0

Wellington conversa com Adriano Sarney…

Assediado por vários pré-candidatos, deputado estadual tucano que decidiu romper com o PSDB e com Eduardo Braide pode optar pelo candidato do PV para manter o discurso de oposição ao governo Flávio Dino

 

Após ser retirado da disputa pelo PSDB, Wellington virou asa costas para Braide e engata diálogo com Adriano em São Luís

Após forte assédio do deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) – inclusive com ofertas pecuniárias – o deputado Wellington do Curso (ainda no PSDB) busca diálogo com o candidato do PV a prefeito, Adriano Sarney.

Uma eventual aliança com Adriano garantiria ao deputado oposicionista a manutenção do discurso contra o governo Flávio Dino (PCdoB), que tem adotado na Assembleia desde o primeiro mandato.

Adriano é um dos dois candidatos oposicionistas na disputa em São Luís; o outro é o próprio líder nas pesquisas, Eduardo Braide (Podemos), que caiu em desgraça com Wellington após fritura de sua candidatura no PSDB.

O cenário com o Sarney – a quem Wellington indicaria voto aos cerca de 10% dos eleitores que apoiavam sua candidatura – seria, assim, a opção mais adequada para o tucano no primeiro turno.

E no segundo turno, provavelmente, irá com qualquer um que enfrentar Braide…

2

MDB e Braide agora mais próximos…

Lideranças do partido mostram interesse em abrir diálogo com o candidato do Podemos, que também já demonstra menos resistência, sobretudo diante da nova postura emedebista, afastando-se do sectarismo marcante  de outros tempos

 

Eduardo Braide e Roberto Costa têm até meados de setembro para conversar sobre as eleições de São Luís, mas o MDB quer anunciar seu posicionamento eleitoral ainda em agosto

O adiamento da decisão do MDB sobre seu apoio nas eleições de 2020 reabriu o diálogo que havia sido posto de lado com o candidato do Podemos, Eduardo Braide, líder em todas as pesquisas.

O apoio a Braide tem a simpatia da ex-governadora Roseana Sarney; e já não enfrenta resistência do candidato, que temia um vínculo com o chamado “grupo Sarney”.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça com interlocutores próximos ao candidato do Podemos, dois pontos fundamentais fazem Braide admitir abertura de diálogo com o MDB:

1 – a ação do coordenador eleitoral do partido, Roberto Costa, de descolá-lo da imagem de sarneysista, dá mais liberdade de diálogo e evita o desgaste ainda existente em relação ao grupo;

2 – Apesar de liderar a disputa com larga vantagem, Braide tem pouco tempo na propaganda eleitoral, o que será fundamental para a pretensão de vencer em primeiro turno e evitar um arriscado segundo turno.

O entendimento entre as duas partes se dará agora com base no posicionamento do MDB, de exigir a vice para formalizar uma aliança.

A decisão do partido será anunciada até o final de agosto…

4

Flávio Dino descarta Rubens Júnior…

Governador diz que ficará neutro no primeiro turno, em respeito aos aliados que o apoiaram em 2018, desautorizando o comunista, que já tinha até banner’s de internet apresentando-se como “candidato de Dino e de Lula”

 

Flávio Dino viu que a candidatura do afilhado e correligionário Rubens Júnior não tem qualquer futuro e decidiu tirar o corpo fora, ficando neutro no primeiro turno

O governador Flávio Dino (PCdoB) deu nesta quinta-feira, 13, mais um tiro na já combalida candidatura do comunista Rubens Pereira Júnior a prefeito de São Luís.

De acordo com o jornal O Imparcial, Dino “respeitará todos os aliados que o apoiaram em 2018 e, por isso, não adotará nenhuma posição quanto ao 1º turno das eleições em São Luís”.

A posição do governador destrói o discurso do candidato, que é seu afilhado de casamento e já vinha ate divulgando banner’s de internet apresentando-se como candidato de Dino e Lula, aliás duas mentiras juntas.

O blog Marco Aurélio D’Eça já havia mostrado o desapreço do governador em relação a Rubens Júnior, no post “Um fardo pesado demais para Flávio Dino…”.

Em ascensão no debate nacional, Flávio Dino nunca quis a candidatura do afilhado por que sabia do desgaste que seria uma derrota tão acachapante quanto a que se desenha em relação a Rubens Júnior, com apenas 1% nas intenções de voto.

Descolando sua imagem do candidato do PCdoB, o governador acaba tirando o corpo fora, sobretudo quando diz que respeitará as outras várias candidaturas de sua base partidária.

E Rubens Júnior vai ficando esquecido pelo caminho…

2

PSL fortalece Neto Evangelista como principal adversário de Braide

Partido vai compor a coligação DEM/PDT – que pode contar ainda com PTB e MDB – consolidando as chances de o candidato democrata chegar ao segundo turno; objetivo agora é disputar a liderança ainda em primeiro turno

 

Candidato do DEM avança uma casa em relação a adversários que sonham com o segundo turno; e já trabalha para diminuir diferença do primeiro colocado

O PSL confirmou nesta quarta-feira, 29, a aliança com o deputado Neto Evangelista (DEM) para a disputa pela Prefeitura de São Luís.

A aliança fortalece a coligação de Evangelista como uma das principais, além de tirar do também deputado Duarte Júnior (Republicanos) a condição de principal adversário de Eduardo Braide (Podemos) em um eventual segundo turno.

Com a coligação DEM/PDT/PSL, Evangelista garante a maior parte do tempo na propaganda eleitoral; e ainda pode ter o apoio do PTB e do MDB, num projeto que vai além de 2020 e passa também por 2022.

Chico Carvalho entre dirigente nacional do PSL, Antonio de Rueda, e o presidente do DEM no Maranhão, Juscelino Filho: aliança amplia chances de Neto Evangelista

Com a boa pontuação nas pesquisas, o tempo de propaganda garantido por DEM e PSL, e a forte militância comunitária do PDT, o deputado democrata avança uma casa em relação as adversários que disputam vaga no segundo turno.

E consolida a polarização com o deputado federal Eduardo Braide (Podemos).

Objetivo agora é usar essa estrutura partidária para reduzir a diferença do primeiro colocado.

Ainda em primeiro turno…

1

Wellington é a chave da vitória de Braide em 1º turno

Pesquisas revelam que o deputado do PSDB terá papel estratégico nas eleições de novembro. Se for ao segundo turno, derrota o consórcio do Palácio dos Leões; mas, se perder terreno, pode impedir o segundo turno com uma renúncia às vésperas do pleito

 

É estratégico o papel de Wellington em São Luís: se for ao segundo turno contra Braide, derrota o governo Flávio Dino; se renunciar, favorece a vitória do próprio Bride em primeiro turno

O consórcio de candidatos estimulados pelo Palácio dos Leões trabalha nas eleições de São Luís com um objetivo único neste primeiro turno: forçar um segundo turno em que um deles dispute com o deputado Eduardo Braide (Podemos), favorito em todas as pesquisas.

Mas a cada levantamento divulgado, um personagem se mostra cada vez mais consolidado no meio dos governistas, podendo impedir o sonho do governo e seus aliados de ter representante numa segunda rodada de votações.

Este personagem chama-se Wellington do Curso.

O deputado estadual do PSDB mantém-se no patamar de 7% a 10% das intenções de votos, dependendo do cenário. E polariza com Duarte Júnior (Republicanos) e Neto Evangelista (DEM) as chances de disputar um confronto direto com Eduardo Braide.

É exatamente este patamar de Wellington a pedra no sapato dos candidatos ligados a Flávio Dino (PCdoB); de uma forma ou de outra, o tucano pode encerrar o sonho dos palacianos.

Se mantiver o índice eleitoral e superar seus adversários, o candidato do PSDB impõe uma derrota histórica aos governistas, tirando-os de um segundo turno em São Luís.

Mas, se perder espaço para qualquer dos candidatos governistas, o deputado passa a ter valor maior ainda, por que, neste caso, só precisaria renunciar à candidatura às vésperas do pleito para Braide liquidar a fatura em primeiro turno.

Para os candidatos palacianos, portanto, além de diminuir a diferença em relação a Braide, é fundamental, também, que Wellington perca relevância no contexto das eleições.

Mas as pesquisas continuam mostrando o contrário…

7

Pesquisa confirma este blog e mostra Braide e Duarte favoritos em SLZ

Levantamento do Instituto Prever, divulgado pelo blog do jornalista Diego Emir, confirma o candidato do Podemos na liderança, seguido de longe pelo deputado do Republicanos; a novidade do levantamento é a presença de Adriano Sarney na disputa pelo terceiro lugar, ao lado de Wellington e à frente de Neto Evangelista

 

Adriano Sarney está no limite da vitória em primeiro turno, com mas de 34 pontos percentuais á frente do segundo colocado

Pesquisa do Instituto Prever, divulgada neste sábado pelo blog do jornalista Diego Emir, confirmou o favoritismo do deputado federal Eduardo Braide (Podemos) na disputa pela Prefeitura de São Luís.

Ele tem 43% das intenções de votos, mais de 34 pontos percentuais à frente do segundo colocado, o deputado estadual Duate Júnior (Republicanos), que aparece com 8,8%. (Veja aqui todos os cenários)

A pesquisa do Prever confirma a análise do blog Marco Aurélio D’Eça, publicada no início da semana, que apontou Braide e Duarte como favoritos para chegar a um segundo turno na capital maranhense. (Relembre aqui) 

Principal cenário da pesquisa Prever mostra Braide bem à frente e uma profusão de candidatos embolados na disputa pelo segundo lugar

O levantamento do blog de Diego Emir traz uma novidade: o candidato do PV, Adriano Sarney, chegou à disputa pelo terceiro lugar, embolado com Wellington do Curso (PSDB) e já à frente de Neto Evangelista (DEM), que perdeu posição também para Bira do Pindaré (PSB).

Levando em consideração a margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos, Duarte Júnior, Wellington do Curso, Ariano Sarney, Bira do Pindaré e Neto Evangelista estão todos empatados tecnicamente.

O candidato do governador Flávio Dino (PCdoB) e do Palácio dos Leões, Rubens Pereira Júnior (PCdoB) continua estacionado, agora com percentual de apenas 1,2% das intenções de votos – atras de Carlos Madeira (Solidariedade) e de Jeisael Marx (Rede).

Adriano Sarney é a novidade da pesquisa Prever, agora em terceiro lugar e embolado com vários adversários na disputa pelo segundo lugar

Vitória de Braide em Primeiro Turno

A pesquisa do Instituto Prever aponta ainda que Eduardo Braide está no limite para consolidar sua vitória em primeiro turno.

A soma de todos os candidatos alcança 43% das intenções de voto, 0,1 ponto percentual a menos que o total dos votos previstos no candidato do Podemos.

São Luís tem ainda 8,6% de eleitores indecisos e 5,3% de pessoas que declaram votar nulo ou em branco.

Registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo MA-04571/2020, a Pesquisa Prever ouviu 1006 eleitores, entre os dias 29 de junho e 2 de julho.

0

Com novos prazos eleitorais apresentadores podem voltar ao ar…

Afastados desde o dia 30 de junho, com base no antigo prazo, jornalistas, radialistas e apresentadores que são candidatos às eleições poderão ficar por mais 40 dias em seus programas, de acordo com a Emenda Constitucional nº 107, que adiou o primeiro turno para novembro

 

Profissionais de imprensa que já estavam fora do ar poderão voltar aos microfones, de acordo com interesse das emissoras de rádio e TV

Jornalistas, radialistas e apresentadores de rádio, TV e publicidade que são candidatos às eleições de outubro poderão estender seus contratos pelo menos até o dia 10 de agosto.

Esses profissionais de mídia tiveram que se despedir do público na última terçã-feira, 30, com base no prazo antigo, quando as eleições estavam marcadas para 4 de outubro.

Mas o Congresso Nacional aprovou esta semana o adiamento do primeiro turno para 15 de novembro, o que altera também os demais prazos legais da campanha, incluindo o afastamento desses profissionais.

Em São Luís, pelo menos um dos candidatos a prefeito – Jeisael Marx (Rede) – é profissional de imprensa, e já havia se afastado do posto na TV Band e na Mais FM, como o blog Marco Aurélio D’Eça informou. (Relembre aqui)

Entre os candidatos a vereador estão os jornalistas e radialistas Batista Matos e André Martins, que também poderão continuar por mais 40 dias em seus programas.

Para isso, os profissionais terão que conversar com as emissoras…

2

Eduardo Braide pode reunir maior coligação em São Luís

Já fechado com o PSD e com o PMN, candidato do Podemos articula ainda o apoio de PL, Avante, PSL e PSDB, o que pode dar a ele aliança capaz de garantir a vitória ainda em primeiro turno

 

Eduardo Braide segue com forte apoio popular; e monta forte coligação que pode garantir a vitória em primeiro turno

Favorito nas eleições de outubro em São Luís, o deputado federal Eduardo Braide (Podemos) pode ter também uma das principais coligações, reunindo nada menos que sete partidos – e garantindo um dos maiores tempos na propaganda eleitoral.

Nesta segunda-feira, 17, o candidato fechou apoio do PSD; mas trabalha ainda aliança com PL, PSL, Avante e com o PSDB, o que garantiria uma das maiores coligações.

Para efeito de comparação, o secretário Rubens Pereira (PCdoB) tenta, até agora, conquistar o apoio do PP e do PT; Neto Evangelista (DEM), conversa com PDT e com o PTB, e Duarte Júnior (Republicanos) busca apoio do Cidadania.

Ao contrário de 2016 – quando entrou desacreditado na disputa e chegou, sozinho, ao segundo turno – Braide entra em 2020 como favorito e a bordo de uma forte coligação.

O que pode ser fundamental para uma eventual vitória em primeiro turno…

0

Flávio Dino a um passo de ganhar em primeiro turno…

Fraco desempenho do tucano Roberto Rocha – apesar da gigantesca estrutura de campanha – aliada à força do uso aberto do governo ampliam a possibilidade de vitória comunista em 7 de outubro; Roseana e Maura Jorge fazem os seus papeis e podem desequilibrar o jogo nos últimos 15 dias de campanha

 

Flávio Dino está próximo de garantir mais quatro anos à frente do Palácio dos Leões; apenas Roseana e Maura Jorge ainda mostram forças para impedi-lo

Editorial

A pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira, 19, encerrou três verdades sobre o atual processo eleitoral maranhense.

A primeira delas: o senador João Alberto de Souza (MDB) explicava, assim, o favoritismo dos governadores em reeleição, qualquer que seja ele: “esses leões do Palácio são imbatíveis”.

De fato, o uso aberto da estrutura de governo pelo comunista Flávio Dino tem ampliado suas chances de vencer a eleição no primeiro turno.

Roberto Rocha demonstra a mesma falta de carisma do seu candidato presidencial Geraldo Alckmin: discurso burocrático e pouca empatia popular travam o desempenho tucano

A segunda verdade é o total desligamento da dita capacidade administrativa e do tido preparo do senador Roberto Rocha (PSDB) com o carisma e a capacidade de conseguir votos pela própria força pessoal.

O fraquíssimo desempenho eleitoral do senador tucano – agora com apenas 2% de intenções de voto – acaba dando razão aos seus críticos.

Para  esses críticos, Rocha só é capaz de se eleger montado no carisma de outros, assim como foi em 2006, com Jackson Lago e José Reinaldo; e  em 2014, com o próprio Flávio Dino.

Mas tem que se levar em conta, também, o momento familiar difícil do senador, que o faz dividir a campanha com a tarefa de cuidar do filho em São Paulo.

Sem dúvida uma dupla batalha.

A terceira verdade que a pesquisa Ibope encerra é o fato de que, apenas as mulheres Roseana Sarney (MDB) e Maura Jorge (PSL), têm condições de impedir a vitória de Dino em primeiro turno.

A força pessoal incontestável de Roseana a faz poderosa mesmo diante dos “Leões”; foco no legado pode fazer a diferença na reta final

Roseana tem mostrado sua força eleitoral própria, mesmo disputando contra um máquina na qual ela mesma já esteve à frente e conhece a força descomunal. E consegue, mesmo assim, polarizar a disputa contra os “leões do Palácio” apontados por João Alberto.

Maura Jorge, por sua vez, já alcançou 5% das intenções de voto, mesmo praticamente fora da propaganda eleitoral.

A ex-prefeita de Lago da Pedra mostra que, com a estrutura comandada por Roberto Rocha, iria muito mais longe do que o próprio tucano, a quem já superou, aliás, na corrida.

Carismática e corajosa, Maura Jorge é um dos candidatos que podem comemorar a pesquisa Ibope: isolada e sem tempo de TV, superou o poderoso PDSB e já ocupa o terceiro lugar

Roseana e Maura Jorge têm praticamente 15 dias para tirar votos de Flávio Dino, contrapondo seu governo, no caso da ex-governadora, ou apostando na força eleitoral de Jair Bolsonaro, no caso de Maura.

A Roberto Rocha, com um excelente tempo de TV – pouco ou nada aproveitado – cabe garantir, ao menos, um saldo eleitoral honrado.

Só isso evitará que saia menor do que entrou da disputa.

É simples assim…

7

O fator Roseana…

Presença da ex-governadora na campanha altera drasticamente o cenário eleitoral no Maranhão e mesmo os adversários – incluindo Flávio Dino – sabem que a disputa com ela é outra

 

Roseana é o principal nome na disputa pelo Governo do Estado, incluindo a oposição e o próprio atual governo

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) é o ponto de desequilíbrio na disputa pelo governo do Maranhão.

Sempre que ela aparece, manifesta o desejo de concorrer ou faz alguma ação que leve à interpretação de que ela estará no páreo, o cenário político altera-se drasticamente.

Para os adversários que fazem oposição a Flávio Dino, Roseana é a garantia de que haverá segundo turno no Maranhão.

E isso também incomoda o próprio Flávio Dino, que sonha em vencer a disputa logo em primeiro turno.

Falta ainda quase 90 dias para o fim do prazo das convenções que definirão os candidatos nas eleições de outubro; e até lá, Roseana continuará agindo da mesma forma, com suas idas e vindas em relação à candidatura.

Para desespero dos seus adversários.

Principalmente de Flávio Dino…