17

Sem os “modinha”, Sampaio vê queda de público na Série B…

sampaioO Sampaio Corrêa venceu hoje o Luverdense (MT) por 3 X1. Mais uma vez, porém, registrou público pífio para um time que ainda briga pelo G-4 na Série B. Sem a empolgação do primeiro ano na Segunda Divisão, o clube perdeu muito dos torcedores “modinha”, que iam ao estádio por influência midiática, autora de matérias de todos os tipos sobre o Sampaio. Como a disputa deixou de ser novidade, a imprensa se limita hoje à cobertura burocrática.E o resultado é este que se vê na imagem acima, de Kiel Martins…

4

O desmonte do Sampaio Corrêa…

Rodrigo Ramos: ídolo e líder em campo

Bem sucedido em sua primeira incursão pela Série B do Campeonato Brasileiro – mesmo não se classificado para a Série A – o Sampaio Corrêa pode não ter o mesmo desempenho em 2015.

Pelo menos é o que indica o processo de desmonte a que o time está sendo submetido desde o fim da temporada.

Eloir: craque e atilheiro

O Sampaio já perdeu para o Nacional (AM) o goleiro Rodrigo Ramos, ídolo da torcida há mais de sete anos, e um com o retrospecto de eficiência e segurança embaixo da trave.

Também perdeu para o Fortaleza (CE) o meia Márcio Diogo, revelação do time na temporada.

Agora, está prestes a perder outro de seus ídolos, o meia  e artilheiro do time, Eloir, que vai para o Ceará. E ainda pode perder os volantes Uilliam Corrêa e Jonas.

É praticamente  meio time; para um clube que sonha com o acesso, perder um elenco de qualidade é meio caminho andado para o fracasso.

Mas a diretoria já anunciou a permanência dos atacantes Pimentinha e Edigar, que vivem de altos e baixos.

Eles resolvem?!?

2

Vice da Copa do Brasil, Sampaio é ignorado no Brasileiro de Beach Soccer… …

Sampaio deu show na Copa do Brasil, mas ficou fora do Brasileiro

Do blog de Zeca Soares

Está começando hoje, em São Paulo, o primeiro Campeonato Brasileiro de Beach-Soccer. A competição idealizada pela Koch Tavares tem o carimbo da Confederação Brasileira de Beach-Soccer. E pasmem vocês…

A Kock e a CBBB num ato de total desrespeito aos clubes e federações que, de fato desenvolvem grande trabalho na modalidade foram deixadas de fora. Refiro-me ao Maranhão e Espírito Santo que não tem nenhum representante na competição. Um completo absurdo!

Alegam que a festa foi apenas para convidados das Séries “A” e “B”, do Campeonato Brasileiro. Mas que diabo tem a ver o futebol com beach-soccer?

O peso das camisas dos times de futebol é completamente diferente do peso dos times que suam a camisa na areia. Continue lendo aqui …

5

Nada é impossível…

O Sampaio Corrêa vai para a segunda partida contra o Atlético Paranaense, hoje, pela Copa do Brasil, em Curitiba (PR).

Alguns locutores esportivos maranhenses falavam hoje de “cumprir tabela”.

Este blog é um crítico ferino do futebol maranhense, mas não é pessimista. E dentro do realismo, sabe que é perfeitamente possível uma vitória da Bolívia Querida.

Mas basta qualquer empate para garantir a vaga: 0X0, 1×1, 2×2…

Apesar da falência do futebol maranhense, o Sampaio tem time para chegar longe nesta Copa do Brasil.

Basta que evite os erros do ano passado, de tentar segurar empate a qualquer custo.

Futebol se joga pra frente, em busca do gol adversário.

É assim que o gol vem…

2

Vasco garante mais um título do futebol de areia…

Rafinha disputa bola com maranhenses, na vitória do Vasco sobre o Sampaio

Campeão do Mundialito de Beach Soccer, ano passado, o Vasco da Gama, melhor time do país na categoria, venceu hoje também a Copa do Brasil, ao derrotar o Sampaio Corrêa, por 5X2.

O torneio, disputado em Manaus (AM) levou Vasco e Sampaio à final após campanhas memoráveis.

Destaque, principalmente, para a Bolívia Querida maranhense, que chegou invicta à final, após golear o Flamengo por 4X1. 

Imagem mostra a força do beach soccer no Brasil

O time volta a São Luís maior do que embarcou, com a certeza de, hoje, estar na lista dos principais clubes de futebol de areia do Brasil.

O sucesso da Copa Brasil de Beach Socer reafirma uma mudança no perfil do esporte.

Desde o ano passado, as federações desistiram de investir nas chamadas seleções estaduais – que não tinham apelo de público – para apostar na força dos clubes de futebol.

Coliseu de Manaus: lotação extrapolada em todos os jogos

A fórmula deu tão certo, que as arenas passaram a lotar com torcedores de Vasco, Flamengo, Sampaio e outros clubes, do Brasil e do mundo.

E o Vasco já se prepara para defender o titulo mundial, em um novo torneio, com forças internacionais, como Milan (IT), Bayer de Munique (AL) e Barcelona (ESP).

E São Luís, com o Sampaio, já se credenciou a abrigar um destes torneios…

2

Vasco e Sampaio decidem amanhã final do Beach Soccer…

Bruno Xavier leva o Vasco à final...

O Vasco da Gama e o Sampaio Corrêa vão decidir, neste domingo,  a Copa Brasil de Beach Soccer, realizada em Manaus.

Para chegar à final, o Vasco derrotou hoje o Cruzeiro, por 3X0. O time maranhense, por sua vez, goleou o Flamengo por 4X1.

Atual campeão mundial, o Vasco é hoje o principal time de Beach Soccer do Brasil, desde que a Confederação Brasileira decidiu investir nos torneios de clubes, ao invés das intragáveis seleções estaduais.

Desde então, o esporte ganhou maior número de adeptos, e a torcida começou a lotar as arenas, para torcer pelo seus clubes, exatamente como ocorre no futebol.

Sampaio dá show e elimina o urubu de virada...

O Sampaio Corrêa também percebeu o filão e montou seu time, que é um dos melhores da categoria.

O Tubarão é, inclusive, o único invicto da Copa Brasil disputada em Manaus.

O jogo Vasco e Sampaio Corrêa será às 11 horas, com transmissão da SoprTV…

0

De qualquer forma, vale a torcida…

O Sampaio Corrêa precisa, pelo menos, levar a decisão da vaga na Copa do Brasil para uma segunda partida, em Curitiba (PR).

Uma vitória diante do Atlético-PR, então, seria um feito sem proporções.

No ano passado, mesmo com toda a falta de estrutura e o descaso de dirigentes e autoridades com o futebol maranhense, a Bolívia Querida chegou à segunda etapa da Copa – e só não avançou por causa dos seus próprios equívocos em campo, que acabaram por beneficiar o Santo André (SP).

Mas mostrou que os times maranhenses também têm condições de ir longe.

O Atlético Paranaense não é esta coisa toda – incusive vem de um rebaizamento para a Segunda Divisão – e vem desfalcado.

Vencer bem em São Luís dá consistência para a disputa em Curitiba, bem mais difícil.

É fundamental, portanto, a presença da torcida boliviana no estádio, empurrando Edgar e Cia.

O restante, eles podem fazer em campo…

11

O fracasso do “Viva Nota”…

Título do Sampaio, em 97: sem lugar para mais ninguém

Há uma diferença crucial do atual programa “Viva Nota” para sua versão mais antiga, o  “Nota na Mão”, lançado pelo governo Roseana Sarney (PMDB) nos anos de 1997 e 98.

Naquela época, havia times de futebol no Maranhão. Agora, não!

Em 1997, o Estádio Castelão vivia lotado por que o Sampaio Corrêa disputava com vontade a Terceira Divisão.

Foi campeão da Série C, chegando à Série B, portal de entrada da elite futebolística, onde o Moto também esteve.

Na Copa do Brasil, Moto, Sampaio e MAC cumpriam seus papéis com certa dignidade, em estádios sempre lotados.

A Bolívia Querida disputou até a Copa Conmembol, precursora da Sulamericana, sendo eliminado pelo Santos, na semifinal, com recorde de público no Castelão.

O blog de Zeca Soares divulgou um levantamento parcial do programa “Viva Nota”: apenas 22 mil contribuintes se cadastraram para ter direito aos sorteios de prêmios.

Com relação ao futebol, o fracasso é ainda maior: apenas 2,5 mil torcedores já trocaram cupons por ingressos da Copa União, um destes “torneios de bairro” criados para não deixar o falido futebol maranhense sem atividade no segundo semestre.

É no segundo semestre que os clubes dos demais estados do Brasil disputam os campeonatos que importam de verdade: Brasileirão das séries A, B, C – e até a D, onde os maranhenses estacionaram há quase uma década.

Hoje, a bolívia se resume a remendos...

É exatamente esta a diferença em relação ao programa da década de 90.

Ninguém tem interesse em trocar o conforto de casa, assistindo aos grandes clássicos brasileiros, em uma série A disputadíssima, em jogos com imagens HD, por um acanhado Nhozinho Santos, palco da inexpressiva Copa União.

O fracasso do “Viva Nota” guarda uma lição: futebol não tem milagre. Ou é bom ou é ruim…

E o do Maranhão está na segunda categoria…

5

O difícil caminho do Sampaio Corrêa até a série B…

Sampaio venceu ontem a segunda na Série D, mas o caminho é longo

Não será fácil para o Sampaio Corrêa disputar a Série B do Campeonato Brasileiro em 2013, como prevêem os encantadores do futebol maranhense.

Para ser possível esta façanha, o clube precisa vencer a 4ª Divisão este ano e a Terceirona em 2012 – caminho, se não impossível, certamente muito difícil.

As duas vitórias na Série D empolgam o torcedor, mas a coisa não é tão fácil assim.

Na disputa por grupos, classificar-se é só uma etapa. É preciso ter consistência, uma vez que, diferente dos pontos corridos, onde uma derrota pode ser superada na outra rodada, na “Quartona” é preciso atenção em todos os jogos, pois é enorme o risco de cair em apenas um jogo, depois de bela campanha.

O Sampaio terá que ter elenco forte para segurar a correria em 2011 e manter a base para 2012, quando – se classificado para a Série C – terá, finalmente, a oportunidade de se manter em atividade o ano inteiro.

E aí, quem sabe, um dia,voltar à Segunda Divisão…

3

O renascimento do Beach Soccer…

Jogador do Sampaio disputa bola contra corinthiano

A CBF, patrocinadores e federações estaduais acordaram e conseguiram dar a volta por cima no futebol de areia no Brasil.

A inclusão de clubes para disputar o esportes – no lugar das inssossas seleções estaduais –  revigorou a categoria e atraiu público para as arenas.

O sucesso já tinha sido alcançado no mundialito, disputado em fevereiro, do qual o Vasco da Gama se sagrou campeão – assunto já tratado aqui neste blog.

Vasco, campeão do mundialito

Agora, o sucesso se repete em Manaus, com a Copa do Brasiol, competição que o Sampaio Corrêa disputou até ontem – e que, mais uma vez, leva o Vasco da Gama às finais.

No jogo Vasco e Flamengo, ontem, nada menos que 32 mil pessoas estiveram na arena, público bem maio do que muitos clássic0s de campo.

Envolver os times tradicionais no Esporte é uams acada que atrairá público e patrocinadores.

Em tempo: a finald a Copa do Brasil de Beach Soocer acontece neste domingo.

Leia também “Vasco é Vasco em qualquer lugar…”