3

Jornal especula sobre opressão do governo a Astro de Ogum; Será?!?

Em sua principal coluna política O Estado Maranhão levanta a suspeitas de que a reunião com o secretário Rubens Júnior, no feriadão, é fruto da operação policial que atingiu o vereador; e aponta também para o aparelhamento da campanha do comunista

 

ASTRO COM RUBENS PEREIRA E SEUS PAIS, EM ALMOÇO DE FERIADO; ação vinculada à operação que levou vereador a se explicar na delegacia

O blog Marco Aurélio D’Eça já revelou que o Governo do Estado tem destinado cerca de R$ 100 milhões para uma espécie de aporte à campanha que pretende levar o secretário de Cidades Rubens Júnior (PCdoB) à prefeitura de São Luís.

Também já apontou que, para ter Pereira Júnior como candidato da base, operações em curso tendem a tirar do páreo – de uma forma ou de outra – todos os seus principais adversários na base, incluindo o ex-presidente da Câmara Municipal,  o vereador Astro de Ogum (PL). 

Nesta segunda-feira, 18, o jornal O EstadoMaranhão fez uma curiosa abordagem, em sua principal coluna política, sobre o encontro de Astro de Ogum e Rubens Júnior, noticiada sexta-feira, 15, no blog Marco Aurélio D’Eça.

– Há quem diga que a aproximação é resultado da Operação Constelação feita pelo Ministério Público e a Polícia Civil em que Ogum acabou sendo preso por porte ilegal de arma de fogo. Mas os observadores mais atentos garantem que Astro de Ogum não mais quis “confrontar” a força oficial – afirmou o jornal.

Destinar dinheiro público para uma campanha eleitoral já é uma ação grave, que precisa ser investigada pelos órgãos de controle.

Mas aparelhar o estado, para perseguir aliados e forçá-los a apoiar esta mesma candidatura, é uma atitude gravíssima, que só desequilibra a paridade de forças nas eleições.

E ao contrário do que pensam aliados e apoiadores de Pereira Júnior, afasta ainda mais as pessoas de sua campanha…

3

Portela reafirma desafio a Aluisio: “não tem coragem de me levar à audiência”

Secretário de Segurança Pública diz que o deputado federal foge dele por não ter nenhuma prova das acusações que apresentou  na Câmara; e afirma que até a escolha da sede da Polícia Federal é uma forma de se esconder

 

JEFFERSON PORTELA QUE ALUISIO TEM MEDO DELE, POR ISSO NÃO O CHAMA PARA SUAS AUDIÊNCIAS, como a que ocorre nesta quinta-feira, em São Luís

O secretário de Segurança Pública Jefferson Portela voltou ontem a provocar o deputado federal Aluisio Mendes a chamá-lo para a audiência pública sobre espionagem no Maranhão.

– Ele não tem coragem de me chamar porque não tem como provar o que disse. Eu o desafio a me convocar para qualquer audiência pública, em qualquer lugar. É um mentiroso e vai responder na Justiça – afirmou o secretário, ao encontra-se com o titular do blog Marco Aurélio D’Eça, na tarde de terça-feira, 5.

Aluisio pediu audiência da Comissão de Segurança Pública da Câmara Federal em São Luís, para ouvir os delegados Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar; curiosamente, no entanto, evita chamar Portela para se explicar.

A audiência está marcada para esta quinta-feira, 7, na sede da Polícia Federal, em São Luís.

– Até a escolha da sede da PF é uma forma dele se esconder de mim, porque sabe que eu não irei lá. Mas debato com ele em qualquer lugar, não apenas sobre espionagem, mas sobre todos os aspectos da Segurança Pública no Maranhão – alfinetou Portela.

Na conversa com o titular do blog Marco Aurélio D’Eça, Jefferson Portela disse também que já pediu tanto ao comando do Tribunal de Justiça, quanto aos desembargadores supostamente investigados para que mostre que números foram efetivamente grampeados – o que nunca foi respondido.

Ele anunciou também processo contra a desembargadora Nelma Sarney, segundo ele a responsável por espalhar, sem provas, as acusações de suposta espionagem.

Mas esta é uma outra história…

0

Teria Jefferson Portela cartas na manga contra Aluisio Mendes?!?

Secretário desafia sistematicamente deputado federal a chamá-lo a depor, mas parece haver um recuo do parlamentar, temendo ameaças de que sejam expostas em plena Câmara Federal questões relativas ao seu período na SSP

 

JEFFERSON PORTELA DESAFIA, ALUISIO MENDES RECUA; o que teria o secretário contra o ex-titular da pasta que agora comanda?!?

Acusado de ter mandado fazer espionagem em diversas autoridades públicas maranhenses, o secretário de Segurança Jefferson Portela tem “sambado na cara” do deputado federal Aluisio Mendes.

Desde que Aluisio decidiu levar o caso para a Comissão de Segurança da Câmara Federal, Portela o desafia a chamá-lo para depor.

O próprio Aluísio chegou a anunciar oitiva com o secretário em Brasília, mas recuou. Agora, diz claramente não ter interesse em ouvi-lo, como revelou ao blog de Gilberto Léda.

– Não tenho interesse nenhum em ouvi-lo, visto que minha convicção sobre sua ação criminosa no caso dos grampos já está formada – afirmou, estranhamente, o parlamentar. (Leia aqui)

O que teria na manga Jefferson Portela para peitar Aluisio Mendes?!?

A explicação pode estar no episódio abaixo.

Em uma tarde qualquer do mês de junho, o titular do blog Marco Aurélio D’Eça foi chamado à Superintendência de Investigações Criminais para depor, segundo a intimação, “como testemunha” de uma investigação.

No local, após o alerta de que, na condição de testemunha, poderia responder se mentisse, o jornalista foi apresentado a um áudio com conversas sobre o caso Décio Sá (jornalista morto em 2012, quando Aluisio Mendes era secretário).

Apenas uma pergunta mais relacionada ao caso foi feita pelo delegado: se este jornalista sabia identificar as vozes do áudio, que acusavam claramente Aluisio Mendes de manipulação do caso Décio.

Diante da negativa, a oitiva foi encerrada sem maiores delongas.

Nem os advogados entenderam, mas ficou a impressão de que algo naquela sessão ligava as coisas a Aluisio Mendes – ou, pelo menos, tentavam dar um recado a ele.

Soube-se depois que outros jornalistas também foram chamados à SEIC.

Desde então, o deputado federal parece evitar confronto com Portela, sobretudo na Comissão de Segurança da Câmara.

O que teme o parlamentar maranhense?!?

0

Câmara vai cobrar do MP resultado da investigação sobre espionagem

Deputados federais que apuram denúncias de grampos autorizados pelo secretário de Segurança Jefferson Portela marcaram para novembro visita ao Maranhão, onde também ouvirão os delegados Ney Anderson Gaspar e Tiago Bardal

 

DELEGADOS BARDAL E NEY ANDERSON DURANTE OITIVA NA COMISSÃO DE SEGURANÇA, EM BRASÍLIA; depoimentos serão novamente tomados em São Luís

Membros da Comissão de Segurança da Câmara Federal, presidida pelo deputado federal Capitão Augusto (PL-SP), estarão em São Luís, no início de novembro.

Os deputados vão visitar a o procurador-geral de Justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, no dia 7.  No dia seguinte, ouvirão os delegados Ney Anderson e Tiago Bardal, na sede da Polícia Federal.

Do procurador-geral de Justiça, os deputados federais querem saber a quantas anda a investigação do Ministério Público aberta para apurar as denúncias de grampos ilegais em autoridades determinados pelo secretário de Segurança, Jefferson Portela.

Já os dois delegados autores da acusação contra Portela – que, inclusive, já foram ouvidos em Brasília – devem reafirmar a acusação de grampos contra desembargadores, filhos de desembargadores e políticos, principalmente aqueles que não são da base do governador Flávio Dino.

A vinda ao Maranhão deve gerar relatório circunstanciado da Comissão de Segurança da Câmara Federal…

1

Delegado Ney Anderson antecipou até o nome da operação contra Astro…

Dois meses antes da ação policial, delegado revelou em depoimento à Câmara Federal que a operação “Constelação” visava atingir o vereador; e ressaltou que a espionagem contra o parlamentar se deu por determinação de Jefferson Portela

 

Partes do vídeo do depoimento do delegado Ney Anderson Gaspar dado à Câmara Federal em 2 de julho, foi divulgado durante o fim de semana; e é mais uma prova inequívoca das ações de espionagem denunciadas por ele e pelo também delegado Thiago Bardal.

No vídeo, Gaspar não apenas revela o serviço de espionagem e investigação contra o vereador Astro de Ogum (PL), como antecipa, com mais de dois meses de antecedência, até mesmo o nome da operação.

– Tem uma operação que estava em andamento, chama-se constelação. Constelação remete a Astro, não é? Vocês concordam? Astro de Ogum é um dos políticos de maior expressão em nosso estado. O vereador mais votado. Com pretexto de investigar suposto crime de pedofilia, o secretário de Segurança mandou abrir uma interceptação telefônica onde inseriu o número do celular do vereador e o seu filho, chamado  Rangel – revelou Ney Anderson. (Veja o vídeo acima)

Segundo ele, esta operação contra Astro de Ogum havia sido abortada após ele iniciar as denúncias contra Portela. Mas o que se viu no dia 12 de setembro foi a polícia pondo em prática a “Operação Constelação”, que levou Astro à Seic. (Relembre aqui)

De acordo com o delegado, Jefferson Portela queria com a espionagem contra Astro “manter o vereador subjugado a ele”.

No depoimento aos deputados e senadores, Ney Anderson alertou, inclusive, para outros adversários e aliados do governo Flávio Dino também com números grampeados por Portela.

E pelo que aconteceu com Astro, é preciso que estes também ponham as barbas de molho…

1

Operação policial contra Astro de Ogum tem sinais de represália comunista…

Vereador foi abordado nesta quinta-feira por policiais da Seic, após ser apontado como alvo de espionagem do secretário Jefferson Portela e insistir no projeto de candidatura a prefeito

 

ASTRO VIROU INCÔMODO PARA O GRUPO FLÁVIO DINO DESDE QUE DEIXOU A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA; represálias policiais podem atingir também Josimar de Maranhãozinho

Está claro que o vereador Astro de Ogum (PL) vem incomodando a cúpula que hoje detém o poder no Maranhão e em São Luís, liderada pelo comunista Flávio Dino (PCdoB).

Desde que foi forçado a abrir mão da presidência da Câmara Municipal – numa operação que já visava os projetos de poder do grupo formado por PCdoB, PDT e PSB – Astro passou a incomodar as lideranças destas legendas, sobretudo pela força que mostrava na Zona Rural em seu projeto de candidatura a prefeito.

Para os dinistas – que também circundam a gestão pedetista em São Luís – Astro de Ogum atuava nos bastidores contra a gestão municipal, fomentando denúncias de corrupção na mídia.

Também foi apontado como possível candidato a prefeito pelo MDB, apesar de ter o aval do PL. (Relembre aqui)

De acordo com as primeiras informações, policiais da SEIC invadiram endereços ligados ao vereador e o levaram por porte ilegal de arma, juntamente com dois assessores.

É bom lembrar que nas denúncias de espionagem feita pelos delegados Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar, Astro era apontado como um dos alvos do secretário Jefferson Portela. (Relembre aqui, aqui e aqui)

Astro de Ogum é do PL, partido que tem no estado o controle do deputado federal Josimar de Maranhãozinho, que também ensaia independência aos que hoje se acham donos do Maranhão no PDT e no PCdoB.

Josimar, portanto, deve botar as barbas de molho.

Simples assim…

2

Procurador de Justiça vai falar sobre espionagem à comissão da Câmara

Luiz Gonzaga Martins Coelho será ouvido em São Luís sobre as investigações do Ministério Público Estadual das denúncias de espionagem contra o secretário de Segurança, Jefferson Portela

 

LUIZ GONZAGA SERÁ OUVIDO PARA EXPLICAR A COMISSÃO DA CÂMARA a quantas anda sua investigação sobre espionagem do governo Flávio Dino

A Comissão de Segurança Pública da Câmara Federal  aprovou na terça-feira, 20, audiência com o procurador-geral de Justiça do Maranhão, Luiz Gonzaga Martins Coelho.

Ele será ouvido no bojo das investigações contra o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, acusado de espionar autoridades maranhenses.

Luiz Gonzaga vai falar sobre as investigações já abertas pelo Ministério Público maranhense.

Também serão ouvidos os delegados Ney Anderson Gaspar e Thiago Bardal, autores das denúncias contra Jefferson Portela.

Tanto Gaspar quanto Bardal já oram ouvidos em Brasília, mas falarão novamente em São Luís.

Ainda não há definição de datas para as oitivas…

2

Entre Sarney e Duarte há Portela’s e Shinoda’s…

O bate-boca do fim de semana entre os deputados Adriano e Duarte Jr., desta vez por causa de homenagens da Assembleia envolve termos como “moleque” e “palhaço” – e revela a queda no nível do Parlamento estadual

 

ADRIANO E DUARTE JÚNIOR: DEBATE COM “REFERÊNCIAS CULTURAIS” e citações contemporâneas da Athenas Brasileira

O quiprocó midiático do fim de semana no mundo político envolveu os deputados Adriano Sarney (PV) e Duarte Júnior (PCdoB).

O comunista irritou-se com a tentativa do colega sarneysista – que chegou a eliminar o sobrenome Sarney do nome parlamentar – de barrar a homenagem ao secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela.

PROVOCAÇÃO DE DUARTE JÚNIOR CITA “POETA CONTEMPORÂNEO”, referência a uma das homenagens de Adriano na Assembleia

Criticando a postura do neto de Sarney, Duarte lembrou da homenagem deste ao “poeta contemporâneo Shinoda”, referência à Medalha do Mérito de Manuel Beckman concedido ao cantor maranhense – e sua consequente repercussão.

Irritado, o Sarney que não quer ser Sarney xingou Duarte de “moleque” e “palhaço”, uma outra “referência cultural”, já que, na adolescência, o agora deputado comunista viveu o personagem Shoktox” no programa Bianca & Cia., estrelado pela irmã. (Relembre aqui)

E A RESPOSTA DE ADRIANO NO MESMO TOM: linguajar na mesma medida entre temperamento e conteúdo intelectual

O nível do debate mostrou duas realidades maranhenses:

1 – o atual nível do parlamento estadual, com, debates rasteiros e pouca erudição no trato com as palavras na terra dos poetas;

2 – o atual nível cultural do Maranhão, onde expressões artísticas geram debates como este entre políticos.

E o caso ainda reacendeu uma pergunta:

Porque mesmo Adriano – ex-Sarney – decidiu conceder uma medalha ao cantor Bruno Shinoda?!?

4

Ministério Público vai investigar possível espionagem atribuída a Portela

Procuradoria-geral de Justiça quer apurar “possível investigação indevida de agentes detentores de foro especial por quem não detém tal autorização”; e já marcou para esta terça-feira, audiência com o delegado Thiago Bardal

 

THIAGO BARDAL VAI SER OUVIDO NO MINISTÉRIO PÚBLICO PARA FALAR DAS AÇÕES DE JEFFERSON PORTELA à frente da Secretaria de Segurança

O Ministério Público do Maranhão vai ouvir em audiência nesta terça-feira, 6, o delegado Thiago Mattos Bardal, que acusa o secretário de Segurança Jefferson Portela de espionagem contra autoridades maranhenses.

A investigação contra Portela foi determinada pela Procuradoria-Geral de Justiça, com base em Notícia de Fato, protocolada pelo deputado federal Edilázio Júnior (PSD).

O objetivo é apurar “possível investigação indevida de agentes detentores de foro especial or quem não detém tal autorização”, segundo diz a Notificação, assinada pelos promotores Adélia Maria Souza Rodrigues Morais, Ilana Franco Boueres Laender Morais, Marcos Valentim Pinheiro Paixão e Geraulides  Mendonça Castro, todo assessores especiais da PGJ.

A audiência com Bardal está marcada para as 14h desta terça-feira, 6.

P.S: Post alterado às 18h50 dia 5/11/2019 para correção do título, resultado de audiência de Conciliação Judicial no 1º Juizado Especial Criminal de São Luís

Veja abaixo, a notificação do Ministério Público:

0

Comissão da Câmara fará audiências sobre espionagem no Maranhão

Deputados federais virão a São Luís para ouvir delegados e colher documentos que apontam para a possibilidade de o secretário de Segurança Jefferson Portela ter grampeado ilegalmente autoridades maranhenses

 

OUVIDOS NA CÂMARA FEDERAL, OS DELEGADOS THIAGO BARDAL E NEY ANDERSON GASPAR reforçaram suspeitas contra o secretário Jefferson Portela

Está agendada para logo após o recesso parlamentar, em agosto, uma visita da Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados ao Maranhão.

Os deputados que investigam suspeitas de espionagem contra autoridades maranhenses querem ouvir novos delegados – Thiago Bardal e Ney Anderson Gaspar já foram ouvidos em Brasília – sobre as ordens do secretário de Segurança, Jefferson Portela, para grampear desembargadores, empresários, jornalistas e políticos maranhenses.

No Maranhão, além das audiências com autoridades policiais, serão colhidos documentos e outras provas que possam confirmar as suspeitas contra Portela.

O material será usado para embasar uma CPI da Espionagem, que parlamentares maranhenses pretendem abrir na Câmara Federal.

Mas esta é uma outra história…