0

André Fufuca quer retirar professores e policiais militares da reforma da Previdência

O deputado do PP maranhense André Fufuca, preocupado com os professores e os policiais militares, apresentou uma emenda à PEC da Previdência na Comissão Especial que retira ambas as categorias profissionais dos efeitos da Reforma.

A emenda apresentada pelo parlamentar quer que os professores e policiais militares não tenham as regras atuais de aposentadoria modificadas, para que não sofram prejuízos caso a Reforma da Previdência seja aprovada. Para o parlamentar, essas categorias já sofrem com o pouco reconhecimento social no caso dos professores e o risco inerente ao trabalho no caso dos policiais.

“Penalizar essas categorias na aposentadoria é ignorar como são essenciais para o desenvolvimento da sociedade”, explicou o parlamentar.

O texto apresentado por André Fufuca também retira da reforma os produtores rurais e indivíduos que têm direito ao benefício da prestação continuada. O parlamentar explicou que “a economia de dinheiro com a mudança de regras para esses grupos tão sofridos é muito menor que o benefício social que as regras atuais proporcionam.

Temos que lembrar que o sistema previdenciário atual também se chama solidário por prestar assistência a essas camadas muito carentes da população.”

0

Júnior Verde reúne-se com conselheiros tutelares em Carolina e com militares em Balsas…

O deputado durante o encontro de conselheiros de Carolina

Em meio às atividades políticas do projeto de reeleição, o deputado estadual Júnior Verde (PRB) dedicou parte de sua agenda para participar do XX Encontro de Conselheiros e Ex-conselheiros tutelares do Estado do Maranhão, que reuniu representantes da categoria no município de Carolina, de 29 a 31 de agosto.

O evento contou ainda com a participação da secretária municipal de Desenvolvimento Social, Luzene Martins, o promotor de justiça de Carolina, Marco Túlio Lopes e a deputada estadual Valéria Macedo.

“Nós somos uma voz em defesa dos conselheiros tutelares no Maranhão, e também dos jovens e crianças atendidos por esses profissionais que lutam todos os dias para defender a integridade do futuro da nossa sociedade”, destacou Júnior Verde, na abertura do encontro.

No Sul do Estado, o parlamentar também participou de um encontro com policiais militares do município de Balsas, na Associação Recreativa dos Cabos e Soldados.

Os oficiais apresentaram uma série de reivindicações de melhorias para a categoria.

O parlamentar com policiais militares na região de Balsas

Júnior Verde lembrou das diversas reuniões que já realizou, enquanto presidente da Frente Parlamentar de Segurança Pública e Privada da Assembleia Legislativa, em busca da criação da Lei de Organização Básica da Polícia Militar.

“Daremos celeridade aos processos de criação da lei que institui a Organização Básica da Polícia Militar, assim como fizemos no Corpo de Bombeiros, que veio para beneficiar os homens e mulheres que servem com orgulho o nosso Estado”, garantiu o deputado. 

1

Mulher de oficial denúncia “manobra pra levar para Pedrinhas” PMs envolvidos em contrabando…

Raquel Rangel, esposa do major Rangel, acusou Ministério Público Federal e o sistema de Segurança por uma trama que ela suspeita ter indícios de tentativa de queima-de-arquivo

 

Jefferson Portela ao falar da operação contra o contrabando: acusação de manipulação de depoimentos

A mulher de um dos policiais militares presos no caso envolvendo contrabando de cigarros e uísques, acusou ontem o sistema de Segurança Pública do Maranhão e o próprio Ministério Público Federal, “de tramarem levar todos para Pedrinhas”.

Segundo Raquel Rangel, esposa do major Rangel, a trama seria uma represália também ao fato de o soldado Fernando Paiva Moraes Júnior ter denunciado que fora coagido pelo secretário Jefferson Portela a acusar o deputado estadual Raimundo Cutrim (PCdoB) de envolvimento com o caso.

– A gente teme a ida deles para Pedrinhas por que já ouvimos que lá, podem ocorrer rebeliões para dar fim aos acusados. Já acionamos nossos advogados, que também já falaram com o juiz – desabafou Raquel.

Além do major Rangel e do soldado Paiva, também seriam transferidos o coronel Frankalance e o soldado Joaquim.

As garantias legais aos militares – de aguardem em presídio militar o julgamento de seus crimes – são previstas nos artigos 295 e 296 da Constituição.

Este blog encaminhou ontem mesmo à assessoria do MPF no Maranhão os seguintes questionamentos:

 1 – Há algum pedido de prisão do MPF sobre o tema contrabando?

2 – Se houver, com base em que argumentos legais?!?

A assessoria respondeu  que encaminharia “a demanda aos procuradores”. Em seguida, a assessoria respondeu: “processo sigiloso e sob apreciação judicial, o MPF não vai se manifestar”.

As perguntas, portanto, continuam sem respostas…

0

Weverton diz que combate à violência se faz com políticas públicas sérias

O deputado federal Weverton (PDT) afirmou que a melhor forma de combater a violência no Brasil é implantando políticas de segurança sérias e interligadas com outras áreas de atuação do poder público. Weverton, que compareceu à homenagem aos policiais civis e militares que mais tiraram armas de fogo de circulação dos municípios maranhenses, comparou a situação dos vários estados brasileiros e avaliou que o Maranhão mostra estar no melhor caminho.

“Conhecendo a realidade de outros estados podemos ver que várias ações concretas estão acontecendo no Maranhão, como o Pacto pela Paz, que, entre outras coisas, presta este reconhecimento aos policiais civis e militares.”

Para Weverton, o trabalho de fortalecimento da segurança no Maranhão avançou muito graças ao esforço do governador Flávio Dino e de toda sua equipe. Ele destacou os investimentos realizados pelo governo do estado com a contratação de novos policiais por concurso público e aquisição de viaturas, sem perder o foco na cultura da paz.

“Nós sabemos que não é fácil e que muito ainda há para fazer. Mas o governador Flávio Dino tem feito a sua parte, principalmente neste momento em que sabemos que o Brasil todo está com índices negativos e salários atrasados”, avaliou o deputado, lembrando a situação do Rio de Janeiro, cuja segurança está sob intervenção, e de Minas Gerais e Rio Grande do Norte, que estão parcelando o pagamento de policiais militares.

Armas apreendidas

No evento, foram homenageados três policiais civis e três militares que se destacaram em 2017 por apreender armas de fogo, melhorando a segurança nas ruas. No ano passado 1.762 mil armas de fogo foram retiradas de circulação pela polícia do Maranhão.

O governo premia os policiais que mais retiram armas das ruas durante todo o ano com R$ 20 mil.

E também faz uma premiação mensal, em que a bonificação é dada por arma de fogo recuperada em flagrante e encaminhada à autoridade policial ou judicial responsável. Neste caso, os valores vão de R$ 300 a R$ 1,5 mil.

3

Policiais retomam tentativa de diálogo com governo comunista…

Representantes das polícias Militar, Civil e do Corpo de Bombeiros reuniram-se com deputados estaduais, sob a coordenação de Júnior Verde, para discutir questões sobre a carreira no Maranhão

 

Júnior Verde conduzindo o diálogo com policiais e bombeiros

O deputado Júnior Verde (PRB) conduziu reunião da Comissão de Segurança Pública da Assembleia com representantes dos policiais militares, civis e bombeiros do Maranhão para definir uma agenda de trabalho que vise a retomada do diálogo com o governo Flávio Dino (PCdoB).

Os militares e civis querem reativar o Decreto Governamental instituído pelo governador Flávio Dino em 2015. Assinado no início da gestão, o instrumento cria uma comissão representativa de praças e oficiais para discutir pontos da carreira como promoção, transferência e  reajuste salarial.

– Foram dois anos sem avanço algum. Precisamos voltar a conversar com o Governo do Estado para que nossas muitas demandas sejam atendidas – desabafou o sargento bombeiro Jean Marry, que é presidente da Associação dos Militares Bombeiros do Maranhão.

No comando da comissão, Júnior Verde garantiu que a Assembleia vai estabelecer uma agenda permanente para melhorar a Segurança Pública no Estado.

– Pretendemos nos reunir todas as semanas para retomar as comissões representativas junto ao Governo. O diálogo será retomado, bem como acompanharemos todas as reuniões e buscaremos resultados – afirmou o parlamentar.

Além da valorização dos servidores, os representantes policiais querem a reestruturação de todo o sistema de Segurança.

1

César Pires mantém coerência e garante apoio a professores e PMs…

Deputado afirma que jamais votou contra as duas categorias e se comprometeu a defender as alterações à Medida Provisória 230/2017, em tramitação na Assembleia

 

César Pires: compromisso histórico com categorias de funcionários públicos

Um grupo de professores estaduais esteve com o deputado César Pires, pedindo seu apoio contra a aprovação da MP 230/2017, do Governo do Estado, que altera o Estatuto do Magistério e dispõe sobre o reajuste salarial da categoria.

– Nunca votei e jamais votarei contra os interesses de professores e policiais militares. Por isso, os professores estaduais podem ter a certeza que terão meu apoio para que a MP 230 sofra as alterações defendidas pela categoria – afirmou César Pires.

A matéria está em análise na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa, e ainda será votada no plenário da Casa.

 

 

1

Júnior Verde defende propostas dos policiais para reajuste salarial…

Verde acompanha a categoria nas negociações com o governo

 “Como toda a categoria, acredito que os ganhos não foram reais. Eles estão buscando apenas o cumprimento da lei, que os reajustes atendam o que foi determinado pela decisão da justiça, e eu estou aqui para buscar diálogo com o Governo e ajudar a encontrar soluções”

A frase acima é do deputado Júnior Verde (PRB), também oriundo da polícia maranhense, que acompanha a categoria no debate com o governo Flávio Dino pela melhoria salarial.

Verde já apresentou proposta de emenda às Medidas Provisórias que tramitam na Assembleia, com as reivindicações dos policiais.

O deputado preside  Frente Parlamentar de Segurança Pública e Privada da Assembleia Legislativa.

37

Dois pesos e duas medidas…

O secretário Aluísio Mendes: dois pesos e duas medidas

Os depoimentos dos envolvidos no assassinato do jornalista Décio Sá, publicados em blogs e jornais maranhenses, levam a crer no uso de dois pesos e duas medidas pela polícia maranhense.

Envolvidos aparentemente superficiais no assassinato do jornalista Décio Sá foram tratados com forte rigor e expostos publicamente, enquanto outos, atolados até o pescoço com a quadrilha de agiotas suspeita de matar em todo o Maranhão, passaram incólume pelas investigações, com tratamento discreto da polícia.

Os casos do capitão Fábio Aurélio Saraiva e do deputado Raimundo Cutrim (PSD) são dois exemplos.

Em comparação com os policiais Alcides e Durans, fica evidente um tratamento desigual da polícia para casos iguais ou até mais graves.

O capitão foi citado apenas superficialmente pelo assassino Jhonatan de Souza – que disse ter ouvido de Júnior Bolinha a menção do seu nome. Mesmo assim, foi preso juntamente com a quadrilha de Gláucio Alencar e teve o nome exposto junto com os bandidos.

E o que dizer  de Cutrim?

Até agora, há referências também superficiais a Cutrim, e a mais direta foi feita pelo mesmo assassino confesso, que disse também ter ouvido de Bolinha. Mesmo assim, Cutrim foi exposto e o secretário Aluísio Mendes jogou insinuações de outros envolvimentos do deputado em entrevista à mídia.

Mas há dois policiais da Seic diretamente envolvidos com a quadrilha que matou o empresário Fábio Brasil e que também matou Décio. Policiais que participaram, inclusive, de reuniões para discutir eliminações e tentar resolver por conta própria supostas ameaças de morte.

São os agentes Alcides e Durans.

No mínimo, estes policiais cometeram o crime de omissão como homens da lei. Mas podem até ser enquadrados também como cúmplices da quadrilha, pelo menos no caso Fábio Brasil.

E o que fez a polícia?

Apenas os afastou de suas funções, mesmo assim tomando todo o cuidado para não expor seus nomes, que só vieram à tona por causa do vazamento dos depoimentos.

Um claro exemplo de dois pesos e duas medidas.

Que precisa ser explicado à sociedade maranhense…

5

Holanda Júnior defende retomada de discussão sobre PEC-300

Holanda Júnior quer rediscutir PEC-300

O deputado federal Edivaldo Holanda Júnior (PTC) voltou a defender, na Câmara, a retomada das discussões sobre a votação da PEC-300, que beneficia diretamente os policiais militares e bombeiros militares de todo o país.

– Precisamos resgatar o compromisso assumido pela Câmara dos Deputados na legislatura passada, de concluir a votação da PEC 300, assim fazendo justiça aos policiais militares e ao corpo de bombeiro militar – afirmou Holanda Júnior.

O parlamentar tem participado neste semestre de audiências públicas e reuniões sobre a PEC-300, que chegou a ser discutida na legislatura passada, mas acabou não sendo votada em plenário.

Para o deputado,  além de equipamentos e estrutura adequada, as forças de segurança do país necessitam também de homens motivados para o desempenho da função.

PMs serão beneficiadas

– A melhoria salarial  garante, sem dúvida, quadros motivados por uma remuneração que lhes dê a garantia de vida digna, sem necessidade de “bicos” para complemento da renda familiar –  frisou o parlamentar.

A PEC 300 determina a fixação de piso salarial para policiais militares e Corpo de Bombeiros Militar.

Pela proposta, será criado um fundo – no estilo do Fundeb – para que a União complemente o pagamento nos estados  que não tenham condições de arcar com a despesa em curto prazo.

A PEC-300 tramtia na Câmara dos Deputados…

Com informações da assessoria do gabinete do deputado