25

A história da trama que resultou na morte de Décio Sá…

Décio foi morto para não denunciar - e por denunciar - crimes de agiotas

O jornalista Décio Sá foi assassinado por uma quadrilha formada pelos agiotas Gláucio Pontes e seu pai, conhecido por Miranda, que também executaram o “empresário” Fábio Brasil, em Teresina (PI).

A polícia também já prendeu o homem conhecido por Júnior Bolinha, que teria sido o responsável pelo agenciamento do pistoleiro, preso na semana passada.

Segundo as investigações, Décio entrou na mira de Gláucio quando começou a denunciar em seu blog as ações de agiotas no Maranhão.

Como fachada para seu negócio de empréstimo, o agiota mantinha empresas de fornecimento de material escolar e medicamentos, o que lhe gaqrantia proteção de políticos – deputados e prefeitos – e até membros da polícia e do Judiciário.

A morte de Fábio Brasil

A trama remete a outubro do ano passado. Naquele mês, o agiota recebeu um pistoleiro que lhe contou ter sido contratado para executá-lo por Fábio Brasil – ou Júnior Brasil, como era conhecido.

Motivo: Brasil lhe devia R$ 200 mil e não tinha como pagar. Como saída, resolveu matá-lo, oferecendo R$ 100 mil ao pistoleiro. Morte de Fábio Brasil teria levado à execução de Décio

Como não pagou o executor, o bandido procurou Gláucio, oferecendo o serviço pelo mesmo valor.

Tudo está registrado em uma ocorrência policial investigada pela polícia. Neste boletim, o “empresário” diz ter recusado o serviço”, mas, segundo a polícia contou a história para que Júnior Bolinha resolvesse.

Meses depois, Fábio Brasil foi morto em praça pública, em Teresina. Décio Sá publicou a notícia e, depois, foi informado de que o mandante seria Gláucio. (Leia aqui a notícia da morte de Brasil) Morte de Fábio Brasil teria levado à de Décio

Jornalistas e agiotas

Há informações de que Gláucio e Décio Sá teriam se reunido – juntamente com outros jornalistas – ocasião em que o agiota teria dito que o autor do crime contra Fábio Brasil seria, na verdade, Júnior Bolinha, que o estaria chantageando para resolver o valor da execução.

Neste meio tempo – por intermédio de um homem conhecido por Buchecha, Bolinha já havia alugado uma casa no Parque Vitória e trazido dois homens do Pará.

A princípio, a dupla faria um sequestro do pai de Gláucio, o Miranda – também preso hoje – como forma de pressionar o comparsa a pagar os R$ 100 mil pela morte de Brasil.

Mas Bolinha acabou informado – provavelmente pelo próprio Gláucio – de que Décio Sá sabia de mais e aproveitou os bandidos do Pará para executar o jornalista antes da publicação da matéria.

 

Por aqui, assassinos teriam chegado à casa-esconderijo

Rixa antiga

Bolinha já nutria ódio mortal de Décio Sá desde 2009, quando o jornalista publicou matéria do seu envolvimento em roubo de veículos – ele chegou a ser preso, em operação da Polícia Federal, com um trator roubado em sua propriedade, em Santa Inês.

Nesta mesma ocasião, Gláucio conseguiu escapar da prisão por causa da interferência de um policial amigo, que o avisou da ação da PF.

Por conta da notícia de prisão publicada no blog de Décio, Bolinha perdeu a bandeira da Coca-Cola, que representava em Santa Inês. Segundo as investigações, resolveu então que “não deixaria Décio destruir sua vida mais uma vez”, com a revelação da morte de Fábio Brasil.

Mansão no Calhau

Para matar Décio, Bolinha contou com a ajuda do próprio Gláucio na empreitada, segundo a investigação.

A polícia descobriu que o empresário-agiota mantinha uma casa no Calhau, a menos de 500 metros da área por onde os assassinos de Décio Sá empreenderam fuga. A casa servia apenas de escritório particular e depósito de material escolar.

A polícia entende que os bandidos se deslocaram para lá na noite do crime, o que impossibilitou a captura, já que não estavam nas ruas.

Com os depoimentos de Valdêmio José da Silva e a prisão de um dos executores, a polícia montou as últimas peças do quebra-cabeça, resultando na prisão dos mandantes nesta manhã.

E assim, elucidou o assassinato do jornalista…

0

Caso Marcelo: Flávio Dino lamenta não indiciamento de hospital…

 

Marcelo: morreu de asma em pleno hospital

O ex-deputado federal Flávio Dino (PCdoB) lamentou o indiciamento de dois funcionários do Hospital Santa Lúcia pela morte do seu filho, Marcelo Dino, ocorrida em fevereiro.

Para Dino, o Hospital Santa Lúcia é quem deve responder criminalmente pelo caso.

Marcelo Dino foi internado no Hospital Santa Lúcia com crise de asma. Após ser levado à UTI, acabou morrendo.

Flávio Dino também endossa a proposta da deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) de interditar o Santa Lúcia.

O hospital, segundo a parlamentar, mente sobre dados e número de funcionário ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde.

Também é acusado de impor cargas horárias desumanas a médicos e enfermeiros…

3

Indiciada médica que atendeu filho de Flávio Dino…

A 1ª Delegacia de Polícia de Brasília indiciou por homicídio culposo a médica Izaura Costa Rodrigues Emídio, responsável pelo atendimento a Marcelo Dino, filho do presidente da Embratur, Flávio Dino.

O jovem, à época com 13 anos, morreu no dia 14 de fevereiro no Hospital Santa Lúcia, após uma sofrer uma crise asmática.

O delegado-chefe da 1ª DP, Anderson Espíndola, concluiu que houve falha no atendimento ao garoto. As investigações apontaram que o óbito foi causado por asfixia.

O chefe da unidade policial comprovou que, quando Marcelo entrou em crise, a médica atendia na sala de parto e demorou a prestar socorro.

Ainda de acordo com informações de Espíndola, houve demora na entubação do garoto.

Ele levou de seis a sete minutos para ser entubado…

Com informações do Correio Brasiliense

7

Janis Joplin, Jim Morrison, Jimi Hendrix, Kurt Cobain, Amy Winehouse… é sempre o mesmo caminho

A morte da cantora Amy Winehouse, hoje, em Londres, segue o mesmo roteiro dos jovens brilhantes e desajustados, que acabam influenciando milhões no mundo.

Curiosamente, ela morreu com a mesma idade de Janis Joplin, outro símbolo da música – com quem sempre foi comparada.

O caminho é sempre o mesmo.

O uso desenfreado de drogas pesadas como combustível para dar sentido a uma vida que deveria ter sentido apenas no próprio talento.

Infelizmente, ainda há quem ache bonito o estilo de vida deste ídolos.

Há muito, Winehouse dava mais notícia pelos escândalos que protagonizava do que pela qualidade de suas músicas.

Foi assim com Joplin, diva da era hippie, que se firmou por causa de uma ou outra música e que, até hoje, é lembrada muito mais pela rebeldia e pela contestação.

A música mundial perde não pela morte destas estrelas, mas pelo fato de que elas continuarão a influenciar milhões no mundo.

1

Morre o ex-presidente da Assembléia, Albérico Ferreira…

Morreu agora à tarde o ex-presidente da Assembléa Legislativa, Albérico Ferreira.

Ele estava internado no Centro Médico Maranhense.

Ex-deputado estadual, Ferreira, de 92 anos, era pai do atual prefeito de Barreirinhas, Albérico Filho (PMDB).

Seu corpo deve ser velado na central de Velórios da Pax União, mas pode ser transferido para a Assembléia Legislativa…

29

Costa Ferreira assumirá vaga de Luciano na Câmara…

Costa: de volta à Câmara

A morte do deputado Luciano Moreira (PMDB) abriu vaga na Câmara Federal para o suplente Costa Ferreira (PSC).

Atualmente, a bancada a qual pertencia Moreira tinha os suplentes Chiquinho Escórcio (PMDB) e Davi Alves Silva Filho (PR) no exercício do mandato.

Eles assumiram as vagas abertas por Pedro Novais (PMDB), que está no Ministério do Turismo, e Pedro Fernandes (PTB), atual secretário de Cidades.

Agora, Davizinho passa a ser efetivado no posto e Escórcio vira primeiro suplente, abrindo vaga para Costa Ferreira, que volta à Câmara como um dos mais antigos parlamentares maranhenses.

6

Emoção no sepultamento de Luciano Moreira

Centenas de pessoas participam agora à tarde do sepultamento do deputado federal Luciano Moreira (PMDB), no cemitério Jardim da Paz.

Emocionada, Roseana chora, ao lado do marido, e do presidente da AL

Ele morreu ontem, na rodovia MA-402, quando retornava de um evento em Barreirinhas.

Familiares, políticos, empresários e populares acompanham o corpo, que foi velado no plenário da Assembléia Legislativa.

Multidão foi à Assembléia se despedir do parlamentar

Com a morte de Luciano Moreira, o suplente Davi Alves Silva Júnior (PR), que está no exercício do mandato, assume definitivamente a vaga de deputado – o suplente Costa Ferreira (PSC) vai assumir a vaga aberta.

Natural do Ceará, Luciano Moreira tinha 56 anos e deixa esposa e seis filhos…

4

Classe política destaca qualidades de Luciano Moreira…

Desde as primeiras horas da manhã de hoje a classe política maranhense passa pela Assembléia Legislativa, para as últimas homenagens ao deputado federal Luciano Moreira (PMDB).

Na opinião geral, uma perda inestimável para o Maranhão.

Em condolências ao correligionário, o presidente da Casa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), cancelou toda a programação do Arraial do Gedema, que funciona no pátio do Palácio Manoel Beckman.

– Luciano representava a modernidade na política. Aliava competência técnica à experiência e serenidade, pontos fundamentais a um político. O Maranhão se ressente desta perda – disse o parlamentar.

Um dos primeiros a chegar na Assembléia foi o secretário de Saúde, Ricardo Murad, que conviveu com Luciano Moreira durante vários anos.

– A gente custa a aceitar que um homem como Luciano possa ter nos deixado – lamentou Murad, para quem o deputado foi uma referência política do estado.

Luciano Moreira foi secretário no Maranhão por vários anos, mas estava há apenas quatro meses no mandato de deputado federal.

– Ele mostrava muita empolgação com o mandato. Estava sempre atuando em todos os espaços da Câmara. E não deixava de visitar suas bases – contou o também deputado federal Pedro Fernandes (PTB), atualmente na Secretaria de Cidades.

O deputado peemedebista morreu quando voltava de Barreirinhas, após proferir palestra em um encontro do Ministério Público. Com ele, deveria estar também o colega Gastão Vieira (PMDB).

– É impressionante! Na noite anterior ficamos juntos até quase meia-noite. Disse a ele que não iria a Barreirinhas, uma viagem de carro perigosa. Ele me dise que precisava ir, pois estava no primeiro mandato. Isso não pode ter acontecido! – emocionou-se Vieira.

Amiga pessoal e entusiasta da carreira parlamentar de Luciano Moreira, a governadora Roseana Sarney (PMDB) cancelou todos os compromissos agendados para ontem e decretou luto oficial de três dias no Maranhão.

Luciano Moreira sera sepultado às 16 horas, no Cemitério Jardim da Paz…

0

Líderes da Câmara virão para velório de Luciano Moreira…

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), e o presidente da Comissão de Finanças e Tributação, Cláudio Puty (PT-RS), virão a São Luís para as últimas homenagens ao colega Luciano Moreira (PMDB).

Ele virão no mesmo vôo da governadora Roseana Sarney (PMDB), que está em Brasília desde o início da semana.

Também está sendo cogitada a vinda do líder do PMDB na Câmara, deptuado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e do também deputado federal Aníbal Gomes.

Na comitiva de Roseana virão também o minsitro de Mians e Energia, Edison Lobão, e o deputado federal Chiquinho Escórcio.

A comissão presidida por Puty era a mesma da qual Luciano era vice-presidente – e vinha realizando tabalho reconhecido.

O corpo de Luciano Moreira está sendo velado na Assembléia Legislativa.

12

A classe política e o risco da vida na estrada…

Luciano Moreira perdeu a vida na estrada

Em menos de dois meses, três representantes da classe política maranhense envolveram-se em acidentes graves nas estradas do Maranhão – um deles morreu, ontem: o deputado federal Luciano Moreira (PMDB).

Os outros dois – senador Edison Lobão Filho (PMDB) e o ex-prefeito e ex-senador Magno Bacelar (PV) – conseguiram escapar com vida.

Os três acidentes revelam traços de uma  soma de fatores perigosos.

A correria da vida pública para atender a inúmeros compromissos em longínquas localidades, somada ao cansaço natural de quem dirige por horas a fio, e à incompreensível mania dos políticos de viajar sem cinto de segurança, leva quase sempre a tragédias nas estradas.

Em pelo menos um dos casos já está confirmada a ausência do cinto. Luciano Moreira foi o único dos três ocupantes de sua caminhonete que sacou do veículo na estrada de Morros, ontem à noite.

Um dos carros envolvidos no acidentge de Edinho Lobão

Cruzar as estradas maranhenses de carro é uma rotina para políticos. Rotina estafante e perigosa.

O deputado federal e atual secretário de Cidades, Pedro Fernandes (PTB), certa vez comentou ao titular do blog o cansaço de ter que passar a semana em Brasília para, nos fins de semana, se desdobrar em compromissos nas bases políticas.

O próprio Luciano Moreira só não ficou ontem em Barrerinhas por que precisava voltar a São Luís, já que tinha compromisso hoje cedo na cidade de Viana, no outro lado do estado.

Geralmente são muitas localidades a serem visitadas em um único final de semana. Em época de eleições, a correria triplica de tamanho.

Ontem, o deputado César Pires (DEM) informava, em conversa com jornalistas, que participaria de casamentos e formaturas no interior do estado – viagens feitas de carro – neste sábado e domingo.

Neste estilo de vida, as estradas maranhenses já levaram muitos prefeitos, deputados e vereadores; centenas de vidas perdidas entre ferragens de automóveis.

Numa rotina que, infelizmente, não tem como parar…