0

João Doria destaca projeto de Roberto Rocha sobre zonas de exportação…

Prefeito De São Paulo afirma que  proposta beneficiará não apenas o Maranhão, mas o Brasil

 

Rocha explica a Doria o projeto de Zona de Exportação

Em sua passagem pelo Maranhão, no último dia 30, quinta-feira, o prefeito de São Paulo, João Dória, foi recebido pelo senador Roberto Rocha, em seu escritório de representação de São Luís, ocasião em que o parlamentar apresentou o projeto da Zona de Exportação do Maranhão (ZEMA).

De autoria de Roberto Rocha, o projeto prevê uma área de livre comércio, de importação e exportação e de incentivos fiscais especiais, com a finalidade de promover o desenvolvimento econômico e social, as relações de comércio exterior e a integração com o parque industrial nacional.

As isenções e benefícios serão mantidos pelo prazo de 25 anos. A idéia é potencializar as condições portuárias, criando a área de livre comércio no Porto do Itaqui, que possui localização estratégia para o Brasil, pois liga o país aos principais portos do mundo, no continente americano e asiático, pelo Canal do Panamá, e nos continentes africano e europeu.

Doria recebeu um exemplar do projeto e seu impacto na economia

Prefeito da cidade mais populosa da América, João Dória, que além de jornalista e publicitário é empresário bem sucedido, destacou a ZEMA como uma alternativa econômica para o Maranhão e para o Brasil.

“A Zona de Exportação do Maranhão faz muito sentido, pela posição estratégia, pela posição geográfica e pela facilidade do calado. São 27 metros de profundidade, o que permite um porto de grande porte, semelhante àquilo que se tem em Singapura, em Hong Kong, com grandes polos exportadores. Portanto, uma idéia inovadora, geradora de empregos, geradora de renda e que beneficiará não apenas o Maranhão, mas, todo o país”, enfatizou Dória. 

De acordo com o senador Roberto Rocha, apresentar a ZEMA é a possibilidade de ampliar a visão do conhecimento sobre a área de livre comércio.

“Investimentos são atraídos, criam-se empregos e efeitos positivos dinamizadores da economia. A rigor, são zonas em que vigoram regimes tributários especiais, com impactos positivos para superar os obstáculos do crescimento, como estímulo à competitividade, distribuição regional e nacional de ganhos econômicos e sociais, além de outras vantagens”, explicou o senador.

O projeto encontra-se com a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania e tem como relator o senador maranhense Edison Lobão.

Na última quinta-feira, 29, foi incluído na pauta da reunião da comissão.

3

“Não há vermelho nas cores do PSDB”, afirma Doria…

Roberto Rocha observa discurso de João Doria no escritório do senador: não ao PCdoB

“O senador Roberto Rocha pode estar certo, que da mesma forma que eu estou aqui hoje, como prefeito da cidade de São Paulo, eu voltarei tantas e tantas vezes forem necessárias para apoiar este homem no seu objetivo de ser governador do Maranhão”, disse o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), durante seu discurso no escritório do senador Roberto Rocha (PSDB), em São Luís.

As palavras do prefeito foram recebidas com efusivos aplausos da plateia, composta em sua maioria por prefeitos, empresários, vereadores, além de correligionários do PSDB municipal e estadual, que fizeram questão de prestigiar a recepção que o senador maranhense organizou ao prefeito da maior cidade do Brasil, na tarde desta quinta-feira, 30.

Além de defender a pré-candidatura de Roberto Rocha ao governo do Maranhão, em seu pronunciamento, Doria afirmou ainda que o PSDB não deve fazer alianças com partidos de esquerda.

“A cor vermelha não é a alma, nem a cor do PSDB, pois nós defendemos uma política liberal, que vai gerar empregos. Nós não queremos dependentes. Quem gosta de dependentes é o PT, o PC do B e PDT, partidos que querem escravos, que querem ter o direito de dizer a cada uma dessas pessoas em quem deve ou quem não devem votar”, afirmou.  

0

Consolidação tucana…

Presença do prefeito João Doria em São Luís, combinada com a confirmação de que o governador Geraldo Alckimin será o candidato do partido a presidência confirma que o senador Roberto Rocha terá o palanque tucano no Maranhão

 

Geraldo Alckminin e João Doria fortalecem o projeto tucano de Roberto Rocha

O movimento de lideranças do PSDB nacional dará o tom, nos próximos dias, do projeto de poder que os tucanos querem para o Maranhão. Primeiro, o prefeito de São Paulo, João Doria Jr. – provável candidato da legenda ao governo daquele estado – chega hoje a São Luís, em uma agenda que inclui encontro com líderes empresariais e encontros pessoais com a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e com o senador Roberto Rocha (PSDB).

Não há, na agenda, nenhuma definição de encontro com o governador Flávio Dino (PCdoB), de quem Doria já deixou claro nutrir certa antipatia. Talvez até por isso o vice-governador Carlos Brandão esteja absolutamente escanteado da visita do prefeito de São Paulo.

Os tucanos devem receber também em São Luís – se não em 2017 certamente no início de 2018 – o governador de São Paulo, Geraldo Alckimin, o candidato da legenda a presidente da República. Agora fortalecido com a garantia de que presidirá a legenda, Alckimin vem com a clara posição de que quer um palanque forte no Maranhão, distante do projeto do PCdoB maranhense.

Os movimentos do ano pré-eleitoral de 2017 são absolutamente diferentes dos de 2013, quando Brandão ainda tinha força no ninho e encaminhava o esdrúxulo projeto de aliança com o PCdoB, que resultou na ignonímia política de ver no mesmo palanque o senador Aécio Neves e o governador Flávio Dino.

E deu no que deu…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão

1

Tucanos arregaçam as mangas e ganham destaque em noticiário de início de ano…

Assim como o colega de partido João Dória, em São Paulo, o prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva, tem brilhado neste período de recesso, gerando notícias com ações diárias de sua gestão

 

Luis Fernando vistoriando obras nas ruas, em ações planejadas antes esmo da vitória

Na contramão do que aconteceu no Brasil inteiro, os prefeitos João Dória, de São Paulo, e Luis Fernando Silva, de São José de Ribamar (ambos do PSDB), praticaram um ato inédito, que deu lhes deu projeção e suscitou controvérsias: após a solenidade de posse, trocaram as festividades comemorativas pelas ruas, gerando fatos.

Acompanhados de auxiliares, os dois gestores, iniciaram – em pleno domingo, 1º, um feriado mundial – uma simbólica jornada de trabalho voltada para a limpeza pública.

O objetivo foi mostrar que, nas suas gestões, estarão permanentemente nas vias públicas e fiscalizando os serviços reclamados.

A mídia, de lá como a de cá, deu forte repercussão ao ato, a ponto de obscurecer tudo o que aconteceu no Brasil afora, num dia marcado por milhares de posses, em cidades de todos os portes.

Gesto de João Doria acabou soando demagógico

A repercussão dos gestos de João Doria e de Luis Fernando foi de tal modo gritante que, além de virar assunto do cotidiano, deu margem a comentários variados.

E, neste ponto, Luis Fernando levou vantagem em relação ao colega do PSDB.

Se em São Paulo, o gesto de João Doria foi criticado e taxado de demagógico – pelo fato de ele apresentar-se paramentado de gari – no Maranhão, a atitude de Luis Fernando foi elogiada e vista como algo novo e alentador.

Resta saber quem foi o primeiro a anunciar a iniciativa. Luis Fernando, com bastante antecedência, divulgou o propósito de realizá-la.

Já antes do pleito, e convicto da vitória, ele convocava os ribamarenses para uma empreitada, pensada sem objetivos demagógicos.

Há quem sonhe num futuro encontro de João Doria com Luis Fernando, para se conhecer e discutir os projetos que pensam executar em São Paulo e São José de Ribamar.

Mas esta é uma outra história…