0

Hildo Rocha retrata a realidade do saneamento brasileiro…

Por meio de números, em exposição inaugurada nesta terça-feira na Câmara Federal, deputado maranhense expõe o problema em âmbito nacional

 

HILDO ROCHA POSA EM FRENTE AO PAINEL DO MARANHÃO, na exposição de sua autoria, que fala do saneamento básico no Brasil

Foi inaugurada nesta terça-feira a exposição “Cenário do Saneamento Básico no Brasil – Desafios e Oportunidades”, organizada pelo deputado federal Hildo Rocha, em parceria com o Instituto Trata Brasil. Instalada no corredor da Câmara dos Deputados, a exposição é composta por painéis gigantes que mostram dados referentes a: tratamento e distribuição de água; esgoto sanitário e tratamento de lixo domiciliar.

O parlamentar disse que a escolha do local se deve ao perfil do público-alvo. “Por aqui passam todos os parlamentares federais; senadores; assessores; técnicos; jornalistas e o público em geral. O nosso objetivo é sensibilizar essas pessoas para a situação crítica em que o Brasil se encontra no setor de saneamento ambiental”, destacou.

O Brasil em números

Hildo Rocha ressaltou que os números e demais dados que retratam a realidade de todas as unidades da federação estão organizados de maneira didática, com ilustrações que facilitam a leitura e o entendimento das informações contidas em cada painel.

“A exposição é um retrato do Brasil em números do atual sistema de saneamento que temos em nosso país”, explicou.

Universalização dos serviços

Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), 2017, indicam que o Brasil possui cerca de 35 milhões de pessoas sem acesso ao abastecimento de água tratada, o que significa toda a população do Canadá. Cerca de 100 milhões de brasileiros não têm acesso à coleta dos esgotos, o que representa duas vezes a população da Espanha. E em relação ao volume de esgoto tratado, o país trata somente 46%.

“Essa realidade é preocupante. Se não houver investimentos maciços, no setor do saneamento ambiental, dificilmente as metas de universalização serão atingidas em 2033, ano em que 100% da população brasileira deverá ter acesso a água potável, esgoto sanitário e lixo tratado adequadamente. Por meio dessa exposição, pretendemos fazer um alerta e sensibilizar, especialmente, as pessoas que de alguma forma tem envolvimento com essas questões”, declarou Hildo Rocha.

Evento prestigiado

DEPUTADO DISCURSA PARA PLATÉIA DE DEPUTADOS, ESPECIALISTAS, SERVIDORES E ATIVISTAS AMBIENTAIS, durante inauguração de sua exposição

O evento foi prestigiado por dezenas de congressistas entre os quais o Presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia. Antes de visitar a exposição, Rodrigo Maia recebeu em audiência o deputado Hildo Rocha e representantes de empresas públicas e da iniciativa privada que atuam no setor de saneamento.

0

A campanha de Hildo Rocha traduzida em números, palavras de confiança, gestos de gratidão e belíssimas imagens

“Uma das grandes virtudes de um parlamentar é sua dedicação às causas em que acredita. Outra é a habilidade para elaborar projetos em benefício do povo. Mas a maior, sob meu ponto de vista, é ter a sensibilidade de enxergar aquilo que vai mudar a vida não somente dos seus eleitores, mas sim de toda uma população. O Deputado Federal pelo Maranhão Hildo Rocha tem demonstrado que possui todas essas virtudes e muito mais.”

A citação, retirada de postagem publicada no blog do advogado militante em Direito Municipal e Eleitoral, Sérgio Muniz,  em 20 de junho de 2017, retrata com precisão o perfil do parlamentar. O título que Muniz atribuiu ao texto não poderia ser mais apropriado: O Hildo é ROCHA”. Isso é fato incontestável. Durante o período legal de campanha pela reeleição, Hildo Rocha demonstrou que tem fôlego incomparável, resistência surpreendente e disposição acima da média. Poucos políticos se dedicam à vida pública com tanta devoção.

Hildo Rocha participou de mais de cem eventos políticos- caminhadas, carreatas, motokadas, comícios e reuniões – em oitenta e seis municípios onde conversou com eleitores, recebeu sugestões, colheu demandas e recebeu manifestações de apoio e reconhecimento ao eficiente trabalho que realizou durante três anos e nove meses de mandato.

Se os números são expressivos, as manifestações de carinho que Hildo Rocha recebeu em todos os lugares por onde andou é bem maior. Por conta do extraordinário apoio demonstrado pela população, predomina entre os seus apoiadores a convicção de que Hildo Rocha irá alcançar votação superior à de 2014 quando o parlamentar recebeu 125.521 votos. Naquele pleito foi o segundo mais votado. Agora, não será surpresa se sair das urnas com uma votação acachapante, no topo desta eleição entre os deputados federais.

Otimismo exacerbado? Não. Trata-se apenas de algo previsível para quem exerceu o mandato com desenvoltura incomum, fez a diferença, honrou o mandato. Hildo Rocha apresentou mais de cem proposições legislativas. Destas, três foram convertidas em leis que já estão em vigor gerando grandes impactos positivos na sociedade; destinou volumosos recursos federais para o custeio da saúde pública estadual; ajudou a solucionar o sofrimento de milhares de famílias que não tinham acesso a água de boa qualidade; contribuiu para melhorar as condições de vida de trabalhadores e trabalhadoras rurais com a oferta de máquinas, kits de irrigação, usinas de beneficiamento de mandioca, entre outras ações; destinou emendas para obras de infraestrutura rodoviária e do turismo que estão mudando a paisagem urbana de diversas cidades. Viabilizou a construção de ginásios poliesportivos, estádios de futebol e centros de convivência para idosos.

Hildo Rocha lutou ao lado dos Agentes Comunitários de Saúde; dos agricultores familiares; dos mototaxistas; dos professores e dos enfermeiros e técnicos de enfermagem, defendendo melhores condições de trabalho para esses profissionais e também para milhares de trabalhadores de outras categorias.

Como a lista é extensa, pode ser abreviada com a citação de uma iniciativa que, simboliza e resume a eficácia do mandato. Trata-se de uma proposição legislativa apresentada por Hildo Rocha que resultou na alteração da lei do ISS. Por meio desse novo dispositivo legal, foi corrigida uma distorção que durante décadas beneficiava apenas (trinta e cinco) municípios brasileiros.

A proposta rateia entre todos os municípios brasileiros a arrecadação do ISS gerado nas operações com cartões de crédito, débito, leasing e planos de saúde. Significa dizer que os 5.570 municípios brasileiros, incluindo-se os 217 do Maranhão, passaram a ser beneficiados com a redistribuição de cerca de R$ 6 bilhões de reais.

Só essa iniciativa já seria suficiente para credenciar o deputado Hildo Rocha a ser reeleito. Entretanto, essa é apenas uma entre tantas ações relevantes. Isso porque Hildo Rocha exerce o cargo com devoção; carrega Deus no coração; prega a paz e, por meio do seu trabalho, busca incessantemente ajudar os seus conterrâneos.

Não seria exagero dizer que a trajetória do deputado Hildo Rocha contém um pouco do que diz o refrão da belíssima composição de Almir Sater: “É preciso amor pra poder pulsar. É preciso paz pra poder sorrir. É preciso a chuva para florir.”

Por tudo isso, os números, as manifestações de carinho, os gestos de gratidão e as belíssimas imagens registradas durante a campanha eleitoral de 2018 indicam que o Maranhão não desperdiçará a oportunidade de reeleger Hildo Rocha, 1513.

3

Difusora desmente pesquisa da própria Difusora sobre Flávio Dino…

Jornalista Diego Emir, do programa Algo Mais, foi às ruas de São Luís e constatou a insatisfação da população com o governo comunista, que só aparece bem aprovado nos números de um tal Instituto Data Ilha

 

Não durou nem duas horas a credibilidade da pesquisa Data Ilha, divulgada na manhã desta segunda-feira, 16, no programa Bom Dia Maranhão, da TV Difusora.

Os números já haviam sido questionados pela própria TV Difusora, ainda no sábado, 14, no quadro Conversa Franca, apresentado pelo jornalista Diego Emir, no programa Algo Mais. (Veja o vídeo)

CASO DE POLÍCIA. Sede do Data Ilha em São Luís; pesquisa acabou na polícia

No mês passado, o Instituto Data Ilha tentou gerar números favoráveis ao governador Flávio Dino (PCdoB), mas acabou tendo que se explicar sobre endereço e sistema de levantamento.

E recusou-se a revelar quem o contratou. (Relembre aqui)

Agora, mais um levantamento do Data Ilha é desmascarado.

Desta vez pela própria empresa que o contratou…

4

O primário erro de estratégia do grupo Sarney…

Ao esconder números de pesquisa favorável a Roseana Sarney, principais adversários de Flávio Dino dão ao governador, três dias depois, a oportunidade de tornar-se fato consolidado como imbatível no Maranhão

 

SEM ADVERSÁRIO. Favorecido pela própria Roseana, Dino se aproveita para tornar-se consolidado em todo o Maranhão

A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) recebeu ainda na sexta-feira, 16, resultado de pesquisa com o cenário eleitoral de 2018 em pelo menos 80 municípios.

E os números são amplamente favoráveis a ela.

Mas por decisão da própria governadora – ou de alguns dos líderes do grupo Sarney – foi recomendada a não divulgação dos dados, sabe-se lá por que motivos.

O titular deste blog confirmou a existência do levantamento com assessores da própria Roseana, jornalistas ligados ao grupo, ex-secretários e donos de institutos de pesquisa.

Todos garantiram a determinação:

– A ordem é manter os números fechados.

Nas discussões sobre o tema em grupos, o titular deste blog se posicionou contra a não-divulgação dos números.

E ouviu de muitos deles a seguinte ponderação:

– É já que Flávio Dino divulga números da Exata. E são esses números que vão acabar passando como verdadeiros.

Dito e feito.

Setores do governo Flávio Dino soltaram na noite desta terça-feira, 20, números do Instituto Exata que apontam o comunista com 58% de aprovação no Maranhão.

E agora, são esses números que passarão para o eleitor; e qualquer outro que vier em sequência será visto como tentativa de contrapor-se, o que ocorreria com o próprio Dino se os dados de Roseana tivessem sido divulgados no fim de semana.

Agora, não adianta chorar o caldo derramado…

4

Levantamento apócrifo aponta empate técnico entre Flávio Dino e Roseana…

Faltando pouco mais de 20 meses para as eleições de 2018, pesquisa que teria sido encomendada pelo prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, diz que o governador comunista lidera a disputa, cinco pontos à frente da ex-governadora

 

Flávio Dino lidera a disputa pelo governo, mas em condição de empate com Roseana Sarney

O titular deste blog recebeu, no último sábado, números do que seria a primeira pesquisa ampla sobre a corrida sucessória de 2018 no Maranhão.

Os números, que teriam sido encomendados pelo prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PCdoB) – e foram confirmados por pelo menos cinco lideranças políticas consultadas pelo blog -, apontam condição de empate técnico entre o governador Flávio Dino (PCdoB) e a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB).

De acordo com os dados – cujo instituto não foi confirmado por nenhum dos contatos do blog – Dino aparece com 40% das intenções de voto, contra 35% dados a Roseana.

O levantamento foi mostrado para lideranças do PCdoB, do PSDB, do PMDB, deputados federais e estaduais, prefeitos e alguns jornalistas.

Leia também:

Flávio Dino ainda sem adversários no Maranhão…

Roseana será ou não candidata?!?

PSDB articula chapa com PMDB para 2018…

 

Roberto Rocha também aparece em condição de empate com Maura Jorge

Ainda segundo apurou o blog, o senador Roberto Rocha (PSB) aparece num distante terceiro lugar, com 8% das intenções de voto, cinco pontos à frente da ex-prefeita Maura Jorge (PTN).

Este blog decidiu publicar os números por estar resguardado pela Lei Eleitoral, que só exige o registro da pesquisa a partir de janeiro do ano eleitoral. 

O levantamento atribuído a Hilton Gonçalo avaliou também as candidaturas ao Senado.

Mas esta é uma outra história…

2

Com rejeição altíssima, Edivaldo perde para qualquer um no 2º turno, diz Econométrica…

Pesquisa divulgada pelo jornal O EstadoMaranhão mostra que o prefeito de São Luís tem gestão reprovada por quase 2/3 da população de São Luís

 

Holandinha: o tempo é curto para o longo desgaste

Holandinha: o tempo é curto para o longo desgaste

Há dois principais na pesquisa Econométrica divulgados neste sábado, 11 pelo jornal O EstadoMaranhão: a rejeição – altíssima – do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) – e o fato de ele não vencer nenhum dos principais candidatos em um eventual segundo turno.

Detalhe: ele mesmo corre o risco de ficar fora de uma segunda rodada de votações, ameaçado que está pelo deputado estadual Wellington do Curso (PP).

Em segundo lugar em todos os cenários da disputa – com estagnados 20% das intenções de votos, e em condição de empate técnico com Wellington, que chegou à casa dos 17% – Holandinha perderia em qualquer circunstância, se as eleições fossem hoje.

E o risco de ficar fora do segundo turno é cada vez mais iminente, dado o crescimento de Wellington do Curso, que pode se transformar em onda a  partir da campanha de rádio e TV.

Holandinha portanto, tem menos de dois meses para se recuperar do desgaste de três anos de má-gestão.

E fazer isso em condições adversas é quase um desespero.

A pesquisa Econométrica ouviu 997 eleitores de São Luís, entre os dias 4 e 7 de junho. Está registrada no TSE, sob o número de identificação MA-08340.
3

Com baixo índice de eleitores indecisos, candidatos vão brigar pelos votos uns dos outros em SL…

São´Luís tem número baixíssimo de indecisos

Apenas 3,8% dos eleitores de São Luís ainda estão indecisos em relação aos candidatos que disputam a Prefeitura de São Luís.

Somados aos 8,5% daqueles que declararam não votar “em nenhum destes” candidatos, o total de votos ainda “soltos” na disputa é de apenas 12,3%.

Estes dados revelam que, se quiserem ampliar margem eleitoral, os candidatos terão que trabalhar para tirar votos uns dos outros durante a campanha.

A pequena margem de indecisos pode revelar também um ponto de consolidação da disputa. E quando atinge este ponto de consolidação, uma disptua só se altera com fatos novos.

O principal fato novo da campanha, agora, será o Horário Eleitoral Gratuito, que começa no dia 20 de agosto.

Para eleitores, Castelo e Tadeu são os mais propensos a vencer

Até lá, os candidatos terão pouca margem para mudar o quadro revelado na pesquisa Escutec, sobretudo por outro dado significativo da pesquisa – a percepção do eleitor sobre quem vai ganhar, independente do voto que ele deu.

Este aspecto praticamente repete o quadro da intenção de votos, com o prefeito João Castelo (PSDB) sendo apontado como o futuro prefeito por 23,9% dos eleitores, e Tadeu Palácio (PP) logo atrás, com 14,9%.

Pior para Washington Luiz (PT).

Apenas 2,5% dos eleitores acham que ele será o próximo prefeito de São Luís.

Significa que, até seus próprios eleitores, não vêem chance de vitória sua na disputa…

22

O que diz a pesquisa Escutec???

O jornal O EstadoMaranhão divulgou em sua edição hoje a primeira de uma série de pesquisas sobre a sucessão municipal em São Luís.

Polarizada entre o prefeito João Castelo (PSDB), com 26,3% , e o ex-prefeito Tadeu Palácio (PP), a pesquisa diz muito mais do momento que da campanha em si.

Abaixo, uma análise da situação de cada um:

João Castelo (PSDB): O prefeito mantém a dianteira da disputa, mas em condição de rigoroso empate técnico com Tadeu Palácio. Os números desmentem, no entanto, pesquisas divulgadas pelo PCdoB na pré-campanha, que mostravam Castelo bem abaixo dos principais candidatos do extinto consórcio. Mas seu índice de rejeição, acima dos 40%, é perigosíssimo.

Tadeu Palácio (PP): Muita gente vem dizendo há meses que Palácio não sustentará índices acima de 20%. E ele vem mantendo a média pesquisa após pesquisa. Ainda se mostra o candidato mais competitivo contra o prefeito João Castelo e os números da Escutec sugerem que foi o ex-prefeito quem herdou os eleitores de Flávio Dino (PCdoB).

Edivaldo Holanda Júnior (PTC): O candidato de Flávio Dino parece estagnado nas pesquisas, com os mesmos índices na casa dos 17% que registrsa desde que se lançou, e mesmo tendo sido disseminado como “o candidato de Flávio”. O índices de Flávio Dino na pesquisa espontânea (na casa dos 5%), mostram que seus eleitores já migraram, mas não foram para Holanda Júnior.

Eliziane Gama (PPS): Com 8,8%, a deputada mantém sua força eleitoral mesmo diante do bombardeio que vem sofrendo para abandonar a candidatura. Com baixa rejeição, Eliziane mostra competitividade para crescer, sobretudo se souber aproveitar o tempo na propaganda eleitoral. Seu ponto fraco é a falta de estrutura para a campanha de rua, o que pode minar seus índices.

Haroldo Saboia (PSOL): o ex-vereador já demonstra desempenho melhor que toda a história do PSOL na capital maranhense, mas seus índices de 3,5% – à frente de Washington Luiz – refletem apenas a realidade momentânea. Além disso, ele apresenta o terceiro maior índice de rejeição entre os candidatos. Como já é conhecido do eleitor, a tendência é manter a rejeição.

Washington Oliveira (PT): É ilusório o baixo índice de Washington na primeira pesquisa Ecutec (3,4%). Ele detém a maior estrutura de campanha, o maior número de partidos e o maior tempo na propaganda. Essa soma leva, naturalmente, a um esperado crescimento nas próximas pesquisas. Seu desafio é superar Holanda Júnior e brigar pela vaga no segundo turno.

Marcos Silva (PSTU) e Edinaldo Neves (PRTB): O candidato do PSTU mantém a média de sempre nas disputas eleitorais em São Luís, e dificilmente passará disso. É o representante de um grupo posicionado contra tudo o que está aí em matéria de política. A candidatura de Neves foi apenas uma tentativa de forçar a desistência de Eliziane Gama e certamente ficará onde está.

Legenda:

Tabela 1 – Intenção de votos
Tabela 2 – ìndices de rejeioção