1

A boa performance de Franklin Douglas na propaganda eleitoral

Jornalista, bem articulado e bom de vídeo, candidato do PSOL destaca-se em esquetes bem-humoradas, com críticas à atual gestão em São Luís e aos principais postulantes ao cargo de prefeito

 

Com campanha simples, mas objetiva, Franklin tem se destacado nas ruas e na propaganda eleitoral, com críticas bem-humoradas aos adversários

O jornalista e professor universitário Franklin Douglas, candidato do PSOL a prefeito de São Luís, tem sido um dos destaques da propaganda eleitoral no rádio e na TV.

Sem as grandes produções dos principais candidatos, e com tempo reduzido no horário eleitoral, ele tem conseguido montar peças bem-humoradas e que falam diretamente ao eleitor.

Suas críticas ao prefeito Edivaldo Júnior e aos principais candidatos repercutem fortemente nas redes sociais e entre os formadores de opinião.

Bem articulado, Douglas consegue aproveitar o pequeno espaço na propaganda e foca nas inserções durante a programação.

Sua performance na TV pode até não resultar em votos, mas, com certeza, o deixará na memória eleitoral como um dos bons programas desta campanha.

1

PSOL recebe apoio do PCB para eleições em São Luís

 

Com o propósito de defender uma frente única dos trabalhadores, o Partido Comunista Brasileiro (PCB) em São Luís, declarou apoio às candidaturas a vereadores do  Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e ao candidato a prefeito Franklin Douglas.

Em reunião que aconteceu na tarde de terça-feira, 06, no Solar da Terra, Centro, os representantes das agremiações oficializaram o apoio entre os dois partidos de esquerda.  

O PCB está alinhado aos movimentos populares que lutam por moradia, estatização dos serviços de transporte público, reforma agrária, universalização do saneamento básico e  soberania popular. Também luta contra a privatização das estatais, da saúde, da educação e da água.

2

PSOL aposta em chapa 100% negra para prefeitura

Sabe-se que São Luís é uma cidade cuja população negra é maioria. Entretanto, esta maioria é pouco representada nos espaços políticos de poder. Modificar esta realidade é um dos desafios do PSOL, que  para as eleições municipais deste ano, aposta numa chapa 100% negra à prefeitura de São Luís, com candidatos a prefeito e vice afrodescendentes.

Em prévias interna, o PSOL fez a escolha de seu vice optando pelo nome de José Ribamar Arouche, 68 anos, nascido em Cajari e que reside há 52 anos em São Luís. É um dos fundadores do partido.

Arouche é evangélico, aposentado pelo INSS, mas continua no trabalho, mantendo um pequeno comércio em seu bairro, a Vila Riod. O PSOL optou por um idoso por entender se encontrar nele, sabedoria e experiência para lidar com os problemas da cidade.  

Para o pré-candidato a prefeito, Franklin Douglas, que também é afrodescendente, esta é uma escolha que difere dos outros partidos, pois só o PSOL daria uma chance a um idoso de ser candidato a vice-prefeito.

Negro Arouche trabalha desde os 16 anos, foi operário da fábrica da Antarctica, comerciário no Supermercado Lusitana, Armazém Paraíba, segurança na Auvepar e frentista por 10 anos em posto de gasolina.

“Ter Arouche como vice é uma honra. Esse é o sentido de nossas candidaturas: fazer que os 99% da população tenham vez e voz, e não apenas o 1% mais rico. Uma cidade nas mãos de nossa gente!”, ressalta Franklin Douglas. 

Da assessoria

4

PSOL lança projeto “Vumbora” para construir proposta em São Luís

Partido que envolver segmentos sociais na construção de um projeto para a capital maranhense a ser encabeçado pelo pré-candidato a prefeito, jornalista e professor Franklin Douglas

 

O PSOL lançou neste fim de semana o projeto “Vumbora”, iniciativa do coletivo de apoiadores do pré-candidato a prefeito Franklin Douglas. Ideia é incentivar uma ampla consulta aos diversos segmentos da cidade para construir uma proposta para São Luís.

– De baixo para cima. Com participação. Diversas perspectivas, sobretudo daqueles que não estão nos centros de decisão das políticas públicas de nossa cidade. O Vumbora é para além de uma eleição. É uma estratégia de construção coletiva de um novo projeto para uma nova cidade, moderna, inclusiva, sustentável – explica o professor Franklin Douglas.

A proposta foi lançada pelas redes sociais. A consulta será via instrumentos digitais.

Essa opção deu-se por conta da pandemia do Covid-19, e em respeito às orientações sanitárias, como evitar aglomerações e manter o distanciamento social.

Integram o movimento de consulta popular do Vumbora o professor e médico Antonio Gonçalves, os professores Gentil Cutrim, Carlos Wellington, Francilene Cardoso, Carlos André, César Chaves e Talita Liz,  a advogada Yanne Milano, as jornalistas Fernanda Saboia e Talita Romênia, o cineasta Murilo Santos, o livreiro Arterio Muniz, os estudantes Taíssa Monteiro, Taciana Cabral e Claudio Serra, o designer Jarson Vasconcelos, as lideranças de bairros José Lacerda, Magno Cutrim, Aru Silva, José Ribamar Arouche, dentre outros participantes do Núcleo Marielle Franco do PSOL.

A consulta está disponível para que os participantes deixarem sua opinião no site www.vumbora.org e neste link aqui.

1

Franklin parte pra cima de Rubens: “o vermelho já desquarou”

Candidato do PSOL ironiza colega esquerdista do PCdoB nas redes sociais e diz que ele trocou até a cor da camisa para receber o apoio do PP, que classifica como “partido golpista” e “algoz do PT”

A provocação de Franklin Douglas: o “vermelho de Rubens Júnior desquarou com André Fufuca”

 

A guerra nos setores da esquerda maranhense – e entre os tradicionais aliados do governo Flávio Dino (PCdoB) -segue sem tréguas nas redes sociais nesta pré-campanha em São Luís.

Em publicação no Twitter, o jornalista e professor Franklin Douglas – candidato do PSOL que vem ganhando espaços na mídia – provocou o colega do PCdoB, Rubens Pereira Júnior.

 – O autoproclamado candidato dos “vermelhos” já desquarou… trocou até a cor da camisa pelo apoio do PP (partido golpista de 2016) do deputado Fufuca –  afirmou Franklin Douglas, ironizando o fato de Pereira Jr. ter usado azul claro na recepção a André Fufuca.

Rubens Júnior com camisa de Lula e Dino: acenos à esquerda com apoio do algoz do PT em sua chapa

O pré-candidato do PSOL lembra ainda que Fufuca foi braço direito de Eduardo Cunha na Câmara Federal, o principal algoz do PT.

A crítica de Douglas cabe a Rubens Júnior por que o próprio candidato do PT já se declarou “candidato de Lula em São Luís”, relegando o PT a segundo plano.

A provocação é também um recado ao próprio PT, que tem correntes alinhadas e articuladas pelo apoio ao PCdoB em São Luís.

Aliás, o candidato do PSOL já acenou com aliança ao PT…

1

Candidato do PSOL na fé e na folia durante o carnaval

Como folião comedido, professor Franklin Douglas circulou no Circuito Beira-Mar, em São Luís; e, como católico praticamente, voltou à Praça Maria Aragão na quarta-feira de cinzas, durante o evento evangélico “Ora São Luís”

 

Douglas com aliados e colegas políticos durante passagem pelo circuito Beira-Mar: acenos ao PT e projeto para São Luís

Pré-candidato a prefeito de São Luís pelo PSOL, o jornalista e professor Franklin Douglas também participou do circuito Beira- Mar no carnaval da capital maranhense. 

Acompanhou o trio Criolina, com os Cantores Oton e Duda Beat, na terça-feria, 25, ao lado dos secretários petistas de Trabalho e Economia Solidária, Jowberth Alves e Genilson Alves.

Já no evento “Ora, São Luís”, na quarta de cinzas, Douglas circulou ao lado evangélicos que militam no PSOL e distribuiu a “Carta aos Cristãos”, documento em que  convida, a partir de um olhar tolerante, de fraternidade e vida, a sugerir o que deve ser feito para São Luís se tornar um bom lugar para se viver.

– Queremos inverter a lógica da campanha política tradicional, na qual o candidato inventa uma proposta mirabolante, faz uma maquete, empacota pelo marketing político tradicional, ganha o voto da população e depois não cumpre a promessa feita –  comentou Franklin Douglas, que é doutor em Políticas Públicas.

Durante sua passagem pelo Circuito Beira-Mar, Franklin Douglas encontrou rapidamente com o titular do blog Marco Aurélio D’Eça, tempo suficiente para reafirmar acenos ao PT, embora demonstre-se cético quanto à recíproca.

Mas esta é uma outra história…

0

PSOL admite aliança com PT em São Luís…

Em discurso na solenidade de aniversário do partido de Lula, presidente socialista Franklin Douglas disse que poderia fazer um gesto como presente de aniversário aos petistas

 

Franklin Douglas fez gesto em homenagem ao PT de Zé Inácio, o que pode levar a uma aliança pela Prefeitura de São Luís

O presidente do PSOL em São Luís, jornalista Franklin Douglas, surpreendeu os participantes da homenagem aos 40 anos do PT, nesta quinta-feira, 20, na Assembleia Legislativa, ao defender publicamente uma aliança entre as duas legendas.

Ex-membro do próprio PT, Douglas foi um dos convidados a falar na homenagem. Falou da importância do partido de Lula, e anunciou que, “como todo aniversariante merece um presente” o PSOL topa apoiar o PT nas eleições de São Luís.

Segundo o presidente, este seria um gesto do PSOL pelo fato de os dois partidos terem atuado juntos nas manifestações e movimentos sociais em todo o país.

O presidente socialista lembrou também o gesto do PT do Rio de janeiro, que declarou apoio à candidatura do deputado Marcelo Freixo (PSOL).

Para Franklin Douglas, os dois partidos deveriam estar juntos na disputa pela Prefeitura.

O PT pretende lançar candidatura própria na capital maranhense; dentre os nomes postos, o do deputado estadual Zé Inácio – autor da homenagem ao PT – é o mais simpático ao PSOL.

Resta agora ao próprio PT trabalhar com esta possibilidade de aliança…

1

Maranhão já tem quatro candidatos a governador…

PSOL homologou nesta quinta-feira a candidatura de Odívio Netto, em aliança com o PCB, que indicará uma das vagas ao Senado

 

Odívio vai representar o PSOL na disputa pelo Governo do Estado

O professor universitário Odívio Netto será o candidato do PSOL ao Governo do Estado.

Ele teve a candidatura oficializada nesta quinta-feira, 2, em convenção que confirmou também a aliança com o Partido Comunista Brasileito (PCB).

Odívio Netto se junta ao governador Flávio Dino (PCdoB), à ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e ao sindicalista Ramon Zapata (PSTU) como postulante ao governo.

Faltam oficializar as candidaturas o senador Roberto Rocha (PSDB), a ex-prefeita Maura Jorge (PSL) e o coronel Monteiro.

Eles fazem convenção neste fim de semana…

0

Em manifesto, PSOL lança candidatura ao governo…

Partido escolheu o engenheiro civil e professor do Ifma Odivio Neto, que foi candidato a vice-governador em 2014 e candidato a prefeito de São João dos Patos, em 2012

 

De amarelo, Odivio posa ao lado de co0mpanheiros da esquerda maranhense

O PSOL maranhense lançou manifesto para apresentar a candidatura do professor Odivio Neto ao Governo do Estado.

– Esta pré-candidatura reveste-se claramente de uma perspectiva de classe, democrática, popular e coerente com sua trajetória recente de combate, em primeira linha, ao governo de conciliação de interesses de Flávio Dino (PCdoB) e do governo golpista de Temer (PMDB). Nessa perspectiva, a pré-candidatura insere-se na luta contra toda forma de exploração e opressão do nosso povo, como sua própria história militante comprova – diz o documento do partido.

Engenheiro civil, ex-candidato a prefeito de São João dos Patos e ex-candidato a vice-governador, Odivio também disputou as eleições para a Câmara Municipal de São Luís.

O manifesto tem assinatura de várias lideranças da esquerda maranhense e de líderes dos movimentos sociais…

7

Imagem do dia: o início do “Fora Temer”…

psol

O presidente Michel Temer (PMDB) começou a semana com dois revezes políticos que podem resultar no início de sua agonia para se manter no cargo: o PSOL apresentou oficialmente pedido de impeachment contra o peemedebista, por crime de responsabilidade.

Além disso, a Procuradoria-geral da República pediu à Polícia Federal que investigue os áudios gravados pelo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero. A PGR quer analisar se cabe denúncia contra Temer e o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, ao Supremo Tribunal Federal. Nos dois casos, Temer terá um final de ano de explicações.

Além disso, pesquisas apontaram que a popularidade do presidente caiu drasticamente após sua entrevista de domingo, 27.

E sem popularidade, fica mais difícil defender-se de um provável início de processo a partir de 2017.