2

Assassino de Irialdo pega 17 anos, mas PMs permanecerão em liberdade…

Mecânico foi executado em praça pública por um mecânico que fazia as vezes de policial em Vitória do Mearim e teve a cobertura dos agentes públicos para cometer o crime

 

MOMENTO DA EXECUÇÃO DE IRIALDO, EM PRAÇA PÚBLICA, por um vigilante que agia como policial em Vitória do Mearim

O juiz Antonio Agenor Gomes, do 2º Tribunal do Júri, condenou a 17 ano de reclusão o vigilante Luiz Carlos Machado de Almeida, que executou em praça pública,  em 2015, o mecânico Irialdo Batalha.

O mesmo juiz também sentenciou o soldado PM Flávio Roberto Gomes dos Santos a um total de 11 anos e sete meses, pelo mesmo crime.

O sargento José Miguel de Castro, que estava no grupo que executou o mecânico, foi absolvido do crime de homicídio e condenado a 2 anos e 9 meses por Prevaricação, Denunciação caluniosa, Usurpação de Função Pública e Fraude Processual.

Detalhe: apenas o vigilante continuará preso; os dois PMs ganharam o direito de recorrer em liberdade.

OS ACUSADOS NO MOMENTO DA SENTENÇA: só o vigilante seguirá preso; PMs recorrerão em liberdade

Irialdo Batalha foi executado por Luiz Carlos em Vitória do Mearim, em 2015; ele não parou em uma blitz organizada pelos PMs José Miguel e Flávio Roberto, que passaram a persegui-lo. (Entenda aqui e aqui)

Atingido na perna, Irialdo caiu da moto, que era conduzida por Diego Gianni Ferreira Fernandes.

AS IMAGENS DA ÉPOCA DO CRIME MOSTRAM A RELAÇÃO DO VIGILANTE ASSASSINO COM OS PMS, que, inclusive, cediam vaga a ele em suas viaturas

O vigilante – que estava na viatura PM, acompanhado dos policiais – desceu e atirou na cabeça do mecânico, em frente aos curiosos que se aglomeraram.

O crime chocou o Maranhão e ganhou repercussão internacional. Após quatro anos, saiu a sentença.

Luiz Carlos, que já estava preso, continuará recolhido, mesmo recorrendo.

Já os PMs continuarão nas ruas…

1

Júnior Verde coordena reunião com comissão de sub judice do concurso da PM…

O presidente da Comissão de Administração Pública, Seguridade Social e Relações de Trabalho, deputado Júnior Verde (PRB), participou, na manhã desta quinta-feira (26), de uma reunião com integrantes da comissão de sub judice do concurso da Polícia Militar do Estado.

Durante o encontro, realizado no Auditório Neiva Moreira do Complexo de Comunicação da Assembleia Legislativa, o deputado fez um relato dos entendimentos mantidos com órgãos do Governo do Maranhão para garantir a convocação e nomeação dos sub judice.

Júnior Verde explicou que continuam em andamento os pleitos formulados à Secretaria de Estado da Gestão, Patrimônio e Assistência dos Servidores (Segep) e à Secretaria de Estado do Planejamento e Orçamento (Seplan).

“Graças à luta destes jovens dedicados e abnegados, que hoje são uma verdadeira família, a família sub judice, obtivemos muito recentemente mais uma conquista: agora já mais 59 sub judice com a convocação bem adiantada, e apenas aguardando a nomeação”, declarou o deputado.

Ele foi enfático ao dizer que a assessoria jurídica de seu gabinete vem acompanhando diretamente a situação dos sub judice, para que todos tenham a chance de ser convocados e nomeados.

Júnior Verde assinalou que, progressivamente, mediante entendimentos com o Governo do Estado, está sendo resolvida a situação jurídica dos classificados no concurso da Polícia Militar realizado em 2012.

Durante a reunião desta quinta-feira, que contou com a participação de um colegiado representativo da categoria, Júnior Verde reafirmou a sua disposição de resolver a situação dos sub judice da PM. Ele destacou que é uma situação legítima e justa, pois é preciso aumentar o contingente policial do estado.

“O Governo tem demonstrado que possui a intenção de resolver esse problema. Inclusive, quando da entrega da pauta de trabalho da nossa Comissão de Administração Pública, colocamos em destaque os encaminhamentos para se resolver o problema dos sub judice”, frisou Júnior Verde.

Ele lembrou que, desde a criação da Comissão dos Sub Judice, foram realizadas reuniões com a Procuradoria Geral do Estado, com o Tribunal de Justiça do Estado e com a Segep, Seplan e a Secretaria de Estado da Segurança Pública.

“O mais importante de tudo é que avança cada vez mais esta nossa luta em prol da convocação e da nomeação de todos vocês”, afirmou Júnior, para a plateia, que lotou o Auditório Neiva Moreira. Ao final da reunião, integrantes da Comissão dos Sub Judice fizeram questão de manifestar agradecimentos pelo apoio e empenho do deputado Júnior Verde.

“Não podemos deixar de reconhecer este esforço do deputado Júnior Verde em favor da nossa causa. Ele está o tempo todo do nosso lado, e isto nos anima e nos encoraja a não desistir da luta”, declarou Bernardo Júnior, que falou em nome da Comissão dos Sub Judice.

8

PM tem déficit de quase dois mil policiais, diz Sousa Neto…

Deputado constatou alto número de homens que estão indo para a reserva; ele defendeu a convocação dos cerca de 1,4 candidatos sub judice do último concurso da polícia

 

Déficit
Ao lado de Júnior Verde, Sousa Neto voltou a ouvir os subjudice da PM

O deputado estadual Sousa Neto (PROS) apresentou, nesta quinta-feira, 20, na Assembleia Legislativa, levantamento que mostra um déficit de quase duas mil vagas nos quadros da Polícia Militar do Maranhão.

Os números representam o quantitativo de militares que estão indo para a reforma, na Corporação.

Sousa Neto apresentou os números durante reunião da Comissão de Segurança Pública da Casa, que discutiu a convocação dos 1.432 sub judice do concurso da Polícia Militar do Maranhão.

– Mais de 1,9 mil homens estão saindo do efetivo da PM este ano. É inaceitável que a corporação abrirá todas essas vagas e o governador Flávio Dino (PCdoB) não chama os 1.432 candidatos aptos para entrar. Porque não se chama antes de fazer um novo concurso público? Já se passaram três anos de governo, será que eles vão empurrar até ano que vem, que é eleição? – criticou o parlamentar.

O déficit de homens na PM tem sido tema recorrente deste blog. (Releia aqui, aqui e aqui)

Seguindo o mesmo raciocínio, Sousa Neto levantou que, entre 2015 e 2017, 877 militares foram reformados dos quadros da PM. O número sob e para 1,9 mil com os Barra 87, mais de 1.100 homens e mulheres, que, ainda este ano, completam 30 anos de serviços prestados à sociedade.

– Já são três anos como parlamentar. Quero fincar meu nome de forma positiva, nesta Assembleia, lutando por causas justas em favor do povo maranhense. Os comunistas diziam que este seria o governo do diálogo, mas com eles não há conversa. Estou aqui, cobrando as promessas feitas, e que não estão sendo cumpridas. Hoje, no Maranhão, a violência desandou. A segurança pública clama mais que a saúde – completou. 

3

PMs podem estar por trás de sumiço de PMs em Buriticupu…

De acordo com testemunha, dois oficiais e dois praças estariam envolvidos no desaparecimento de um cabo e de um soldado, em um esquema que, segundo apurou o blog, envolveria roubo de veículos, de cargas e assalto a bancos na região

 

os dois praças da PM desaparecidos há mais de dois meses: mistério

Ao que tudo indica, membros da própria Polícia Militar podem estar envolvidos no desaparecimento dos policiais militares Carlos Alberto Constantino Sousa e Júlio César da Luz Pereira, caso ocorrido em 17 de novembro de 2016.

De acordo com uma testemunha já ouvida pela Polícia Civil – que mantém o caso em segredo de justiça – os dois PMs foram levados de casa por outros dois policiais militares. No mesmo dia, a testemunha foi procurada pelo dois oficiais (um tenente e um major), que a “aconselharam” a manter silêncio sobre o caso.

Um áudio das declarações da testemunha, já legendado e com imagens, foi publicado no blog do jornalista Silvan Alves. (Ouça abaixo)

É visível o constrangimento do comando da PMMA sobre o assunto, que pode envolver uma quadrilha especializada em roubo de cargas e veículos, assaltos a bancos e tráfico de armas.

O sumiço dos dois policiais teria por motivação a apreensão de uma caçamba, sem ordem judicial, em Buriticupu, o que chamou atenção para outras práticas criminosas ocorridas dentro da própria companhia de Polícia da região.

Nem a delegada responsável pela investigação, nem o comandante da PM falam sobre o assunto.

E o mistério só aumenta…

4

Flávio Dino forma menos da metade dos mil policiais prometidos…

Governador iniciou 2015 anunciando que já haviam mil policiais nas ruas; depois, foi se adequando, tentando explicar o embuste do início do ano. Agora, entrega à população menos da metade do que prometera

 

Governador na formatura dos PMs: menos da metade do prometido

Governador na formatura dos PMs: menos da metade do prometido

O governador Flávio Dino (PCdoB) participou ontem à noite da formatura de 458 policiais militares que conseguiram concluir o curso no centro de treinamento da PM.

O número representa menos da metade dos mil policiais que Dino prometeu no Maranhão este ano.

Aliás, o governador começou 2015 afirmando já haver mil novos policiais nas ruas, o que foi desmentido pelos fatos. (Releia aqui, aqui, aqui e também aqui)

A população agradece a chegada destes novos PMs ás ruas, para o combate ao crime.

O número, no entanto, torna ainda mais difícil o cumprimento de outra promessa de campanha de Flávio Dino: dobrar o efetivo da PM em quatro anos.

Mas esta é uma outra história…

3

Com policiais transferidos, interior sofre aumento da violência…

Governo Flávio Dino tirou PMs de Caxias, Bacabal, Timon, Barra do Corda, Imperatriz, Santa Inês, Estreito e Balsas; mas, além de não resolver o problema em São Luís, atitude piorou a segurança nestes municípios

A cúpula da segurança trouxe os PMs para São Luís, mas não resolveu o problema da violência; e criou outro...

A cúpula da segurança trouxe os PMs para São Luís, mas não resolveu o problema da violência; e criou outro…

Os deputados Sousa Neto e Alexandre Almeida (ambos do PTN) já haviam denunciado diversas vezes na Assembleia Legislativa; o governador Flávio dino (PCdoB) estava desfalcando o efetivo policial em vários municípios para tentar frear a violência em São Luís. 

A operação, para os deputados, foi um fracasso total, por que, além de não resolver o problema na capital -0 até linchamentos passaram a ser comuns na Grande São Luís – a redução do efetivo nos municípios aumentou o número de assaltos a bancos, explosões de caixas eletrônicas e roubo de carros.

Ficaram com menor efetivo os municípios de Caxias, Bacabal, Timon, Barra do Corda, Imperatriz, Santa Inês, Estreito e Balsas, exatamente aqueles onde o crime aumentou consideravelmente nos últimos seis meses.

O deptuados Sousa Neto denunciaram o aumento da violência em santa Inês e em Timon

O deputados Sousa Neto e Alexandre Almeida denunciaram aumento da violência em Santa Inês e em Timon

Agora, o Ministério Público tenta corrigir o erro de Flávio Dino.

Promotores de Timon acionaram o governo judicialmente para que devolva os 20 PMs do efetivo de Timon, que ficou desfalcado desde maio, quando a criminalidade começou a aumentar em São Luís.

Outras ações deverão ser propostas por promotores de outras comarcas.

Enquanto isso, o crime só aumenta.

Em São Luís e no interior…

2

Sousa Neto cobra de Flávio Dino cumprimento de acordo com PMs…

Sousa Neto exibe documentos com compromissos de Dino

Sousa Neto exibe documentos com compromissos de Dino

O deputado Sousa Neto (PTN) cobrou nesta terça-feira (14), na tribuna da Assembleia Legislativa, o encaminhamento, pelo governador, de um projeto nos  moldes da PEC-300, em tramitação na Câmara dos Deputados, que  que pretende igualar os salários dos policiais militares em todos os estados, tendo por base o valor que atualmente é pago no Distrito Federal, na faixa de R$ 4,5 mil.

O encaminhamento de um projeto deste tipo foi promessa de campanha de Flávio Dino.

Sousa Neto leu inclusive trechos de uma reunião realizada com a presença de policiais militares e bombeiros no ano passado, em Brasília, quando o então candidato ao Governo do Estado prometeu que assim que eleito fosse, enviaria para a Assembleia Legislativa a PEC para aprovação

 

Se até lá a gente não construir – primeiro, a gente precisa ganhar claro – em a gente ganhando, se até lá vocês não acharem uma saída nacional, a gente constrói uma lá na Assembleia, nada impede

Promessa de Flávio Dino feita aos policiais durante a campanha eleitoral

 

 Ainda durante o discurso, Sousa Neto ressaltou que os policiais votaram acreditando na promessa de melhorias salariais e que apesar da  recente promoção ter saído para alguns, ainda faltavam compromissos firmados em campanha que precisam ser cumpridos como o Termo de Compromisso assinado para modificar a Lei de Organização Básica de forma a garantir que os soldados da Policia Militar possam ascender na carreira até o posto de coronel e principalmente a ida da PEC-300 para votação na Assembleia Legislativa.

– Senhor governador, traga esse Projeto de Emenda Constitucional para cá, para esta Assembleia. Caso vossa excelência não mande, amanhã, darei entrada a essa Proposta de Emenda à Constituição Estadual do Maranhão – concluiu.

11

Governo vai rever promoções de militares…

pms

O Governo do Estado vai reanalisar vários casos de promoção de policiais militares.

A informação é do blog de Jorge Aragão.

De acordo com o blog, a promoção em massa promovida pelo governo no último final de semana – de mais de 1,4 mil PMs – gerou críticas e reclamações, sobretudo por deixar de fora policiais antigos da corporação e já com garantias de receber promoções.

O problema ocorre por causa do critério de “merecimento” expediente subjetivo,  estabelecido apr abeneficiar soldados notadamente destacados por bravura. Mas o”merecimento” tem sido usado politicamente para beneficiar aliados de oficiais do Estado Maior da polícia e até padrinhos políticos de militares.

Além desta questão, a PM vai analisar uma outra: o compromisso de garantir aos soldados a condição de chegar ao posto de coronel, com progressivas promoções ao longo da carreira. Atualmente, um soldado só pode alcançar, no final da carreira, o posto de capitão.

O deputado Cabo Campos (PP) pretende abrir a discussão na Assembleia para a mudança da lei que garana esta prerrogativa aos soldados….

4

Comando já está recolhendo as armas dos PMs, revelam policiais…

Policial Militar conta em grupo de WhatsApp que o ajudante de Ordem do comandante-geral está tomando pistolas dos praças que atuam no QG da PM; informação contrapõe negativa da cúpula da Segurança e do governo

 

ajudanciaUm grupo de policiais recebeu no WhatsApp, na quinta-feira, 28, a informação de um colega de farda dando conta de que o Tenente-Coronel Quaresma, ajudante-de-ordens do comandante-geral da PM, coronel Marco Antonio Alves, iniciou o recolhimento de armamentos dos PMs que atuam no Comando Geral da Polícia Militar.

Segundo o policial que encaminhou a mensagem, a decisão veio após a chacina de Panaquatira, quando um policial foi assassinado quando participava de uma festa de aniversário.

– Em vez de armar mais ainda os policiais, estão querendo desarmá-los – questiona o PM. (Leia mais aqui)

No início da semana, surgiu a informação de que o coronel Alves informou aos seus comandados, na formatura diária do comando, que a decisão era recolher as armas de quem estiver de forma. Segundo PMs que participaram da formatura, a decisão do comando foi orientada pelo secretário de Segurança, Jefferson Portela, que teria justificado a morte do PM em Panaquatira com o argumento de que ele estava armado, esmo de folga.

A declaração de Portela – negada pelo governo – causou reação na polícia e nas redes sociais.

O comando da PM também tem negado a decisão, embora os demais policiais a reforcem em redes sociais e grupos de WhatsApp.

E assim segue a segurança no “governo da mudança”…

10

O exemplo da Bahia…

Os militares em greve na Assembléia Maranhense

O governador da Bahia, o presidente da Assembleia da Bahia, e as autoridades judiciais da Bahia fizeram o que as autoridades do Maranhão deveriam ter feito no caso da greve dos policiais militares.

– Não negocio com bandidos! – afirmou o governador Jaques Vagner (PT), desde o início do movimento.

Como “bandidos” ele se referia não aos PMs bahianos, mas a criminosos como Marcos Prisco, que vivem de espalhar o terror país a fora, insuflando tropas para obter dividendos.

O bandido Prisco: sempre em campanha

Ao sufocar o movimento grevista, a Bahia quebrou um paradigma que vinha sendo implantado Brasil a fora. Coisa que o Maranhão deveria ter feito quando teve a oportunidade.

E fica o exemplo também para políticos oportunistas, como Bira do Pindaré (PT), Marcelo Tavares (PSB), Domingos Dutra (PT), que, mais uma vez, se aproveitaram do movimento maranhense para tirar dividendos políticos.

Por que também vivem disso.

Nenhum piu deram, no entanto, com relação à postura do governador da Bahia.

Por que, claro, são oportunistas, apenas…