4

As manifestações pró-Bolsonaro e a ameaça à democracia…

As agressões dos manifestantes nas ruas ao Congresso e ao STF – tendo ou não sido um fracasso o movimento – mostra que o presidente está disposto a jogar a população contra os demais poderes, o que é perigoso para o país

 

OS BOLSOMÍNIONS SÃO EM MENOR NÚMERO NAS RUAS AGORA, mas os que ainda acreditam no presidente estão dispostos a tudo para mantê-lo no poder

Editorial

Sem entrar no mérito do sucesso ou do fracasso das manifestações de domingo, 26, em favor do presidente Jair Bolsonaro (PSL), o resultado delas, de uma forma ou de outra, é perigoso para a democracia no Brasil.

Perigoso, não; perigosíssimo!!!

Bolsonaro faz questão de usar a parte da população que ainda acredita no seu governo como bucha de canhão de ataques ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal, mesmo necessitando dessas instância de poder.

E é exatamente esta postura do presidente a grande ameaça ao país.

A reforma da previdência que Bolsonaro tenta impor ao Brasil está nas mãos de deputados e senadores; os mesmos que seus aliados passaram a semana inteira atacando impiedosamente.

Se Bolsonaro faz isso agora, mesmo dependendo do parlamento, o que não fará sem precisar dele?

Alguns setores da imprensa apontaram fracasso nas passeatas em favor do presidente, mostrando queda no número de apoiadores em relação à campanha.

O blog Marco Aurélio D’Eça já havia mostrado no Editorial “o início do fim do governo Bolsonaro…”, que esta queda no apoio é verificada com a redução do número de pessoas dispostas a sair em defesa do tal “mito”.

O problema é que, aqueles que restaram estão dispostos mesmo a tudo, inclusive a atacar a democracia em nome da manutenção do poder.

E este é o risco maior para o Brasil…

7

Bolsomínions forçam a barra para formar manifestação de apoio ao governo…

Movimentos de direita, apoiadores do governo Bolsonaro e aliados políticos do presidente adotam estratégia de pressão ao Congresso para garantir presença nas marchas do próximo domingo, 26

 

MEMBROS DO MBL EM MANIFESTAÇÃO PELO BRASIL, QUE OS BOLSONARISTAS USARAM COMO SUA; o movimento agora está ora das ruas

Quem acompanha as redes sociais e faz parte de grupos de troca de mensagens no celular acompanhou nos últimos dias, uma avalanche de memes, fake news e críticas ao Congresso Nacional.

Trata-se de mais uma estratégia dos bolsonaristas para formar multidão nas manifestações do próximo domingo, 26, de pretenso apoio ao governo Jair Bolsonaro (PSL).

O risco da manifestação contra o Congresso é a criação de um movimento – estimulado pelo próprio presidente da República – contra os demais poderes.

Desde a campanha, os bolsomínions se utilizam de bots nas redes sociais para influenciar a sociedade contra “os inimigos do presidente”.

A estratégia deu certo nas eleições garantindo a vitória de Bolsonaro.

Mas a mesma internet que favoreceu a vitória do presidente acabou por prejudicá-lo nos primeiros meses como mandatário, resultando em uma forte queda de popularidade entre janeiro e maio.

O resultado foi uma fraca reação aos movimentos do último dia 15, que levou milhões para as ruas contra as medidas do governo na área da Educação.

Em sua nova cruzada, Bolsonaro perdeu o apoio do Movimento Brasil Livre (MBL), que se recusou a participar da manifestação do próximo domingo.

O MBL também passou a ser atacado pelos bolsomínions.

A falta de reação pró-Bolsonaro nas redes foi analisada pelo blog Marco Aurélio D’Eça, no post “O início do fim do governo Bolsonaro”.

Agora, para garantir a volta da “militância às ruas” – em apoio às medidas do governo – os bolsonaristas pregam uma marcha contra o Congresso.

Por isso a inundação de memes e fake news nas redes sociais…

0

Não haverá soltura em massa com eventual habeas corpus de Lula…

Ao contrário do que adversários do ex-presidente tentam pregar, estupradores, assassinos e autores de crimes hediondos continuarão na cadeia caso o Supremo Tribunal Federal decida dar salvo conduto ao petista

 

Lula acena para o público em comício: manifestantes preparam ações contra e a favor do petista

Editorial

A afirmação que dá título a este post é do professor titular da Pontifícia Universidade Católica Aury Lopes Junior.

Com ela, o jurista retrucou em artigo divulgado nas redes sociais uma mentira quem sendo espalhada Brasil a fora por adversários do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

E serviu para dar origem a este editorial.

De acordo com os anti-Lula – mídia quatrocentona, empresariado paulista, setores religiosos, movimentos militares e parte do Judiciário – caso o Supremo Tribunal Federal decida nesta quarta-feira, 4, que Lula terá direito de responder em liberdade ao processo do Triplex de Guarujá – até trânsito em julgado da sentença – marginais de alta periculosidade que estejam preso por decisão de segunda instância também serão soltos.

– Isso é fake-news do processo penal ou argumento terrorista falacioso. Populismo punitivista. O que se está discutindo é apenas a possibilidade ou não de alguém ser preso, automaticamente, após a decisão de segunda instância, ainda na pendência de recursos e sem trânsito em julgado. Qualquer pessoa pode ser presa em qualquer fase do processo, incluindo obviamente a fase de investigação e a fase recursal, desde que exista necessidade, periculum libertatis. OU seja, qualquer um pode e continuará podendo ser preso preventivamente a qualquer momento – esclarece o professor.

O jurista ressalta ainda que a imensa maioria dos estupradores, homicidas, etc… está presa a titulo de prisão preventiva e não serão soltos por conta desse julgamento.

– Quem está cautelarmente preso, assim continuará. E, eventualmente, aqueles que não estiverem cautelarmente presos é porque não existe necessidade da prisão cautelar, porque não representam qualquer perigo para o processo ou para aplicação da lei penal. Estavam em liberdade por isso e assim devem permanecer até o trânsito em julgado – explicou Aury Lopes Júnior.

Os adversários de Lula – sobretudo movimentos de direita e simpatizantes da candidatura de Jair Bolsonaro, criam este terror de que bandidos serão soltos para gerar pânico na população e forçar uma onda de protestos para pressionar o STF.

Mas o jurista Aury Lopes deixa claro:

– Podem ficar tranquilos que não haverá uma soltura em massa de delinquentes perigosos. Não haverá uma horda de delinquentes bárbaros descendo pelas ruas, saqueando tudo… – diz ele.

A menos, é claro, que estes mesmos movimentos estejam dispostos a isso.

Simples assim…

3

O risco da venezuelização do Brasil…

Ao convocar as forças armadas contra o próprio povo brasileiro é um sinal de que o presidente Michel Temer pode estar disposto a tudo para se manter no poder; inclusive dando um golpe no próprio golpe

 

ANOS DE CHUMBO – por ordem de Michel Temer militares do Exército montam guarda em frente ao Palácio do Planalto, prontos para a guerra contra os próprios cidadãos brasileiros

Editorial

Desde que assumiu o poder, após impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), o presidente Michel Temer (PMDB) sempre mostrou uma estranha proximidade com os militares.

Foi comum nestes pouco mais de um ano de mandato as reuniões com os chefes das Forças Armadas, dando a entender que buscaria o Exército, a Marinha e a Aeronáutica se preciso fosse para garantir o seu governo.

Nesta quarta-feira, 24, Temer mostrou-se disposto, inclusive, a uma venezuelização do Brasil.

A presença de militares das Forças Armadas para reprimir manifestantes em Brasília foi um recado direto: o presidente que chegou ao poder por um golpe, mostra-se disposto a outro golpe para permanecer.

VENEZUELIZAÇÃO – O confrontos na Esplanada dos Ministérios trouxeram o país sitiado por Nicolas Maduro para dentro da capital brasileira

E para isso parece contar com forças reacionárias dentro e fora do seu partido, o PMDB; dentro e fora do seu ministério.

Michel Temer já perdeu as condições de governar o país, isto está claro.

Mas pode continuar governando, se estiver disposto a devolver o país aos anos de chumbo.

E isso ele deixou claro nas imagens que ilustram este post.

Simples assim…

0

Domingo deve ser de “Fora Temer” em todo o país…

Manifestações que começaram ainda na quarta-feira, após delação envolvendo o presidente, vêm ganhando corpo ao longo dos dias, e deve culminar com fortes atos nas principais capitais

 

RENÚNCIA JÁ
Populares têm ido cada vez mai às ruas das capitais par protestar contra Temer

Centrais sindicais, movimentos sociais, membros da sociedade civil e populares de forma isolada devem ir às ruas neste domingo, 21, em manifestações pela renúncia do presidente Michel Temer (PMDB).

O protestos começaram ainda na quarta-feira, 17, e vêm ganhando corpo desde que o presidente apareceu em delação premiada do dono do Frigorífico JBS, Joesley Batista.

Lideranças sindicais e políticas confirmam manifestações em todas as capitais brasileiras, ao longo do dia.

Os protestos pedem claramente a renúncia do presidente da República…

0

Rafael Leitoa intermedeia ação de trabalhadores em Coelho Neto…

Rafael discursa na manifestação…

 

Do blog do Lucão

O Deputado Rafael Leitoa acompanhado do prefeito de Coelho Neto, Américo de Sousa, de vereadores, do presidente do sindicato dos trabalhadores do grupo João Santos e centenas de operários participaram, na condição de mediadores, de uma manifestação pacífica na manhã desta sexta-feira, 3, em frente da fábrica Itapagé S/A – Celulose, Papéis e Artefatos., uma das empresas que compõe o conglomerado industrial do grupo.

…E acompanha o discurso de outros trabalhadores

Reivindicações 

Dentre as várias reclamações dos operários, as que são comum a todos é atraso salarial em quase 6 meses do ano de 2016, férias a serem pagas de março a dezembro de 2016, metade do décimo terceiro salário de 2015 e integral em 2016.

Outro ponto de exigência dos trabalhadores é que a empresa cumpra o acordo feito com 83 funcionários dispensados em dezembro de 2016 que tiveram o montante seus direitos trabalhistas divididos,  em  alguns casos em até 40 meses. Continue lendo aqui…

3

Imagem do dia: eles já não são mais os mesmos…

Movimento de protesto em São Luís reuniu apenas alguns manifestantes em frente à Assembleia Legislativa, que não mostraram a mesma empolgação de outrora. Cartazes de cartolina em defesa do juiz Sérgio Moro e da operação Lava Jato marcaram a manifestação, que foi pacífica

 

fracos

É possível até contar o número de pessoas reunidas nesta foto, do repórter-fotográfico Biné Morais, de O EstadoMaranhão. Com absoluta boa vontade, o blog contou 69 pessoas. É o total de manifestantes presentes neste domingo, 4, em protesto contra as emendas ás 10 Medidas contra a Corrupção. O movimento saiu em defesa do juiz Sérgio Moro e criticou os políticos. Não houve contratempos com a polícia, que também não estimou o número de participantes

3

O Brasil pega fogo e Brandão esconde o PSDB…

Em meio às manifestações em todo o país contra a presidente Dilma, o PT e o ex-presidente Lula – em que até os presidenciáveis do PSDB, Aécio Neves e Geraldo Alckimin, se expuseram em São Paulo – o presidente do PSDB maranhense, Carlos Brandão, continuou escondendo o partido. Em pleno domingo de passeatas, ele anunciava agenda do partido no interior, nada a ver com o momento político. É mais uma mostra do quanto Brandão submeteu os tuanos aos interesses do governador Flávio Dino (PCdoB)

O post de Brandão no domingo: para ele, parece não existir crie política

O post de Brandão no domingo: para ele, parece não existir crie política

 

7

Jornalista denuncia agressão de policial civil em ato pró-impeachment do sábado 5…

Já conhecido por violência em atos contra a presidente Dilma, o policial civil Marcelo Penha será processado por Henrique Sousa, dirigente petista em São Luís

 

Henrique exibe hematomas resultantes do confronto de sábado, 5

Henrique exibe hematomas resultantes do confronto de sábado, 5

O jornalista e dirigente do PT Henrique Sousa denunciou à Corregedoria de Polícia Civil, na  semana que passou, o policial civil Marcelo Penha, por atos de agressões durante as manifestações do sábado, 5, em São Luís.

Segundo Sousa, que fez exame de Corpo de Delito, Penha o agrediu violentamente durante a ação, que resultou em confronto entre petistas e militantes pró-impeachment, na praça Maria Aragão.

A denúncia foi feita diretamente ao secretário Jefferson Portela e ao delegado-geral Laurence Melo Pereira.

Não é a primeira vez que Marcelo Penha é denunciado por brutalidade em manifestações populares.

Segundo o site G1, este é Marcelo Penha, de arma em punho durante manifestação pacífica

Segundo o site G1, este é Marcelo Penha, de arma em punho durante manifestação pacífica

O policial maranhense foi preso em Brasília, no mês de novembro, após fazer ameaças a policiais do Distrito Federal, durante um ato contra a presidente Dilma.

Penha é membro de um grupo que defende a volta dos militares ao poder, e participa armado dos atos contra Dilma, alegando a condição de policial. (Saiba mais aqui)

No mesmo mês, segundo o portal G1, o policial maranhense foi detido, suspeito de ter disparado para o alto, durante a Marcha das Mulheres Negras contra o racismo, também em Brasília. (Relembre aqui)

Além da denúncia formal ao comando da Secretaria de Segurança Pública, o jornalista Henrique Sousa registrou Boletim de Ocorrência contra o policial civil, a quem acusa de ter sido o responsável pelos confrontos, ao partir para a agressão contra os petistas.

Marcelo Penha está afastado das funções desde os episódio de Brasília, mas continua andando armado.

E deve estar neste domingo nos atos da avenida Litorânea…

1

Wellington reforça pedido por segurança em manifestações…

Wellington quer garantia de manifestação pacíica

Wellington quer garantia de manifestação pacíica

O deputado estadual Wellington do Curso (PPS) reforçou o pedido de implantação do Plano de Planejamento e Acompanhamento das Manifestações, demonstrando preocupação quanto aos atos do Movimento “Pró-impeachment”, que acontecerá no dia 13.

O motivo da preocupação do parlamentar faz referência ao ocorrido no último episódio das manifestações em São Luís, que resultou em atos de vandalismo e violência.

Indo na contramão do que nossa Constituição Federal assegura, o direito à livre manifestação de pensamento ainda enfrenta aquilo que se pode compreender como censura. Quem afirma isso não sou eu, mas a população. Os cidadãos que, ao exercerem um direito que lhes é assegurado, encontraram atos de violência como respostas. Eis um cenário que nos preocupa, principalmente ante as manifestações que acontecerão no próximo dia 13. Vivemos em um Estado Democrático de Direito e é essencial que respeitemos as ideologias distintas, ainda que plenamente contrárias ao que pensamos. Recebemos inúmeros relatos sobre as manifestações que ocorreram no último dia 05, denúncias de trabalhadores que foram tão somente reivindicar, ou seja, não cometeram ilícito algum, o que, pela lógica penalista, deveria impedir que sobre eles fosse imposto alguma postura coercitiva. No entanto, não foi isso que ocorreu. Eis o motivo da nossa preocupação. Por entendermos que é possível sim que haja manifestações pacíficas, mais uma vez, solicitamos o acompanhamento das manifestações por parte do Estado, através da Secretaria de Segurança Pública, não de forma coercitiva, mas de forma asseguradora de direitos”, afirmou o deputado Wellington.

Essa não é a primeira vez em que o deputado Wellington sugere ao Governo a implantação do Plano de Acompanhamento de Manifestações no Maranhão, objetivando garantir o livre exercício dos direitos.

Indo ao encontro de tal solicitação, o parlamentar mencionou, ainda, alguns depoimentos de pessoas que o procuraram e denunciaram alguns dos fatos ocorridos durante as últimas manifestações.