1

Oposição bate cabeça no início dos trabalhos da Assembleia…

Sem liderança consistente no comando da bancada, deputados não-alinhados ao projeto do comunista Flávio Dino entram numa disputa fratricida por espaços de poder na Mesa Diretora da Casa

 

PARTE DOS DEPUTADOS DE OPOSIÇÃO com Othelino Neto: gestos comezinhos e a eterna disputa de vaidades

A bancada de oposição na Assembleia Legislativa chegou ao fim do primeiro mandato do governo Flávio Dino de forma melancólica, esfacelada, com vários membros não reeleitos e sem um norte claro de comando.

E inicia a novo ciclo político de quatro anos ainda mais reduzida e dividida.

A guerra aberta entre os deputados Roberto Costa e Arnaldo Melo (ambos do MDB) por uma das inúmeras vice-presidências da Casa demonstra a falta de unidade da bancada no pós-Sarney.

Deputados experientes, como César Pires e Rigo Teles (PV), além dos próprios Melo e Costa, deveriam atuar para unificar a reduzidíssima tropa oposicionista, não dividi-la.

Até por que, no fim das contas, a importância do posto disputado na conjuntura da Assembleia é apenas o de turbinar o contracheque.

COM ARTICULAÇÃO E ESPAÇOS PRÓPRIOS, Roberto Costa tenta chegar à Mesa Diretora contra seus pares de bancada

Na legislatura passada – ainda que com remotas perspectivas de poder – a bancada de oposição, que tinha nomes como Andréia Murad (PRP), Eduardo Braide (PMN), Max Barros (DEM) e Sousa Neto (PRB), sofreu com ciumeiras e disputas internas por liderança e espaços midiáticos.

Se continuar numa guerra fratricida por nacos de poder e vaidades, reforçará a ideia de insignificância que ficou com a fragorosa derrota nas urnas.

E, e quiser, tem líderes experientes para evitar este racha…

3

Eleição na Assembleia está indefinida…

Apesar do consenso pela reeleição do atual presidente, um grupo cada vez maior de parlamentares atuam para que o demais cargos da Mesa sejam mudados para o biênio 2017/2018

Coutinho é o único consenso na Casa

Coutinho é o único consenso na Casa

Engana-se quem imagina que a eleição na Assembleia Legislativa esteja definida. O que já está certo é que a eleição de fato deverá ser antecipada e acontecerá, muito provavelmente, no mês de março.

Além da antecipação, a recondução do atual presidente, Humberto Coutinho (PDT), para o biênio 2017/2018 é outra situação já acertada entre os deputados estaduais.

Entretanto, o problema está nos outros oito cargos da Mesa Diretora. Alguns deputados que estão na Mesa, pretendem, e têm trabalhado para manter-se nos respectivos cargos.

Só que um grupo, com cerca de 25 deputados estaduais, está se reunindo para tentar manter a “tradição” criada no parlamento estadual e evitar um desgaste de uma disputa, trabalhando assim para um consenso.

Esse grupo defende que seja mantido o rodízio que aconteceu na eleição para a recondução de Arnaldo Melo para a presidência da Assembleia no biênio 2013/2014, ou seja, naquela oportunidade, apenas Arnaldo Melo, como presidente, foi reeleito, os demais cargos foram ocupados por deputados que estavam fora da Mesa Diretora.

Sendo assim, ao que parece, a única possibilidade de consenso pleno na próxima eleição da Assembleia Legislativa é manter-se a “tradição” da Casa.

2

Arnaldo Melo mantém acordo: Sete vagas na Mesa para os governistas e duas para a oposição…

Arnaldo Melo garantiu mais dois anos à frente da AL

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Aernaldo Melo (PMDB), confirmou agora ao pouco ao blog que vai realizar a eleição daMesa Diretora da Casa nesta quinta-feira.

Ele é candidato à reeleição e deverá ser reconduzido pela maioria dos deputados.

De acordo com o parlamentar, está mantido o acordo de 2011, o que garantirá sete vagas na Mesa para a bancada governista e duas para a oposição.

– Até agora, está prevalecendo o consenso, o que é bom para o governo – declarou o parlamentar.

Arnaldo Melo disse  que não esperava o movimento que se formou nos últimos dias, contra a antecipação da eleição.

– Até por que, nunca me falaram do desgosto que tinham por mim. Quando me chamaram, foi apenas para comunicar que era pra eu retirar a proposta. Respondi que, se a maioria dos deputados quisesse, eu retiraria. mas a maioria decidiu antecipar o pleito e decidiu também pela eleição quinta-feira – afirmou.

Para o presidente da Assembleia, no entanto, estes conflitos estão superados, e o momento agora é de construção da nova direção da Casa.

A chapa deve ser montada até quinta-feira…

13

Tatá Milhomem indignado com antecipação de eleição na Assembleia…

Milhomem: antecipação de eleição é imoralidade

O líder do bloco Pelo Maranhão, deputado Carlos Alberto Milhomem (PSD), classsificou de “imoralidade” a proposta de antecipação da eleição da Mesa Diretora da Assembleia, publicada ontem no Diário da Casa.

O projeto é de iniciativa do atual presidente, Arnaldo Melo (PMDB), que espera votá-lo até terça-feira. Melo é candidato declarado à reeleição.

– É um casuísmo, uma imoralidade. O Maranhão não comporta mais coisas deste tipo – revoltou-se Milhomem.

Segundo ele, atitudes como essa só servem para manchar a imagem da própria Assembléia.

Ex-presidente da Casa e um dos deputados mais influentes do estado, Milhomem deixou claro que pretende inviabilizar a votação da proposta, que dise estar “bichada”.

– Mas, mesmo que haja a antecipação, nada garante a reeleição da atual Mesa. E vamos mostrar a ele – afirmou, referindo-se a Arnaldo Melo.

O clima promete esquentar na casa de Manoel Beckman…

3

Eleição na Assembleia deverá ser antecipada…

Do blog de Jorge aragão

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Arnaldo Melo (PMDB), deu definitivamente início ao seu projeto de reeleição para a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa.

No Diário da Assembleia desta quinta-feira (05), o primeiro grande passo foi dado. Na página 04, consta um Projeto de Resolução Legislativa nº 025/2012, que requer a alteração do artigo 7º da Resolução Legislativa nº 499 de 24 de junho de 2004.

–  A partir do dia 15 de julho do segundo ano da Legislatura, realizar-se-á Sessão Preparatória para a eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Maranhão que tomará posse no dia 1º de fevereiro no terceiro ano da legislatura, em data e horário a ser definido por Ato da Mesa Diretora, com antecedência de 48 horas a realização do pleito, obedecidos o disposto no art. 8º e seus incisos do Regimento Interno – diz o documento. Continue lendo aqui…

7

Um recado…

Max, com Victor Mendes e Roberto: sempre juntos

Deu na coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão, neste sábado:

“Triunvirato

O deputado Roberto Costa (PMDB) tem participado cada vez mais de reuniões com os secretários Max Barros (infra-estrutura) e Victor Mendes (Meio Ambiente).

O trio se encontra para almoçar, jantar ou simplesmente “confabular” pelo menos duas vezes por semana.

E nas conversas, a sucessão na Assembleia Legislativa é sempre tema recorrente”.

Detalhe: os três são deputados estaduais…

2

Max Barros e a confiança da classe política…

Max Barros, ao centro: poucos inspiram tanta confiança quanto ele

Nada menos que 15 deputados estaduais estão hoje, desde cedo, ao lado do secretário de Infra-estrutura, Max Barros (PMDB), na Baixada Maranhense.

O evento é administrativo: Max lançará, em Viana, as obras de reconstrução total do trecho de 153 quilômetros da MA-014, um dos sonhos da região.

Mas o aspecto político do ato transparece na presença de cada deputado.

Os colegas de Assembleia Legislativa estão lá por que Max, como secretário ou como deptuado, inspira confiança.

A relação é com parlamentares de todas as gerações

Técnico dos mais corretos e preparados – conceito admitido inclusive pela oposição – o secretário de Infraestrutura é também político por opção.

São 15 parlamentares que acreditam no trabalho e nas ações do colega peemedebista.

Em termos políticos, eles representam nada menos que 1/3 da Assembleia Legislativa.

Respeito, inclusive, entre oposicionistas

Levando em consideração que Max Barros tem a admiração declarada do líder da oposição, Marcelo Tavares (PSB) – que, obviamente, não estará no lançamento da obra, em Viana – o deputado do PMDB demonstra ter condições de criar uma relação muito mais próxima com os colegas de Assembleia.

Por isso seu nome é falado insistentemente nos bastidores, para as próximas eleições na Casa.

E o pleito só acontece em dezembro…

4

Decidido! Deputados vão tentar antecipar eleição da Assembléia…

Deputados já brigam por lugar nesta mesa diretora

Está previsto para esta semana o início da tramitação da Proposta de Emenda Constitucional que antecipa, em um ano, a eleição da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa.

O projeto, que já teria 18 assinaturas, deve ser lido hoje em plenário – mesmo diante da manifestação aberta do Palácio dos Leões de que é contra a proposta.

Hoje pela manhã, uma reunião com o presidente da Casa, Arnaldo Melo (PMDB), da qual participaram vários parlamentares, sacramentou a decisão de apresentar a PEC, que tem como provável autor o deputado Hélio Soares (PP).

A partir da publicação no Diario da Assembléia, a PEC da antecipação da eleição seguirá para a Comissão de Constituição e Justiça.

Recebendo Parecer favorável da CCJ, a proposta só será apovada em plenário se obtiver 25 votos.

Com a antecipação da eleição da Mesa o próximo presidente da Casa será eleito com quase um ano e meio de antecedência.

E só tomará posse em fevereiro de 2013…

17

Eduardo Braide endurece o discurso com o governo e Roberto Costa pede equilíbrio aos colegas da base governista

Eduardo Braide: postura firme em relação ao governo

O líder do Bloco da União Parlamentar, Eduardo Braide (PMN) revelou hoje, em seu primeiro discurso na tribuna da Assembléia Legislativa, oa sua versão dos bastidores da eleição que levou o deputado Arnaldo Melo (PMDB) ao comando da Casa. De acordo com Braide, não houve traição alguma a Ricardo Murad (PMDB), mas quebra de acordos já definidos.

– Quando conseguimos o apoio do PSDB, e reivindicamos a quarta vaga, Ricardo nos negou e ainda tentou quebrar o bloquinho, propondo formar novo bloco, entre PSDB e PP – revelou o parlamentar, citando como testemunhas o colega Stênio Rezende (PMDB) e o ex-deputado Carlos Alberto Milhomem (DEM).

Também em discurso na tribuna, o deputado Roberto Costa (PMDB) considerou desmedido o discurso do líder do bloquinho.

Costa pediu serenidade

– Entendo a energia da junvetude, até porque também me considero desta geração. E fiz parte deste bloco; mas a discussão se encerrou com a eleição de ontem. Temos tudo para construírmos uma nova era, mas tudo se resolve com discussão.

Para Costa, não coube a crítica ao governo, sobretudo após a governadora e o presidnete da Assembléia, Arnaldo Melo, terem se encontrado, ontem, após a eleição na Casa.

– A governadora sempre estará aberta ao díálogo, tanto que recebeu ontem o nosso presidente, Arnaldo Melo, que é do meu partido. É preciso parar com as questões da eleição da Mesa – pregou Costa. 

Em seu discurso, Eduardo Braide também deixou clara a posição do bloco e mandou um recado ao governo:

– Caberá ao governo decidir a postura do bloco. Somos da base do governo, mas se formos tratados como oposição, então saberemos como agir – disse o líder do bloquinho, afirmando ter ouvido existirem ameaças de retaliação aos deputados que votaram em Melo.

– Se houve traição, foi do Manoel Ribeiro (PTB), que lançou seu nome quando Ricardo Murad era o candidato de consenso. Se houve traição foi do governo, que decidiu apoiar Ribeiro, exatamente o que cobrou o consenso, como alternativa a Ricardo Murad – desabafou o parlamentar.

O discurso de Braide foi seguido também pelos deputados Marcos Caldas (PRB) e apoiado pelos membros do BUD.

Rezende também entrou no debate

Outro que foi à tribuna para tentar serenar os ânimos foi o experiente deputado Stênio Rezende (PMDB).

– Não estava previsto para falar, ams alguns discursos me incomodaram. Não concordo que o governo traiu, como não concordo que o governo seja encurralado. Já passou a eleição. O momento é de ajuda mútua entre o governo e a Casa. Política é a arte do diálogo, da conversa. Nem um rei, em um ambiente democrático, é totalmente soberano – afirmou Rezende.

Em conversa com o blog ainda durante a sessão, o oposicionista Rubens Pereira Júnior (PCdoB) justificou o discurso de Eduardo Braide alegando que, “até agora, só saiu a versão do Ricardo” sobre a eleição da Mesa.

2

Mesa da Assembléia deve ser definida até sexta-feira

Murad define últimos detalhes da Mesa da AL

O deputado e futuro presidente da Assembléia Legislativa, Ricardo Murad (PMDB), deve fechar até sexta-feira a composição da Mesa Diretora que será eleita no dia 1º de fevereiro.

– Estamos definindo os nomes – disse o parlamentar ao blog, agora à tarde.

Murad quer definir os nomes em consenso com os partidos e blocos para evitar disputas em plenário.

Pelos acordos de bacnada – baseados no Regimento da Assembléia – a nova Mesa terá quatro membros do Blocão , incluindo o próprio Murad, trê smembros do bloquinho e dois membros da oposição.

A eleição na Assembléia acontecerá terça-feira, após a posse dos novos deputados.