1

Moradores reclamam de acúmulo de mato na Rua Boa Esperança…

Tanto na via, liga a Cohama ao Turu, quanto nas transversais dos conjuntos residenciais ao longo de toda a extensão, a capina não é realizada há meses, criando sensação de abandono nos bairros

 

 

Além de dar um aspecto de abandono aos bairros, o mato, quando mais alto, serve de esconderijo e espreita para marginais

Moradores dos vários conjuntos habitacionais que margeiam a rua Boa Esperança, entre a Cohama e o Turu, reclamam do acúmulo de mato na região.

Tanto nas margens da própria via quanto nas transversais desses residenciais  a capina não é realizada há meses.

Espécie de avenida que liga a Daniel de  Latouche, na Cohama, à avenida São Luís Rei de França, no Turu e à Jerônimo de Albuquerque, no Angelim, a Boa Esperança já sofreu com a construção sem planejamento de diversos conjuntos habitacionais.

O mato em alguns locais já sobem até mesmo nas paredes e muros de casas às margens da Boa Esperança

Estreita, a via atendia a área quando eram apenas sítios e chácaras, mas ficou inviável após explosão de construções, que levaram para um único endereço até 300 famílias onde antes existiam apenas uma.

E o abandono foi inevitável.

Agora, os moradores cobram que pelo menos a capita da via seja realizada…

0

Comunidade denuncia avenida que virou lixão na Feira do João Paulo

Não bastasse o uso por feirantes como estacionamento para carga e descarga,. a Avenida Projetada está praticamente toda tomada por lixo que atrai urubus e outros animais, além de espalhar mau cheiro pela região

 

O lixo se espalha por toda a avenida ao lado da feira do João Paulo, causando transtornos e riscos à saúde

Principal ligação da Avenida São Marçal às comunidades do Coroado, Barés e à Avenida dos Africanos, a Avenida Projetada, ao lado da feira do João Paulo, virou um lixão.

Sem controle da Prefeitura de São Luís, todo tipo de material descartado é jogado na via, que já sofre com o uso indevido de feirantes como estacionamento para carga e descarga.

O lixo acumulado já cobre praticamente toda a rua, atraindo urubus e outros animais.

Na prática, a avenida projetada é uma extensão da Daniel de Latouche,  uma vez que compreende a mesma linha reta do Coroado ao retorno do Calhau, mas sofre com a falta de educação da população e com o descaso das autoridades.

O lixo causa incômodos a bares, restaurantes e outros tipos de comércio da área, além de causar mau cheiro e risco de doenças.

A comunidade tem feito reclamações diárias nas redes sociais…

1

Sucesso da limpeza urbana em São Luís é destaque em congresso “Lixo Zero”

Centro Ambiental da Ribeira, projeto “Ponto Limpo” e ação “Orla Limpa” foram apresentados pelo Comitê Gestor de Limpeza Urbana da capital maranhense em evento que reúne exemplos de vários países

 

Ações de limpeza e conservação em São Luís deram destaque à Prefeitura de São Luís em maior evento do mundo sobre resíduos sólidos

 

As ações exitosas colocadas em prática pela Prefeitura de São Luís no tratamento e destinação correta dos resíduos sólidos foram apresentadas durante o Congresso Internacional Cidades Lixo Zero, realizado em Brasília (DF), pelo Instituto Lixo Zero Brasil.

O evento, encerrado na última quinta-feira (24), reuniu palestrantes de países como Itália, Austrália, Bélgica, EUA, Japão, França, Portugal e Suécia, e contou com a apresentação do presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Joabson Júnior, que falou sobre o Centro Ambiental Ribeira – São Luís, do projeto Ponto Limpo e da ação “Orla Limpa” – que tem como ponto alto a instalação de uma grande lixeira em formato de peixe, na Litorânea, visando à conscientização da população sobre a importância de manter a orla limpa e o descarte correto do lixo. 

“Temos trabalhado no sentido de tornar, cada vez mais, São Luís uma cidade mais bonita, limpa e sustentável. Neste sentido, temos investido na área de limpeza urbana garantindo uma destinação correta do lixo, incentivando essa prática. Instalamos a grande lixeira metálica em formato de peixe na Litorânea. Também estamos transformando lixões em áreas urbanizadas, em Ponto Limpo. Isso representa mais qualidade de vida para a população e cuidado com a preservação do meio ambiente. Com todas essas ações, São Luís tem se tornado destaque nas políticas voltadas para o meio ambiente desenvolvidas no país”, destacou o prefeito Eduardo Braide, acrescentando que o congresso é um espaço importante para que pessoas de todo o Brasil e de outros países conheçam o trabalho que está sendo realizado na capital maranhense nesta área. 

O espaço aberto para a apresentação das ações da Prefeitura de São Luís no congresso, segundo o presidente do Comitê Gestor de Limpeza, Joabson Júnior, é um reconhecimento das boas práticas da gestão municipal que, em meio a uma pandemia, continua investindo em projetos que, além de embelezar a cidade, traz saúde pública para todos os munícipes. “É o reconhecimento da contribuição da Prefeitura de São Luís em prol do meio ambiente. Em busca de uma cidade lixo zero”, disse. 

O congresso Cidade Lixo Zero é o maior evento sobre resíduos sólidos. É uma experiência técnica, interativa e educativa sobre o tratamento e destinação de resíduos nas cidades. Durante o evento foram realizadas 250 palestras, sendo mais de 20 palestrantes internacionais. As discussões tiveram como objetivo engajar a sociedade em prol da temática do Lixo Zero. 

A apresentação das ações implantadas em São Luís pelo Comitê Gestor de Limpeza, destaques entre os países participantes

Ações exitosas 

Durante sua apresentação, Joabson Júnior falou sobre o Centro Ambiental Ribeira. Instalado em uma área de 60 hectares, local onde funciona uma Usina de Inertes, que tem capacidade de beneficiar até 7 mil toneladas mensais de resíduos da construção civil; um Pátio Escola de Compostagem, onde são processadas 90 toneladas mensais de frutas, legumes e verduras, recolhidos de feiras livres e mercados públicos, além dos resíduos de poda e capina, cujo adubo fabricado é doado aos pequenos produtores rurais, fortalecendo, assim, a agricultura familiar; um Casarão da Aprendizagem, um centro de educação ambiental que mostra os 40 anos do aterro da Ribeira e um Galpão de Triagem, onde é feita a separação dos recicláveis e tem capacidade de reciclar até 10 toneladas/dia de papel, papelão, vidro, metal e plástico. 

Sobre os Ponto Limpo, o presidente do Comitê Gestor de Limpeza apresentou o trabalho realizado nos primeiros meses da gestão do prefeito Eduardo Braide e que já resultou na transformação de aproximadamente 15 espaços que serviam de local para descarte de lixo irregular, em áreas limpas e arborizadas – nesses locais já foram plantadas 3.260 mudas. A meta é instalar pelo menos 100 pontos limpos em toda a cidade. 

“O Ponto Limpo traz diversos impactos positivos para a área. O mais importante deles é o fim dos lixões nas vias públicas. Outra mudança importante é relativa à saúde pública, já que inibe que mosquitos vetores de doenças façam seus criadouros na área. Tem ainda a recuperação urbana do espaço, a melhoria visual da via e o impacto na educação ambiental da população”, avaliou o presidente do CGLU de São Luís. 

A ação “Orla Limpa”, com a instalação da lixeira, é uma iniciativa da gestão do prefeito Eduardo que tem também caráter educativo e foi destacada na apresentação do Comitê Gestor de Limpeza no congresso. A grande lixeira metálica no formato de peixe, instalada próximo ao parquinho da Litorânea, é um local onde a população pode descartar lixo reciclável. 

O objetivo é conscientizar a população da importância de manter a orla limpa e da separação do lixo que pode ser reciclado. “A lixeira tem capacidade para 40 litros de garrafas pet ou latinhas. Quando estiver cheia, quanto de material que iria para o mar está sendo reciclado e reutilizado?. A ideia é mostrar a importância do descarte correto do lixo e da reciclagem”, finalizou Joabson Júnior, em apresentação durante o evento.

1

Prefeitura cobra de empresa de limpeza proteção contra CoVID-19 em ITZ

Funcionários da Selix Ambiental estavam recolhendo resíduos sólidos sem o devido uso de Equipamentos de Proteção Individual obrigatórios durante a pandemia de coronavírus

 

A Prefeitura de Imperatriz, por intermediação da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Público, Sinfra, notificou administrativamente a empresa Selix Ambiental, responsável pela coleta de resíduos sólidos na cidade para que se cumpra as recomendações da Organização Mundial da Saúde, OMS, do Ministério da Saúde e do Ministério Público, através da 3º Promotoria Especializada de Imperatriz, com base na recomendação PA 06/2020.

O secretário de Limpeza Pública, Juandré da Silva Oliveira ressalta que, “a empresa já foi notificada para que se adequasse às recomendações da OMS de combate ao novo coronavírus. Uma vez que o serviço é essencial e fica inviável suspender a coleta na cidade, precisamos presar pela segurança e bem estar de nossos trabalhadores.”

Dentre as medidas que a recomendação prevê, estão garantir o uso de Equipamentos de Proteção Coletiva, EPC, e Individual, EPI, bem como sua manutenção, operação e disposição final. A notificação também prevê que a empresa implante um programa de educação e treinamento para os trabalhadores no que diz respeito à prevenção da pandemia da Covid-19. Além de higienização de equipamentos e ambientes, entre outras ações.

Em relação aos resíduos produzidos por pacientes em isolamento domiciliar, e por seus cuidadores, que a empresa oriente a população, através dos meios que dispor, seja mídias digitais ou televisivas, para que separem seus resíduos, colocando-os em sacos de lixo resistentes e descartáveis e fechados com lacre ou nó e posteriormente, colocado em um segundo saco de lixo descartável, de modo a garantir uma proteção dupla aos trabalhadores da limpeza.

A empresa possui prazo de máximo de 48 horas, a partir do recebimento da notificação administrativa, para encaminhar à Prefeitura as devidas medidas a serem adotadas bem como seu planejamento, comprovação de execução dos itens ou planejamento das atividades a serem realizadas, de maneira formalizada. Caso contrário, na ausência de comprovação ou resposta para a adoção das medidas, ensejará nas medidas de penalização contidas na Cláusula Treze do contrato nº 019/2018 – SINFRA, bem como à aplicação das penalidades administrativas previstas na Lei nº. 8.666/93 e na Lei nº. 10.520/02.

A Prefeitura criará ainda um comitê para acompanhamento e demais deliberações com representantes da Sinfra, Gabinete do Prefeito, Meio Ambiente, Sedes, Procuradoria, Saúde e as empresas Sélix Ambiental e Ecoservice. 

1

Coleta de lixo e limpeza urbana: outros trunfos de Edivaldo…

Além da forte ação no setor de urbanismo – com revitalização de áreas históricas, praças e avenidas – prefeito de São Luís tem inciativa na destinação de resíduos, que será melhorada agora com a coleta seletiva

 

Edivaldo vai construindo legados em setores fundamentais da vida urbana da capital maranhense

Se já construiu um legado de peso no setor urbanístico, com a recuperação de áreas tombadas no Centro Histórico e melhoramento do aspecto visual em pontos turísticos, o prefeito Edivaldo Júnior (PDT) tem outro trunfo a deixar como marca ao fim e sua gestão.

O setor de limpeza urbana, coleta de lixo e destinação de resíduos sólidos é um ponto da gestão pedetista digna de elogios, sobretudo com a criação e ampliação dos Ecopontos a partir do seu segundo mandato.

Agora, esta área da gestão ganha ainda mais qualidade, com a implantação do sistema de coleta seletiva porta a porta por agendamento.

Com os 17 ecopontos, São Luís tem a maior taxa de reciclagem da região Nordeste e integra um grupo de 12% de cidades das regiões Norte e Nordeste que cumpre todas as determinações da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

Levando em conta que a gestão recebeu o setor de limpeza fora dos padrões exigidos, o avanço dado por Edivaldo Júnior é digno de registro.

E deve marcar o seu mandato…

2

Ecoponto muda conceito de destinação de lixo em São Luís…

Espaço construído pela Prefeitura de São Luís fomenta a cultura da coleta seletiva e leva o cidadão a trabalhar sua própria concepção de resíduos sólidos; mas a população precisa se educar

 

Os ecopontos têm funcionários o dia inteiro para receber os resíduos descartado por residências e que não são recolhidos na coleta regular

Já são 17 estruturas em funcionamento em São Luís; outras três estão em construção para entrega ainda em 2019.

E desde que foram instalados, os Ecopontos – espaços destinados ao recebimento de resíduos não-recolhidos pela coleta regular de lixo –  mudaram o conceito de coleta e destinação de resíduos sólidos.

projeto da prefeitura, em parceria com a São Luís Ambiental (Slea), empresa que cuida da coleta e destinação do lixo na capital maranhense, o ecoponto tem o objetivo de fomentar a cultura da coleta seletiva.

Mas é preciso educação da própria população .

Os pontos de recebimento de resíduos sólidos – restos de construção, podas de árvores, móveis velhos e caixas de papelão, latas e vidros – estão instalados em bairros que atendem também outras comunidades adjacentes.

Basta levar os resíduos e entregar no ponto.

É preciso orientar, sobretudo os carroceiros, da importância de saber destinar as sobras de material de construção e de árvores, resíduos que sujam espaços públicos e terrenos baldios

Ainda é possível se vê, no entanto, cidadãos ditos ciosos do seu dever despejarem sobras de material em terrenos vazios ou espaços públicos, mesmo nas proximidades das instalações dos ecopontos.

Com a conscientização da população e campanhas sistemáticas da prefeitura, São Luís pode ser uma cidade do futuro, com qualidade de vida e limpeza urbana.

E tudo isso com pouca tecnologia…

0

Imperatriz: prefeitura orienta sobre descarte de vidros e seringas…

Seringas, agulhas, lâminas, cacos de vidros e outros objetos cortantes representam um risco para os agentes da Limpeza Pública. Por isso, é importante realizar o descarte correto dos artigos que podem causar sérios transtornos à integridade física dos trabalhadores do setor. A Prefeitura chama a atenção para alguns dos cuidados na hora de se livrar desses objetos, como envolver esse lixo em camadas de papéis, colocar as seringas dentro de garrafas plásticas, caixas de leite, latas ou até caixas de papelão e colocar novamente a tampa de plástico da seringa depois de utilizá-la;

O secretário de Limpeza Pública, Alan Johnes, ressalta que deixar avisos nos sacos de lixo, como alertas informativos do tipo “objeto contaminante” ou “cacos de vidros”, ajudam a evitar acidentes. “Essa ação ajuda a chamar a atenção do profissional que trabalha na coleta de lixo. Com isso, ele saberá manusear da forma correta os dejetos até o caminhão coletor, mantendo sua integridade física”, explicou.

Apesar dos agentes realizarem a coleta domiciliar vestidos com os equipamentos adequados, como roupas e luvas de proteção, acidentes acontecem por conta da falta de cuidado na hora do descarte. O fiscal da limpeza pública, Gilberto Benetti, comenta que há cerca de dois meses um agente acabou sendo perfurado por uma seringa. “A SLP e a empresa que cuida da coleta de lixo pararam o trabalho naquele momento, para levar o agente até o hospital e também o material para ser periciado”, informou sobre um dos casos.

1

Edivaldo acompanha serviços de limpeza e nfraestrutura no Reviver

O prefeito Edivaldo Holanda Junior acompanhou neste sábado (13) mais uma ação de limpeza e serviço de infraestrutura na região central da cidade. A manutenção da limpeza em padrões de excelência nas áreas do Centro Histórico tem sido uma das metas e recomendação do gestor municipal. A vistoria dos serviços faz parte de uma agenda de rotina do prefeito. A ação vem também contribuir para oferecer um ambiente agradável para os participantes do Férias Culturais, programa da Prefeitura de São Luís com a participação de várias secretarias, que está sendo desenvolvido em diversos pontos do Centro Histórico até o dia 31 de julho.

“Como temos feito sempre, estamos acompanhando os serviços executados pela Prefeitura aqui no Centro Histórico. Este é um dos espaços mais frequentados neste período de férias e recebe uma atenção especial para garantir que ludovicenses e turistas desfrutem de um local com toda infraestrutura necessária para receber bem os visitantes e ser palco da nossa programação do Férias Culturais, que tem atraído ainda mais pessoas para o Centro”, disse o prefeito Edivaldo que estava acompanhado da primeira-dama, Camila Holanda e de secretários municipais. “Aqui o trabalho de limpeza não se resume a varrição e capina, mas também realizamos a lavagem de ruas praças e escadarias, que garante mais qualidade no trabalho”, completou o prefeito.

Com o grande fluxo de pessoas atraídas para o Centro Histórico neste período de férias, a limpeza e higienização de áreas se projetaram como ações estratégicas para alavancar setor da economia, como o turismo, atividade de gastronomia e a comercialização de produtos de maneira geral. Portanto, duas frentes de trabalho foram acionadas em uma articulação conjunta da Subprefeitura do Centro Histórico e do Comitê de Limpeza para manter o ambiente adequado para o acolhimento do grande número de turistas que visitam São Luís e, sobretudo, aos habitantes da cidade.

O prefeito vistoriou o trabalho realizado em pontos relevantes do Centro Histórico, acompanhado da primeira-dama Camila Holanda; da presidente do Comitê de Limpeza, Carolina Estrela Moraes; do subprefeito do Centro Histórico, Jeferson Viegas; do presidente da Fundação Municipal do Patrimônio Histórico e Artístico, Aquiles Andrade; do presidente do Instituto Municipal da Paisagem Urbana, Fábio Henrique Carvalho; e do secretário de Obras e Serviços Públicos, Antonio Araújo.

A presidente do Comitê de Limpeza Urbana, Carolina Estrela Moraes, ressaltou a importância das ações na região para elevar a satisfação do visitante e moradores. “A limpeza do Centro Histórico tem recebido atenção especial e redobrada do Comitê por recomendação do prefeito Edivaldo, por ser um ponto de recepção turística e pela importância como patrimônio da humanidade. Este é um espaço de lazer que todos os moradores de São Luís e visitantes têm como referência. Estamos sempre reforçando as ações de limpeza, lavagem, coleta e recolhimento de resíduos para manter esta área limpa e bem cuidada”, assinalou Carolina Estrela Moraes.

A Subprefeitura do Centro Histórico já realizou a cobertura de mais de cinco mil metros quadrados com serviços de capina, varrição, lavagem com utilização de jato quente e recolhimento de lixo em pontos de concentração de descarte irregular. “Vamos concluir o serviço de limpeza em uma área de 25 mil metros, cobrindo todos os 21 bairros que estão sob a responsabilidade da subprefeitura, desde a Praia Grande até o Anel Viário, passando pela Camboa, Fé em Deus, Madre Deus e outros locais. Contamos para isso com a colaboração do Comitê de Limpeza Urbana”, assinalou o subprefeito Jeferson Viegas.

Todas as praças, calçadas e pontos turísticos da região do Centro Histórico devem receber algum tipo de serviço. Em um dos pontos turísticos mais visitados da Praia Grande, a escadaria do Beco Catarina Mina, o prefeito acompanhou o trabalho meticuloso de limpeza que utiliza tecnologia moderna para remover sujeiras de monumentos tombados pela Unesco. A limpeza hidrotécnica está sendo realizada com o acompanhamento da Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh).

Segundo o subprefeito do Centro Histórico, Jeferson Viegas, a ação de limpeza tem acontecido regularmente e cada vez com maior eficiência. “Estamos cobrindo toda a região da Praia Grande para em seguida estendermos os serviços para outros bairros. Temos contado com a colaboração da população. O Centro hoje tem uma nova cara. As pessoas estão podendo sentar até nos batentes da casa para fazer uma selfie, o que não se imaginava antigamente”, observou o subprefeito.

FÉRIAS CULTURAIS

O programa Férias Culturais é desenvolvido durante o mês de julho pela gestão do prefeito Edivaldo e contempla diversas expressões culturais e artísticas. São atividades de teatro, música, passeio turístico, entre outras, que a Prefeitura de São Luís organizou para possibilitar lazer e cultura para moradores e turistas. Neste domingo (14), a programação do Férias Culturais acontece na Feirinha São Luís e no Complexo Deodoro.

Na Feirinha São Luís, que acontece na praça Benedito Leite, haverá programação a partir das 8h, com apresentação da Banda da Feirinha, seguida do Tambor de Crioula do grupo Maracrioula, grupo Maranhão Arte Capoeira e das bandas Diamente Giold e Stamina. Neste domingo (14) também na feirinha, As Brasileiras realizam uma grande roda de samba. O Férias Culturais tem continuidade no Complexo Deodoro, com a programação voltada para o público infantil com apresentação da banca Curumim Peralta e Grupo de Recreação Infantil.

0

São Luís assina acordo internacional de combate ao lixo no mar…

Aconteceu na quinta-feira, 4, e sexta-feira, 5, em São Luís, a Conferência Internacional de Prevenção e Combate ao Lixo no Ma.  Durante os dois dias de evento foram debatidas práticas de combate ao descarte irregular de resíduos sólidos nas cidades com ênfase à poluição marinha.

Durante a conferência foi assinado um acordo de parceria internacional entre São Luís e a Associação Internacional de Resíduos Sólidos (ISWA, na sigla em inglês), representada no Brasil pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), para que seja realizado um estudo para diagnosticar o tipo de resíduo produzido em São Luís, a origem dos descartes irregulares e que medidas podem ser tomadas para combater o problema.

Também foram lançadas uma calculadora para contagem da quantidade de lixo que vai parar no mar e um hotsite do projeto “Lixo fora do mar”.

A Conferência Internacional é promovida pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) em parceria com a Agência de Proteção Ambiental da Suécia (Sepa) e conta com o apoio institucional da Prefeitura de São Luís, por meio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana. A programação inclui debates e palestras com especialistas em gestão de resíduos sólidos da Sepa, da International Solid Waste Association (ISWA, na sigla em inglês), do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e além de especialistas locais. 

1

São Luís vai discutir combate ao lixo no mar…

Organizado pela Associação brasileira de Empresas de Limpeza Pública (Abrelpe), seminário internacional vai apresentar diagnóstico e o passo a passo para ações efetivas

 

São Luís sediará nos dias 4 e 5 de julho, no auditório da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), o Seminário Internacional “Prevenção e combate ao lixo no mar: do diagnóstico ao passo a passo para ações efetivas”.

Trata-se de um evento que reunirá representantes de empresas e especialistas em limpeza pública de todo o mundo.

O evento terá a participação da Agência de Proteção Ambiental da Suécia (SEPA), e a Associação Internacional de Resíduos Sólidos (ISWA).

Será uma das primeiras ações efetivas em São Luís para discutir o problema da poluição das praias.

Sobretudo pelo fato de a cidade estar numa ilha, com forte influência das praias para o turismo…