3

Felipe Camarão ressurge no PT como opção ao governo…

Deputado estadual da legenda – o mesmo que aponta dificuldades ideológicas para apoio ao vice-governador tucano Carlos Brandão – voltou a defender o nome do secretário de Educação como candidato na base do governo Flávio Dino

 

Recém-filiado ao PT, Felipe Camarção voltou a ser defendido como candidato a governador pelo partido

O deputado estadual e membros da Executiva Nacional do PT, Luiz Henrique Sousa, voltou a defender nesta quinta-feria, 30, a candidatura do secretário de Educação, Felipe Camarão, ao Governo do Estado.,

Para Henrique Souza, que apresentou o nome de Camarão em discurso na Assembleia, a opção é o melhor caminho para o PT no maranhão.

Luiz Henrique Souza é o mesmo que, em julho, impôs dificuldades para apoio do PT á candidatura do vice-governador  Carlos Brandão (PSDB).

Segundo o parlamentar, Brandão não se afina ideologicamente ao PT; e sua filiação ao PSDB torna ainda mais difícil uma aliança.

o relançamento do nome de Felipe Camarão – no momento em que ele aparece entre os nomes cotados como mais votados para deputado federal em São Luís – irrita aliados de Brandão, que ainda sonham com o apoio petista.

Ainda sobre o assunto: o ex-presidente Lula estará em brasília a partir deste fim de semana, quando se reúne com senadores e deputados para tratar das alianças nos estados.

Mas esta é uma outra história…

5

Felipe Camarão entre os preferidos do eleitorado de São Luís

Pesquisa do Instituto Escutec mostra que o secretário de Educação deve estar entre os mais votados deputados federais na capital maranhense, à frente de nomes de peso da política maranhense

 

Filiado ao PT, Felipe Camarão deve ser um dos mais votados deputados federais do Maranhão em 2022

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão (PT), é um dos mais citados pré-candidatos a deputado federal em São Luís, segundo pesquisa do instituto Escutec.

O auxiliar do governador  Flávio Dino (PSB) apareceu com 3% das intenções de votos, segundo o levantamento, entre os mais citados.

Camarão aparece à frente de nomes de peso da política maranhense, como o ex-senador Lobão Filho (MDB), que disputou o Governo do Estado em 2014, e do deputado federal Rubens Júnior, que foi candidato a prefeito em 2020.

O secretário de Educação aparece na lista dos mais citados pelo eleitor, segundo pesquisa Escutec

Com capilaridade em todo o estado, o secretário aparece na lista dos prováveis mais votados do Maranhão, ao lado da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) e do próprio Lobão Filho.

Camarão deve ajudar na formação de uma bancada inédita d PT na Câmara Federal…

0

Petistas ampliam participação na campanha de Weverton

Evento “Maranhão Mais Feliz” reúne presidentes de diretórios municipais, lideranças sindicais e políticos ligados diretamente ao partido do presidente Lula em apoio ao senador do PDT

 

Pazoline Flor, Fábio Maia, Genilson Alves e Márcio Jardim; petistas com Weverton Rocha

A etapa de Pinheiro do encontro “Maranhão Mais Feliz”, capitaneado pelo senador  Weverton Rocha (PDT), foi marcado pela ampliação da participação do PT.

Além do presidente do diretório municipal de São Luís, Honorato Fernandes, também estiveram em Pinheiro o ex-secretário de Esportes do governo Flávio Dino (PSB), Márcio Jardim, e o ex-candidato a deputado federal e atual vice-presidente da legenda no Maranhão, Genilson Alves.

Weverton tem buscado interlocução com o PT para as eleições de 2022; ligado diretamente ao ex-presidente Lula, ele espera ter o partido oficialmente em sua coligação ao governo.

Weverton tem interlocução direta com todas as instâncias do PT e busca o apoio do partido

Também hipotecaram apoio ao senador em Pinheiro, a presidente do PT local, Josélia, os vereadores Jonatan Pazoline, de Central; Marcos, de Dom Pedro, e a ex-candidata a prefeita de Serrano, Zana.

O quadro de lideranças petistas no encontro “Maranhão Mais Feliz” se completou com o presidente estadual da CUT, Manoel Lages, e o presidente do SindSep, Raimundo Pereira.

Weverton espera ampliar esses apoios a partir dos próximos encontros, marcados para Peritoró, Timon e São Luís…

6

Felipe Camarão pode garantir bancada inédita do PT na Câmara Federal…

Com densidade eleitoral de candidato a governador – e com índices até melhores que os do vice-governador Carlos Brandão – secretário de Educação do governo Flávio Dino tem condições de ampliar as vagas do partido, hoje reduzidas ao deputado Zé Carlos

 

A presença de Felipe Camarão no PT não apenas reforça a campanha de Lula, como também amplia as chances de o partido ter uma bancada inédita na Câmara Federal

Cotado como opção de candidato a governador na base do governo Flávio Dino (PSB) – e apontado também como possível vice ou suplente de senador – o secretário de Educação Felipe Camarão é uma espécie de trunfo do PT nas eleições de 2022.

Melhor posicionado nas pesquisas de intenção de votos para a corrida sucessória – com índices melhores até do que os do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) – Camarão pode garantir ao partido do ex-presidente Lula uma bancada inédita na representação maranhense na Câmara Federal.

Hoje reduzida ao nome de Zé Carlos, a bancada petista pode, com Camarão, não apenas garantir o próprio Zé Carlos como também abrir possibilidade para um terceiro nome, pela primeira vez na história do partido no estado.

Mas o nome do secretário é também cotado para composição de chapa com um dos candidatos da base governista; ou mesmo como suplente de senador do próprio Flávio Dino.

O PT entra na disputa pelas vagas da bancada maranhense, portanto, com amplas chances de ser um dos principais partidos a partir de 2022.

E com Felipe Camarão como estrela em ascensão na legenda de Lula…

6

Felipe Camarão mantém-se como “carta na manga” de Flávio Dino

Nas conversas com o ex-presidente Lula e com seus aliados mais próximos, governador admite duas hipóteses para o seu secretário de Educação: torná-lo vice em uma das chapas da base ou ficar no governo e trabalhar para elegê-lo seu sucessor

 

Felipe Camarão se mostrou à vontade diante de Lula; e com as bençãos do governador Flávio Dino como opção do PT

Nas diversas conversas entre o governador Flávio Dino (PSB) e o ex-presidente Lula (PT) sobre as eleições de 2022, um tema recorrente foi posto na mesa: uma possível candidatura do PT ao governo.

Destas conversas – no Maranhão e fora dele – o blog compilou uma série de tratativas entre Dino e Lula apuradas entre aliados de ambos nas últimas semanas; desta compilação básica resulta o seguinte diálogo:

Flávio Dino: O PT precisa aguardar nossa definição, por que temos o Felipe Camarão como opção já filiada;

Lula: Esse não é do PT; está no PT. E haverá uma guerra por essa indicação, caso ele seja vice de uma das chapas;

Flávio Dino: ele pode ser candidato a governador.

Lula: Não há problema. Você fica no governo até o final e elege seu secretário governador. Depois, vencendo, a gente te faz ministro.

Flávio Dino: mas, e o Senado?

Lula: esse é outro problema seu, companheiro…

A conversa recriada pelo blog Marco Aurélio D’Eça reforça duas questões levantadas por aliados e adversários de Dino nos últimos meses:

1 – Felipe Camarão é, sim – e continuará sendo – opção do governador para as chapas majoritárias de 2022;

2 – Diante da dificuldade de unificar a base em torno de um candidato, Flávio Dino pode mesmo ficar no cargo até o fim do seu governo.

E pelo andar da carruagem, estas duas questões estão cada vez mais na pauta das conversas no palácio dos Leões.

3

PSOL defende frente ampla de esquerda no Maranhão

Partido esperava que o ex-presidente Lula definisse o papel do PT na visita que fez semana passada ao estado, mas, diante do adiamento da decisão, psolistas podem ter candidato próprio

 

Antonio Gonçalves, do PSOL, concedeu entrevista a Clóvis Cabalau, na TV Mirante

Presidente eleito do PSOL no Maranhão, Antonio Gonçalves defendeu nesta quarta-feira, 25, construção de uma frente ampla de esquerda também no Maranhão.

Em entrevista ao quadro Bastidores, do programa Bom Dia Mirante, Gonçalves disse que esperava uma posição clara do presidente Lula na visita ao Maranhão, semana passada, o que não ocorreu.

– Pelo que vimos, o PT não terá candidatura própria e nem o Flávio Dino (PSB) será candidato a vice-presidente. Neste caso, se o PT for apoiar um candidato da base, o PSOL rediscutirá seu posicionamento, podendo, até, ter candidatura própria – disse o psolista.

Segundo o presidente, a frente ampla de esquerda é fundamental para combater o governo de extrema direita de Bolsonaro, que impõe ações contra a classe trabalhadora e tem uma pauta de viés autoritário.

– O governo tenta polarizar para implantar uma pauta de extrema direita; é fundamental abrir diálogo para este enfrentamento – disse Gonçalves.

Ainda não há nomes no PSOL para ser apresentado como candidato a governador…

1

Com atuação na Assembleia, Henrique Souza ganha protagonismo no PT

Deputado estadual que ocupou temporariamente a vaga do colega Zé Inácio e é membro da direção nacional do partido é hoje uma das vozes de peso entre os petistas maranhenses

 

Henrique Souza, também chamado de Henrique Lula, assumiu na Assembleia Legislativa e deu voz ao pensamento do PT sobre as eleições de 2022

Bastaram pouco mais de três meses de atuação como deputado estadual para que o suplente Luiz Henrique Souza ganhasse projeção como uma das vozes do PT nas eleições de 2022.

Souza chegou à Assembleia Legislativa em junho, na vaga do titular Zé Inácio; e imediatamente começou a se posicionar sobre o pleito.

Embora não tenha definido apoio a nenhum candidato, Henrique Souza estabeleceu que, pelo histórico de lutas ao lado do PT, o senador Weverton Rocha (PDT) tem mais afinidade com o partido e com o ex-presidente Lula.

– Até por que o vice-governador Carlos Brandão é do PSDB, que deve ter candidato a presidente e tem direcionamento antagônico ao PT – disse Henrique, em encontro petista no fim de semana. 

Um dos fatores que pesam a favor de Henrique Souza como protagonista do PT é sua função como membro da direção nacional, que assumiu o comando da decisão sobre as eleições maranhenses.

Sua rápida passagem pela Assembleia mostrou que há petistas com voz própria e posicionamentos não-controlados pelo Palácio dos Leões ou guiados pelo fisiologismo.

O que só fortalece o próprio PT…

1

“Weverton sempre esteve conosco”, diz Lula em coletiva de Imprensa

Ex-presidente abriu encontro com jornalistas agradecendo a solidariedade do senador do PDT – primeiro maranhense a visitá-lo na prisão, em Curitiba, e a denunciar o ex-juiz Sérgio Moro – e disse que o PT está dialogando para definição do apoio no Maranhão, mostrando preferência que “o escolhido seja do campo progressista”

Lula agradece solidariedade de Weverton e ressalta que o senador sempre esteve ao seu lado

O ex-presidente Lula abriu sua coletiva de imprensa em São Luís, nesta sexta-feira, 20, com uma declaração pública que não deixa mais nenhuma dúvida sobre a sua preferência para o Governo do Estado nas eleições de 2022.

– Queria cumprimentar o companheiro Weverton, que esteve junto conosco nesse período todo, que tem demonstrado solidariedade em todos os momentos que precisamos – disse Lula, segurando a mão do senador pedetista.

Weverton foi o primeiro maranhense a visitar Lula em Curitiba; ele também denunciou o ex-juiz Sérgio Moro e a irregularidade na condenação do ex-presidente, depois confirmadas pelo Supremo Tribunal Federal.

– Sou leal ao que acredito e não aceitei a injustiça que fizeram com Lula. Estive ao lado dele mesmo quando todos seguiam na direção contrária. Sigo tendo lado, o lado do povo do Maranhão e dos que mais precisam – disse Weverton, ao comentar a fala do petista após a entrevista.

Lula cumprimenta Weverton publicamente durante entrevista coletiva após encontros em São Luís

Durante a coletiva, respondendo a uma pergunta do jornalista Gilberto Léda sobre o apoio do PT nas eleições do Maranhão, Lula diz que o partido vai continuar dialogando, mas apontou o caminho desejado por ele:

– Eu preferia que o escolhido fosse do campo progressista – frisou.

Mas à frente, ao estabelecer a importância da unidade do campo progressista na eleição presidencial de 2022, o ex-presidente cita quais partidos estão neste campo: PT, PDT, PCdoB, PSB, PSOL e até o MDB.

A entrevista coletiva do ex-presidente foi o último ato de sua visita a São Luís.

Ele embarcou de volta  a São Paulo no meio da tarde… 

0

Lula diz a Roseana que quer PT e MDB juntos no Maranhão

Ex-presidente jantou com a ex-governadora e com o também ex-presidente José Sarney na noite de quinta-feira, 19; entusiasmou-se com os números da emedebista nas pesquisas, sondou sobre “as chances do senador Weverton” e disse que quer um palanque reunindo partidos de centro-esquerda, incluindo PDT, PSB, PCdoB e PSOL

 

Lula foi recebido em petit comitè por Roseana e José Sarney no apartamento da ex-governadora; e conversou sobre as eleições de 2022

O ex-presidente Lula (PT) disse à ex-governadora Roseana Sarney (MDB) que pretende ter PT e MDB no mesmo palanque, tanto na corrida presidencial quanto nas eleições estaduais.

Lula jantou com Roseana e com o também ex-presidente José Sarney – em petit comitè, nesta quinta-feira, 19 – e mostrou-se entusiasmado com os números da ex-governadora nas pesquisas.

Embora tenha reafirmado que ainda não se decidiu a concorrer nas eleições de 2022, Lula frisou que o PT pretende formar a aliança de centro-esquerda que inclua também o MDB, o PDT, o PSB, o PCdoB e o PSOL.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, Lula não se manifestou em momento algum sobre suas preferências nas eleições maranhenses; mas sondou os Sarney sobre “as possibilidades do senador Weverton Rocha (PDT)”.

Ao ouvir, tanto de Roseana quanto de José Sarney que ela não pretende disputar as eleições majoritárias – embora lidere as pesquisas -, Lula reforçou que quer PT e o MDB novamente juntos no mesmo palanque.

E disse ser fundamental que a centro-esquerda se una em todo o Brasil contra “o risco autoritário que representam os candidatos da direita”.

 Lula deixa São Luís no início da noite desta sexta-feira, 20…

3

“Minha relação com Lula é natural, não forçada”, diz Weverton…

Pré-candidato do PDT a governador alertou que este tipo de relação política não pode ser forçada por oportunismo político por que as imagens e os gestos mostram a realidade

 

Weverton com Lula e Flávio Dino: relação histórica nas lutas da esquerda brasileira desde o movimento estudantil

Em entrevista ao programa Ponto Continuando, da rádio Educadora AM, o senador  Weverton Rocha (PDT) falou nesta quinta-feira, 19, da sua participação na visita do ex-presidente Lula (PT) ao Maranhão.

Histórico aliado do PT, o senador lembrou que sua relação com Lula é natural –  “e não forçada por oportunismo político” – e que esteve sempre ao seu lado em todas as fases históricas do Brasil.

– É natural, portanto, que Lula esteja mais à vontade comigo. Não sou um estranho no grupo, estive com ele nas vitórias e nas derrotas, fui o primeiro maranhense a visitá-lo e denunciar sua prisão arbitrária – lembrou. (Relembre aqui, aqui, aqui e também aqui)

A intimidade demonstrada por Lula em relação a Weverton ficou evidente nas imagens e vídeos da visita do ex-presidente – e foi ressaltada pelos integrantes do programa.

Uma fala de Lula a Weverton durante o jantar no Palácio dos Leões – que muitos disseram ter sido “Vamos jantar, meu governador” – também foi questionada pelos apresentadores; o senador preferiu minimizar.

– Quem estava próximo ouviu exatamente o que ele disse; não preciso ficar repetindo – encerrou.

Lula e Weverton têm encontro reservado nesta sexta-feria, 230, antes de o ex-presidente deixar o Maranhão.