1

Zé Inácio em campanha pela presidência do PT…

Deputado estadual quer o comando da legenda para intensificar o seu trabalho de resgate do legado petista após impeachment da presidente Dilma Rousseff

 

Zé Inácio em atuação na Assembleia: petista de coração

O deputado estadual Zé Inácio interrompeu o recesso parlamentar para se dedicar à articulação pela presidência do Partido dos Trabalhadores no estado.

Inácio tem se dedicado, desde o impeachment da presidente Dilma Rousseff, a reforçar publicamente a importância do legado do PT no Brasil, e acredita que pode atuar mais fortemente neste sentido estando no comando da legenda.

Ele é um dos poucos petistas que falam abertamente do PT como importante para a história do Brasil, mesmo nos momentos de maior crítica popular ao partido.

Também não se envergonha de defender e até fazer campanha pela volta de Lula em 2018.

Em sua articulação, Zé Inácio trabalha também para eleger o maior número de delegados nas eleições dos diretórios municipais.

A eleição no diretório estadual do Pt está prevista para o dia 26 de março…

9

Para Dutra, Flávio Dino é uma das opções à presidência da República…

Prefeito eleito de Paço do Lumiar diz que, diante da crise política que domina o país desde 2014, restam às esquerdas os nomes de Marina Silva, Ciro Gomes e do governador do Maranhão

 

Dino e Dutra: um apoia o outro

O prefeito eleito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra (PCdoB), pregou a candidatura do governador Flávio Dino à presidência da República em 2018.

A informação é do blog de Aquiles Emir.

Segundo o prefeito comunista, as esquerdas brasileiras têm hoje apenas três opções para a disputa de 2018: a ex-ministra Marina Silva (Rede), o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o governador Flávio Dino.

O nome de Dino começou a ser especulado desde o final de semana, quando comunistas reunidos em Brasília o incluíram entre as opções do partido para a disputa pela presidência.

Nesta terça-feira, aliados do governador no Palácio dos Leões – e a cúpula do PCdoB maranhense – apressaram-se em reafirmar que a prioridade do partido é ter Dino como candidato à reeleição.

A declaração de Dutra, no entanto, põe mais lenha na fogueira das vaidades…

1

O aprendiz de Donald Trump…

Embalado na eleição do magnata para a presidência dos Estados Unidos, empresário brasileiro Roberto Justus, que protagonizou a franquia do reality americano no Brasil admite concorrer à presidência da República em 2016

 

Justus tem, pelo menos, mais apelo popular que o similar americano

Justus tem, pelo menos, mais apelo popular que o similar americano

Donald Trump faz escola.

Aliás, seus aprendizes tentam seguir seu caminho vitorioso também na política.

O empresário brasileiro Roberto Justus admitiu esta semana disputar a presidência da República em 2018.

– Antigamente, eu nunca admitiria a possibilidade de pensar em alguma coisa nesse sentido, mas ultimamente eu tenho pensado sobre isso. Quem sabe, não sei, porque é uma mudança de vida. É você dedicar a sua vida ao país – ressaltou Justus.

Um dos maiores publicitários do Brasil, o empresário paulista protagonizou no Brasil a franquia do reality show “O Aprendiz”, criado por Donald Trump e sucesso nos Estados Unidos e no Brasil no início dos anos 2000.

A eleição de Trump na eleição dos EUA pode ter despertado a verve política do brasileiro.

Aliás, substituto de Roberto Justus em “O Aprendiz”, João Dória Júnior (PSDB) acaba de se eleger prefeito de São Paulo…

0

Astro de Ogum consolidado na Câmara Municipal…

Atual presidente da Casa deve ser reeleito em janeiro para mais um biênio à frente do Legislativo Municipal; o vereador conta com o apoio do prefeito e da cúpula do PDT

 

Astro: sem adversário a vista

Astro: sem adversário a vista

É praticamente consolidada a reeleição do vereador Astro de Ogum (PR) na Câmara Municipal.

O vereador tem o apoio da cúpula do PDT e do próprio prefeito Edivaldo Júnior (PDT), pela dedicação que teve na campanha do segundo turno.

Além disso, o próprio Astro tratou de se articular com vereadores eleitos e reeleito e já alcançou maioria absoluta de apoios.

Astro de Ogum agora trabalha para montagem da chapa com a qual pretende disputar o cargo.

Embora não se tenha notícia de nenhum outro vereador disposto a enfrentá-lo…

1

Flávio Dino retorna de Brasília sem acesso a Temer e vai aguardar ariculação da bancada…

Encontro com o ministro dos Transportes só foi possível após “meio de campo” de deputados e senadores, que vão buscar agora um entendimento com o novo presidente

 

Dino com Quintella...Com Temer, só por intermédio das lideranças maranhenses

Dino com Quintella…mas com Temer, só por intermédio das lideranças maranhenses

O governador Flávio Dino (PCdoB) só conseguiu uma audiência em Brasília: com o ministro dos Transportes, Maurício Quintella.

O encontro foi articulado por alguns parlamentares, que tentam, agora, garantir uma reunião entre Dino e o presidente Michel Temer (PMDB).

O clima em Brasília ainda é muito desfavorável ao governador do Maranhão, que partiu pra cima de Temer e dos defensores do impeachment com predicados do tipo “golpistas”, “governo frágil” e “interino”.

Para tentar remediar os estragos causados pela “atitude guerrilheira” do comunista, já entraram em campo tanto aliados de Dino – como o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) e o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP) – quanto adversários políticos, como o agora ministro Sarney Filho (PV) e o suplente de senador Lobão Filho (PMDB).

Na última sexta-feira, 13, Lobão Filho falou diretamente com o ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, de quem é amigo, para que desconsiderasse as fanfarronices de Flávio Dino em nome do Maranhão. (Releia aqui)

Quem também atua na tentativa de um encontro de Flávio Dino com Michel Temer é o senador Roberto Rocha (PSB) e o coordenador da bancada na Câmara, André Fufuca (PP).

A ideia das lideranças maranhenses é quebrar o gelo em um primeiro momento – torcendo para que o governador não cometa outra fanfarronice – para, só então, garantir a conversa entre os dois chefes de Executivos.

Mas Flávio Dino vai ter que esperar…

2

Líder do PDT na Câmara, Weverton anuncia candidatura do partido em 2018…

Deputado federal revelou que a legenda continua apoiando Dilma Rousseff (PT), mas espera “o momento oportuno” para anunciar saída do governo e o nome de Ciro Gomes à presidência da República

 

Em pronunciamento bombástico na tribuna da Câmara Federal, o líder do PDT na Casa, deputado Weverton Rocha, deixou claras as intenções da legenda em 2018.

Vamos manter apoio à presidente Dilma Rousseff até ela superar esse momento difícil. Ajudamos a elegê-la e é nossa obrigação ajudar o governo a superar esse momento de crise. O PDT defende o ex-presidente Lula da violência que ele sofreu, mas não vai subir no palanque do Lula. Quando ele saiu da Polícia Federal iniciou sua candidatura. E nós temos o projeto de ter candidatura própria para a Presidência da República em 2018. Nós não entraremos nessa disputa de PT com PSDB, porque acreditamos que está superada”, enfatizou o parlamentar maranhense.

Veja,  acima, o vídeo com a íntegra do discurso do líder pedetista…

3

São Luís pode ser ensaio da disputa nacional entre PT X PSDB…

Apoiador de Dilma Rousseff, para quem fez campanha em 2014, o prefeito Edivaldo Júnior deve atrair o partido da presidente; mas a posição do PT pode garantir o PSDB à deputada Eliziane Gama. A menos que os tucanos maranhenses não raciocinem na lógica política

 

Edivaldo já tem apoio de todas as correntes do PT, o que arada também Flávio Dino

Edivaldo já tem apoio de todas as correntes do PT, o que agrada também Flávio Dino

O PSDB maranhense tem dois caminhos eleitorais em 2016: lançar candidato próprio a prefeito de São Luís ou fechar aliança com a deputada federal Eliziane Gama (PPS).

Qualquer outra direção levará o partido a um suicídio em 2018, quando – pela primeira vez, em anos – entrará como favorito na disputa presidencial.

A determinação de candidatura própria é do presidente nacional da legenda, senador Aécio Neves (MG). Por isso o partido filiou Luis Fernando Silva, que, no entanto, atrela demasiadamente seu futuro político ao governador Flávio Dino, de quem era adversário há pouco mais de um ano.

Eliziane tem tomado a iniciativa de chamar os tucanos, que ainda titubeiam no debate

Eliziane tem tomado a iniciativa de chamar os tucanos, que ainda titubeiam no debate

Embora tutelados por Dino – sobretudo pela submissão política demonstrada pelo vice-governador Carlos Brandão – os tucanos maranhenses sabem hoje que, apoiar o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), é fortalecer no principal colégio eleitoral maranhense o núcleo do PT no estado, que sentou praça na articulação com o prefeito.

Neste caso, e até para o projeto nacional do PSDB, o caminho mais natural é a aliança com Eliziane Gama.

A deputada tem fustigado o governo Dilma, o próprio ex-presidente Lula e seus aliados na Câmara Federal – sobretudo na CPI da Petrobras – aproximando-se cada vez mais dos tucanos de Brasília.

Sua ascensão em São Luís significará, naturalmente, a ascensão do projeto do PSDB.

Mas é preciso saber se o próprio PSDB tem consciência disto…

9

Roberto Costa já é opção real na Assembleia…

Roberto já é alternativa real na AL

O deputado estadual Roberto Costa (PMDB) ganhou mesmo a condição de opção à reeleição do presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Melo (PMDB).

Reconhecido como possibildiade pela governadora Roseana Sarney (PMDB), o parlamentar já tem a simpatia de boa parte do chamado bloquinho, principal responsável pela eleição de Melo, em 2011.

– Um dos nomes mais fortes no grupo da governadora Roseana Saney é o de Roberto Costa – reconhece o deputado Rogério Cafeteira (PMN), que foi um dos líderes do bloquinho na última eleição da Casa.

Outro que sinalizou a Costa foi o vice-presidente Marcos Caldas (PRB).

No período de interinidade de Caldas no governo, o deputado do PMDB esteve ao seu lado, como um dos principais interlocutores.

Candidato assumido à reeleição, o presidente Arnaldo Melo tenta se viabilizar com Roseana, mas enfrenta resistências.

Melo ainda tenta apoio de Roseana

Ciente da força de Roberto Costa, tentou forçar a sua ida para a Secretaria de Juventude, o que abriu o flanco de disputa na Casa.

Outras opções no grupo roseanista são Max Barros (PMDB), que está na Secretaria de Infraestrutura, Ricardo Murad (PMDB), atual secretário de Saúde, Antonio Pereira (DEM) e o líder do governo, César Pires (DEM).

Além de contar com o fato de estar atuando na Casa, Costa tem como vantagem a desenvoltura com que circula tanto no grupo da governadora quanto no próprio bloquinho.

A eleição na Assembleia acontece em dezembro…

5

Arnaldo Melo vê com satisfação o trabalho da Assembléia em 2011

Arnaldo conluiu primeira etapa do mandato presidencial

O deputado Arnaldo Melo (PMDB) fez uma ampla avaliação do primeiro ano de seu mandato como presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, na manhã de hoje.

Ele afirmou que muitas decisões importantes foram tomadas pelo conjunto dos deputados, destacando neste período a qualidade e o volume de atividades do Poder Legislativo maranhense.

–  É com um grau muito grande de satisfação que encerro hoje os trabalhos legislativos desta 17ª legislatura, na sua primeira fase, dizendo que foi muito positivo o trabalho exercido por todos nós nesta Casa – afirmou o presidente.

No total, foram 3.265 proposições, entre Propostas de Emenda Constitucional, Projetos de Lei Complementar, Projetos de Lei, Projetos de Decreto Legislativo, Projeto de Resolução, Moções, Requerimentos, Indicações e Vetos.

Continue lendo aqui…

9

José Sarney: “Não tenho inimigos”…

O blog publica abaixo trechos da entrevista do presidente do Congresso Nacional, José Sarney (PMDB), ao portal IG:

Inimizades na Política
Eu não tenho inimigo. Eu tenho adversários políticos. Não tenho capacidade para ter inimigos políticos. Eu não tenho ódio de ninguém. O criador fez tanto por mim que não tenho direito de reclamar e ter inimigos.

Com quem eu tive a maior luta política foi com Vitorino Freire (1908-1977). Foi uma luta estadual, que durou 30 anos. Ele foi um grande adversário político. Era um homem de temperamento muito forte e o meu temperamento sempre foi muito fraco como vocês todos reconhecem.

No campo nacional, eu não tive nenhum adversário que eu pudesse considerar.

A Força Popular de Lula
Eu hoje sou amigo pessoal do Lula. Foi o presidente que me tratou bem não só do ponto de vista institucional, mas também do ponto de vista pessoal. Ele sempre teve maior delicadeza e respeito comigo. Então, eu posso dizer que eu o considero amigo. Foi nesse sentido que eu acompanhei até São Bernardo do Campo (no dia 1º de janeiro quando Lula deixou Brasília).

Até agora não tivemos na história do Brasil uma liderança como Lula. A liderança que ele exerce no País não é de penetração popular horizontal. Ela é vertical. Tem várias raízes do povo brasileiro. Ele é quem tem de forma mais profunda essa condição. Agora, ele era um político e a Dilma tem um outro temperamento. Acho que é temperamento mais administrativo. Então, acho que completa muito bem. Nós temos continuidade sem termos continuísmo. Ela vai marcar o governo dela com um grande controle da administração pública. Melhora qualidade nos gastos públicos e o Lula mantém-se como grande político nacional.

Getúlio nunca foi líder popular. Ele teve uma grande popularidade. Lula é um líder popular. Getúlio era da elite do Rio Grande do Sul, do Cosme de Medeiros, do Julio de Castilho. Foi ministro da Fazenda do Washington Luís. Então ele era da elite nacional. O Lula não. Lula veio das raízes. Foi torneiro mecânico, operário. De maneira que podemos dizer que todas as classes sociais ocuparam o poder.

Melhores presidentes da História
Colocaria Rodrigues Alves (1902-1906), porque ele ordenou as finanças públicas depois de encontrar um país extremamente endividado. Tinha uma visão de Estado profunda. Estou fazendo um exame cronológico. Eu consideraria o Getúlio Vargas (1930-1945 e 1951-1954). De qualquer maneira, ele foi um ditador durante 15 anos. Ele enfrentou problemas trabalhistas que eram só para aqueles que tinham carteira de trabalho. Para os excluídos, esses que não tinham carteira de trabalho, Getúlio nunca fez nada. O Juscelino Kubitschek (1955-1960) foi um grande presidente. Teve uma grande responsabilidade, assumiu para ser deposto porque ele tinha uma reação militar e política muito grande. E ele (JK) contornou tudo isso e transformou a luta política num debate nacional pelo desenvolvimento econômico. E eu colocaria o governo do Lula, que é uma mudança profunda. O Lula deu uma paz social ao país, fez uma distribuição de renda muito grande. Acho que a partir do Lula o Brasil também conclui um ciclo republicano, coma a chegada de um homem do povo ao poder.

Não me incluí porque caso contrário seria cabotinismo da minha parte. Eu fiz coisas certas e coisas erradas. Eu às vezes fui o melhor presidente do Brasil e fui o pior presidente do Brasil.

Acho que Fernando Henrique Cardoso foi um presidente que prestou muitos serviços ao País. Ele realmente foi um bom presidente. Um presidente normal, comum. Não há uma marca profunda como os outros presidentes que ocuparam o comando do País.

Projetos futuros
Eu não tenho mais projeto futuro. O que eu tenho é um longo passado. O meu projeto é procurar ajudar o Brasil naquilo que eu puder.

Hoje o Senado está profundamente organizado. Reforma administrativa, plano de cargos e salários. Todos os problemas apresentados nós solucionamos. Temos um portal da transparência.