11

A mãe de todos os golpes…

Numa orquestração envolvendo o capital, altas instâncias do Judiciário e o imperialismo ianque – com a complacente anuência do rebanho tangido pela mídia quatrocentona – o ex-presidente Lula senta no banco dos réus em um julgamento onde a única condenação desejada é a ausência dele das eleições de outubro

 

Editorial

Já se disse de tudo em relação aos episódios iniciados em 2013 e que culminam, nesta quarta-feira, 24, com o histórico julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre.

Um golpe? Uma farsa? Uma orquestração?

Certamente não um golpe, mas vários golpes, na democracia, na liberdade e na decência do sistema político brasileiro.

O primeiro dos golpes ocorreu em 2013, quando a mídia quatrocentona superdimensionou movimentos grevistas em São Paulo – ação replicada em diversas capitais brasileira – a fim de preparar o estágio seguinte.

Em 2016, o segundo golpe, com o apeamento da presidente eleita democraticamente havia apenas dois anos.

Para isso, o capital paulista e as instâncias mais conservadoras do Judiciário contaram com o rebanho tangenciado pela mídia quatrocentona, que foi às ruas sem sequer saber porquê ou para quê.

Mas a mãe de todos os golpes viria em seguida: a condenação do ex-presidente Lula.

Assim como não havia crime em Dilma, a não ser sua reeleição – motivo pelo qual nem direitos políticos dela os golpistas tiraram – também não há o que condenar em Lula.

Ao ex-presidente só cabe uma condenação, objetivo único desta ópera-bufa que tem a sua cena-ápice nesta quarta-feira, 24, em Porto Alegre (RS): sua ausência das eleições de outubro.

Afastá-lo pelo viés democrático do desgaste político mostrou-se inviável ao longo de sua trajetória política.

Eliminá-lo num ato terrorista também traria um alto custo para a democracia brasileira, além de transformá-lo em um mártir a assombrar os poderosos por décadas e décadas.

Nem mesmo seus maiores algozes – mídia, capital, mercado, Estados Unidos e setores conservadores do Judiciário brasileiro – querem Lula na cadeia.

O que eles querem é afastá-lo da disputa de outubro, para garantir a eleição de um representante destes algozes.

E a melhor forma de isso acontecer é impedindo-o de ser candidato.

Simples assim…

0

Imagem do dia: PF interrompe, caladinha, boa vida de Aécio…

Senador do PSDB estaria na praia, quando foi chamado a depor na Polícia Federal em um caso envolvendo esquemas em CPIs; mas a mesma PF acostumada a ações espetaculosas quando o alvo é o PT, desta vez fez tudo caladinha, sem alarde, protegendo a imagem do tucano

 

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi chamado a depor na Polícia Federal, nesta quarta-feira, 27, num caso envolvendo suposta maquiagem em dados de uma CPI que funcionou no Senado.

Alguns sites informaram, ironicamente, o senador mineiro estava na praia quando foi alcançado pelos policiais.

O curioso é que, já acostumada a ações espetaculosas – com ampla cobertura da mídia quando o alvo são petistas – a PF desta vgez fez tudo discretamente, sem alarde, como que para proteger o senador tucano.

14

Discurso de Dino é reprovado nacionalmente…

Mídia quatrocentona, que incensava o comunista contra os Sarney, agora veem nele uma caricatura de militante estudantil, pronto a sair às ruas, em ordem unida, contra um golpe que ninguém vê

 

governador parecia um militante estudantil, com direito a gestos histriônicos e gritos de guerra comuno-petistas

governador parecia um militante estudantil, com direito a gestos histriônicos e gritos de guerra comuno-petistas

Os principais articulistas e comentaristas políticos do Brasil condenaram a atitude estudantil do governador Flávio Dino (PCdoB) contra as ações da oposição em relação ao governo Dilma Rousseff (PT), que ele chamou de golpe.

Sem capacidade para articular a base de Dilma, Dino agiu como militante partidário, histriônico e caricato, cheio de gestos de campanha, para atacar todos que entenderem ser o governo Dilma um governo fraco, incompetente, incapaz de recuperar o país.

O jornalista Ricardo Noblat, de O Globo, descreveu assim, a atitude do comunista:

– Ontem pela manhã, no Maranhão, o governador Flávio Dino (PCdoB) recepcionou Dilma com gritos de aliados contra o “golpe”. Não há nenhum golpe em curso no país, mas isso não importa. O PT e o governo chamam de “golpe” qualquer ameaça de impeachment mesmo que amparada na Constituição. E assim se comportam como supostas vítimas de uma direita enfurecida. (Leia a íntegra aqui)

Lauro Jardim, da coluna radar, chamou de “esterilizado” o ambiente que Dino montou para Dilma no Maranhão.

– Visitas milimetricamente controladas pela Presidência da República. Nada pode dar errado. Nada de vaias. Dilma tem conseguido discursar sem ser perturbada neste ambiente esterilizado – disse o colunista. (Leia aqui)

Mais duro foi o blogueiro Reinaldo Azevedo, que provocou Flávio Dino diretamente, perguntando “quem é Dino?”, e lembrando ser ele próprio autor de várias ações por derrubadas de governo, ações que agora ele chama de golpe. (Veja aqui)

Assim, o governador do Maranhão vai remoldando sua imagem nacional.

Antes com o charme da oposição ao grupo Sarney.

Agora, com o vazio de ideias no comando do governo…

21

De como a direita manipula a opinião pública para emparedar Dilma e Lula…

Ações contra figurões do PT ocorrem sempre às vésperas de datas importantes para a oposição formada por PSDB, Rede Globo, Folha de S. Paulo e Veja. Objetivo: ganhar adeptos na sociedade. E o gado segue, sem pestanejar

 

Perceba a coincidência das datas.

A primeira delação premiada feita pelo ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, foram divulgadas pelo juiz Sérgio Moro, que coordena a operação Lava Jato, exatamente no primeiro dia o segundo turno das eleições de 2014.

A campanha de Dilma, desde então, passou a sofrer um desgaste que quase a impediu de ser reeleita. E o desgaste continuou por todo 2015, agora com objetivo de fazê-la renunciar – ou, em última instância, de cassá-la.

Ricardo Pessoa está preso desde o início do ano, mas suas acusações de que doou à campanha de Dilma só foram divulgadas – pelo mesmo juiz Sérgio Moro – às vésperas da viagem da presidente aos Estados Unidos.

ciclos-economicosE a mídia que segue o caso passou a focar o tema exatamente lá fora, tentando criar um clima internacional contra a petista.

Agora foi a vez de José Dirceu.

Já condenado, cumprindo prisão domiciliar, sem documentos que o permitam deixar o país, Dirceu, mesmo assim, foi preso por Moro por, segundo o juiz, oferecer riscos às investigações.

E por que agora? Por que o PT inicia esta semana o seu programa em rede nacional de rádio e TV. E também por que, dia 13, ocorrem as manifestações coordenadas pelo PSDB contra o governo.

É assim que a direita age e sempre agiu: coordenando ações entre o “grande capital”, a mídia quatrocentona e setores do poder, para criar um teatro de operações capaz de convencer a opinião pública.

E o gado alienado da pseudo-elite e da “crasse média” religiosa segue o rebanho, com panelaços e passeatas.

E ainda usam nariz de palhaço.

Nada mais apropriado…

33

Leonencio Nossa!!! Que bicho é este???

Olha a cara da figura? Será que "Leo" tem vergonha do próprio nome?

Achei normal a pergunta do repórter Leonencio Nossa ao presidente Lula sobre sua vinda ao Maranhão. Ele está no seu papel, fazendo o discurso do grupo de mídia a que pertence, o jornal “O Estado de s. Paulo”.

Talvez o presidente Lula já o conheça de outros carnavais para reagir assim, tão irritado, à pergunta do nobre repórter.

Pergunta, obviamente preconceituosa em relação ao Maranhão. Mas também normal vinda de “O Estadão”.

Apenas mais um capítulo do ódio nutrido pela mídia-paulista-quatrocentona-serrista-falida-e-antinordestina contra Lula e seus aliados .

Só uma coisa me espantou no fato narrado nos blogs de Décio Sá e Gilberto Léda – seja lá quem tenha informado em primeira mão:

Leonencio!!!

 Isso lá é nome de gente, meu caro?!?