10

Policiais civis fazem média com PMs, mas não querem equiparação salarial…

Policiais civis: apoia no púlbico e derruba no privado

Desde a primeira versão da greve, delegados e policiais civis se mostram solidários aos militares. Representantes da Adepol e do Simpol são vistos diariamente em meio aos PMs e Bombeiros acampados na Assembléia.

Média política, apenas!

Delegados e agentes de polícia são contra a principal reivindicação dos policiais militares: a equiparação salarial das categorias.

E jogam pesado nos bastidores para evitar a concretização da proposta.

Para os civis, seria injustiça (…) serem remunerados e consequetemente equiparados aos praças militares”. 

É o que afirma documento encaminhado ao secretário Aluísio Mendes pelo Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Maranhão (Simpol) e pela Associação dos Servidores da Polícia Civil do Maranhão (Aspcem).

Hoje, um soldado da Polícia Militar recebe R$ 2.028,00 em início de carreira. Um policial Civil recebe  R$ 2.600,00.

No documento, os policiais civis se põem, o tempo todo, como de nível superior aos PMs.

Mas estão lá, no dia-dia, insulfando os militares a continuar em greve…

30

PMs preparam Mandado de Segurança para ter novo subsídio já garantido no Supremo Tribunal Federal

Militares conquistam reajuste salarial

As associações de oficiais e de praças da Polícia Militar do Mararnhão preparam ações coletivas para exigir do Governo do Estado o pagamento do Escalonamento Vertical garantido em ação julgada no Supremo Tribunal Federal.

A decisão do STF foi dada em sentença do dia 25 de abril. O Supremo mantev e decisão da Justiça maranhense, mantendo os índices do escalonamento de 1992.

Além do índice, o governo terá que pagar as diferenças não pagas mês a mês, atualizados.

A ação é da Associação de Subtenentes e Sargentos e será encampada agora pela Associação de Cabos e Soldados e pela Associação de Oficiais da PM e dos Bombeiros. 

Pela nova tabela, a categoria mais beneficiada é a de Subtenentes, que passarão do soldo de R$ 3.172,00 para R$ 5.408,00.

Para garantir o recebimento com base na decisão do STF, os dirigentes das associações militares orientam os PMs a prepararem ações conjuntas em Mandados de Segurança.

– Afirmamos que nenhum policial militar, bombeiro militar e pensionista, que ainda não foi contemplado por esta decisão, ficará sem ter seu salário reajustado com base na tabela de índice de 1992 a ser implantada (sic) – diz panfleto distribuídos pelos líderes PMs.

O escalonamento garante reajuste de todo policial militar, que vinha fazendo manifestações visando isto.

14

Fábio Gondin corta o barato: “pagamento será dia 29”

Gondin: o dono do cofre do Maranhão

O secretário de Planejamento e Gestão esclareceu a questão hoje e anunciou para o dia 29 de abril o pagamento do funcionalismo público.

Em mensagem encaminhada ao blog de Gilberto Léda, Gondin revela que o dinheiro estará na conta no último dia útil de abril, exatamente no dia 29. 

Rumores davam conta, desde ontem, de que o salário do mês de abril poderia ser antecipado para antes do feriado de semana santa. A possibilidade foi confirmada por dois membros do alto escalão do governo. (Releia aqui)

Hoje, porém, o secretário de Planejamento tratou de encerrar o assunto: o salário será creditado em 29 de abril.

A tabela que serve de base para as "antecipações"

Em resposta a Léda, ele ainda afirmou que a data não deixa de ser uma antecipação: “Haverá [antecipação do pagamento]… Será dia 29”, disse ele, segundo o blog.

Provavelmente, a antecipação considerada por Fábio Gondin deve ser em relação à sua tabela de pagamentos, divulgada em janeiro – e que resultou em intensa polêmica.

Por esta tabela, o pagamento só ocorreria no dia 3 de maio. 

A antecipação, portanto, não é nada diferente do que já ocorre há mais de 30 anos no Maranhão.

Menos na lógica de Gondin…

18

Fábio Gondim recua e já admite pagar funcionalismo dentro do mês trabalhado

O secretário de Planejamento e Gestão, Fábio Gondim, admitiu hoje, pela primeira vez, rever a tabela de pagamentos do funcionalismo estadual, divulgada pelo governo no início do mês.

Em entrevista ao programa Ponto Final, da Mirante AM – cujos pontos importantes foram reproduzidos pelo blog de Gilberto Léda – o secretário definiu as datas da tabela apenas como um nortes, que poderão ser antecipados sempre que o governo tiver caixa.

É importante ressaltar que essa data [estipulada no novo calendário] é uma data máxima. O Estado pode pagar antes e vai pagar antes sempre que for possível, sempre que houver caixa. Em janeiro, já estamos nos preparando para fazer o pagamento no dia 28 – reconheceu.

Este blog foi o primeiro a criticar a divulgação da tabela, que quebrou uma prática existente há anos no Maranhão. A princípio, Gondim tentou justificar as novas datas – sempre no mês seguinte ao trabalhado – mas não resistiu à pressão da imprensa e de parte da classe política.

Para não revogar oficialmente a tabela, o governo vai antecipar os pagamentos de forma extra-oficial.

Como acontecerá já neste mês de janeiro…

13

Sindicato cobra de Roseana revogação da nova tabela de pagamentos do estado

O presidente do Sindicato dos Servidores do Estado, Cleinado Lopes Sobrinho, anunciou hoje que vai solicitar da governadora Roseana Sarney (PMDB) a revogação da nova Tabela de pagamento do funcionalismo.

A informação é do blog de Gilberto Léda. (Leia aqui)

Apesar de divulgada desde o final de dezembro, somente ontem a nova tabela do estado entrou na berlinda, após análise crítica deste blog.

A alegação de Sobrinho é praticamente a mesma de todos os servidores estaduais: a mudança no pagamento do salário para o quinto dia útil do mês subsequente prejudica o servidor.

– Não pode o cidadão que já ganha pouco ainda ter que gastar mais com multas por uma alteração que não gera benefício nenhum para o Estado – reclama Cleinaldo Lopes.

A nova tabela começa a vigorar a partir deste mês…

32

Alteração no calendário de pagamento complica vida do servidor estadual

A mudança do calendário de pagamentos do estado – agora, os salários serão pagos até o quinto dia útil do mês trabalhado – trará problemas significativos para o servidor público.

Um exemplo: todos os tributos federais – Imposto de Renda, parcelamentos de tributos, etc… – são cobrados até o último dia útil do mês. Para se adequar, o funcionalismo terá, desta forma, que pagar juros mensais, além dos já pagos no parcelamento.

Desde o governo Luís Rocha, o salário do funcionalismo sempre foi pago dentro do mês trabalhado (no máximo, até 0 dia 1º do mês subsequente). A própria Roseana Sarney (PMDB) adotou esta regra nos três mandatos anteriores.

A idéia de remanejar a tabela para até o 5º dia útil é do seretário de Planejamento e Administração, Fábio Gondin. Ele alega prejuídoz para o estado se mantiver a folha antiga.

Bobagem. Por que, então, o governo nunca reclamou de prejuízos com a operação? Afnal, em épocas festivas, os salários já foram pagos até mesmo oito dias antes do mês acabar.

O fato é que a medida gerou críticas ao governo. Para Gondin e para os que ele segue, nada demais.

Mas para um governo que se propõe o melhor da vida de sua comandante, é um começo nada agradável…