0

Grupo de Júnior Lourenço é acusado de desvios de R$ 22 milhões…

Deputado federal foi alvo nesta quinta-feira de operação da Polícia Civil e do Ministério Público, que investiga desvio de recursos de prefeituras ligadas ao parlamentar

 

Júnior Lourenço é mais um dos membros do grupo d e Josimar de Maranhãozinho a enfrentar ações da polícia e do Ministério Público

Chegou a exatos R$ 22.061.477,53 o montante desviado de prefeituras ligadas ao deputado federal Júnior Lourenço (Avante), segundo o Ministério Público.

O parlamentar foi um dos alvos da operação “Laços de Família”, desencadeada nesta quarta-feira.

Ligado ao grupo do deputado Josimar de Maranhãozinho (PL), Lourenço é acusado de promover desvios nas prefeituras de Miranda do Norte – que comandou entre 2009 e 2016 – e também em São José de Ribamar, Bom Jardim e Paço do Lumiar.

É o segundo aliado de Josimar a ser eenvolvidoem operações policiais.

Além, dele, também já foi citado o deputado Pastor Gil (PL) em operações da Polícia Federal em dezembro e janeiro.

Na operação “Laços de Família” também estão sendo investigados empresários, ex-prefeitos e familaires de gestores apontados como membros do esquema…

0

Polícia Federal vai unificar ações que envolvem Josimar de Maranhãozinho

Deputado é citado nas operações Ágio Final – que envolve também o colega Pastor Gildenemyr, o ex-prefeito de Ribamar, Eudes Sampaio e o agiota Pacovan – e na operação Descalabro, que apreendeu R$ 2 milhões em seus escritórios

 

Josimar de Maranhãozinho é investigado pela Polícia Federal em duas ações que envolvem recursos de emendas parlamentares

A Polícia Federal vai unificar duas investigações que seguiam paralelas,  mas envolvem o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) e a suspeita de desvio de recursos de emendas parlamentares.

As primeira operação, denominada Ágio Final, investiga pagamento de propina de emendas parlamentares e extorsão; e envolve também o deputado federal Pastor Gil (PL), o ex-prefeito de São José de Ribamar, Eudes Sampaio (PTB), e o agiota Josival Cavalcante, o Pacovan.

A outra operação, denominada Descalabro, tem como alvo direto o próprio Josimar de Maranhãozinho, e resultou na apreensão de R$ 2 milhões em endereços ligados a ele.

Ambas as operações corriam de forma independente, mas depoimentos já obtidos pela Polícia Federal mostraram que tratam do mesmo tema: desvio de recurso de emendas parlamentares.

Com o pedido de compartilhamento de informações, as duas ações da PF ficarão sob a custódia do Supremo Tribunal Federal, que coordena a operação Descalabro, contra Maranhãozinho, esta em segredo de Justiça.

De acordo com as primeiras investigações, só a operação Ágio Final movimentou cerca de R$ 6,6 milhões em emendas parlamentares, com suspeita de pagamento de propina da ordem de R$ 1,6 milhão. 

Os deputados federais ainda não foram ouvidos pela Polícia Federal…

4

Ministério Público encaminha pela inelegibilidade de Julinho

Julinho entre seus aliados Josimar de Mranhãozinho e Gil Cutrim: eleito em Ribamar, prefeito pode perder o mandato

Ainda lidando com a Justiça, por conta da inelegibilidade, o prefeito eleito de São José de Ribamar, Júlio Matos (PL), recebeu notícia negativa no âmbito federal. O vice-procurador-geral Eleitoral Renato Brill de Góes emitiu parecer reconhecendo a inelegibilidade do prefeito eleito de São José de Ribamar, Dr. Julinho.

“Este órgão do Ministério Público Eleitoral manifestasse pelo provimento dos recursos especiais, para que se reconheça a inelegibilidade do candidato Júlio César de Souza Matos e, por conseguinte, seja indeferido seu registro de candidatura”, decide o vice-procurador-geral. (Leia aqui o parecer)

Com o parecer do MP, o processo segue para votação na corte do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). É possível que o julgamento ocorra antes mesmo da diplomação dos eleitos, marcada para o próximo dia 18, de acordo com edital divulgado pela juíza Thereza Cristina.

Na banca de advogados de Julinho, a insegurança é grande. Tudo por conta do envolvimento do nome do principal patrocinador da candidatura de Julinho, o deputado federal Josimar Maranhãozinho, num escândalo de negociação de emendas, conforme revelou a Polícia Federal.

No entendimento dos advogados, sem a força de Josimar, que agora tá se dedicando à sua própria defesa, há o temor que Julinho não logre êxito no TSE.

5

Josimar assedia Wellington por apoio a Duarte Júnior…

Deputado federal tenta usar o endividamento do ex-candidato do PSDB para atraí-lo ao projeto que passou a assumir desde que decidiu levar o PL para o apoio ao candidato do Republicanos

 

Josimar passou a ser uma espécie de agente de mercado da campanha de Duarte Júnior; e tem como primeiro alvo Wellington do Curso

O deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) passou a ser alvo direto do deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL).

O dono do PL no Maranhão assumiu uma especie de coordenação da campanha do candidato a republicano a prefeito, Duarte Júnior, e quer Wellington em seu palanque.

Para isso, encaminhou uma negociação que passa, inclusive, pelas dívidas do ex-candidato tucano.

Wellington enfrenta altíssimo nível de endividamento e está com seus bens e empresas à venda – incluindo parte de sua empresa, o cursinho que leva o seu nome. 

As dívidas de Wellington já foram tratadas no blog Marco Aurélio D’Eça em sucessivos posts. (Relembre aqui, aqui e aqui).

E é exatamente aí que entra Josimar.

Wellington já teve embates duros com Duarte Júnior na Assembleia, mas pode acabar no palanque do Republicano em troca do saldo de suas dívidas

Ao lado do também deputado federal Cléber Verde, que controla o PRB, Josimar tem apresentado propostas para que Wellington suba no palanque de Duarte, com quem já teve  algumas desavenças na Assembleia.

O ex-candidato do PSDB tem conversado com vários outros candidatos, mas a entrada de Josimar no processo inflacionou seu discurso de apoio. 

Mas o tempo está passando e Wellington precisa fazer uma escolha.

Antes que a sua importância no processo eleitoral seja relativizada pela dinâmica da campanha.