2

Imagem do dia: Day after…

PONTOS DE ASSALTOS NO JARACATI-420966

Um dia depois de uma série de assaltos a motoristas na via que liga o Renascença à Via Expressa, por trás do Ceuma e do Tropical Shopping, o governo resolveu tomar medidas de segurança na área. Até agora há pouco, uma viatura fazia a ronda na área, que também teve a iluminação recuperada. O problema é que as viaturas não vão ficar ali rotineiramente, mas os usuários da vida sempre terão ali como opção de fluxo. (Imagem: Biaman Prado/O EstadoMaranhão)

3

Jefferson Portela tem muito o que explicar à Assembleia…

Deputada Andrea Murad levanta suspeitas de que o secretário de Segurança esteja forjando provas contra adversários para tentar levá-los à prisão e quer que o caso seja esclarecido em audiência com os colegas deputados

 

AndreaMurad7Quero dizer ao secretário Jefferson Portela, que eu vou requerer imediatamente a convocação dele na Assembleia para falar sobre essa agressão de uma polícia política que o Maranhão não pode tolerar; e quero que ele traga todas as provas que ele diz ter para apresentar no plenário. Estarei lá pra debater de frente porque isso precisa acabar, nem que acionemos as cortes supremas contra as violações dos direitos humanos no Maranhão, onde a polícia é utilizada única e exclusivamente para cercear qualquer um que se opõe ou denuncia práticas imorais que ocorrem neste governo. O governador Flávio Dino e Márcio Jerry não irão transformar o Maranhão num estado policial de exceção. Tenham certeza que me terão na trincheira lutando pelos maranhenses”, disse a deputada.

5

O Estado de exceção no governo Flávio Dino…

Dino: prepotência e aparelhamento do estão para atender aos seus interesses

Dino: prepotência e aparelhamento do estão para atender aos seus interesses

A frase abaixo é do juiz Sérgio Moro, que coordena a operação Lava Jato e cuida de todos o processos referentes ás investigações em todo o país:

 

Sérgio-Fernando-Moro.Evidentemente falta melhor apuração dos fatos, sendo necessárias provas que corroborem a palavra de criminoso colaborador”

 

Moro se referia às acusações envolvendo o governo Roseana Sarney (PMDB) e o ex-secretário João Guilherme Abreu.

Sérgio Moro tem fé pública e é visto hoje como um herói nacional, pelo trabalho que faz na investigação da Lava Jato.

E para ele, precisava de mais provas que embasassem a denúncia do “criminoso colaborador” Paulo Roberto Costa.

Mas para a Polícia de Flávio Dino tudo já está resolvido.

Portela e os delegados da Seic: militante partidário e servidores apenas preocupados com a estabilidade profissional, sem contrariar o chefe

Portela e os delegados da Seic: militante partidário e servidores preocupados com a estabilidade profissional

Comandada por Jefferson Portela, um militante do PCdoB – disposto a tudo para agradar ao chefe e subir nas instâncias partidárias e políticas – e coordenada por delegados carreiristas, preocupado apenas em servir ao governo e seguir na profissão, a Secretaria de Segurança Pública decidiu condenar e requerer a prisão de João Abreu.

E o próprio Flávio Dino se encarregou de pressionar o Poder Judiciário a ceder a uma prisão estapafúrdia e sem lógica, que fatalmente cairá nas instâncias superiores da Justiça, envergonhando mais uma vez os que fazem a “Justiça” no estado.

Agora, leia a afirmação do ex-secretário Ricardo Murad, que também já iveu na pela a perseguição imposta por Dino e pelo seu aparelho estatal:

ricardo muradA prisão preventiva de João Abreu é despropositada e abusiva, típica de um estado policial de exceção como esse que estamos vivendo no Maranhão”

E é assim que o Maranhão se encontra, subjugado por um sistema autoritário, totalitário, truculento e absolutista.

É a mudança que se implantou no Maranhão…

1

Oficiais entram em contradição em depoimento do caso Fagner…

Major Anderson Maciel afirmou ao delegado Guilherme Sousa que prendeu o cabo Monteiro por que este confessou ter atirado, mas o sub-tenente Bernardo Reis da Costa revelou que alertou o major de que outros PMs haviam disparado

 

A desocupação que resultou na morte de Fagner

A desocupação que resultou na morte de Fagner

exclusivo2Há pelo menos uma contradição no depoimento dos oficiais que comandaram a operação de retirada de invasores de um terreno na região do Turu, em 13 de agosto.

Este blog teve acesso aos depoimentos do major Anderson Fernando Holanda Maciel e o do sub-tenente Bernardo Reis da Costa, ouvidos pelo delegado de homicídios Guilherme de Sousa Filho.

Os autos mostram que será preciso muito boa vontade para não ver que houve açodamento por parte dos comandantes da ação – e da própria polícia civil – na prisão dos cabos Marcelo Monteiro e Janilson Santos.

Em seu depoimento, o major Anderson disse ter chegado ao seu conhecimento que os disparos teriam partido do cabo Monteiro, embora não tenha revelado quem o informou sobre isso.

– Que antes de entrar em contato com as autoridades superiores o depoente contactou com o Cabo Monteiro perguntando se era verídico se o mesmo tinha efetuado o disparo de arma de fogo no manifestante ora ferido; Que cabo Monteiro respondeu: “senhor, a multidão veio enfurecida em direção à tropa e eu fui obrigado a utilizar a arma de fogo” – declarou major Anderson ao delegado.

Segundo no depoimento, foi a partir de constatar a morte de Fagner Santos que o major recebeu determinação dos superiores (ele também não informa que superiores foram estes) para conduzir o cabo Monteiro à Delegacia de Homicídios.

Leia também:

Um grave deslize…

Caso Fagner: polícia vai periciar mais de 80 armas…

Perícia desmente versão para morte de jovem no Turu...

O sub-tenente Reis acrescentou detalhes contraditórios ao delegado Guilherme Sousa.

Segundo ele, o major Anderson o chamou para informar-lhe que já havia conversado com o cabo Monteiro  e “este teria realmente atirado em direção à multidão que estava tentando avançar”. Ao ouvir a declaração do major Anderson, Reis ponderou, segundo depoimento à polícia:

– Que o depoente, ao falar com o major Anderson, informou a este que não só o Cabo PM Monteiro teria atirado, mas assim como outros policiais militares – diz o depoimento.

Na delegacia, Guilherme Sousa ratificou a voz de prisão do cabo Monteiro, e também prendeu o cabo Janilson, levando em consideração a declaração de uma testemunha, também ainda não revelada pela polícia.

Mais tarde, a perícia revelaria que não saiu das armas deles a bala que matou o jovem…

1

Operações contra agiotagem param após atingir aliados de Dino…

Cheque de Miltinho Aragão foi o primeiro a ser descoberto; e o caso abafado rapidamente

Cheque de Miltinho Aragão foi o primeiro a ser descoberto; e o caso abafado rapidamente

Por Maicon Sousa, do Maranhão em Foco

As operações policiais realizadas pela a Polícia Civil para prender integrantes da rede de agiotagem que desviou milhões dos cofres públicos, pararam de ser realizadas após as investigações atingirem aliados de primeira hora do governador Flávio Dino (PCdoB), a exemplo do prefeito de São Mateus, Miltinho Aragão, filiado ao PSB.

As operações foram desencadeadas no dia 4 de maio e resultaram nas prisões do prefeito de Bacuri, Richard Nixon dos Santos, do prefeito de Marajá do Sena, Edvan Costa, do ex-prefeito de Zé Doca, Raimundo Nonato e do ex-prefeito de Marajá do Sena, Perachi Farias. Além destes também foi preso Josival Cavalcanti, o Pacovan, apontado pelas as investigações como um dos principais envolvidos no mega-esquema de desvio de dinheiro público.

Rocha Júnior também teve cheque encontrato com Pacova, o pai Roberto deu pressão e o caso também foi deixado pra lá

Rocha Jr. também teve cheque com Pacovan, mas o pai Roberto deu pressão e o caso também foi deixado pra lá

No dia 19 de maio foi desencadeada a operação “El Berite”, que prendeu o ex-prefeito de Bacabal, Raimundo Lisboa e mais cinco pessoas ligadas à prefeitura do município no governo de Lisboa. Parte dos presos eram aliados da família Sarney.

42 prefeituras estão na lista de investigação dos delegados que integram a Comissão de Combate à Agiotagem, criada em fevereiro deste ano, pelo Governador Flávio Dino, inclusive a prefeitura de Caxias, quando comandada pelo ex-prefeito Humberto Coutinho, atual presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão e aliado de Dino.

Wellington Silva "perdeu" o posto no governo, mas mantém forte relação com o governo comunista

Wellington Silva “perdeu” o posto no governo, mas mantém forte relação com o governo comunista

Ao todo foram realizadas quatro operações policiais, sendo elas, “Maharaja”, “Morta-Viva”, “El Berite”, e “Imperador”, todas desdobramentos da “Operação Detonando”, realizada em 2012 para investigar a morte do jornalista Décio Sá, que denunciou o esquema em seu blog.

À medida que as investigações foram se aprofundando, atingiram aliados do governador e desde então as operações pararam. Continue lendo aqui…

0

Capitão PM preso em Bom Jardim tem condenação no MS…

Capitão Paulo Xavier, preso em atitude suspeita

Capitão Paulo Xavier, preso em atitude suspeita

O capitão da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul, Paulo Roberto Teixeira Xavier, preso em Bom Jardim, na última sexta-feira, 14, já é condenado na Justiça do seu estado.

Ele pegou sete anos de reclusão, após ter sido condenado por falsidade Ideológica, exploração comercial ilegal e corrupção passiva. (Leia aqui)

Paulo Xavier é apontado como integrante de uma quadrilha de exploração de máquinas caça-níqueis e roubo de carros, da qual faz parte também o major Sérgio Roberto de Carvalho, da mesma PMMS, já condenado por tráfico de cocaína e expulso da corporação. (Leia aqui)

O capitão foi abordado por homens da PM do Maranhão, sexta-feira, em Bom Jardim, quando fotografava uma agência bancária. ao verirficar documentos pessoais e da caminhonete usada pelo oficial, os PMs perceberam que a placa do carro havia sido adulterada – um 6 foi modificado para parecer um 8.

Ao ser acionado, o Comando Geral da PM maranhense descobriu tratar-se de um condenado da Justiça do Mato Grosso do Sul…

Paulo Teixeira Xavier já está em São Luís, onde aguardará encaminhamentos da Justiça e da polícia do MS.

9

Com Flávio Dino, a polícia age é assim…

marco1Moradores do residencial Nestor, em Paço do Lumiar, foram recebidos hoje com bombas de gás lacrimogêneo e spray de pimenta, ao tentar chegar ao Palácio dos Leões. Eles queriam ajuda do governo Flávio Dino (PCdoB) para reverter uma ordem judicial que vai desalojar as famílias da área. Foram barrados com violência.

marco2Além de não conseguir falar com nenhum membro do governo, ainda foram agredidos pela polícia militar. É assim que o governo da Mudança trata o povo. Pra quem disse que os leões não iriam mais rugir para o povo, a e realidade é bem diferente. (as imagens são de De Jesus/O EstadoMaranhão)

2

Hildo Rocha denuncia utilização de terceirizados na polícia…

Grave denúncia ocorre meses depois de um mecânico ser executado em praça pública por um vigilante utilizado irregularmente em atividades policiais, em Vitória do Mearim

O deputado Hildo Rocha (PMDB) voltou a ocupar a tribuna da Câmara Federal para denunciar o aproveitamento ilegal de pessoas nas atividades policiais no Maranhão.

Hildo Rocha faz mas uma grave denúncia

Hildo Rocha faz mas uma grave denúncia

– O governo continua utilizando mão-de-obra terceirizada para fazer a segurança pública – afirmou.

O parlamentar ressaltou que pessoas sem a necessária formação e sem a indispensável qualificação estão exercendo uma atividade que é exclusividade das polícias.

Rocha disse que essa prática ilegal tem contribuído para as ocorrências trágicas como a que vitimou o mecânico Irialdo Batalha, em Vitória do Mearim, dia 28 de maio.

– Um cidadão, a serviço do Estado, assassinou friamente o jovem Irialdo Batalha e até agora o governador Flávio Dino não tomou nenhuma providencia para que casos semelhantes voltem a acontecer – destacou.

0

Sem policiais, interior vira o caos…

bomba

Onda de explosões de caixas eletrônicos e assalto a bancos transformam o interior do estado em verdadeiro circo de horrores. E a retirada de policiais de várias cidades – denunciada pelo deputado Sousa Neto (PTN) na Assembleia legislativa – contribui ainda mais para o clima de terror. Acima, imagens do Bradesco de Buriticupu, explodido mais uma vez nesta madrugada

5

Flávio Dino contrata segurança para.. a segurança

Do blog de Sõnia Racy

Flávio Dino, governador do Maranhão, contratou empresa de segurança privada para proteger alguns órgãos do governo, entre eles… a própria Secretaria de Segurança Pública. De acordo com o Portal da Transparência, a Potencial Segurança e Vigilância já recebeu R$ 4,6 milhões para prestar serviços ao governo do PC do B.

No total, foram empenhados mais de R$ 7 milhões.

Procurada, a assessoria do Estado do Maranhão confirmou a contratação não só de uma, mas de duas empresas privadas de vigilância para prestarem serviço na sede da Secretaria da Segurança. Justificativa? Citou decretos federal e estadual que “preveem o serviço de vigilância terceirizada a todo e qualquer órgão público”.

Disse ainda que o objetivo da pasta é “garantir o policiamento nas ruas, priorizando, portanto, que a atividade do agente policial seja desempenhada em operações de combate à criminalidade, em favor da comunidade”.