1

Fracasso no combate à miséria, Flávio Dino quer evitar o tema na campanha

Ex-governador conta, inclusive, com a mídia ligada ao grupo Sarney para enterrar o debate sobre o combate à fome e o desenvolvimento do Maranhão, que ele prometeu melhorar e não conseguiu nos quase oito anos de mandato

Poste de Flávio Dino no governo, o tampão Carlos Brandão exibe a miséria como troféu no interior maranhense, herança dos quase oito anos de mandato comuno-socialista

Dono da campanha do governador-tampão Carlos Brandão (PSB) e candidato a senador, o ex-governador Flávio Dino (PSB) que jogar para debaixo do tapete o debate sobre a miséria do Maranhão.

Fracassado no combate à pobreza, Dino tenta nacionalizar a campanha para evitar que o assunto fome seja tratado na campanha; para isso, conta com a ajuda do poderoso Grupo Mirante, a quem tem feito gestos desde que deixou.

Foi exatamente na Mirante que Flávio Dino desmentiu a si8 mesmo, negando, em 2018, que havia prometido, no palanque de posse, varrer a miséria do Maranhão.

Foi exatamente na Mirante – a mesma que ele quer ajuda agora para abafar a história – que Dino negou ter prometido acabar coma pobreza

Os índices sociais do estado, porém, são os priores da história, após quase oito anos de mandato do comuno-socialista.

Por isso, ele prefere evitar o assunto; e acha que se a Mirante não falar disto, o maranhense não saberá.

Ocorre que na era das redes sociais, a população tem informação para além das redes de TVs e rádio; a internet, por mais precária que seja, chega a todos os lugares.

E um fato Flávio Dino não pode negar: a miséria no maranhão piorou em seu governo.

1

Fracasso de Flávio Dino atinge Brandão e irrita familiares do governador-tampão

Aumento da miséria no Maranhão, desprezo por servidores públicos, estradas intrafegáveis, aumento de impostos e calote de R$ 280 milhões no Bank of América tem prejudicado a pré-campanha do sucessor, que tenta usar sua própria rede de mídia para se decolar da imagem ruim deixada pelo governo comunista

 

Brandão tenta se descolar de Flávio Dino, mas o ex-governador insiste em carregar consigo a ideia de que o seu governo continua com o tampão

O fim da gestão de Flávio Dino (PSB) no Maranhão expôs em luz neon a farsa que foi o governo comunista.

Mas esta farsa – que vem ganhando cores cada vez mais fortes nas últimas semanas – atinge também o sucessor de Dino, o governador-tampão Carlos Brandão, que tenta viabilizar sua reeleição em meio à greve de servidores públicos, aumento da miséria em todos os níveis e agora um calote de R$ 280 milhões deixado pelo comunista.

Mais próximo do antigo Grupo Sarney que do próprio Flávio Dino, Brandão usa a mídia poderosa do grupo para se descolar da imagem ruim deixada por Dino, mas enfrenta dificuldades pelo envelhecimento precoce do próprio governo, formado por ex-políticos que já estavam com as chuteiras penduradas.

O grande legado da gestão de Flávio Dino é o aumento da miséria e o fracasso no combate à fome.

E este legado atinge Brandão em cheio, deixando o vice-governador estagnado nas pesquisas e sem poder atender a aliados sedentos de espaços de poder e dinheiro.

A divisão da comunicação em dois grupos distintos – dinistas e sarneysistas – um comandado por Ricardo Capelli e outro por Sérgio Macedo, tem tornado ainda mais difícil a vida do governador-tampão.

Seguindo as ordens de Flávio Dino, Capelli insiste em vincular o atual governo com o antecessor, tentando mostrar que Brandão é a continuidade de Dino; isso irrita a família do tampão, que usa Macedo para tentar vender a imagem de um novo governo, todo novo, embora com velhas práticas.

Quinze dias depois de assumir o mandato, Brandão ainda não se decidiu se é governador ou candidato, confundindo as agendas e a própria população, boa parte sem saber ainda quem é que continua mandando.

E ele só tem mais 75 dias para dar sua imagem ao Maranhão…

1

Roberto Costa participa do XI Prêmio Mirante Esporte…

Roberto Costa com a vencedora na categoria fisiculturismo...

Roberto Costa com a vencedora na categoria fisiculturismo…

A temática esportiva também é uma das ações enfatizadas e cobradas pelo deputado estadual Roberto Costa (PMDB), na tribuna da Assembleia Legislativa. Prestigiando as conquistas dos atletas maranhenses no esporte local e nacional, o parlamentar participou da entrega das homenagens do XI Prêmio Mirante Esporte 2016.

Das 28 categorias, Roberto Costa subiu ao palco para entregar os troféus de cinco categorias aos vencedores Jardiele Santos Sá (Capoeira), Edson Pereira Coelho (Ciclismo), Eudésio Araujo Martins (Fisioculturismo), Luis Otavio Anacleto Leandro (Futebol) e Carlos Vicente Rocha de Macedo (Futsal).

A solenidade que aconteceu no Auditório Pedro Neiva de Santana, contou com a presença de convidados como os ex-atletas Hortência e China, em homenagens especiais. Costa parabenizou os vencedores e a realização do Grupo Mirante pelo evento.

..E com Fernando Sarney, ladeando outro homenageado

..E com Fernando Sarney, ladeando outro homenageado

“A iniciativa do Sistema Mirante de Comunicação, por meio de Fernando Sarney, está de parabéns em sempre valorizar o talento dos nossos atletas maranhenses. Temos grande potencial para alavancar cada vez mais o esporte e temos uma grande figura que também está a frente da CBF representando o nosso maranhão e nosso país”, destacou o parlamentar.

Na abertura da premiação, Fernando Sarney, presidente do Conselho Deliberativo do Grupo Mirante, fez um discurso destacando a importância do evento, o principal realizado no Estado.

“2016 é o nosso ano Olímpico. As atenções do mundo estarão voltadas para o Brasil. O Maranhão estará representado, com a Iziane no basquete, a Ana Paula no handebol e o Marlon Zanotelli na equipe de hipismo. Em comum, eles têm a origem humilde e a garra para conquistarem o que abraçaram no esporte”, afirmou o presidente do conselho deliberativo do Grupo Mirante.