3

Em carta aberta a petistas, liderança do PSOL defende apoio a Weverton

Jornalista e professor universitário, ex-candidato a prefeito de São Luís, Franklin Douglas lembra das lutas da esquerda até a eleição de Jackson Lago, em 2006 – relembra o erro histórico da cúpula do PT, que ficou contra o pedetista naquela eleição – e diz que, em breve, todos juntos, PDT, PT, PSOL e Rede Sustentabilidade estarão nas ruas por Lula presidente

 

Franklin Douglas exortou a companheirada petista a se manter firme no campo progressista, contra a pressão das velhas estruturas agora de volta ao Palácio dos Leões

O jornalista, professor universitário e ex-candidato a prefeito de São Luís, Franklin Douglas, liderança do PSOL na capital maranhense, encaminhou “Carta Aberta” aos membros do PT, fazendo um apanhado histórico da importância do posicionamento do campo progressista ao lado do senador  Weverton Rocha (PDT).

Douglas justifica sua ausência do encontro do PT, na Fetaema – por ter assumido compromissos inadiáveis – mas exorta os companheiros petistas a resistirem contra o Palácio dos Leões, mantendo-se ao lado da classe trabalhadora.

– CORAGEM, LUTA! Foi o que travamos. É o que devemos fazer também agora. Somos herdeiros da OPOSIÇÃO HISTÓRICA MARANHENSE. E é com ela que devemos nos perfilar, não com os que recompõem a velha estrutura que, mesmo sob o governo Flávio Dino, só trouxe aumento da violência no campo, como bem externou a FETAEMA em carta aberta – ponderou Franklin Douglas.

Na carta aos petistas, o líder do PSOL relembra a trajetória das esquerdas até a vitória de Jackson Lago, em 2006 – quando, em equívoco histórico, o PT decidiu não acompanhar o pedetista, que acabou vencendo a eleição.

– Bastaram quatro meses para a História nos dar razão. O PT deveria ir com o PDT desde o primeiro turno. Felizmente, corrigimos aquele equívoco com toda nossa força em apoio ao candidato do “é 12, é 12, é 12, é 12, é 12, é 12!!” (quem não lembra do jingle que ganhou todo o Maranhão?) e, no segundo turno, IMPUSEMOS A PRIMEIRA DERROTA ELEITORAL DA OLIGARQUIA SARNEY EM 50 ANOS! – diz o documento.

Esquerdistas históricos como Valdinar, Weverton e Márcio Jardim – e outros de ocasião, como Rubens Júnior – ao lado de Jackson após golpe que o tirou do poder em 2009

Franklin Douglas lembra ainda do golpe judiciário que cassou o mandato de Jackson e que, mais tarde, também tirou Lula da disputa presidencial de 2018 e o levou à cadeia.

– Por acompanhar ativamente – como eu, como Marcio Jardim, como dezenas de lideranças sindicais da FETAEMA, como tantos de nós – Weverton sabe o que ocorreu nos bastidores do Tribunal Superior Eleitoral (até vaga na Academia Brasileira de Letras foi negociada, em troca de voto pela cassação de Jackson). Weverton aprendeu com a história o que é esse tipo de processo que, atualmente, denominamos de Lawfare “perseguição judicial”) – sofrido por Jackson 10 anos antes, e usado para decretar a prisão de Lula e tirar os direitos políticos dele – relembrou o psolista.

Endereçada aos petistas Honorato Fernandes, Marcio Jardim, aos membros da Fetaema e ao próprio Weverton Rocha, o documento – que na verdade seria o discurso de Franklin Douglas no evento do PT – encerra conclamando o campo progressista a lutar nestas eleições.

– À LUTA COMPANHEIROS E COMPANHEIRAS PETISTAS COM WEVERTON! SEM MEDO! E COM A CERTEZA QUE VOCÊS ESTÃO NO LADO CERTO DA HISTÓRIA. JUNTOS, PETISTAS, PSOL, REDE, PDT, TRABALHADORES E TRABALHADORAS RURAIS DA FETAEMA E MILHARES DE OUTROS, ESTAREMOS BREVEMENTE NAS RUAS, NAS PRAÇAS E NA CAMPANHA DE LULA-PRESIDENTE CONTRA O FASCISMO, PARA DERROTAR BOLSONARO, PARA O POVO VOLTAR A SER FELIZ, NO BRASIL E NO MARANHÃO – concluiu.

4

“Tucano nunca vai ser pomba; Camarão nunca será Lula”, provoca Haroldo Saboia, em encontro do PT com Weverton

Em discurso no encontro de petistas com o senador do PDT, ex-deputado e militante do PSOL disse – numa referência à mudança oportunista de partido do vice-governador – que “eleição não é carnaval, quando se troca de fantasia a toda hora”

 

Militante do PSOL, Haroldo Saboia foi um dos participantes do encontro do PT com Weverton Rocha

 

Considerado um dos mais espirituosos políticos do Maranhão, o ex-deputado federal constituinte Haroldo Saboia (PSOL), fez uma fina ironia nesta quarta-feira, 20, sobre a mudança de partido que o governador-tampão Carlos Brandão (PSB) na tentativa de se aproximar das esquerdas.

– Não adianta querer transformar um tucano em uma pomba; ele será sempre tucano – provocou.

Historicamente ligado ao PSDB – cujo símbolo é um tucano – Brandão filiou-se ao PSB, sob orientação do padrinho Flávio Dino (PSB), para tentar convencer o PT de que ele é de esquerda e ao presidente Lula a estar seu palanque.

– Eleição não é carnaval, quando se troca de fantasia a toda hora – debochou, Saboia.

Militante do PSOL em São Luís, Haroldo Saboia declarou apoio à candidatura do senador Weverton Rocha (PDT) desde o ano passado; ele participou do encontro de petistas com o senador, nesta quarta-feira, 20, na sede da Fetaema, no Araçagy.

Haroldo reforçou posicionamento de outros membros do partido – e também da Rede Sustentabilidade – segundo o qual, não há ainda questão fechada sobre uma candidatura própria ao governo na federação entre os dois partidos.

Com relação ao apoio de Lula no Maranhão, Saboia aproveitou seu discurso para fazer outra provocação, desta vez contra a imposição do nome do ex-secretário Felipe Camarão como indicação do PT a vice de Brandão.

– Assim como um tucano jamais será uma pomba, Camarão também nunca será Lula – concluiu…

4

Movimentos sociais e sindicais fechados com Weverton Rocha

Fetaema, setores da CUT, Sindsep e outras representações de categorias profissionais de trabalhadoras e trabalhadores apostam na candidatura do senador pedetista, por considerá-lo mais identificado com as lutas das classes menos favorecidas

 

Petistas mais vinculados historicamente ao campo progressista querem a dobradinha Lula/Weverton

A Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do Maranhão (Fetaema) reafirmou nesta quarta-feira, 6, apoio á candidatura do senador  Weverton Rocha (PDT) ao Governo do Estado.

No mesmo dia, o Comitê Popular Maranhense divulgou convite eletrônico para o Encontro Estadual de Petistas com Lula e Weverton.

O encontro será na própria sede da Fetaema, em Araçagy.

A Fetaema é uma das mais representativas entidades da classe trabalhadora maranhense, mas não é a única do campo progressista que apoia o senador do PDT.

Setores da Central Única dos Trabalhadores (CUT), o Sindicato dos Servidores Públicos Federais (Sindsep) e diversas outras representações da classe trabalhadora e do campo progressista apoiam Weverton, considerado muito mais identificado com as lutas socais que o conjunto dos demais candidatos a governador.

Curiosamente, todas essas entidades são vinculadas ao PT e a outros partidos de esquerda, como PCdoB, PSB e PSOL, que também têm candidaturas ao governo.

Forjado no movimento estudantil e filiado desde sempre ao PDT – um dos mais representativos partidos da esquerda brasileira – Weverton sempre atuou no mesmo campo da CUT, da Fetaema, do Sindsep e das lutas progressistas.

No encontro do dia 20, os trabalhadores rurais anunciarão reforço à caravana do senador no interior maranhense.

0

Corrente do PSOL declara apoio a Weverton Rocha…

Três dias depois de o governador Flávio Dino assumir o interesse em eleger o tucano Carlos Brandão, esquerda maranhense reafirma compromisso de formar o palanque de Lula ao lado do PDT

Em uma extensa nota divulgada no final da noite desta quarta-feira, 1°, uma das correntes do PSOL maranhense anunciou seu apoio ao senador Weverton Rocha (PDT) na disputa pelo Governo do Estado.

De acordo com o documento do partido, em um momento de luta contra o facísmo e as forças de direita – e logo após o anúncio do “apoio pessoal” do governador Flávio Dino (PSB) ao tucano Carlos Brandão – é fundamental que as forças de esquerda se unam em defesa dos trabalhadores.

Os psolistas defendem no Maranhão o palanque de Lula presidente, com PT e PDT, unidos contra as forças ultrapassadas e os segmentos da extrema direita.

Com o encaminhado apoio do PSOL, Weverton soma agora sete partidos em seu palanque.

 

0

Novo presidente do PSOL prega a “unidade do campo popular no MA”

Enilton Rodrigues toma posse em solenidade com a presença do senador Weverton Rocha, de representantes do PT, PSB, PDT, PCdoB, Rede, UP e movimentos sociais

 

Enilton conversa com Weverton sobre as eleições de 2022, em que defende a união de todo campo da esquerda no Maranhão

Empossado presidente regional do PSOL, na última sexta-feira, 24, o engenheiro Enilton Rodrigues defendeu em seu discurso a unidade do campo democrático e popular.

– O PSOL/MA está com novos rumos e este diretório tem a tarefa política de fazer o diálogo necessário pra derrotar Bolsonaro e não deixar os avanços do governo estadual retroceder, defendo a unidade do campo popular aqui no Estado e no Brasil – disse Rodrigues.

Guilherme Boulos gravou mensagem de vídeo saudando o novo presidente do PSOL maranhense

A posse do novo comando do PSOL teve a presença do senador  Weverton Rocha (PDT) – que vem buscando diálogo com todas as forças de esquerda – e de representantes de PT, PCdoB, PSB, Rede e Unidade Popular.

Além de Weverton, estiveram presentes o deputado federal Zé Carlos (PT), o secretário comunista Márcio Jerry e o futuro presidente do PT maranhense, Francimar Melo.

Enilton mostra prestígio ao reunir lideranças do PSOL, do PSB, do PDT, do PT, do PCdoB e da Rede Sustentabilidade e da Unidade Popular

Principal aliado de Weverton no PSOL, o ex-candidato a presidente Guilherme Boulos gravou mensagem de apoio a Enilton Rodrigues, que foi apresentada na solenidade por representantes de movimentos sindicais.

O novo presidente do PSOL foi saudado ainda por representantes do Sindicato dos Bancário,  Associação dos Professores da UFMA, Sindicato dos Professores Municipais de São Luís,  e da União Nacional dos Estudantes (UNE).

2

Com novo comando, PSOL abre diálogo com Weverton Rocha…

Presidente estadual eleito no último fim de semana disse que o partido pode ter candidatura própria no Maranhão, mas conversa com o pré-candidato do PDT, que já vem conversando com o comando nacional da legenda

 

Ligado a Guilherme Boulos, Enilton Rodrigues vai comandar o PSOL no Maranhão e abrirá diálogo com o PDT

O novo presidente do PSOL no Maranhão, engenheiro Enilton Rodrigues, revelou que pretende abrir diálogo para alianças em torno da candidatura do senador  Weverton Rocha (PDT) ao governo do Maranhão.

Da corrente ligada diretamente ao ex-candidato a presidente Guilherme Boulos – que já tem entendimentos com Weverton – Rodrigues disse que o partido também vai conversar com eventuais nomes do PT, do PSB, do PCdoB e da Rede.

– Nossa prioridade continua sendo vacina no braço, comida no prato e fora Bolsonaro, mas temos a tarefa politica de posicionar o PSOL no debate politico estadual, sem sectarismo, com destaque para diálogos com PT, PDT, PCdoB, PSB, Rede, PCB – disse o novo presidente estadual, em entrevista ao blog do jornalista Diego Emir.

Boulos tem se aproximado fortemente do senador Weverton Rocha, candidato do PDT no Maranhão

Weverton Rocha já vem mantendo conversas com Guilherme Boulos; e participa ativamente de articulações para uma composição do PT, do PSB e do PCdoB em torno da candidatura do psolista ao governo de São Paulo.

Dos partidos listados para aliança com o PSOL no Maranhão, apenas o PDT, do próprio Weverton, tem candidatura ao governo, o que abre espaços para a consolidação da aliança.

Nem Enilton Rodrigues nem Weverton Rocha disseram ainda como se dará as tratativas de alianças entre os dois partidos…

3

PSOL defende frente ampla de esquerda no Maranhão

Partido esperava que o ex-presidente Lula definisse o papel do PT na visita que fez semana passada ao estado, mas, diante do adiamento da decisão, psolistas podem ter candidato próprio

 

Antonio Gonçalves, do PSOL, concedeu entrevista a Clóvis Cabalau, na TV Mirante

Presidente eleito do PSOL no Maranhão, Antonio Gonçalves defendeu nesta quarta-feira, 25, construção de uma frente ampla de esquerda também no Maranhão.

Em entrevista ao quadro Bastidores, do programa Bom Dia Mirante, Gonçalves disse que esperava uma posição clara do presidente Lula na visita ao Maranhão, semana passada, o que não ocorreu.

– Pelo que vimos, o PT não terá candidatura própria e nem o Flávio Dino (PSB) será candidato a vice-presidente. Neste caso, se o PT for apoiar um candidato da base, o PSOL rediscutirá seu posicionamento, podendo, até, ter candidatura própria – disse o psolista.

Segundo o presidente, a frente ampla de esquerda é fundamental para combater o governo de extrema direita de Bolsonaro, que impõe ações contra a classe trabalhadora e tem uma pauta de viés autoritário.

– O governo tenta polarizar para implantar uma pauta de extrema direita; é fundamental abrir diálogo para este enfrentamento – disse Gonçalves.

Ainda não há nomes no PSOL para ser apresentado como candidato a governador…

1

A boa performance de Franklin Douglas na propaganda eleitoral

Jornalista, bem articulado e bom de vídeo, candidato do PSOL destaca-se em esquetes bem-humoradas, com críticas à atual gestão em São Luís e aos principais postulantes ao cargo de prefeito

 

Com campanha simples, mas objetiva, Franklin tem se destacado nas ruas e na propaganda eleitoral, com críticas bem-humoradas aos adversários

O jornalista e professor universitário Franklin Douglas, candidato do PSOL a prefeito de São Luís, tem sido um dos destaques da propaganda eleitoral no rádio e na TV.

Sem as grandes produções dos principais candidatos, e com tempo reduzido no horário eleitoral, ele tem conseguido montar peças bem-humoradas e que falam diretamente ao eleitor.

Suas críticas ao prefeito Edivaldo Júnior e aos principais candidatos repercutem fortemente nas redes sociais e entre os formadores de opinião.

Bem articulado, Douglas consegue aproveitar o pequeno espaço na propaganda e foca nas inserções durante a programação.

Sua performance na TV pode até não resultar em votos, mas, com certeza, o deixará na memória eleitoral como um dos bons programas desta campanha.

1

PSOL recebe apoio do PCB para eleições em São Luís

 

Com o propósito de defender uma frente única dos trabalhadores, o Partido Comunista Brasileiro (PCB) em São Luís, declarou apoio às candidaturas a vereadores do  Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e ao candidato a prefeito Franklin Douglas.

Em reunião que aconteceu na tarde de terça-feira, 06, no Solar da Terra, Centro, os representantes das agremiações oficializaram o apoio entre os dois partidos de esquerda.  

O PCB está alinhado aos movimentos populares que lutam por moradia, estatização dos serviços de transporte público, reforma agrária, universalização do saneamento básico e  soberania popular. Também luta contra a privatização das estatais, da saúde, da educação e da água.

2

PSOL aposta em chapa 100% negra para prefeitura

Sabe-se que São Luís é uma cidade cuja população negra é maioria. Entretanto, esta maioria é pouco representada nos espaços políticos de poder. Modificar esta realidade é um dos desafios do PSOL, que  para as eleições municipais deste ano, aposta numa chapa 100% negra à prefeitura de São Luís, com candidatos a prefeito e vice afrodescendentes.

Em prévias interna, o PSOL fez a escolha de seu vice optando pelo nome de José Ribamar Arouche, 68 anos, nascido em Cajari e que reside há 52 anos em São Luís. É um dos fundadores do partido.

Arouche é evangélico, aposentado pelo INSS, mas continua no trabalho, mantendo um pequeno comércio em seu bairro, a Vila Riod. O PSOL optou por um idoso por entender se encontrar nele, sabedoria e experiência para lidar com os problemas da cidade.  

Para o pré-candidato a prefeito, Franklin Douglas, que também é afrodescendente, esta é uma escolha que difere dos outros partidos, pois só o PSOL daria uma chance a um idoso de ser candidato a vice-prefeito.

Negro Arouche trabalha desde os 16 anos, foi operário da fábrica da Antarctica, comerciário no Supermercado Lusitana, Armazém Paraíba, segurança na Auvepar e frentista por 10 anos em posto de gasolina.

“Ter Arouche como vice é uma honra. Esse é o sentido de nossas candidaturas: fazer que os 99% da população tenham vez e voz, e não apenas o 1% mais rico. Uma cidade nas mãos de nossa gente!”, ressalta Franklin Douglas. 

Da assessoria