2

Bolsonaro monta as estruturas para o AI-5 pregado pelo filho…

Na mesma semana em que encaminhou ao Congresso a proposta de Excludente de Ilicitude – uma licença para que policiais matem sem risco de prisão – presidente anuncia uso da Garantia da Lei e da Ordem, dispositivo que permite uso da força contra ocupações de áreas no campo

 

Eduardo defendeu a volta do AI-5; o pai presidente parece ter gostado e começou a editar as bases para implantação do dispositivo

Estão criadas as condições para que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), se quiser, imponha ao país o Ato Institucional nº 5 defendido pelo seu filho, Eduardo Bolsonaro.

Ao encaminhar ao Congresso o projeto de Excludente de Ilicitude, Bolsonaro dá às forças policiais em todo o país uma espécie de licença para matar.

A partir de então, qualquer policial pode eliminar oponentes e alegar o legítimo exercício do dever.

Nem preso o policial assassino vai mais. No máximo, defenderá apenas um processo administrativo, seja qual for o contexto do assassinato.

Além da excludente de ilicitude, Bolsonaro já avisou que vai editar também a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), espécie de legitimação para uso da força  – inclusive o exército – em ações de desocupação de terras.

Com a liberdade do estado policial nas ruas e no campo, basta a Bolsonaro, agora, definir quem são os inimigos do país e – pronto! – está liberada a implantação do AI-5 tão sonhado pelo filho 03.

E quem se meter a besta saberá a força que vem do poder autoritário.

É simples assim…

2

Querem de volta a prisão em 2ª Instância ou apenas Lula na Cadeia?!?

A turba direitista que saiu às ruas no sábado brada apenas contra a liberdade do petista – pouco importando os outros 4,9 mil beneficiados com a decisão do STF  – e mal sabem que o dispositivo Constitucional que trata do tema é uma Cláusula Pétrea, que só pode ser mudada por uma nova Assembleia Constituinte

 

BOLSOMÍNIONS DE VOLTAS ÀS RUAS NO ÚLTIMO SÁBADO; a maioria mal sabia pelo quê ou porquê estava ali a esbravejar

 

Editorial

Aquela turba ensandecida que saiu às ruas de algumas cidades no último sábado, 9, tem apenas um objetivo: levar Lula de volta à cadeia.

Para eles, pouco importam os outros presos também beneficiados pela decisão do STF, sejam eles 4,9 mil ou os 190 mil que chegaram a espalhar tentando fazer o Supremo decidir pelo medo.

Mal sabe o rebanho bolsonarista, no entanto, que a prisão em 2ª Instância só pode voltar a ser aplicada se for alterado o Artigo 5º da Constituição Federal. E este artigo, por ser uma das cláusulas pétreas da Carta Magna, só pode ser mudado por uma nova Assembleia Nacional Constituinte.

É isso que prevê o artigo 60 da mesma Constituição, no capítulos dos “Direitos e Garantias Individuais”. (Saiba mais aqui, aqui e também aqui)

LULA É ACLAMADO PELA MILITÂNCIA DE ESQUERDA AO CHEGAR EM SÃO BERNARDO DO CAMPO, onde fez duro discurso contra Moro, Bolsonaro e Guedes

Até o próprio Bolsonaro já disse isso em suas redes sociais, mas a imprensa não diz nada, as lideranças de direita não dizem nada e os líderes do Congresso não dizem nada por que querem manter o povo bobo nas ruas, gritando por eles, sem saber nem porquê ou para quê.

Lula não voltará mais para a cadeia, é preciso que seja dito isto, a menos que o Supremo Tribunal Federal o condene por algum crime.

Mas o caminho mais claro do Supremo é exatamente anular as sentenças proferidas por Sérgio Moro, por absoluta parcialidade do ex-juiz.

É tolice, portanto, continuar a gritar pela prisão em 2ª Instância querendo apenas a prisão de uma única pessoa.

É servir mais uma vez de gado para os poderosos…

1

Apenas Bolsonaro pode administrar o Lula Livre; seria ele capaz?!?

Presidente conviveu com uma oposição desarticulada desde que assumiu o governo, cometendo erros atrás de erros; agora, tem de frente um contraponto real e com história para contar ao Brasil; seu futuro, portanto, depende de si mesmo, o que já é um complicador

 

LULA COM A MILITÂNCIA APÓS DEIXAR A CARCERAGEM DA POLÍCIA FEDERAL; com ele no debate político, Bolsonaro vai ter que abandonar o estilo Bolsonaro

Editorial

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) é hoje o maior opositor do governo Bolsonaro.

Sua verborragia, seu comportamento irascível e truculento, sua incapacidade gerencial, seu despreparo e seus filhos jogam dia a pós dia contra as ações de alguns poucos ministros de fato preparados para o exercício do poder.

Mas mesmo diante dos erros pessoais do presidente, o governo seguiu até aqui por ter diante de si uma oposição absolutamente desarticulada, uma mídia meio que acuada e uma população ainda dividida entre a esperança e a frustração.

Tudo deve mudar a partir do Lula Livre.

O ex-presidente deixou ontem a prisão onde se encontrava há um ano e meio, em Curitiba, e mostrou que está pronto para fazer o contraponto a tudo que Bolsonaro representa.

A repercussão da saída de Lula em o todo o país mostrou que Bolsonaro tem muito com o que se preocupar. Mas o presidente ainda é o senhor absoluto da própria situação.

Cabe apenas a Bolsonaro conduzir o debate na era pós-liberdade de Lula, um novo momento político para o seu governo e para o país.

E Bolsonaro, por si só, já é um complicador.

Se quiser ter futuro no exercício do poder, o presidente precisa controlar a sangria verbal que tem na língua, mudar seu estilo truculento com a imprensa e com quem não reza em sua cartilha, e, principalmente, tirar de foco os filhos, causa de nove a cada dez crises que o governo tem.

Se não seguir esse comportamento, Lula vai engoli-lo já no primeiro momento, quando estará exposto a mídia e será atração de todos o programas, com um capital de oito anos de mandato presidencial para fazer a comparação com o atual governo.

O futuro no Lula Livre não é bom para Bolsonaro, mas cabe ao próprio Bolsonaro saber conduzi-lo.

E isso, para quem torce contra, já é uma vantagem adicional para Lula…

3

Imagem do dia: Lula Livre, Brasil mais leve…

Ex-presidente deixou a carceragem da Polícia Federal nesta sexta-feira, e já anunciou que pretende percorrer o Brasil para falar sobre o golpe que levou Bolsonaro ao poder e do momento de fragilidade institucional do país

 

LULA FOI RECEBIDO POR CENTENAS DE PESSOAS NA PORTA DA POLÍCIA FEDERAL EM CURITIBA; em discurso curto, já definiu como será os próximos meses no Brasil

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já está em São Bernardo do Campo (SP), após deixar a prisão onde estava há um ano e meio, em Curitiba.

E ele já anunciou que pretende percorrer o Brasil – e o mundo – para denunciar o golpe do qual foi víti9ma, além de mostrar a incapacidade do presidente Jair Bolsonaro.

Lula vai se reunir amanhã com sindicatos do ABC paulista e depois começará a articular uma reedição da Caravana da Cidadania.

O Brasil entrou hoje em um novo momento político…

0

Othelino Neto diz se assustar com destempero de Bolsonaro…

Em podcast divulgado esta semana, presidente da Assembleia Legislativa diz que presidente não tem preparo para reagir a atos que o incomodam; para o deputado, ação de Bolsonaro no caso Marielle caracteriza obstrução de Justiça

 

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), mostra-se cada bez mais assustado com o destempero verbal do presidente Jair Bolsaonro (PSL).

– Se ele se sente injustiçado, é natural que reaja de forma indignada, mas não de forma a ameaçar veículos de imprensa. Mesmo reconhecendo que em alguns momentos pode haver excessos, é natural a indignação de quem se sente vítima. Mas não devemos ameaçar a liberdade de imprensa – pontuou o parlamentar, em podcast divulgado esta semana.

Caso Marielle

Para Othelino Neto, há claros sinais de obstrução da Justiça na forma como o presidente interveio na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco.

– Mandar buscar a gravação, para os entendidos no assunto, para os especialistas, passou a impressão de que ou ele obstruiu a justiça ou andou no limite de promover esse tipo de obstrução, o que é crime – pontuou.

No caso dos filhos do presidente, Othelino Neto vê ainda mais destempero verbal.

– Quando o presidente não tem uma fala infeliz, é um filho que questiona a democracia, que ameaça com a reedição do AI-5; ou agredindo as instituições, como no caso do tweet do presidente da República, no qual ele se coloca na figura de um leão que é atacado por hienas representando instituições como o Supremo Tribunal Federal, a imprensa e os partidos de oposição. Ou seja, infelizmente, no Brasil, o presidente da República é um fator de instabilidade que prejudica muito a todos os cidadãos e cidadãs – concluiu.

0

Eliziane diz que é inconstitucional proposta de Bolsonaro para o servidor…

Para senadora maranhense, tentativa de impedir a filiação partidária fere os direitos fundamentais do cidadão, garante a liberdade de associação para fins lícitos

 

A senadora Eliziane Gama (Cidadania) manifestou-se criticamente nesta quarta-feira, 6, contra a proposta do governo Jair Bolsonaro (PSL), de acabar coma  instabildide de servidor público filiado a partido político.

Para a senadora, a proposta é manifestamente inconstitucional.

– Fere os direitos fundamentais, que garantem a livre associação para fins lícitos. Retirar este direito é impor censura política – alertou a parlamentar.

A patrulha ideológica do governo ao servidor público faz parte do conjunto de Emendas Constitucionais que foi entregue aos presidente da Câmara e do Senado.

Além das várias medidas contra servidores públicos, Bolsonaro quer também reduzir o número de municípios, extinguindo aqueles com menos de 5 mil habitantes.

Eliziane deve orientar sua bancada a se posicionar contrária diversos pontos do pacote…

5

Sobre pais e filhos…

Ao chegar ao poder nacional cercado de filhos encastelados nas instâncias políticas como profissão, Jair Bolsonaro potencializa os riscos para o estado de direito de um presidente com filhos sequiosos de poder e treinados para fazer o que quiserem

 

BOLSONARO COM O FILHOS, 02, 03 E 01, NA SEQUÊNCIA; mandatos populares como profissão, rachadinhas, enriquecimento e relação com milícias e assassinos

 

Certa feita, ouviu-se de um ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça um comentário sobre um ex-governador do Maranhão que se pretendia candidato a prefeito. Dizia ele: “fulano só foi um bom governo porque tinha filhos pequenos; hoje são todos adultos, os problemas de comando serão potencializados”.

A presença do presidente Jair Bolsonaro no poder eleva essa máxima do ex-ministro à enésima potência.  

Ele chegou ao poder no comando de uma família mimada, onde todos receberam mandatos populares como espécie de carreiras de estado, profissões mesmo.

E por tudo isso, o 01, o 02 e o 03 acham que podem fazer o que quiserem.

– Papai eu quero ser diplomata nos EUA!!! – pede o Zerotrês.

– Talkey, meu filho, você será! – responde o pai.

O Zerohum diz: “Pai meu, não quero mais o Bebianno no governo”.

– Tu tá querendo isso aí? então terá, filho meu – garante o presidente.

LULA ENTRE OS FILHOS: investigação constante e patrulha bolsonarista nas redes sociais, mesmo diante da falta de provas das acusações

Desde a redemocratização do país, a partir de 1985, foram sete os presidentes do Brasil; dois deles – Itamar Franco e Michel Temer (ambos do MDB) – assumindo após cassação do titular.

Mas nenhum desses políticos teve uma família tão onipresente nas decisões de poder e de estado.

Até mesmo os filhos de Lula, que muita gente aponta, sem provas, como milionários a partir do governo do pai, foram tão presentes nas ações políticas entre 2003 e 2010.

Bolsonaro e seus rebentos são a típica família buscapé, que saíram dos subterrâneos das Câmaras e Assembleias – após fazerem fortuna com mandatos populares – para o centro do poder, sem o devido preparo.

FHC COM O FILHO PAULO HENRIQUE: mesmo com discrição familiar, não passaram incólume pela patrulha sobre negócios dos filhos nos governos dos pais

O resultado é este que se vê aí: milicianos protegidos, os Queiroz da vida ganhando notoriedade com as rachadinhas, e assassinos de políticos como vizinhos de condomínio, só para ficar nos casos mais recentes.

Jair Bolsonaro é absolutamente despreparado para o mandato presidencial, isto é um fato; mas poderia seguir aos trancos e barrancos caso seus filhos não fossem tão mimados.

O problema dele, é que o 01, 02 e 03 também acham que foram eleitos presidentes.

E como dizia o ministro do STJ há anos atrás, não há como o governo funcionar deste jeito.;

É simples assim…

3

ONU foi rechaçada ao querer saber da relação de Bolsonaro com a Ditadura

Comissários das Nações Unidas encaminharam cartas ao Itamaraty brasileiro e foram aconselhados a “não se meter em assuntos domésticos”; numa sala em Genebra, tiveram o silêncio como resposta à pergunta sobre o golpe de 1964

 

BOLSONARO COM O FILHO 03 E SEUS DIPLOMATAS NA ONU; mundo alarmado com declarações autoritárias em defesa do golpe militar

A declaração do filho do presidente Jair Bolsonaro sobre a possibilidade de reimplantar no Brasil um dispositivo como o AI-5 – ato mais terrorista da Ditadura Militar – chocou todos os países com assento na Organização das Nações Unidas.

Mas não é de hoje que a ONU se preocupa com o flerte dos Bolsonaro com o autoritarismo.

Desde que o presidente assumiu, comissários da ONU e diplomatas que servem nas Nações Unidas se preocupam com os riscos de o Brasil virar novamente uma ditadura.

E as respostas que ouvem dos representantes brasileiros só aumentam esta preocupação.

Em junho, durante um encontro em Genebra, os diplomatas brasileiros se recusaram a responder a uma pergunta se o Brasil atual considerava ou não 1964 como um golpe militar.

Além disso, a ONU encaminhou duas cartas ao governo Brasileiro com cobranças sobre a relação de Bolsonaro com a Ditadura.

Numa delas, recebeu resposta mal educada:  Brasília alertou o relator a não se meter em assuntos domésticos; e insistiu que 1964 se justificava.

A outra carta – que tratava sobre as declarações de Bolsonaro a respeito de Fernando Santa Cruz, morto pelo Regime Militar – sequer foi respondida.

Nesta quinta-feira, 31, quando o Bolsonaro 03 defendeu o AI-5 e a possibilidade de reimplantá-lo no Brasil mais uma vez, o mundo se alarmou.

Mas agora, já acostumado com a grosseria do atual governo brasileiro, preferiu só acompanhar aà distância a boçalidade do filho do presidente.

Que chegou a ser cotado para virar diplomata…

Com informações do UOL

5

Ex-presidentes já haviam alertado sobre risco à democracia…

Em carta do cárcere, Luiz Inácio Lula da Silva encaminhou aos colegas Fernando Henrique Cardoso, Dilma Rousseff e José Sarney – via governador Flávio Dino – preocupação com os rumos que Jair Bolsonaro está levando o Brasil

 

SARNEY, LULA, DILMA E FHC: EX-PRESIDENTES CADA VEZ MAIS PREOCUPADOS, com a sanha golpista dos filhos de Jair Bolsonaro

O blog Marco Aurélio D’Eça publicou em 1º de junho, a informação de que o governador Flávio Dino iria se encontrar com o ex-presidente Lula, em sua prisão na capital do Paraná, Curitiba. (Relembre aqui)

Dezoito dias depois, este blog traz novo post sobre o tema, com o título “Lula encaminhou por Flávio Dino recado ao ex-presidente José Sarney…”.

O próprio Flávio Dino confirmou a história no dia 26 de junho, em seu perfil no Twitter – também reproduzido no blog Marco Aurélio D’Eca – e revelou a preocupação com o país já naquele momento.

– Hoje conversei com o ex-presidente José Sarney sobre o quadro nacional. Apresentei a ele a minha avaliação de que a democracia corre perigo, em face dos graves fatos que estamos assistindo – disse Dino, confirmando os mesmos termos usados por este blog. (Relembre aqui)

O governador confirmou que esteve também com FHC para expressar essa mesma preocupação.

Cinco meses depois, o filho de Jair Bolsonaro vai a público para dizer que defende a implantação de um novo Ato Institucional Nº 5 para frear eventuais pretensões da esquerda no Brasil, um absurdo que só reforça o temor que é ter esta família no poder. (Saiba mais aqui)

Sarney se manifestou ontem mesmo sobre essa criminosa declaração; falta o posicionamento de Fernando Henrique Cardoso.

E de todas as pessoas que acreditam na democracia brasileira…

2

Eduardo Bolsonaro confirma intenção em golpe de estado…

Horas depois do editorial deste blog, o deputado federal filho do presidente diz que pode ser decretado um novo AI-5 no pais, “se a esquerda insistir em radicalizar” o debate; declaração é, por si só, uma ameaça ao país

 

BOLSONARO CONTINUA TRANSFORMANDO SEU GOVERNO EM UMA ESPÉCIE DE TRINCHEIRA DE ABSOLVIÇÃO DA DITADURA MILITAR, que ele tanto admira

O blog Marco Aurélio D’Eça trouxe na abertura dos trabalhos desta quinta-feira, 31, o Editorial “Riscos de golpe cada vez mais acentuados no BrasiL…”.

O texto fazia uma avaliação das últimas declarações de aliados de Jair Bolsonaro (PSL) e dos ataques do próprio presidente às instituições e à imprensa livre; e mais uma vez alertava para o perigo de uma ditadura militar.

Poucas horas depois, em entrevista à jornalista Lêda Nagle, na internet, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidente, defendeu abertamente a instituição de um decreto nos moldes do Ato Institucional número 5, que implantou definitivamente a ditadura no Brasil, em 1968.

– Se a esquerda radicalizar a esse ponto, a gente vai precisar ter uma resposta. E uma resposta pode ser via um novo AI-5, pode ser via uma legislação aprovada através de um plebiscito como ocorreu na Itália. Alguma resposta vai ter que ser dada – afirmou o parlamentar.

Baixado em 13 de dezembro de 1968, o Ato Institucional nº 5 foi o mais duro golpe à democracia brasileira durante a ditadura militar. Instituído no governo do general Costa e Silva, o AI-5 deu poder de exceção aos governantes para punir arbitrariamente os que fossem inimigos do regime ou como tal considerados. (Entenda aqui)

O filho de Bolsonaro expressa um sentimento que vigora no núcleo mais duro do governo do pai, é defendido abertamente pelos seus ideólogos, como o “filósofo” Olavo de Carvalho e tem adeptos nos quartéis.

Desde o início do golpe que depôs a presidente Dilma Rousseff (PT), em 2013, o blog Marco Aurélio D’Eça vem alertando a sociedade para os riscos que é ter militares no comando do país, sobretudo em clima de tensão provocado pela incompetência de quem foi eleito.

Este alerta pode ser visto nos seguintes posts:

Protestos e golpe militar…

A construção de um golpe de estado…

Fantasmas da ditadura militar já rondam o país…

Os amantes da ditadura sempre andaram por aí…

Num regime sob a égide de um AI-5, qualquer um que seja considerado “inimigo do presidente” pode ser levado aos porões dos quartéis, desaparecer ou, simplesmente ser exilado do país.

A convocação de uma greve ou um protesto contra o governo, por exemplo, pode ser considerado ato de terror e os líderes serem chamados às falas.

Foi assim no Brasil a partir de 1968; pode voltar a ser assim, nas palavras do próprio Eduardo Bolsonaro

O mais grave é que há, na população comum do Brasil, quem apoie absurdos como este.

Que se preparem os que lutam pela democracia…