1

Eduardo Braide cobra nomeação de policiais em formação…

Deputado federal diz que governo Bolsonaro já enviou ajuda financeira para compensar perdas causadas pela pandemia, que poderá ser usada no pagamento dos novos agentes de segurança

 

Eduardo Braide tem sido uma das voes políticas mais efetivas na defesa da categoria dos policiais e bombeiros militares

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) cobrou hoje do governo Flávio Dino (PCdoB) a nomeação dos policiais militares que estão em formação no Maranhão.

Segundo ele, muitos PMs estão fora de combate por causa da pandemia de coronavírus, o que reforça a importância de ter mais homens nas forças policiais.

– No Congresso, já aprovamos a ajuda financeira ao Maranhão para compensar as perdas causadas pela pandemia. Não há mais o que esperar – ressaltou o parlamentar.

Policiais militares que já perderam a vida durante a pandemia de coronavírus para a coVID-19; outros cinco morreram depois deste mosaico

Na semana passada, o blog Marco Aurélio D’Eça publicou post revelando o total de policiais militares que já perderam a vida durante a pandemia de coVId-19. (Relembre aqui)

De lá para cá, pelo menos outros cinco já tiveram óbito por causa da doença.

Flávio Dino tem agido para compensar as perdas de profissionais no setor da Saúde, com contratação de novos médicos, enfermeiros e técnicos; e também tentando atrair estrangeiros. (Saiba mais aqui) 

Mas não há nenhuma ação para reforçar as forças de segurança, cujos membros vêm reclamando de rotinas estafantes e sem a devida proteção contra o coronavírus. 

0

Com voto de Braide, policiais e bombeiros militares são incluídos no PL-1645

Só no Maranhão serão beneficiados mais de 15 mil policiais militares e quase dois mil bombeiros militares ativos e inativos

 

O deputado federal Eduardo Braide (PMN) comemorou a aprovação do parecer do PL n° 1645/2019 na Comissão Especial, que garante a policiais e bombeiros militares, a integralidade, paridade e simetria aos militares das Forças Armadas.

Com o seu voto, só no Maranhão serão beneficiados 15.662 policiais militares (ativos e inativos) e 1.740 bombeiros (ativos e inativos).

 – Ontem foi um dia de vitória para os policiais e bombeiros militares. Garantimos direitos e mais, do que isso, reconhecemos uma luta de vários anos daqueles que dedicam suas vidas em defesa das nossas vidas – afirmou Braide.

Com a aprovação do parecer do PL n° 1645/2019, PMs e bombeiros passam a ter, dentre outros direitos:

– Direito Adquirido de todos benefícios para os militares que contarem com 30 anos de efetivo serviço até 31 de dezembro de 2019;

– Alíquota de contribuição de 9,5% a partir de janeiro de 2020 e de 10,5% após 2021, passa a ser cobrado pelo salário bruto para todos;

– O tempo mínimo de 35 anos de serviço valerá somente para aqueles que ingressarem após a lei sancionada;

– Regra de Transição para os militares da ativa de 17% sobre o tempo de serviço que falta para completar trinta anos;

– Respeito à Regra de Aposentadoria Especial das Mulheres nos Estados.

O presidente da Frente Parlamentar de Segurança Pública da Câmara, deputado Capitão Augusto (PL-SP), fez questão de destacar o trabalho do deputado Eduardo Braide na defesa dos policiais e bombeiros militares durante a discussão do PL 1645.

– Sou testemunha de todo apoio que o deputado Braide nos deu para que esse parecer fosse aprovado com tantos direitos, garantindo a proteção social dos policiais e bombeiros militares. Um apoio fundamental – destacou.

Para o deputado Eduardo Braide, a aprovação do parecer do PL 1645, reforça o seu compromisso com os policiais e bombeiros militares.

– Além de trazer a simetria com os militares das Forças Armadas, o parecer do PL 1645 mantém a proteção deles na Constituição Federal. Esse sempre foi o nosso compromisso e, sem dúvidas, representa uma grande vitória. A nossa defesa e o nosso posicionamento continuarão os mesmos: ao lado dos policiais e bombeiros militares – concluiu Eduardo Braide.    

0

André Fufuca quer retirar professores e policiais militares da reforma da Previdência

O deputado do PP maranhense André Fufuca, preocupado com os professores e os policiais militares, apresentou uma emenda à PEC da Previdência na Comissão Especial que retira ambas as categorias profissionais dos efeitos da Reforma.

A emenda apresentada pelo parlamentar quer que os professores e policiais militares não tenham as regras atuais de aposentadoria modificadas, para que não sofram prejuízos caso a Reforma da Previdência seja aprovada. Para o parlamentar, essas categorias já sofrem com o pouco reconhecimento social no caso dos professores e o risco inerente ao trabalho no caso dos policiais.

“Penalizar essas categorias na aposentadoria é ignorar como são essenciais para o desenvolvimento da sociedade”, explicou o parlamentar.

O texto apresentado por André Fufuca também retira da reforma os produtores rurais e indivíduos que têm direito ao benefício da prestação continuada. O parlamentar explicou que “a economia de dinheiro com a mudança de regras para esses grupos tão sofridos é muito menor que o benefício social que as regras atuais proporcionam.

Temos que lembrar que o sistema previdenciário atual também se chama solidário por prestar assistência a essas camadas muito carentes da população.”

0

Júnior Verde reúne-se com conselheiros tutelares em Carolina e com militares em Balsas…

O deputado durante o encontro de conselheiros de Carolina

Em meio às atividades políticas do projeto de reeleição, o deputado estadual Júnior Verde (PRB) dedicou parte de sua agenda para participar do XX Encontro de Conselheiros e Ex-conselheiros tutelares do Estado do Maranhão, que reuniu representantes da categoria no município de Carolina, de 29 a 31 de agosto.

O evento contou ainda com a participação da secretária municipal de Desenvolvimento Social, Luzene Martins, o promotor de justiça de Carolina, Marco Túlio Lopes e a deputada estadual Valéria Macedo.

“Nós somos uma voz em defesa dos conselheiros tutelares no Maranhão, e também dos jovens e crianças atendidos por esses profissionais que lutam todos os dias para defender a integridade do futuro da nossa sociedade”, destacou Júnior Verde, na abertura do encontro.

No Sul do Estado, o parlamentar também participou de um encontro com policiais militares do município de Balsas, na Associação Recreativa dos Cabos e Soldados.

Os oficiais apresentaram uma série de reivindicações de melhorias para a categoria.

O parlamentar com policiais militares na região de Balsas

Júnior Verde lembrou das diversas reuniões que já realizou, enquanto presidente da Frente Parlamentar de Segurança Pública e Privada da Assembleia Legislativa, em busca da criação da Lei de Organização Básica da Polícia Militar.

“Daremos celeridade aos processos de criação da lei que institui a Organização Básica da Polícia Militar, assim como fizemos no Corpo de Bombeiros, que veio para beneficiar os homens e mulheres que servem com orgulho o nosso Estado”, garantiu o deputado. 

1

Mulher de oficial denúncia “manobra pra levar para Pedrinhas” PMs envolvidos em contrabando…

Raquel Rangel, esposa do major Rangel, acusou Ministério Público Federal e o sistema de Segurança por uma trama que ela suspeita ter indícios de tentativa de queima-de-arquivo

 

Jefferson Portela ao falar da operação contra o contrabando: acusação de manipulação de depoimentos

A mulher de um dos policiais militares presos no caso envolvendo contrabando de cigarros e uísques, acusou ontem o sistema de Segurança Pública do Maranhão e o próprio Ministério Público Federal, “de tramarem levar todos para Pedrinhas”.

Segundo Raquel Rangel, esposa do major Rangel, a trama seria uma represália também ao fato de o soldado Fernando Paiva Moraes Júnior ter denunciado que fora coagido pelo secretário Jefferson Portela a acusar o deputado estadual Raimundo Cutrim (PCdoB) de envolvimento com o caso.

– A gente teme a ida deles para Pedrinhas por que já ouvimos que lá, podem ocorrer rebeliões para dar fim aos acusados. Já acionamos nossos advogados, que também já falaram com o juiz – desabafou Raquel.

Além do major Rangel e do soldado Paiva, também seriam transferidos o coronel Frankalance e o soldado Joaquim.

As garantias legais aos militares – de aguardem em presídio militar o julgamento de seus crimes – são previstas nos artigos 295 e 296 da Constituição.

Este blog encaminhou ontem mesmo à assessoria do MPF no Maranhão os seguintes questionamentos:

 1 – Há algum pedido de prisão do MPF sobre o tema contrabando?

2 – Se houver, com base em que argumentos legais?!?

A assessoria respondeu  que encaminharia “a demanda aos procuradores”. Em seguida, a assessoria respondeu: “processo sigiloso e sob apreciação judicial, o MPF não vai se manifestar”.

As perguntas, portanto, continuam sem respostas…

0

Weverton diz que combate à violência se faz com políticas públicas sérias

O deputado federal Weverton (PDT) afirmou que a melhor forma de combater a violência no Brasil é implantando políticas de segurança sérias e interligadas com outras áreas de atuação do poder público. Weverton, que compareceu à homenagem aos policiais civis e militares que mais tiraram armas de fogo de circulação dos municípios maranhenses, comparou a situação dos vários estados brasileiros e avaliou que o Maranhão mostra estar no melhor caminho.

“Conhecendo a realidade de outros estados podemos ver que várias ações concretas estão acontecendo no Maranhão, como o Pacto pela Paz, que, entre outras coisas, presta este reconhecimento aos policiais civis e militares.”

Para Weverton, o trabalho de fortalecimento da segurança no Maranhão avançou muito graças ao esforço do governador Flávio Dino e de toda sua equipe. Ele destacou os investimentos realizados pelo governo do estado com a contratação de novos policiais por concurso público e aquisição de viaturas, sem perder o foco na cultura da paz.

“Nós sabemos que não é fácil e que muito ainda há para fazer. Mas o governador Flávio Dino tem feito a sua parte, principalmente neste momento em que sabemos que o Brasil todo está com índices negativos e salários atrasados”, avaliou o deputado, lembrando a situação do Rio de Janeiro, cuja segurança está sob intervenção, e de Minas Gerais e Rio Grande do Norte, que estão parcelando o pagamento de policiais militares.

Armas apreendidas

No evento, foram homenageados três policiais civis e três militares que se destacaram em 2017 por apreender armas de fogo, melhorando a segurança nas ruas. No ano passado 1.762 mil armas de fogo foram retiradas de circulação pela polícia do Maranhão.

O governo premia os policiais que mais retiram armas das ruas durante todo o ano com R$ 20 mil.

E também faz uma premiação mensal, em que a bonificação é dada por arma de fogo recuperada em flagrante e encaminhada à autoridade policial ou judicial responsável. Neste caso, os valores vão de R$ 300 a R$ 1,5 mil.

3

Policiais retomam tentativa de diálogo com governo comunista…

Representantes das polícias Militar, Civil e do Corpo de Bombeiros reuniram-se com deputados estaduais, sob a coordenação de Júnior Verde, para discutir questões sobre a carreira no Maranhão

 

Júnior Verde conduzindo o diálogo com policiais e bombeiros

O deputado Júnior Verde (PRB) conduziu reunião da Comissão de Segurança Pública da Assembleia com representantes dos policiais militares, civis e bombeiros do Maranhão para definir uma agenda de trabalho que vise a retomada do diálogo com o governo Flávio Dino (PCdoB).

Os militares e civis querem reativar o Decreto Governamental instituído pelo governador Flávio Dino em 2015. Assinado no início da gestão, o instrumento cria uma comissão representativa de praças e oficiais para discutir pontos da carreira como promoção, transferência e  reajuste salarial.

– Foram dois anos sem avanço algum. Precisamos voltar a conversar com o Governo do Estado para que nossas muitas demandas sejam atendidas – desabafou o sargento bombeiro Jean Marry, que é presidente da Associação dos Militares Bombeiros do Maranhão.

No comando da comissão, Júnior Verde garantiu que a Assembleia vai estabelecer uma agenda permanente para melhorar a Segurança Pública no Estado.

– Pretendemos nos reunir todas as semanas para retomar as comissões representativas junto ao Governo. O diálogo será retomado, bem como acompanharemos todas as reuniões e buscaremos resultados – afirmou o parlamentar.

Além da valorização dos servidores, os representantes policiais querem a reestruturação de todo o sistema de Segurança.

1

César Pires mantém coerência e garante apoio a professores e PMs…

Deputado afirma que jamais votou contra as duas categorias e se comprometeu a defender as alterações à Medida Provisória 230/2017, em tramitação na Assembleia

 

César Pires: compromisso histórico com categorias de funcionários públicos

Um grupo de professores estaduais esteve com o deputado César Pires, pedindo seu apoio contra a aprovação da MP 230/2017, do Governo do Estado, que altera o Estatuto do Magistério e dispõe sobre o reajuste salarial da categoria.

– Nunca votei e jamais votarei contra os interesses de professores e policiais militares. Por isso, os professores estaduais podem ter a certeza que terão meu apoio para que a MP 230 sofra as alterações defendidas pela categoria – afirmou César Pires.

A matéria está em análise na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa, e ainda será votada no plenário da Casa.

 

 

1

Júnior Verde defende propostas dos policiais para reajuste salarial…

Verde acompanha a categoria nas negociações com o governo

 “Como toda a categoria, acredito que os ganhos não foram reais. Eles estão buscando apenas o cumprimento da lei, que os reajustes atendam o que foi determinado pela decisão da justiça, e eu estou aqui para buscar diálogo com o Governo e ajudar a encontrar soluções”

A frase acima é do deputado Júnior Verde (PRB), também oriundo da polícia maranhense, que acompanha a categoria no debate com o governo Flávio Dino pela melhoria salarial.

Verde já apresentou proposta de emenda às Medidas Provisórias que tramitam na Assembleia, com as reivindicações dos policiais.

O deputado preside  Frente Parlamentar de Segurança Pública e Privada da Assembleia Legislativa.

37

Dois pesos e duas medidas…

O secretário Aluísio Mendes: dois pesos e duas medidas

Os depoimentos dos envolvidos no assassinato do jornalista Décio Sá, publicados em blogs e jornais maranhenses, levam a crer no uso de dois pesos e duas medidas pela polícia maranhense.

Envolvidos aparentemente superficiais no assassinato do jornalista Décio Sá foram tratados com forte rigor e expostos publicamente, enquanto outos, atolados até o pescoço com a quadrilha de agiotas suspeita de matar em todo o Maranhão, passaram incólume pelas investigações, com tratamento discreto da polícia.

Os casos do capitão Fábio Aurélio Saraiva e do deputado Raimundo Cutrim (PSD) são dois exemplos.

Em comparação com os policiais Alcides e Durans, fica evidente um tratamento desigual da polícia para casos iguais ou até mais graves.

O capitão foi citado apenas superficialmente pelo assassino Jhonatan de Souza – que disse ter ouvido de Júnior Bolinha a menção do seu nome. Mesmo assim, foi preso juntamente com a quadrilha de Gláucio Alencar e teve o nome exposto junto com os bandidos.

E o que dizer  de Cutrim?

Até agora, há referências também superficiais a Cutrim, e a mais direta foi feita pelo mesmo assassino confesso, que disse também ter ouvido de Bolinha. Mesmo assim, Cutrim foi exposto e o secretário Aluísio Mendes jogou insinuações de outros envolvimentos do deputado em entrevista à mídia.

Mas há dois policiais da Seic diretamente envolvidos com a quadrilha que matou o empresário Fábio Brasil e que também matou Décio. Policiais que participaram, inclusive, de reuniões para discutir eliminações e tentar resolver por conta própria supostas ameaças de morte.

São os agentes Alcides e Durans.

No mínimo, estes policiais cometeram o crime de omissão como homens da lei. Mas podem até ser enquadrados também como cúmplices da quadrilha, pelo menos no caso Fábio Brasil.

E o que fez a polícia?

Apenas os afastou de suas funções, mesmo assim tomando todo o cuidado para não expor seus nomes, que só vieram à tona por causa do vazamento dos depoimentos.

Um claro exemplo de dois pesos e duas medidas.

Que precisa ser explicado à sociedade maranhense…