0

Com eleição acirrada, debate da Difusora pode definir vagas no 2º turno

Programa da TV Difusora ganhou ainda mais importância após cancelamento do debate da TV Mirante; e – assim como ocorreu em 2016 – deve influenciar diretamente o resultado do primeiro turno em São Luís

 

Todos os candidatos foram convidados para o debate da Difusora FM, que será transmitido ao vivo pela TV Difusora, como último do primeiro turno

Ganha cada vez mais importância o debate da TV Difusora, marcado para a próxima quinta-feira, 12 – o último antes do primeiro turno das eleições em São Luís.

Em 2016, o último programa deste tipo, exibido pela TV Mirante três dias antes do pleito, desbancou então favoritos e resultou na ida do então azarão Eduardo Braide (Podemos) ao segundo turno.

Em 2020, sob orientação da Globo, a Mirante desistiu do debate no primeiro turno, o que levou a TV Difusora a encampar o programa já marcado na rádio Difusora FM, levando-o para o mesmo dia e horário do que seria realizado na Mirante.

A campanha de mídia e propaganda – além do acirramento da disputa pelas vagas no segundo turno – gera uma forte expectativa em torno do programa, que pode influenciar diretamente a decisão do eleitor.

Placas de outdoor com anúncio do debate da Difusora foram vandalizadas no fim de semana, numa tentativa de esconder o programa da população

O debate da Difusora ganhou tanta repercussão que outdoors de propaganda foram vandalizados no fim de semana, como que para impedir que o eleitor tomasse conhecimento do programa.

E ganha feições ainda mais dramáticas quando se sabe das relações dos candidatos Eduardo Braide (Podemos) e Duarte Júnior (Republicanos) com a emissora.

Mas esta é uma outra história…

0

BBB-20 expõe questão sociológica no Brasil…

Edição de 2020 do programa da Rede Globo teve, em confinamento, todos os aspectos registrados diariamente no embate dos estratos sociais de um país racista, machista e patriarcal, mas que começa a rever seus conceitos e preconceitos

 

Thelma, a vencedora: negra, médica e mulher, que sofreu por ser negra e por ser mulher, diante de um negro homem, como Babu

Para quem gosta de Sociologia, observa e pesquisa os estratos sociais do Brasil, para quem se encanta com o estudo da sociedade e busca entender e analisar as relações interpessoais, programas como o Big Brother Brasil são um excelente cenário.

Classes sociais confinadas e disputando premiação é terreno fértil para os embates que se vê no dia dia de um país racista, machista e patriarcal, como o Brasil.

É um campo de pesquisa fantástico para aplicar sociologicamente na própria comunidade, com perguntas do tipo:

Por que evangélicos agem assim?

Por que as comunidades suburbanas são o que são?

Como se comportam os gays?

Qual o papel dos pretos e das mulheres?

E das mulheres pretas e pobres?

Essa temporada do BBB, suas nuances e debates do que está em discussão na própria sociedade, é um campo empírico de rico valor sociopolítico.

A partir de reações de “machos escrotos” – como Petrix, Prior e Lucas – de “feministas brancas”, como Marcela, ou mais equilibradas, como a Manu, se traça perfis que levam até mesmo a saber, com certa precisão, o vencedor de cada edição, baseado no tema escolhido pela Globo, subliminarmente, para ser posto em discussão no programa.

E o debate de raça – e, dentro dele, o embate de gênero – foi o tema escolhido para 2020.

Por isso foi fácil entender que a negra Thelma, formada em Medicina, alcançou a vitória, diante de um discurso tácito sobre o papel do negro, do pobre, da mulher pobre e da mulher negra e pobre na sociedade.

E no Brasil há diferenças claras entre ser pobre, ser preto, ser mulher pobre, ser mulher preta e ser mulher pobre e preta.

Num país cheio de desigualdades, machista e patriarcal, é óbvio que um preto macho, como Babu, ganhará sempre mais espaço que uma mulher preta, como a Thelma.

Isso ficou claro até à etapa final quando a sororidade de Thelma em relação às colegas brancas foi vista como submissão de negra, enquanto a aliança de Babu com os machos brancos foi tolerada como estratégica, ainda que o machos em questão – Prior e Lucas – fossem tão estúpidos quanto Hadson, Petrix e sua dança troglodita, símbolo do machismo exposto nesta edição. (Veja o vídeo)   

A dança do acasalamento de Pertrix virou símbolo da boçalidade masculina nas classes sociais médias do Brasil 

Felizmente, a expulsão dos “machos escrotos” – um por um, a cada semana de intenso debate sociológico nas redes sociais – mostrou que o Brasil caminha, ainda que capengando, para uma sociedade mais justa, que possa ter equidade nas diferenças e respeito à cor.

A vitória de Thelma é a vitória deste novo Brasil, que a despeito do retrocesso sócio-político de 2018, ainda consegue avançar, unindo mulheres – sempre estimuladas a serem adversárias – e enquadrando homens que ainda pensam ser donos dos destinos familiares.

Uma vitória da raça humana brasileira como um todo…

3

Riscos de golpe cada vez mais acentuados no Brasil…

Insultos cada vez mais virulentos do presidente às instituições e organismos livres brasileiros e a radicalização de aliados do seu entorno acenam para a possibilidade de o Brasil voltar aos anos de chumbo; e o que é pior: com apoio de parte da população

 

Editorial

As duas novas crises envolvendo o presidente Jair Bolsonaro, instituições como o Supremo Tribunal federal, e a imprensa livre acentuou um viés perigosos em seu entorno.

É cada vez mais aberta entre os mais próximos a Bolsonaro a defesa de um golpe de estado que faça o presidente permanecer no poder de qualquer forma.

Na terça-feira, 29, Bolsonaro agrediu o Supremo Tribunal Federal ao divulgar um vídeo em que aparece como um leão e a Corte Suprema é retratada como uma das hienas a persegui-lo.

A agressão sistemática à Rede Globo já é conhecida, mas é preocupante a ameaça radicalizada do presidente, que usou termos como “patifaria” e “canalhice” para criticar a reportagem que revelou depoimento de um caseiro do seu condomínio é preocupante.

Desde o início do governo, agentes bolsonaristas, como Olavo de Carvalho, e os próprios filhos do presidente, pregam o que chamam de “ruptura” com as instituições, ameaçam fechar o Congresso e banir partidos de esquerda.

O pior de tudo é que ainda existe um verdadeiro exército popular pronto a sair em defesa das atitudes de Bolsonaro, sejam elas quais forem – muitos dos quais defendem mesmo a absurda volta dos militares ao poder.

Felizmente, a sanha golpistas dos agentes bolsonaristas – e do próprio presidente, cada vez mais convencido de que é uma vítima da imprensa, da esquerda e das instituições – não encontra eco na caserna, entre os generais, muitos dos quais já decepcionados pela sua performance.

Mas que o risco está cada vez mais iminente, ninguém pode negar…

5

Descontrole de Bolsonaro revela mais do que ele queria…

Ao atacar a Rede Globo, acusar o governador do Rio de Janeiro e chegar a afirmar que um delegado manipulou o depoimento do porteiro de seu condomínio, presidente acaba reforçando a ligação entre ele e os assassinato de Marielle Franco

 

BOLSONARO PERDEU O CONTROLE NOVAMENTE AO TENTAR ATACAR A REDE GLOBO por revelar aspectos do dia do assassinato de Marielle Franco

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) está descontrolado.

Naturalmente irascível, ele chegou às raias do absurdo ao tentar se explicar do fato de o porteiro do seu condomínio ter afirmado a polícia que um dos assassinos da vereadora Marielle Franco foi à sua casa no dia do crime.

Aos gritos, Bolsonaro xingou a Rede Globo, fez ameaças quanto à concessão da emissora, acusou o governador Wilson Witzel de vazar o depoimento e chegou ao cúmulo de dizer que a afirmação sobre à visita do criminoso à sua casa tenha sido incluída pelo delegado no depoimento do porteiro.,

Tudo isso revela muito mais sobre o próprio Bolsonaro do que ele quer esconder.

Já é fato conhecido que ele e seus filhos se relacionam com os milicianos e eram vizinhos de condomínio dos assassinos de Marielle.

A citação do seu nome pelo criminoso apenas põe mais lenha na fogueira da suspeição do presidente.

E ele pode gritar, ameaçar, xingar e reclamar, mas não vai mudar este fato…

 

7

Imagem do dia: a bela festa da Beira Mar…

Apesar do chilique do governador Flávio Dino, que tentou aparecer mais que o carnaval, o novo circuito da folia é um importante ponto cultural em São Luís; sobretudo se o projeto for levado a cabo até o final

 

SEM MIMIMI. O circuito Beira-Mar pode, por si só, revitalizar o carnaval de São Luís, desde que Flávio Dino não atrapalhe

Independentemente dos chiliques carnavalescos do governador Flávio Dino (PCdoB) – que chorou de ódio por não aparecer mais do que a festa – o novo circuito do carnaval maranhense veio, sem dúvida, para virar tradição.

Criado há dois anos, o circuito Beira-Mar ganhou este ano uma nova praça e nova iluminação – parceria do Governo Federal com o Governo do Estado e a Prefeitura de São Luís.

E deve se valorizar ainda mais, se o projeto, que contempla restaurantes, galerias de arte e espaços de cultura for levado a cabo, o que poderá transformar a área em um ponto cultural o ano inteiro.

E o carnaval de São Luís ganhará novamente destaque na mídia nacional.

Com ou sem os chiliques de Flávio Dino…

6

A paixão de carnaval de Flávio Dino por Sarney…

Nem durante a folia o comunista esquece o ex-presidente, que parece ser um ídolo para ele; pior: mesmo chamando a Rede Globo de golpista, governador sonha em aparecer na Globo

 

LOUCA PAIXÃO. Nem na própria festa Flávio Dino esquece Sarney

O governador Flávio Dino (PCdoB) exibiu mais uma vez durante o fim de semana a sua paixão recolhida pelo ex-presidente José  Sarney.

Ema uma postagem que deveria ser para comemorar a entrega de uma praça na Beira-Mar – feita com dinheiro federal – o comunista voltou a citar Sarney, numa demonstração de admiração doentia pelo ex-presidente.

Além da paixão carnavalesca por Sarney, Dino revela na postagem um outro desejo recolhido: a Rede Globo.

Apesar de taxar de golpista a emissora carioca, o governador demonstra desejo de aparecer na programação global; e reclama também de Sarney por não estar lá.

O governador comunista do Maranhão tem um desejo doentio de ser Sarney, já demonstrado em vários posts neste blog.

E neste período essa paixão parece aumentar consideravelmente.

Afinal, como diz o ditado, tudo é carnaval…

1

Drag queen maranhense brilha no mundo da música internacional…

Nascida em São Luís, Pabllo Vittar, vocalista da banda do Programa Amor & Sexo, da Rede Globo, alcançou o topo das paradas mundiais e já tem mais seguidores nas redes sociais que a americana Rupaul

 

SER VADIA. Pabllo em versão loira, para clip da música que prega a liberdade de ser e fazer

Uma maranhense nascida em São Luís tem alcançado o posto de celebridade e lotado pistas de dança no mundo inteiro com o seu som de linguagem forte e gestos marcantes.

Nascida Phabulo Rodrigues da Silva, em 1994, numa família humilde da capital maranhense, a cantora, compositora e drag queen passou parte da infância em Santa Inês e Caxias.

E sofreu por sua condição sexual.

– Uma vez, estava na fila da merenda e um menino virou um prato de sopa quente na minha cara. Na cabeça dele, eu tinha que agir como um homem, falar com voz de homem, ser homem. Isso trouxe força. Por isso digo que sou afeminada com muito orgulho, sou gay sim, sou viado e sou feliz. E obrigada menino que jogou a sopa em mim. Fez um pilling babado, minha pele tá linda – provoca, hoje, após anos de builling em uma sociedade culturalmente primitiva, como a do interior maranhense.

Hoje, com o nome Pabllo Vittar é considerada a maior agitadora de pistas de dança no mundo.

Atual vocalista da banda do programa Amor & Sexo, da Rede Globo, a maranhense alterna-se na ponte aérea Rio/São Paulo, onde lançou, em janeiro, o seu primeiro disco solo, “Vai Passar Mal”; e estourou nas paradas.

ÍCONE DRAG. Rupaul em versão montada e de cara limpa; ídolo internacional

Hoje, Pabllo é a drag queen mais influente do mundo, superando a atriz americana Rupaul, fenômeno internacional das redes sociais e ícone do mundo drag.

Ativista, a maranhense prefere se autodefinir como “afeminada”, apesar de aceitar os termos “drag”, “transexual” e “gênero fluido”. 

– É muito revolucionário no sentido de dar a cara a tapa. São as ‘bis’ afeminadas que estão na posição de frente, que são apontadas, que levam lâmpada na cara. A gente tem que apoiar mesmo e levantar essa bandeira. Se hoje estou dando uma entrevista montada de drag, é porque muita gente morreu e sofreu preconceito para que eu ocupasse esse espaço – filosofou, em entrevista à revista Trip.

SUCESSO. A versão morena de Pabllo, como ela aparece no Amor & Sexo. destaque nacional

Estudante de design – curso que trancou na Universidade Federal de Minas Gerais, para seguir a careira cada vez mais intensa – a cantora se prepara agora para uma turnê.

E já tem data agendada novamente em sua terra natal, para se apresentar no Arraial da Thaynara OG, outro ícone maranhense da internet.

Mas esta é uma outra história…

3

Manchete de O Estado é destaque no Hora Um…

Noticiário da Rede Globo analisa o titulo desta segunda-feira, 21, “Ele ainda tem a força?”, que faz uma análise da influência do ex-presidente Lula em relação ao Congresso Nacional, tendo como exemplo a bancada maranhense

 

A jornalista Monalisa Perrone destaca e comenta a manchete de O EstadoMaranhão

A jornalista Monalisa Perrone destaca e comenta a manchete de O EstadoMaranhão

Do blog de Ronaldo Rocha

A manchete do jornal O Estado do Maranhão “Ele ainda tem a força?”, que aborda uma análise por parte de deputados federais maranhenses a respeito da situação do ex-presidente Lula e de sua eventual presença no Governo, foi destaque no programa Hora Um, da Rede Globo, na manhã de hoje.

Além da manchete de O Estado, os destaques de O Globo, Zero Hora, Folha de S. Paulo e de Estadão foram apresentados pela jornalista Monalisa Perrone.

Na reportagem de O Estado, assinada pelo jornalista Ronaldo Rocha, titular do blog, membros da bancada maranhense na Câmara Federal se dividem entre os efeitos positivos e negativos, para a presidente Dilma Rousseff (PT), em relação a presença de Lula na Casa Civil. Continue lendo aqui…

1

Mais uma do governo Flávio Dino contra os animais…

Os exemplos de desprezo contra os bichos vão se acumulando no perfil do governador comunista; agora a denúncia atinge os cavalos da Polícia Militar, que estariam sendo vítimas maus tratos

 

A imagens mostram cavalos magricelos e sem força alguma

A imagens mostram cavalos magricelos e sem força alguma

Desde a última sexta-feira, programas de alcance nacional do porte de Jornal Hoje e Bom Dia Brasil, da Rede Globo, denunciam o que seria uma ação covarde do governo Flávio Dino contra animais.

Mais uma, diga-se de passagem. (Veja outras aqui e aqui)

De acordo com imagens flagradas inicialmente pela TV Mirante, cavalos usados pela Polícia militar do Maranhão estariam sofrendo maus tratos na gestão do comunista.

Animais pastam no pátio seco à procura de comida, já que falta ração

Animais pastam no pátio seco à procura de comida, já que falta ração

As imagens foram feitas por um internauta,  e mostram os cavalo magros e abatidos.

Segundo o responsável pela filmagem, há dois meses falta ração no quartel da PMMA.

Não é de se estranhar, já que o próprio governador classificou de supérfluo este produto, aumentando os eu imposto.

O comando da PM negou os maus tratos, mas as imagens já ganharam o mundo.

E falam por si só…

11

Globo transmite luta já terminada como se fosse ao vivo…

Anderson derrotou Channen, mas quem esperou na Globo só viu o replay

Passava das 2h da manhã de hoje quando a Rede Globo começou a transmitir a luta entre Anderson Silva e o americano Chael Sonnem.

Pelo menos uma vez, o locutor Glavão Bueno gritou: “voltamos, ao vivo, agora em definitivo”.

Tudo mentira! 

A luta tinha terminado havia pelo menos uma hora, com a belíssima vitória de Silva, por nocaute técnico no segundo round.

Quem tem TV por assinatura pôde acompanhar a luta verdadeiramente ao vivo, pelo canal Combate, do próprio grupo Globo.

Mas a massa de telespectadores que esperaram para assistir pela TV aberta foi enganada mais uma vez pela emissora carioca.

Arrogante, a Globo não se desfaz de sua grade de programação amarrada por contratos de patrocínio milionários.

Na noite de ontem, continuou a passar o chatinho Altas Horas, sem cortes – mas chamando a audiência a todo intervalo para a luta que já havia acontecido.

Não é a primeira vez que esta enganação ocorre no UFC, cujos direitos a Globo detém desde o ano passado.

Na luta de Júnior Cigano, em maio, a emissora também transmitiu um videotape como se fosse ao vivo. (Leia aqui)

As transmissões de futebol também eram acostumadas a estas mentiras, até que a as federações começaram a decidir pelo início do jogo no horário marcado, uma exigência do Estatuto do Torcedor.

Depois disso, tem sido comum ver partidas pela Globo com início de transmissão já aos 10, 15 e até 20 minutos do primeiro tempo.

Lamentável…