Dino não tem a responsabilidade de sequer reconhecer só concluiu a cozinha do Hospital de Pinheiro. Até porque o hospital já estava 98% concluído e todo equipado – disse.

O hospital de Pinheiro: todo construído no governo Roseana

O hospital de Pinheiro: todo construído no governo Roseana

Edilázio lembrou que em recente discurso, Dino falou da importância do empreendimento para a região e para a rede de Saúde do estado, mas sem fazer qualquer referência a autoria da obra.

– Ele disse que inaugurou, que aquilo é para promover o bem-estar à Região da Baixada e nós ficamos felizes por isso, mas ele deve reconhecer o Governo anterior. Já dizia o padre Antônio Vieira: ‘o bom cristão começa pela gratidão, pelo reconhecimento’. Coisa que passa longe do governador Flávio Dino – enfatizou.