0

Maranhão tem 198 municípios com registro de coVID-19…

Coronavírus se espalha pelo interior em meio ao debate sobre falta de leitos, situações difíceis em algumas cidades e perspectiva de abertura gradual das atividades comerciais, o que já começou a ser feito em Imperatriz

 

Em Bacabal, município com explosão de casos, covas estão sendo abertas para vítimas de coVID-19

O Maranhão atingiu o número de 198 municípios com registro de coVID-19.

O alastramento do coronavírus pelo interior – alertado há pelo menos duas semanas pelo blog Marco Aurélio D’Eça – se dá em meio a um intenso debate sobre a falta de leitos no interior, iniciado também aqui neste blog. (Relembre aqui, aqui e aqui)

Além do debate sobre leitos, o interior vive a expectativa da reabertura do comércio, uma vez que o próprio governador Flávio Dino (PCdoB) já admite esta possibilidade a partir da próxima semana.

Em alguns municípios, como Imperatriz e Santa Inês, as lojas de todos os tipo já estão em pleno funcionamento.

Mas os riscos de colapso no interior são reais.

Em Bacabal, por exemplo, a situação já ´de caos. Já foram registrados na cidade quase 600 casos de coVId-19; a preocupação é tana que a prefeitura mandou abrir covas individuais para mortos por suspeita da doença.

Em outros municípios, a população não dispõe, sequer, de leitos de UTI, o que pode sobrecarregar outras regionais.

Apenas 19 municípios maranhenses ainda não registraram casos de CoVID-19…

3

De como Flávio Dino fechou leitos que poderiam ser usados contra a coVId-19

Quando assumiu, governador tinha à sua disposição hospitais em funcionamento ou em fase final de construção em vários municípios que agora sofrem a ameaça da pandemia de coronavírus; boa parte destas unidades está fechada, com obras paradas ou foram descontinuadas ao longo destes cinco anos

 

Hospitais como este, em Barra do Corda, ainda estavam assim em 2018, quatro anos depois de Flávio Dino assumir o governo do Maranhão

 

Editorial

Flávio Dino (PCdoB) assumiu o mandato de governador em 1º de janeiro de 2015.

Na época, o Maranhão tinha disponíveis nada menos que 332 leitos de UTI em todo o estado, segundo dados oficiais da própria Secretaria de Saúde da época. (Entenda aqui)

Foram 96 recuperados e outros 236 criados na gestão Roseana Sarney (MDB).

Além disso, Flávio Dino recebeu recebeu mais 86 leitos com equipamentos já comprados e prontos para serem instalados nos então novos hospitais macrorregionais.

Em 2012, o então ministro da Saúde, Alexandre Padilha, constatou a excelência do atendimento nas UPAs maranhenses

Para se ter ideia, até as UPAs dispunham de “UTI de curta duração em suas salas vermelhas”, num total de 55 leitos, comprovando a excelência do sistema público de saúde maranhense até 2014. (Relembre aqui, aqui, aqui e também aqui)

Flávio Dino fechou ou simplesmente descontinuou todo esse sistema no interior. (Entenda aqui)

Para começar, foram fechados em quatro anos 15 hospitais de 20 leitos – que se espalhavam por municípios de todo o estado. 

Os chamados macrorregionais estão sucateados, sem estrutura para atender demandas como a da coVID-19, que já é difícil até mesmo na Grande São Luís.

Pelo menos 15 hospitais de 20 leitos, como este, foram encerrados por Flávio Dino ao longo dos seus quatro anos de mandato

Outras unidades, como as de Viana e Pedreiras, por exemplo, estão prontas, mas sem funcionamento por que nunca foram inauguradas. (Reveja aqui) 

Em dezembro de 2016, o blog Marco Aurélio D’Eça publicou o post “A falência das UPAs no governo comunista de Flávio Dino…”, linkando dois outros posts que mostravam a realidade daquelas unidades dois anos depois da posse do governador. 

Já recentemente, em setembro de 2019 – poucos meses antes do início da pandemia – o deputado César Pires (PV) denunciava na Assembleia o “desmonte do sistema de saúde no Maranhão”.  

Diante desta realidade, é de se esperar um colapso no interior do estado com o alastramento do coronavírus, que já atingiu 85% dos municípios, alguns sem a mínima estrutura para atendimento em massa.

É cada vez maior o risco de uma procissão de ambulâncias do interior maranhense em direção a São Luís por atendimento à coVID-19

O blog Marco Aurélio D’Eça tem repetido há alguns dias a expressão “Procissão de Ambulâncias”  – lembrando um chavão do ex-governador Jackson Lago (PDT) – para alertar sobre o risco de descontrole da pandemia.

E qual o risco?

Cidades desestruturadas encaminhando pacientes em massa para São Luís, já em colapso pelo atendimento sistêmico de infectados pela coVID-19.

E tudo isso poderia ser evitado por Flávio Dino…

Leia também:

O desmonte da Saúde no Maranhão…

Sobre macas e procissão e ambulâncias…

Procissão de ambulâncias voltou com força no governo Flávio Dino… 

Cortes festejados por Flávio Dino resultaram na má qualidade da Saúde…

5

PSTU quer estatização temporária da rede privada de saúde

Partido requereu à Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís a extensão do lockdown para todo o estado, como forma de evitar que a coVID-19 se alastre pelo interior sem estrutura adequada para atender pacientes em massa

 

PSTU quer uso de leitos em hospitais privados, como o UDI Hospital, que resistem ás investias do Governo do Estado

O PSTU acionou a Vara de Interesses Difusos e Coletivos para que os hospitais da rde particular de Saúde de São Luís sejam estatizados temporariamente, com base no estado de emergência decretado após a pandemia de coronavírus.

– Nós do PSTU, compreendemos a estatização dos leitos dos hospitais privados como uma medida necessária e urgente, pois a vida das pessoas, independentemente de ter plano de saúde ou não, está acima de tudo – afirma a nota.

Na semana passada, o governador Flávio Dino (PCdoB) chegou a sugerir que iria requerer leitos dos hospitais privados, o que gerou forte polêmica, uma vez que o próprio governo já havia se manifestado contra uma ação nesse sentido, proposta nacionalmente pelo PSOL.

No início da semana, os hospitais privados se apressaram em divulgar lotação máxima de seus leitos – tanto clínicos quanto de UTI – numa espécie de recado de que não poderiam ceder espaços a pacientes públicos.

O lockdown no Maranhão inteiro visa, segundo o partido socialista, evitar um colapso na saúde, uma vez que os municípios do interior não têm a estrutura adequada para atendimento em massa de pacientes da coVID-19. (Entenda aqui e aqui)

A ação do PSTU ainda não foi analisada pelo juiz Douglas de Melo Martins, titular da Vara. 

2

Taxa de infectados no interior dobrou em 15 dias, alerta Juscelino Filho

Deputado federal cobrou informações da Secretaria de Saúde sobre as ações do governo para os municípios fora da Grande São Luís, que tinham 17% de pacientes da coVID-19 no início de maio e hoje já representam 39% do total

 

Juscelino Filho alerta para os riscos de alastramento do coronavírus no interior maranhense, sem estrutura para tantos caos de coVID-19

O deputado federal Juscelino Filho (DEM) mostrou preocupação com o alastramento dos casos de coVID-19 no interior do Maranhão.

Segundo ele, os municípios fora da Grande São Luís representavam 17% do total de infectados no Maranhão; hoje, já são 39%, mais que o dobro do início do mês.

– Tenho acompanhado as fortes medidas do governo estadual para controlar o distanciamento social na Ilha de São Luís, para evitar a disseminação da doença, e também os esforços para ampliar a oferta de leitos clínicos e de UTI na capital. Mas preocupa o avanço da Covid-19 em todo o interior maranhense, onde os números de casos, internações e mortes aumentam rapidamente. Há municípios se preparando, comprando até respiradores, mas poucos têm condições para ter uma estrutura adequada para esse grave momento – alertou Juscelino Filho.

O blog Marco Aurélio D’Eça mostrou em dois posts ao longo desta semana, os riscos do alastramento da coVID-19 para o interior maranhense.

No primeiro post, intitulado “Flávio Dino é um Bolsonaro de sinal trocado…”, o advogado Abdon Marinho alerta para o risco de se ver na entrada de São Luís “‘procissão de ambulâncias’ de municípios sem estrutura para atender tantos pacientes”.

O segundo post, nesta quinta-feira, 14, com o título “Pico da pandemia ainda não chegou ao Maranhão…”, mostra a situação de hospitais que deveriam estar funcionando, mas que o governo Flávio Dino (PCdoB) nunca inaugurou. 

 

Boa parte dos hospitais no interior estão assim, mesmo cinco anos depois de Flávio Dino ter recebido quase todos em condições de funcionamento

Juscelino Filho encaminhou ao secretário Carlos Lula questionamentos quanto o número de unidades de saúde da rede estadual nos municípios, leitos clínicos e de UTI, se há previsão de outros hospitais de campanha e a quantidade de EPIs para profissionais de saúde, além dos testes para a coVID-19.

– São questões essenciais nesta árdua luta contra a Covid-19 – afirmou o parlamentar.

A preocupação do Governo do Estado, por enquanto, se dá mas efetivamente com a Grande São Luís.

Não há informações sobre a resposta do secretário ao deputado federal…

1

Pico da pandemia ainda não chegou ao Maranhão….

Apesar da festa que o governo Flávio Dino faz da redução no número de contaminados no estado – resultado direto da falta de testes e não por causa de qualquer ação – o índice de alastramento da coVID-19 ainda está em crescimento e leva ao risco de colapso em municípios sem estrutura de saúde adequada

 

A falta de testes tem relação direta com a redução no número de contaminados pela coVID-19 no Maranhão

O governador Flávio Dino (PCdoB), seu secretário de Saúde, Carlos Eduardo Lula, e boa parte do governo e seus aliados na política e na mídia comemoram desde a terça-feira, 12, a suposta redução no número de contaminados pela coVID-19, que naquele dia foi de apenas 166.

Os números reduzidos, porém, não têm nenhuma relação com qualquer ação do governo, mas são resultado direto da falta de testes na rede pública do estado.

Com menos testes realizados, natural que o número de contaminados também diminua.

O fato é que o Maranhão ainda está na linha de subida da pandemia, cujo pico deve ocorrer  apenas no início de junho, conforme estudo da Universidade Federal de Minas Gerais, já publicado no blog Marco Aurélio D’Eça. (Relembre aqui e aqui)

Vídeo distribuído pelo senador Roberto Rocha mostra hospitais fechados em plena pandemia de coronavírus em vários municípios 

Além disso, a doença já se alastra desenfreadamente pelo interior maranhense, chegando a municípios sem a menor estrutura de atendimento para a coVId-19.

Municípios como Viana, Penalva, São João Batista e Matinha – que aparecem no vídeo acima, divulgado pelo senador Roberto Rocha (PSDB) – poderiam ter esta estrutura,  

Essa estrutura não existe, porém, por que foi descontinuada pelo próprio governo Flávio Dino.

Mas esta é uma outra história…

0

Edilázio cumpre extensa agenda na Região Sul do Maranhão

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) cumpriu extensa agenda de compromissos na Região Sul do Maranhão no último fim de semana.

Ele participou da tradicional Cavalgada, do município de Carolina; do evento de abertura da Safra Sucroalcooleira Maranhense 2019/2020, no município de São Raimundo das Mangabeiras e do AgroBalsas, na cidade de Balsas.

Na Cavalgada, ele foi recebido pelo presidente do Sindicato Rural de Carolina, Reginaldo Dias, pelo ex-prefeito Itiberé Jucá, vereadores, ex-vereadores, lideranças da região pelos organizadores do evento, que impulsiona a economia local.

Já em São Raimundo das Mangabeiras ele foi recebido pelo empresário Pedro Ticianel, proprietário de uma das principais empresas voltadas ao agronegócio do estado, e ao lado de outras lideranças políticas, assegurou compromisso com o desenvolvimento da agricultura no Maranhão.

E em Balsas, Edilázio aproveitou para se reunir com produtores da região. Ele também foi recepcionado pelo prefeito Dr. Erik, pelo vereador Iziano, pela ex-prefeita Ana Lúcia e pelo ex-vereador Júnior Coelho.

Na ocasião, ele firmou compromisso para garantir benefícios e potencializar o agronegócio em Balsas.

Ao retornar à Câmara Federal, no início da semana, Edilázio parabenizou toda a organização e estrutura na abertura do AgroBalsas, durante um pronunciamento, e cobrou do Governo do Estado a recuperação da MA-006, que liga  Alto Parnaíba ao município de Balsas, considerado o corredor do grãos do Maranhão. Ele enfatizou que a precariedade e falta de estrutura da rodovia prejudicam o escoamento da produção maranhense, e consequentemente o desenvolvimento econômico na região.

1

Hildo Rocha beneficia comunidades rurais de Lago do Junco com Casa de Farinha e trator agrícola

Por meio de ação do deputado federal Hildo Rocha, trabalhadores  rurais da região de São José da Conquista, em Lago do Junco, conseguiram dois grandes benefícios que irão contribuir para impulsionar a produção de farinha e fécula de mandioca. Agora a comunidade dispõe de uma patrulha mecanizada e a antiga casa de farinha será substituída por moderna indústria de beneficiamento de mandioca.

A assinatura da ordem de serviços para a construção da Unidade de Beneficiamento de Farinha de Mandioca aconteceu durante ato coordenado pelo Superintendente da Codevasf, Jones Braga. Na sequência, foi feita a entrega da patrulha mecanizada composta por trator, grade aradora e outros implementos que serão utilizados nas atividades das comunidades.

Hildo Rocha lembrou que a casa de farinha e a patrulha mecanizada foram pedidos feitos por lideranças de Lago do Junco. “O ex-prefeito Haroldo Leda, a vereadora Josa, os vereadores Nivaldo, Pedro Neto e  Romildo Duarte solicitaram esses benefícios para os trabalhadores rurais do município. Eu viabilizei os recursos por meio de emenda de minha autoria destinada para a Codevasf que fez as licitações e hoje temos a felicidade de fazer a entrega da máquina e de participar da assinatura da ordem de serviços para a implantação da casa de farinha”, enfatizou Hildo Rocha.

O deputado destacou que a comunidade possui tradição na produção e beneficiamento da mandioca. “Eles produzem farinha d’água de boa qualidade. Agora, irão produzir mais e atingir uma qualidade ainda melhor. Dessa forma, irão melhorar a renda familiar e, consequentemente, passarão a ter melhor qualidade de vida”, afiançou Hildo Rocha.

“Poucos dias após tomar posse, o deputado Hildo Rocha já está trazendo benefícios para Lago do Junco: um trator, uma unidade de beneficiamento de farinha de mandioca e, em breve, mais um trator. Agradecemos a ele, pelo empenho, pelo seu trabalho em prol do nosso Estado. Lago do Junco agradece o empenho do deputado escolhido e votado por nosso grupo político. Hildo Rocha é o deputado federal mais atuante do Maranhão”, enfatizou o ex-prefeito Haroldo Leda.

“Com certeza, essas duas conquistas irão trazer grandes benefícios para a nossa comunidade, melhorando o rendimento e a qualidade dos nossos produtos. O trator será de grande importância para ajudar na mecanização da terra porque o nosso trabalho ainda é braçal e com certeza irá beneficiar os trabalhadores. Eu só quero agradecer a todas as pessoas que nos ajudaram a conquistar essa casa de farinha e o trator: O ex-prefeito Haroldo Léda, a vereadora Josa e, especialmente, o deputado Hildo Rocha que trouxe esses benefícios para a comunidade”, destacou o Presidente da Associação São José da Conquista, José Lima de Moura.

O Secretário da Associação, Sr. Adonias Lopes da Silva, enfatizou que a ação do deputado Hildo Rocha irá favorecer melhorias na produção e na produtividade. “Apesar da nossa comunidade já ser uma grande produtora de farinha e outros derivados da mandioca, essa casa de farinha implementada vai, com certeza, dar um complemento muito maior e melhorar toda essa produtividade da nossa comunidade”, firmou Silva.

“Em nome do povo juncoense nós agradecemos muito por todos os benefícios que o deputado Hildo Rocha está trazendo para a nossa população. Muito obrigado, deputado”, declarou a vereadora Josa Arruda.

“Todas essas conquistas são resultado de uma parceria que o deputado Hildo Rocha firmou com a população por meio das lideranças políticas do nosso município. Hildo Rocha tem mostrado grande trabalho para nossa região. Deputado, eu sinto orgulhoso de fazer parte dessa sua luta. Nós fizemos a escolha certa na hora que decidimos apoiá-lo na sua jornada, na sua candidatura. Só tenho a agradecer em nome do povo de Lago do Junco”, afirmou o vereador Nivaldo do Pote.

Além do ex-prefeito Haroldo Leda, participaram dos eventos os vereadores Nivaldo do Pote, Pedro Neto, Josa Arruda, a ex-vereadora Zezé e o médico Raimundo Florêncio, representando seu irmão o deputado estadual Carlinhos Florêncio.

Da assessoria

0

Hildo Rocha vistoria construção de quadra coberta, em Itapecuru-Mirim, obra fruto de emenda sua

O deputado federal Hildo Rocha vistoriou a construção de uma quadra coberta financiada com recursos federais oriundos de emenda parlamentar de sua  autoria, na comunidade Leite, no município de Itapecuru-Mirim.

“A obra está quase pronta. Fiquei satisfeito com a qualidade dos serviços que estão sendo realizados pelo competente construtor Zé Ceará. Esse empreendimento era um antigo desejo da comunidade que virou realidade, graças ao meu trabalho pois os recursos financeiros foram viabilizados,  por meio de emenda parlamentar de minha autoria”, disse o deputado.

Ação rápida

O andamento da obra revela que o tempo gasto entre a tramitação do projeto até o avançado estágio da construção foi curto, para os padrões de obras públicas.

“No segundo semestre de 2017, durante conversa com alguns políticos e empresários de Itapecuru Mirim, entre eles Benedito Mendes, garanti o meu apoio para a viabilização de uma quadra poliesportiva coberta para ser construída no povoado Leite. O prefeito Miguel Lauand viabilizou o terreno, como forma de contrapartida. Pouco mais de três meses depois, em dezembro, o empenho estava formalizado. Alguns dias depois a obra foi iniciada e já está em fase de acabamentos”, informou Hildo Rocha.

Esporte e Cultura

Hildo Rocha disse que além de possibilitar a prática de inúmeras modalidades esportivas, o empreendimento poderá abrigar apresentações artísticas, culturais e atividades com estudantes da localidade.

2

Fim do “Mais Médicos” atingirá 2,5 milhões de maranhenses…

Governo cubano anunciou encerramento da parceria implantada no governo Dilma,  para atendimento às populações carentes, após questionamentos e exigências do presidente eleito, Jair Bolsonaro

 

MÉDICOS CUBANOS em frente ao Palácio dos Leões: atendimento básico, sobretudo às pessoas mais carentes

Pelo menos 2,5 milhões de maranhenses deverão ficar sem atendimento médico nas comunidades mais carentes do estado, após anúncio de que o governo de Cuba acabará com sua participação no programa “Mais Médicos”.

O anúncio foi feito hoje pelo Ministério da Saúde cubano, alegando exigências demasiadas e imposição de condições pelo presidente Jair Bolsonaro.

No Maranhão, mais de 700 médicos – o maior contingente de estrangeiros no programa – deixarão de atender a essas populações.

Implantado no governo Dilma, como forma de favorecer o Programa Saúde na Família (PSF) e estimular a ida de médicos para o interior do país – rejeitado pelos brasileiros – o programa “Mais Médicos” gerou polêmica por atrair sobretudo médicos cubanos.

O próprio Bolsonaro confirmou as exigências.

– Condicionamos a continuidade do programa Mais Médicos à aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje a maior parte destinada à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou – afirmou Bolsonaro, em sua conta no twitter.

Para Bolsonaro, “a ditadura de Cuba mostra-se irresponsável” ao desconsiderar os impactos na vida dos pacientes brasileiros e dos próprios profissionais cubanos.

O Ministério da Saúde disse que está tomando as providências para garantir o atendimento às pessoas carentes do interior do país.

Mas não explicou que tipo de providência…

1

“Vamos continuar defendendo o povo do Maranhão”, diz Aluisio Mendes em agenda em SL e interior

Com um discurso voltado para as causas populares, o candidato à reeleição pelo Podemos, Aluisio Mendes, cumpriu agenda nos últimos dias na capital maranhense e no interior do estado. Em todas as ações, Aluisio – que em cada compromisso foi recebido por lideranças da região e apoiadores de campanha – contou com grandes públicos.

Aluisio percorrerá, na última semana de campanha, várias cidades para ouvir as reivindicações e reforçar o compromisso de ser um representante da população em Brasília.

Aluisio esteve em cidades no interior como Araguanã, Colinas, Dom Pedro (com vereador Fábio Amâncio), Paraibano (com a vereadora Dênia), Santo Amaro e Buriti. Na capital, o candidato participou ainda do encontro de lideranças promovido pela também candidata à deputada estadual, Bárbara Soeiro.

O evento – também articulado por lideranças como a ex-prefeita de Bom Jesus das Selvas, Cristiane Damião – foi realizado no bairro São Cristóvão.

Na ocasião, Aluisio discursou e disse que, caso eleito, permanecerá com a agenda voltada para políticas sociais.

“Em nosso primeiro mandato, voltamos nossas ações para vários setores, como segurança pública, saúde, esporte e lazer. Caso eleito, vamos lutar em Brasília para a vinda de mais recursos para mudar a vida das pessoas”, disse.

Em Colinas, Aluisio participou de grande ato que reuniu milhares de pessoas em vias da cidade. Na cidade, Aluisio foi recebido por Dr. Antônio Carlos e cumpriu agenda com Bárbara Soeiro. Em Santo Amaro, Aluisio participou de caminhada ao lado de lideranças, como a prefeita da cidade Luziene, o vice-prefeito, Zé Hernani, o deputado estadual Fábio Braga e vereadores. “Em cada cidade visitada, a certeza de que estamos fazendo um grande trabalho”, frisou Aluisio.

Em Buriti, Aluisio também participou de grande ato popular, assim como em Araguanã onde foi acompanhado por lideranças como Adam, vereador Junior Lira, o deputado Toca Serra, Neném Lira e lideranças. Ele se disse honrado com tanto apoio.

“Em várias cidades, o mesmo carinho. Estamos firmes para obter essa honra de representar nossa população e continuar lutando por melhorias”, disse Aluisio.