1

CoVID-19 pode paralisar campanha em São Luís…

Confirmação da doença no candidato do PCdoB, Rubens Júnior, logo após participação em debate com todos os adversários – além do reaparecimento de sintomas em Carlos Madeira – obriga todos os postulantes a suspender campanha, sob risco de espalhamento da doença

 

Rubens Júnior (no círculo amarelo) estava no debate da Band três dias antes de ser confirmado com coVID-19; no local, ele tirou e pôs a máscara inúmeras vezes

Se forem obrigados a seguir o protocolo recomendado pela Organização Mundial de Saúde para enfrentamento da CoVID-19, os candidatos a prefeito de São Luís terão que paralisar as atividades de campanha.

Todos eles participaram do debate da TV Band, na última quinta-feira, 1º, apenas três dias antes de o comunista Rubens Pereira Júnior confirmar contaminação pela coVID-19.

O comunista conviveu normalmente com os 10 adversários em um estúdio fechado, em que sempre tiravam a máscara na hora das perguntas e respostas.

Em tese, há um risco real de que ele possa ter contaminado todos os postulantes, além do apresentador, jornalistas,  técnicos e convidados que participaram do programa na TV Band.

Além, disso, o pai do candidato do PCdoB, o Rubão, que acompanhou o filho no debate, também foi confirmado com coVID-19. 

Na segunda-feira, 5, o candidato do Solidariedade, Carlos Madeira, que já havia sido diagnosticado com coVID-19, voltou a sentir fortes sintomas da doença, e também cancelou atividades.

Todos os demais candidatos, no entanto, mantiveram a agenda de campanha normalmente nos dias seguintes ao debate.

O que pode ter provocado um espalhamento do vírus nos últimos dias…

2

A declaração de Flávio Dino e o recado de Rubão Pereira

Jogo de palavras envolvendo o governador e o pai do candidato comunista em São Luís mostra o tamanho da dívida de gratidão de Dino à família Pereira e o quanto eles estão dispostos a ir para cobrá-la; resultado: chefe do PCdoB, deputado Márcio Jerry assumiu coordenação de campanha de Júnior

 

A animada e festiva “posse” de Márcio Jerry na coordenação da campanha de Rubens Júnior, após recado do pai, Rubão Pereira a Flávio Dino

Para quem não entendeu o “nunca tivemos padrinhos, nós sempre fizemos foi apadrinhar”, no post “Nós não conhecemos o verbo recuar…”, trata-se de um recado do pai do candidato comunista Rubens Pereira Júnior ao governador Flávio Dino (PCdoB).

O que mais incomodou Rubão Pereira na entrevista de Dino ao jornal O Globo nem foi a parte em que ele disse não ver chances de vitória da esquerda em nenhuma capital brasileira em novembro, mas o complemento “diante dos candidatos escolhidos até o momento”. (Relembre aqui)

Com essa ponderação, Dino quis dizer que acha que os candidatos escolhidos pela esquerda nas capitais são todos fracos.

Rubens Júnior é, portanto, um candidato fraco na visão de Flávio Dino. 

Essa parte da conversa incomodou Rubão, que tem na candidatura do filho em São Luís uma espécie de fatura dos apoios dados a Flávio Dino desde as eleições de 2006; apadrinhamentos sistemáticos, dele e do falecido deputado Humberto Coutinho.

Rubão e Suelly Pereira estiveram com Flávio Dino desde 2006, quando Rubens Júnior ainda concorria na coligação de Roseana Sarney; a fatura chegou ao comunista

E parece que o governador entendeu o recado.

Tanto que, apenas um dia depois da fala de Flávio Dino a O Globo – e do deputado Márcio Jerry também desdenhar do apoio do governo aos candidatos da base – o próprio Jerry assume a coordenação da campanha comunista em São Luís.

Da guerra de palavras na campanha comunista saltaram aos olhos duas questões:

1 – a candidatura de Rubens Júnior é mesmo uma imposição, espécie de troca de favores de aliados de Dino;

2 – Ao incluir Jerry no projeto, Flávio Dino aquieta os ânimos da família Pereira e fica livre para não mais se envolver na disputa de novembro.

É simples assim…

3

Tutor do filho em São Luís, Rubão Pereira abre crise em Matões…

Ex-deputado e ex-prefeito do município decidiu romper a aliança pontual que mantinha com o prefeito Ferdinando Coutinho, gerando uma série de movimentações políticas que devem repercutir, inclusive, no estado

 

Ferdinando Coutinho sob o olhar de Rubens Pereira: aliança pontual em Matões, que durou apenas um ciclo eleitoral

O ex-deputado e ex-prefeito de Matões Rubens Pereira tem sido uma espécie de fiador e tutor na pré-campanha do filho a prefeito de São Luís.

Tem sido ele, inclusive, o responsável pelas conversas na atração de aliados e apoiadores.

Mas se busca unidade em torno do rebento na capital, Rubão não parece preocupado com isso em seu município de origem, Matões, onde foi prefeito por dois mandatos e elegeu também a mulher, Suely Pereira.

Na semana passada, Rubens Pereira encaminhou uma mensagem em grupos de whatsapp de Matões que foi entendida como declaração de rompimento pelo prefeito Ferdinando Coutinho.

Coutinho é irmão do falecido presidente da Assembleia, Humberto Coutinho, de quem os Pereira sempre foram adversários em sua cidade – e se juntaram em aliança pontual após aproximação com o governador Flávio Dino (PCdoB).

Após a declaração de Rubão, o prefeito exonerou vários secretários ligados aos Pereira; em contrapartida, vários vereadores decidiram afastar-se da base do prefeito.

Não se sabe o impacto que esse imbróglio do pai causará na campanha do filho em São Luís; mas, de uma forma ou e outra, haverá repercussão, inclusive, no governo Flávio Dino.

Dino é historicamente ligado aos Coutinho, que sempre o apoiaram tanto em Caxias quanto em Matões; Já Rubens Júnior é secretário de estado e seu candidato a prefeito de São Luís.

O posicionamento do governador, portanto, terá forte influência nas eleições municipais

Tanto de lá quanto daqui…

5

Flávio Dino tem prazo para Rubens Júnior “deslanchar”…

Governador comunista só dará chancela ao aliado se o seu desempenho aproximar-se dos dois dígitos até dezembro; caso contrário, orientará a base a buscar outras opções de candidatura entre os pré-candidatos governistas

 

DINO NÃO VAI CONTRARIAR RUBENS JÚNIOR, mas nem ele acredita que o afilhado possa deslanchar até dezembro

O governador Flávio Dino (PCdoB), até aceita disponibilizar a estrutura do governo para o secretário de Cidades Rubens Pereira Júnior (PCdoB) viabilizar sua candidatura a prefeito.

Mas esta chancela não é incondicional.

Segundo apurou o blog Marco Aurélio D’Eça, Dino deu até dezembro para que Pereira Júnior alcance ou pelo menos se aproxime dos dois dígitos nas intenções de votos – por enquanto ele não passa de 1% e é o mais fácil adversário para Eduardo Braide (PMN) num eventual segundo turno.

Mas nem o próprio Dino acredita no deslanchar do afilhado, ainda segundo apurou o blog.

Tanto que mantém o estímulo aos demais candidatos da base – Neto Evangelista (DEM), Bira do Pindaré (PSB), Osmar Filho (PDT) e Duarte Júnior (PCdoB) – mesmo os que não têm apoio da base ou estrutura a seu favor.

Para convencer o governador, tanto Rubem Júnior quanto o seu pai – o ex-deputado Rubens Pereira – têm usado como argumento a história do próprio comunista, que saiu de 4% para o segundo turno, em 2008.

Outro argumento dos Pereira – pai  filho – é a história do atual prefeito Edivaldo Júnior (PDT) que, segundo eles, não era o preferido em 2012 e, mesmo assim, foi o candidato e venceu a eleição.

E assim eles vão levando o padrinho e continuando a aventura de virar candidato a prefeito.

Pelo menos até dezembro…